UESPI

Brasao_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Governo-do-Piauí-2023_300X129

Comunidade acadêmica da UESPI lança o livro “Fiando Palavras, Tecendo Saberes”

Por Clara Monte

A mais um e-book “Fiando Palavras, Tecendo Saberes” lançado  pela editora da instituição. O projeto foi realizado de forma colaborativa com alunos recém-graduados e professores do curso de Pedagogia dos campi de Campo Maior e Piripiri, reunindo pesquisas oriundas dos Trabalhos de Conclusão de Curso dos participantes e seus orientadores.

A obra é organizada pelas professoras Rebeca Hennemann e Ana Gabriela Nunes Fernandes. De acordo com Ana Gabriela Nunes Fernandes, o livro aborda discussões teóricas e práticas resultantes das produções acadêmicas dos alunos dos cursos de Pedagogia da UESPI, em colaboração com seus orientadores. As temáticas retratadas nos capítulos representam a diversidade de objetos de estudo no campo educacional, explorando questões fundamentais para refletirmos sobre a formação docente e a prática pedagógica.

“A relevância da obra está na construção de saberes que estimulam o desenvolvimento de um olhar crítico para a realidade educacional, para as relações ali desenvolvidas e para o processo formativo. Esta proposta contribui também para ampliar a visibilidade das pesquisas realizadas por discentes do curso de Pedagogia do interior do Piauí, que estão se inserindo na docência, revelando o potencial desses professores como sujeitos críticos”, finaliza a professora.

Uma das alunas participantes foi Maria Laisa Cerqueira dos Santos. Ela conta que contribuiu com a obra em seu capítulo “A prática do professor frente à ansiedade infantil nos anos iniciais do Ensino Fundamental”, onde discutiu os desafios e práticas do professor diante da ansiedade dos alunos no processo de alfabetização.

“Em minha contribuição, abordo como a ansiedade pode prejudicar os alunos em seu desempenho escolar, pois muitas vezes eles não conseguem expressar o que estão sentindo. Sendo assim, é importante que o professor desenvolva atividades e práticas que trabalhem as competências socioemocionais em momentos de relaxamento, conversas e participação dos alunos. Para mim, essa foi uma experiência muito enriquecedora, pois foi um recorte do meu trabalho de conclusão de curso, resultando em ganho de visibilidade. Uma publicação científica é muito importante para nosso currículo e para adquirirmos experiência. E ainda reforço aos demais discentes que se empenhem em suas produções, dada a relevância de uma publicação científica”, finaliza a aluna.

ACESSE O E-BOOK

Uespi Floriano: Alunas de pedagogia realizaram visita ao Museu dos Povos Indígenas do Piauí (MUPI)

Por Giovana Andrade

Alunas do segundo e quarto período do curso de Pedagogia do Campus Drª Josefina Demes, em Floriano, realizaram uma visita ao Museu dos Povos Indígenas do Piauí (MUPI). O museu está localizado na Comunidade Indígena Nazaré, a 193 km da capital do Estado, em terras dos Tabajara e Tapuio, situado no município de Lagoa de São Francisco-PI.

A visita fez parte da disciplina Cultura Afro-brasileira e Indígena, orientada pelo Professor Me. Sociólogo Robison Pereira. A aula aconteceu sob a batuta das mestras Tabajara e Tapuio, que apresentaram o conhecimento histórico do povo.

O Professor Me. Robison Pereira explica que foi possível perceber que mesmo diante de algumas conquistas, a curto prazo existe uma tripla dimensão da luta quanto a terra, saúde e educação. “Eles ainda reivindicam o que é de direito dos povos indígenas, como a demarcação do território, pois a comunidade recebeu apenas uma doação do Governo do Estado – 160 hectares de terras – , mas a demarcação é competência do Governo Federal. A saúde indígena é outra luta, pois mesmo com os atendimentos oferecidos pelo município, ainda esperam que o Governo Federal faça a sua parte com a construção de um polo base de saúde, pois acreditam que a saúde indígena deve contemplar também a medicina alternativa, como uso de plantas medicinais. Por fim, a educação escolar indígena é outro ponto de luta. A educação oferecida deve ser diferenciada em razão da contribuição dos Troncos Velhos, Cacique, Pajé, todos contribuindo com seus saberes, com ênfase na realidade do cotidiano dos indígenas, ou seja, uma educação contextualizada, contemplando a história e cultura, os saberes e o modo de viver de cada um”.

De acordo com o Prof. Robison, no Brasil, a história em relação aos indígenas é marcado por um processo de apagamento e extermínio. “Aqui no Piauí, a organização de muitos desses povos e o apoio de pesquisas científicas importantes, uma nova concepção acerca da resistência e existência dessas comunidades foi edificada”.

Allane Oliveira, estudante do 4° bloco, ressalta que a visita ao Museu indígena dos Povos Tabajara Tapuio Itamaraty foi enriquecedora. Durante a visita, ela afirma que adquiriu conhecimentos sobre a cultura dos povos indígenas de uma maneira única, que difere do aprendizado em sala de aula. “A visita fez a gente refletir sobre a valorização da identidade desses povos e sensibilização da importância de viver de uma forma sustentável. Os povos indígenas desempenham um papel importante na preservação ambiental e manutenção da biodiversidade. Foi uma experiência única que nos proporcionou uma visão diferente sobre a situação que se encontra sobre a cultura desses povos originários”, finalizou

“Foi na universidade que aprimorei ainda mais meus sonhos dentro da educação”

Por Clara Monte 

Em uma emocionante cerimônia realizada no campus de Corrente, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) outorgou grau aos formandos do curso de Pedagogia. Dentre os formandos, estava Gabriel Alves, o mais novo pedagogo piauiense, que segurava com firmeza uma enxada, afirmada por ele, ser o símbolo de sua trajetória. Para o egresso, a enxada representava sua família de lavradores da zona rural do município de Corrente, que não teve a oportunidade de adquirir a educação formal. Gabriel orgulha-se de ser o primeiro membro de sua família a conquistar uma formação superior.

Formando de Pedagogia, Gabriel Alves

“Deixo aqui essa frase: “Sou o que sou, porque somos todos nós”. Nela representa meu sentimento de gratidão tanto aos meus familiares, que sempre me apoiaram apesar das muitas dificuldades, quanto à UESPI, a instituição que me ofereceu ensino de qualidade para que eu me tornasse o educador que sou hoje. Foi na universidade que aprimorei ainda mais meu sonho dentro da educação, e aproveitei ao máximo tudo que me era oportunizado, sempre participando de pesquisas e projetos, que me abriram portas. E agora, meu objetivo é um mestrado, continuar na educação, e quem sabe um dia voltar para a UESPI, mas dessa vez sendo um professor da instituição”.

Discurso do formando Gabriel Alves

Orgulhosa do filho, Cizinha Alves, se emocionou ao compartilhar a jornada da família e do filho até o dia da formatura. Ela falou sobre as adversidades enfrentadas ao longo do percurso e expressou sua  felicidade ao ver seu primeiro filho se formar em uma instituição pública, segurando simbolicamente uma enxada na mão, representando a luta dos familiares.

“Meu pai, avó de Gabriel, trabalhou e lutou muito para que ele pudesse ter a educação que nós não tivemos a oportunidade. Vê ele com a enxada na mão, com orgulho de todas as nossas lutas para ver ele se formando, me traz um sentimento de profunda gratidão. Eu, e toda nossa família, estamos muito felizes por esse momento de vitória, pois apesar das dificuldades de moradia para que ele tivesse acesso aos estudos, ele conseguiu realizar esse sonho”.

Formando Gabriel Alves, e sua mãe, Cizinha Alves

Marcos Vinicius, coordenador do curso de Pedagogia, afirma que momentos de formaturas são especiais para ele, pois representa um sentimento de dever cumprido como professor.  Ele destaca a importância da educação pública na vida de jovens como o Gabriel Alves, que aproveitou todas as oportunidades ofertadas a ele.

“Gabriel sempre foi um exemplo de dedicação, tanto que chegou a receber a láurea acadêmica. Ele vem de uma família de agricultores da nossa região, pessoas lutadoras que enfrentaram inúmeros desafios e que não teriam condições de pagar uma instituição particular para o seu filho. Acredito que este seja um momento extremamente representativo para todos”.

Colação de Grau do curso de Pedagogia

Na cerimônia, a Pró-reitora adjunta de Administração, Profa. Rosineide Candeia, esteve representando o Magnífico Reitor da UESPI e parabenizou  todos os formandos pela conquista do grau em nome da instituição. Ela expressou sua satisfação ao testemunhar trajetórias de prosperidade, como a de Gabriel Alves, destacando a contribuição da UESPI para enriquecer a vida das pessoas.

“A satisfação que sentimos a cada cerimônia de colagem de grau é imensurável. É especialmente gratificante testemunhar a formação desses profissionais e vê-los inseridos no mercado de trabalho. Agradecemos sinceramente pela confiança que depositaram em nossa instituição”, finalizou a professora

Profa. Rosineide Candeia, Pró-reitora adjunta de Administração da UESPI

UESPI Clóvis Moura: Coordenação do PIBID organiza Oficina Pedagógica

Coordenação do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), campus Clóvis Moura (CCM), organiza Oficina Pedagógica do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)- 2023, com o tema “Estratégias Lúdicas em sala de aula como ferramentas facilitadoras da motivação e aprendizagem“, para os discente de iniciação à docência (PIBID) do curso de Pedagogia. O evento acontece de forma presencial no dia 24 deste mês às 15h no Auditório do campus Clóvis Moura.

A Ação é uma atividade pontual programada para atender necessidades formativas para atuação docente e discente de participantes do PIBID acerca da mediação lúdica, recreativa e de relaxamento nas turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental em que atuam como bolsistas do PIBID. A oficina é coordenada pela Profª. Dra. Isabel Fontineles e Profª. Dra. Mary Gracy, contando com a participação dos discentes vinculados ao PIBID.

 

A Profª. Dra. Isabel Fontineles, explica que o evento busca compreender a relevância e necessidade de práticas lúdicas perspectivando a mobilização de estratégias de motivação e relaxamento no desenvolvimento de atividades de ensino no contexto da sala de aula, para mediação do processo de ensino aprendizagem dos alunos nas turmas em que atuam como docente, e ou discente em formação.”Além disso, ao incorporar o lúdico em suas práticas pedagógicas, os professores tornam o processo de ensino mais dinâmico e atrativo, fomentando o interesse dos alunos pelo aprendizado e estimulando sua participação ativa na construção do conhecimento”.

A ministrante da Oficina será Eliene Pierote, professora do curso de Pedagogia/CCM, ela abordará metodologias lúdicas, criativas, interdisciplinares e referendadas pela psicomotricidade por meio de músicas, dinâmicas lúdicas, recreativas e de relaxamento. Um dos objetivos da oficina é fazer com que discentes participantes do PIBID e professoras supervisoras adquiram conhecimentos referentes às Estratégias lúdicas para recreação, mobilizando saberes, dinâmicas e técnicas para sensibilização e relaxamento na sala de aula.  “Será uma oficina de caráter teórico prático, com ênfase em atividades lúdicas a serem desenvolvidas pelos alunos Pibidianos, com vistas a otimizarem as ações que promovem a atenção, a concentração e a motivação no processo de aprendizagem das crianças”.

Curso de Pedagogia da UESPI tem representantes no III Seminário Internacional de Políticas de Avaliação Educacional e Accountability

Por Anny Santos

As professoras Dra. Raimunda Maria Ribeiro, Dra. Mirian Folha, Ma. Priscila Ferraz e o aluno Gabriel Alves, todos do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Dep. Jesualdo Cavalcanti, em Corrente, tiveram a oportunidade de participar e apresentar suas pesquisas no III Seminário Internacional de Políticas de Avaliação Educacional e Accountability. O evento foi realizado na Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), no mês de maio.

Os representantes da UESPI fazem parte de um grupo de pesquisa em rede, que iniciou em 2021, com duração prevista de 36 meses, tendo como título de estudo “Afirmação da Accountability na gestão da educação pública: rebatimentos no plano da democratização”, Coordenado pelo professor Dr. Elton Luiz Nardi da UNOESC, Campus Joaçaba, alinhado com o Grupo de Estudos e Pesquisas Educacionais (GREPE) da UESPI, Campus Corrente, juntamente com outras universidades de diferentes estados brasileiros, abrangendo Piauí, Goiás, Santa Catarina, Tocantins, Ceará e São Paulo.

Segundo o aluno, essa rede de pesquisa tem como objetivo promover a colaboração entre os pesquisadores e impulsionar o avanço dos estudos relacionados à educação. “Tive a honra de participar da rede de pesquisa que abarca às cinco regiões do Brasil, pois fui bolsista remunerado e como fruto da minha Iniciação Científica, apresentei meu Trabalho de Conclusão de Curso ‘Gestão da Educação Pública: Políticas de Regulação por Resultados e o Forjamento da Afirmação da Accountability’ com Nota Máxima”.

Durante o seminário, tanto o acadêmico quanto a professora Dra. Raimunda Maria Ribeiro tiveram a oportunidade de apresentar oralmente suas pesquisas. O evento contou com a participação de pesquisadores de diversos países da América Latina, incluindo Brasil, Chile, Colômbia, Espanha e México. A presença de especialistas internacionais enriqueceu as discussões e proporcionou uma troca de conhecimentos valiosa.

Além das apresentações, o seminário ofereceu uma série de palestras, mesas-redondas e debates sobre temas relacionados às políticas de avaliação educacional e prestação de contas. Os participantes tiveram a oportunidade de compartilhar experiências, conhecer diferentes abordagens teóricas e discutir os desafios e perspectivas futuras nessa área.

A Pesquisa Cientifica na formação acadêmica

Gabriel Alves participou do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), sendo contemplado com uma bolsa remunerada financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Sua bolsa tinha vínculo com a UNOESC e teve a duração de 8 meses. De acordo com ele, essa oportunidade o permitiu se aprofundar no mundo da pesquisa.

Para ele, a pesquisa científica é como um palco de novas descobertas, dilemas, reflexões e investigações de questões que seus frutos beneficiam a sociedade. Através do interesse pelo conhecimento e com base nos métodos científicos é possível resolver problemáticas e assim, segundo ele, contribuir para sua aprendizagem acadêmica como um ser crítico, inacabado e integrado na comunidade.

Essa experiência contribui para o aprimoramento das práticas pedagógicas e para o avanço das políticas de avaliação educacional no Brasil. A UESPI, juntamente com as demais universidades parceiras, continua empenhada em promover pesquisas de qualidade e desenvolver estratégias que possam aperfeiçoar o sistema educacional brasileiro.

“O Seminário Internacional no sul do Brasil me proporcionou experiências enriquecedoras na minha formação acadêmica, ao conhecer grandes cientistas da educação brasileira, conseguinte, internalizar tudo que aprendi durante o evento. Tive o prazer de conhecer os autores bibliográficos do meu artigo científico, assim como, um amplo networking de conhecimentos”, finaliza.

UESPI Corrente: Alunos de Pedagogia exploram a riqueza cultural e arqueológica da Serra da Capivara

Por Anny Santos

Alunos do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Dep. Jesualdo Cavalcanti, em Corrente, fizeram uma visita técnica, proveniente da disciplina de História: Conteúdo e Metodologia, à Serra da Capivara, um dos mais importantes sítios arqueológicos do mundo, entre os dias 6 e 8 de julho.

A atividade proporcionou aos estudantes a experiência de explorar as riquezas históricas, a cultura e a biodiversidade da região. Eles tiveram a oportunidade de conhecer o patrimônio cultural reconhecido mundialmente por suas pinturas rupestres e fósseis, que retratam a evolução humana e a vida pré-histórica na América.

Segundo o professor Enilson Gladiel Miranda, responsável pela atividade, a viagem teve como objetivos aprofundar a importância patrimonial para o ensino de história, incentivar os alunos do curso de pedagogia a conhecer os patrimônios naturais e culturais como lugares de pesquisa, promovendo conhecimentos e aprendizado, e demonstrar a importância do papel social do aluno.

Mostrar aos alunos que a historicidade também faz parte do presente e não somente do passado e é uma forma deles conhecerem a história do Piauí, participando e sendo presente no espaço onde se deu tudo, o início do homem americano”, destaca o docente.

Os discentes também tiveram a oportunidade de explorar dois museus que enriquecem ainda mais o conhecimento sobre a história e a natureza da Serra da Capivara, o Museu do Homem Americano, que apresenta uma exposição sobre a evolução do ser humano no continente americano, permitindo aos estudantes compreender a trajetória e as transformações ocorridas ao longo dos anos, e o Museu da Natureza, que aborda a evolução da própria natureza na região, desde os primórdios até os dias atuais.

Para Gabriel Alves, um dos alunos participantes, a atividade de campo até o Parque Nacional Serra da Capivara o possibilitou experienciar o local considerado o berço da humanidade e ampliar sua teoria e prática no processo de ensino aprendizagem. “Obtive uma reconstrução do que eu já sabia através de livros. O contato interdisciplinar, sem dúvidas, foi enriquecedor, com um novo olhar, reflexões e aprendizagens significativas. Através do professor Enilson Gladiel, a Pedagogia, com muito esforço e coletividade, conseguiu sair do extremo sul do Piauí para somar os conhecimentos obtidos na disciplina”.

De acordo como o professor a viagem à Serra da Capivara também proporcionou conhecer o poço Violeto, em Cristino Castro, o campus da UESPI, em Bom Jesus, o Circuito Baixão da Pedra Furada e a Toca do Sítio do Meio. Além de realizarem uma caminhada ecológica até a Toca do Pedro Rodrigues, uma visita panorâmica da Ponta da Pedra e um passeio panorâmico no Centro Cultural e Histórico.

Mariza Ribeiro, aluna que também participou da atividade, destaca que a visita técnica foi uma experiência muito enriquecedora, onde foi possível conhecer lugares que somente são visto pelos livros de história. “Nos impressionamos com as pinturas rupestres, os fósseis e a biodiversidade local. Foi uma viagem de grande aprendizado, cultura e lazer. Entendemos o porquê de devermos dedicar a nossa futura prática docente a incentivar nossos alunos a irem além do ambiente escolar. Essa viagem aconteceu graças ao nosso trabalho, ao apoio dos patrocinadores e à orientação do professor Enilson Gladiel”.

Para os alunos, a atividade reforçou a importância da vivência prática e do contato direto com o patrimônio histórico e cultural para a formação dos futuros professores. Os estudantes voltaram para casa com uma bagagem de conhecimento e memórias, que certamente serão compartilhadas e transmitidas, contribuindo para a educação e valorização da riqueza cultural do estado.

São Raimundo Nonato: curso de pedagogia ganha seu primeiro laboratório estudantil e reformas em sua brinquedoteca

Por Clara Monte 

Comunidade acadêmica do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Ariston Dias Lima, em São Raimundo Nonato, ganhou seu primeiro laboratório estudantil e reformas em sua brinquedoteca.

Laboratório de Pedagogia/ Brinquedoteca

O Professor de Pedagogia do campus, Genesis Naum Farias, conta que o laboratório do curso foi idealizado por ele e explica que o projeto ganhou os materiais necessários para compor o espaço graças à ajuda e parceria da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX), Pró-Reitoria de Administração (PRAD), da Reitoria da instituição, empresários da região e ao Deputado Estadual, Hélio Isaías.

Laboratório de pedagogia

“Esse laboratório é uma grande conquista para nosso curso de pedagogia, pois nele se encontra o espaço da brinquedoteca, que ajuda e muito as nossas alunas e as funcionárias da UESPI que não tem onde deixar seus filhos. Além disso, o laboratório também tem um núcleo de estudos, que é uma incubadora de projetos de extensão, onde já foram publicados livros com contribuições dos próprios alunos. Percebe-se, então, a importância disso para nosso curso, pois uma boa estrutura acadêmica trás excelentes resultados para a educação”, finaliza o docente.

Espaço da brinquedoteca

Aluna do curso, Vanice Ferreira de Sousa Silva, conta que já foi bolsista do projeto e teve experiência em ficar na brinquedoteca responsável pela organização e cuidados das crianças. A discente, que também é mãe, explicou que o espaço é de suma necessidade no campus, principalmente para as estudantes mães do período noturno.

Espaço da brinquedoteca

“Quando eu entrei na UESPI tinha com quem deixar meus filhos, mas muitas mulheres não tem esse mesmo suporte. A brinquedoteca ajuda para evitar as faltas dessas mães nas salas de aula, garantindo a segurança dos seus filhos. Além disso, o espaço também serviu de contribuição para minha vida acadêmica, pois me ensinou a prática de um dos ensinamentos aprendidos meu curso”, finaliza a discente.

Atividade educativa na brinquedoteca

Projeto de extensão “Semana da Ação Mundial 2023 – O Novo Ensino Médio: o direito à educação em xeque”

Por Clara Monte

Comunidade acadêmica da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) participaram do Projeto de extensão “Semana da Ação Mundial 2023 – O Novo Ensino Médio: o direito à educação em xeque”.

A ação foi idealizada pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação. E por se tratar de um projeto intercampi e interinstitucional, fizeram parte da organização dos eventos os professores das instituições UESPI, UFPI, IFPI, professores da educação básica e SINTE/PI.

Na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), o projeto foi Coordenado pelas docentes do curso de pedagogia Lucineide Soares, campus Heróis do Jenipapo, e Profa. Carmem Bezerra, do Campus Barros Araújo.

A organizadora, Profa. Lucineide Soares, contou que o projeto intercampi promoveu eventos ao longo do mês de junho e envolveu  o curso de Licenciatura em Pedagogia dos campi da UESPI de Campo Maior, Uruçuí, Piripiri, Floriano, Picos, Torquato Neto, Clóvis Moura e os cursos de Ciências Sociais e Filosofia em Parnaíba. Ela destaca que o público alvo dos eventos foram as comunidades escolares, acadêmicas, famílias, profissionais da educação e a população piauiense em geral.

“O nosso intuito foi mobilizar essa população para a participação na discussão sobre a Reforma do Ensino médio na perspectiva de delinear propostas que contribuam na formulação de políticas educacionais que fomentem ações que assegurem a educação como um direito humano inalienável, problematizando o processo de implementação do Novo Ensino Médio no Piauí e no Brasil”, explicou.

Um aluno participante no projeto, Roberivando Pereira Borges, do 7° período do curso de pedagogia, explica sua contribuição em eventos do projeto e diz que seu envolvimento na causa deu-se pela vontade de lutar por uma educação digna e de qualidade não somente para ele, mas para as gerações futuras.

“Pude contribuir para esse projeto de forma a ajudar na organização de uma aula pública na cidade de Campo Maior/PI. Fui coordenador adjunto da professora Lucineide Maria dos Santos Soares e, claro, pude me engajar mais e explicar sobre a farsa da reforma do Novo Ensino Médio, que não tem nada de Novo, ou, seja, é só uma reforma para sucatear a educação básica e eu, juntamente com a professora, tivemos a oportunidade de levar essas informações para a população da cidade”, finalizou.

Confira fotos dos eventos ofertados pelo projeto de extensão “Semana da Ação Mundial 2023 – O Novo Ensino Médio: o direito à educação em xeque”

Audiência Pública na ALEPI

Oficinas de cartazes para aulas públicas UESPI Campo Maior e Parnaíba

Aulas públicas em Teresina, Campo Maior, Floriano, Parnaíba, São Raimundo Nonato

 

Oficina CÍRCULO DE CULTURA SOCIOPOÉTICA JUVENTUDES E ENSINO MÉDIO na Escola Estadual Helvidio Nunes

Mesas Temáticas na UESPI

 

Curso de pedagogia da UESPI de Picos promove Seminário de educação especial entre os dias 3 e 5 de julho

Acontece entre os dias 3 a 5 de julho o lII Seminário de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva que tem como tema “Educação Inclusiva: Escolarização e atividades pedagógicas”, e será realizado no auditório do campus Professor Barros Araújo. A  organização é do VI do bloco do curso de pedagogia.

 “Com esse evento podemos possibilitar momentos formativos sobre a escolarização do público da educação especial na perspectiva inclusiva”, afirmou a  professora Fabricia Gomes, organizadora do evento.

A docente disse ainda que é de grande importância a realização de espaços como esses dentro da universidade. “ Vamos fomentar o diálogo e propor atividades práticas para uma escolarização de fato inclusiva a ser discutida dentro da universidade e refletirmos sobre estudos científicos, mas também agregar as realidades práticas e vivências na educação”, destacou A profa. Fabricia.

Como organizadora, a professora  faz um convite a toda a comunidade acadêmica e externa para somar junto nas discussões e participar do Seminário. “ Estamos convidando todos para que juntos construirmos o III SEEPI. Será um evento que visa socializar estratégias, metodologias, pensar sobre a prática inclusiva. Não podemos ficar apenas com o “papel” , devemos juntos pensar e somar esforço para que todos tenham uma educação inclusiva”, enfatizou.

Para a aluna Andressa Fernanda o sentimento de pertencer a esse Seminário é de entusiasmo. “A sensação é de muito entusiasmo, mas também um pouco de preocupação para que cada evento aconteça da melhor forma possível. Estamos organizando da melhor forma possível para receber nossos convidados e palestrantes. Será um evento muito significativo para todos nós, queremos transmitir conhecimentos para nosso público”, disse.

O III SEEPI terá uma programação cheia de conhecimento. Segue abaixo o link da inscrição onde os interessados terão acesso a programação completa.

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdcryloM17bMk1tmDmeHL4l8_tMKWKYJwMJ4JcvOG8cz47zQA/viewform

Curso de Pedagogia da UESPI promove II Sarau de Alfabetização em Picos

Por Vitor Gaspar

Na tarde desta quarta-feira (28), das 15h às 17h, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) recebe o II Sarau de Alfabetização intitulado “A UESPI vai à escola”. O evento, organizado pela Professora Fabrícia Gomes da Silva e os estudantes do 4° Bloco de Pedagogia, acontece na sala 18 do campus Professor Barros Araújo, em Picos.

O objetivo principal do Sarau de Alfabetização é destacar a importância da arte no processo de aprendizagem da leitura e escrita, oferecendo um vasto repertório de recursos, como músicas, poesias, rimas, jogos, danças e brincadeiras. O evento marca o encerramento de uma série de atividades realizadas pelos alunos de Pedagogia da UESPI em escolas dos municípios de Picos e Ipiranga. Ao longo dos últimos meses, os estudantes visitaram escolas da região, onde conduziram as primeiras etapas do Sarau em parceria com as crianças.

“Acreditamos que o tema desse ano possibilita um maior diálogo com professores e alunos da Educação Básica, mostrando que somos parceiros, Universidade e escola, e que juntos agregamos mais qualidade aos processos educacionais”, afirma a professora Fabrícia Gomes sobre o projeto.

Registro das estudantes de Pedagogia no pátio de uma escola pública em Picos

O evento também vai proporcionar aos acadêmicos a oportunidade de vivenciar práticas que farão parte de sua futura profissão, estimulando especialmente a criatividade, que desempenha um papel fundamental nas atividades pedagógicas.

“É com muita alegria e entusiasmo que falo sobre a expectativa desse evento especial, que será realizado hoje a tarde no nosso campus, e que já foi realizado em algumas escolas de Picos e do Ipiranga. Será um momento onde a arte, a leitura e a expressão ganham vida e se encontram em um só lugar e, de diversas formas, estaremos divididas em equipes para apresentarmos um pouco de cada ideia que foi criada com todo cuidado e dedicação”, afirma Eula Soares, estudante do 4º bloco.

Prática com as crianças do ensino básico

As atividades promovem a valorização da literatura, estimulando o gosto pela leitura e incentivando a expressão criativa das crianças. Segundo a organização, as atividades buscam envolver os alunos de forma lúdica e interativa, proporcionando um espaço para que eles possam expressar sentimentos e ideias por meio da leitura e da escrita. O Sarau de Alfabetização é aberto a todos os interessados, sejam eles estudantes, professores, profissionais da área da educação ou comunidade em geral. A participação é gratuita e não é necessário realizar inscrição prévia.

A organização convida todos a participarem do momento, no sentido de valoriza a arte como ferramenta pedagógica e fortalece a parceria entre a universidade e as escolas.

Curso de Pedagogia inicia a IV Semana da Educação em Piripiri

Por Vitor Gaspar

O curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) deu início, na noite dessa quinta-feira (22), a IV Semana da Educação no campus Prof. Antônio Giovani Alves de Sousa em Piripiri. O evento vem trazendo temas relacionados aos desafios e as perspectivas que decorrem do período pós-ensino remoto, consequente da Pandemia de Covid-19.

Registro do auditório do campus com a presença do público

Com a temática Educação pós pandemia: desafios, possibilidades e perspectivas, a ação vem estimulando o diálogo e a troca de experiências entre os participantes acerca dos processos e consequências relacionadas ao tema, além de incentivar a reflexão sobre práticas pedagógicas.

Mesa de honra composta por professores do campus e pelo Vice Reitor, Dr. Jesus Abreu

A Semana da Educação vem, tradicionalmente,  realizando atividades na UESPI de Piripiri, com temáticas que dizem respeito a educação no contexto da região. Segundo a coordenadora do curso, Profa. Adriana Borges Ferro, o tema da quarta edição foi pensado na tentativa de refletir sobre o atual momento  em busca de pensar em como recompor as condições ideais do ensino. Ela também destaca a recepção da comunidade acadêmica no primeiro dia do evento:

“Nós tivemos um público bastante significativo em nossa abertura, com alunos dos cursos de Pedagogia, das demais licenciaturas e também de outras instituições, como alunos do IFPI, além de pessoas da comunidade externa, como professores da educação básica e todos estavam muito empenhados para essa discussão”, afirmou a docente.

A coordenadora de Pedagogia do campus Adriana Ferro discursando para os presentes

A programação da quinta-feira trouxe momentos culturais e a conferência magna de abertura, que contou com a participação do Vice-Reitor da UESPI, Prof. Dr. Jesus Abreu, além da contribuição da professora Antônia Edna, do programa de mestrado da UFPI, que trouxe reflexões de pesquisas mais recentes a respeito da temática.

A decoração do evento inspirada nas tradições da festa junina

Os debates levam em consideração o cenário das escolas e a Universidade, que foram  ambientes que sofreram processos adaptativos  durante o período pandêmico e , com o fim desse período, tornou-se importante avaliar o processo visando um planejamento para o futuro. Nesse sentido, as atividades propostas na programação buscam disseminar boas práticas na área da educação.

O Diretor do campus, Prof. Mike Melo do Vale, elogiou os empenhos de todos os envolvidos na organização do evento e destacou que essa é uma discussão atual, especialmente, pensando nos reflexos que são sentidos nos dias de hoje em todos os níveis da educação após o período da pandemia.

“Nada melhor do que a Semana da Educação para discutir isso, trazendo profissionais da área para debates ricos sobre esse assunto. Espero que a gente saia daqui com conceitos mais assertivos para, depois, discutirmos o que estamos vivendo hoje e pensar em perspectivas futuras de como melhorar a educação piauiense”.

O Diretor  Mike Melo da UESPI ao lado da Profa. Antônia Edna Brito da Universidade Federal do Piauí

O público alvo são alunos de Licenciatura da UESPI, professores e gestores da educação básica da cidade de Piripiri.

Confira a programação dos próximos dias:

23/06- (SEXTA-FEIRA)

(DURANTE TODO O DIA E A NOITE)

PALESTRAS; MESAS REDONDAS; COMUNICAÇÕES ORAIS; OFICINAS; MOMENTO CULTURAL.

24/06- (SÁBADO) 

9H PALESTRA

10H-CONFERÊNCIA MAGNA DE ENCERRAMENTO

11H ENCERRAMENTO DA IV SEMANA DA EDUCAÇÃO

PROGRAMAÇÃO COMPLETA: Programacao_IV_Semana_Educacao.docx

Curso de Pedagogia: alunos promovem ação educativa e recreativa em comunidade de Bom Jesus

Por João Fernandes

Os alunos do sétimo período do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Bom Jesus, se uniram para levar um dia repleto de diversão e aprendizado à comunidade Corrente dos Matões, zona rural da cidade. A ação teve como objetivos desenvolver atividades lúdicas para as crianças e aproximar os futuros profissionais à sociedade.

Realizado no último final de semana, o evento foi organizado pelos discentes do Curso de Pedagogia com a coordenação dos professores Valdeney Lima e Dryelle Silva. Os futuros educadores se distribuíram em diferentes áreas de interesse. A atividade teve brincadeiras, contação de história, jogos e atividades artísticas para um público estimado em 52 crianças.

A aluna Isabella Barros, discente do 7° período, destaca que as atividades lúdicas são uma ferramenta importante para o desenvolvimento cognitivo, emocional e social das crianças. “Queríamos proporcionar momentos de alegria e muito aprendizado. Essas ações são de suma importância para o desenvolvimento social e cultural das crianças, sendo um fator facilitador da aprendizagem e expressão no espaço escolar, além de nos inserir neste ambiente”, acrescenta a aluna.

Os futuros pedagogos dedicaram-se integralmente à ação, colocando em prática todo o aprendizado visto em sala de aula. A professora Dryelle Silva comenta que as ações de extensão do Curso de Pedagogia são muito importantes, pois fortalecem a integração entre a Universidade e a comunidade externa e, com isto, os alunos podem conhecer outras realidades sociais e vivenciar experiências que podem possibilitar uma formação técnica, humana, cultural e social.

“Atividades são muito importantes, tendo em vista que os alunos precisam despertar os seus sentidos para as comunidades que estão ao redor da cidade de Bom Jesus. Além disso, essas atividades podem auxiliar na sensibilidade e potencializar a criatividade para planejar, elaborar e avaliar atividades importantes para o campo da Educação”, destaca a professora.

Confira outros momentos da ação

 

Curso de Pedagogia prepara IV Semana da Educação, em Piripiri

Por João Fernandes

O Curso de Pedagogia do campus Prof. Antônio Giovani Alves de Sousa, em Piripiri, promove a IV Semana da Educação. A principal ideia do evento é compreender os desafios e as perspectivas que decorrem do período pós-ensino remoto, consequente da Pandemia de Covid-19.

A ação acontece entre os dias 22, 23 e 24 junho. Com a temática, Educação pós pandemia: desafios, possibilidades e perspectivas, a Semana da Educação busca estimular o diálogo e a troca de experiências entre os participantes, além de incentivar a reflexão sobre práticas pedagógicas.

Os palestrantes convidados abordarão temas relevantes e atuais, como, ChatGpt e a Educação: refletindo sobre a inteligência artificial e Educação; Profissão do Pedagogo: uma visão do presente e do futuro, e ainda questões importantes sobre saúde mental discente. Discutindo estas perspectivas, os alunos, professores e toda a comunidade acadêmica terão a oportunidade de vivenciar um espaço de discussão e intercâmbio de ideias e vivências da profissão docente.

A coordenadora do Curso de Pedagogia, Profa. Dra. Adriana Borges Ferro, ressalta a importância desse evento para a formação dos futuros pedagogos e para a atualização dos profissionais já atuantes. Segundo ela, a Semana da Educação é um momento ímpar para o intercâmbio de novas ideias e a promoção de diálogos a partir de diferentes espaços onde acontecem diversos processos educacionais.

“Tendo em vista que escolas e a Universidade foram dois ambientes que sofreram processos adaptativos mais relevantes durante o período pandêmico, com o fim desse tempo tão difícil, é importante avaliar o processo, com seus avanços e recuos, para planejar o futuro. Por isso, a programação busca disseminar boas práticas na área da educação”, destaca a professora.

O público alvo são alunos de Licenciatura da UESPI, professores e gestores da educação básica da cidade de Piripiri. Os interessados precisam se inscrever através do Formulário Eletrônico.

Confira a programação

22/06 (QUINTA-FEIRA) 

17H-CREDENCIAMENTO

19H – ABERTURA

19:30 MOMENTO CULTURAL

20H CONFERÊNCIA MAGNA DE ABERTURA

23/06- (SEXTA-FEIRA)

(DURANTE TODO O DIA E A NOITE) 

PALESTRAS; MESA REDONDA; COMUNICAÇÕES ORAIS; OFICINAS; MOMENTO CULTURAL.

24/06- (SÁBADO) 

9H PALESTRA

10H-CONFERÊNCIA MAGNA DE ENCERRAMENTO

11H ENCERRAMENTO DA IV SEMANA DA EDUCAÇÃO

Programacao_IV_Semana_Educacao.docx

Campus de Floriano promove palestra sobre formação de professores e de intérpretes de libras

Por Clara Monte

Nesta sexta-feira (26), a comunidade acadêmica de pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Floriano, promovem a palestra: Formação de Professores e de Intérpretes de libras. 

A ação está ligada ao projeto Curso de Extensão: Saberes pedagógicos, que tem como objetivo fornecer conhecimentos práticos e relevantes na área da Pedagogia, tendo como convidados  docentes especialistas preparados para apresentações dos conceitos mais atualizados. A ação permite aos discentes a oportunidade de conhecimentos remodelados sobre as tendências de ensino.

Os docentes, Wallace Filemon e Lucelia Mateus Lima, são os convidados para a mesa redonda. A oportunidade acontece no Auditório do campus Dra. Josefina Demes e conta com uma série de palestras interativas, estudos de casos práticos e projetos orientados, objetivando a ampliação de saberes para a aplicação na vida fora da academia.

O professor, Wallace Filemon, destaca seu contentamento em participar de um projeto que visa a ampliação de saberes aos alunos, e explica quais temas serão abordados em sua palestra.

“Basicamente hoje nós vamos falar sobre a libra de sinais, que é a minha profissão. Como desde cedo essa carreira desperta em mim, vou poder contar um pouco da minha trajetória nesse ramo, explicando o que passei para poder trabalhar nisso. Acho muito importante esse tipo de ação, pois na palestra vou falar sobre os desafios e aprendizados que enfrentei e adquiri, desse modo, posso interagir com os alunos, dando sugestões e dicas de como atuar na área”, finaliza o docente.

Para mais informações sobre o projeto acesse: @uespicapedfloriano

 

 

Programa de Residência Pedagógica em Parnaíba visita Sítio Arqueológico “Arco do Covão”

Por Vitor Gaspar

A equipe do Programa de Residência Pedagógica (RP) do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) do campus de Parnaíba realizou uma visita Técnica ao Sítio Arqueológico “Arco do Covão”, localizado na Serra do Morcego na Região do Caxingó-PI.

Registro da equipe da Residência no local

Como descreve o pesquisador Luis Cavalcante (Doutor em Ciências Química e com experiência em pesquisas arqueológicas) o local é um dos maiores, mais belos e importantes sítios do Centro-Norte do Piauí. Com 70 metros de comprimento, o Arco do Covão localiza-se em um ponto estratégico para os turistas que seguem rumo ao litoral piauiense. O abrigo comporta cerca de 1000 pinturas pré-históricas e o cuidado com que foram realizados alguns dos grafismos, a grande dimensão e as formas variadas que apresentam são características que se sobressaem à análise do observador.

Com apoio do diretor do campus, Prof. Dr. Eyder Rios, e da Coordenadora do curso, Profa. Dra. Samara de Oliveira a iniciativa faz parte de uma das ações previstas pela Coordenação local do RP liderada pela docente orientadora, Profa. Dra. Fabricia Pereira Teles. A professora afirma que essa iniciativa pretende destacar a necessidade do respeito aos povos originários e, consequentemente, a cultura e valores dos povos indígenas de hoje.  Segundo ela, o objetivo da ação foi levar os acadêmicos do curso para esse espaço como uma oportunidade de sentir a atmosfera e de confirmar a presença desses povos, além de valorizar sua existência, enriquecendo o repertório de informações dos futuros pedagogos para que possam abordar essa temática de forma efetiva com as crianças na educação básica, no ensino fundamental.

“Estamos discutindo o papel fundamental do pedagogo como profissional da Educação infantil. Geralmente, esses assuntos são tratados no ensino fundamental maior ou no ensino médio, e deixado de lado na Educação infantil e o Ensino fundamental menor. É por isso que buscamos despertar a sensibilidade dos acadêmicos para essa temática, enfatizando a importância de valorizar todos os povos que habitaram esta região, os quais já estavam presentes antes mesmo do descobrimento do Brasil. Ao longo de muitos séculos, antes da chegada daqueles que se autodenominaram descobridores do Brasil, os povos originários e indígenas já ocupavam este território de forma significativa”, afirma.

As pinturas rupestres representam marcas vivas desse passado, que está presente na atualidade, destacando a necessidade de conhecer e valorizar essas culturas com propriedade, a fim de promover o respeito necessário.

Pensando nisso,  os residentes do curso já estão desenvolvendo nas escolas públicas de Educação Básica do Município o Projeto de Aprendizagem denominado “Nunca mais um Brasil sem nós: pela honra e valorização dos povos indígenas”. A ideia central é levantar a bandeira em defesa dessas questões, especialmente para que os estudantes acadêmicos possam se apropriar e conhecer mais sobre a história dos povos originários. Dessa forma, eles podem ampliar sua percepção sobre a cultura dos povos indígenas e desconstruir visões estereotipadas e preconceituosas que ainda existem.

Através das visitas e interações com os alunos nas escolas de educação básica, os acadêmicos têm a oportunidade de compartilhar suas experiências e falar sobre a importância dessas vivências. Segundo a estudante do 8º período, Raiane Moraes, participar do projeto tem sido de grande satisfação, pois através dele intensifica sua prática docente e desfruta de grandes curiosidades, como a história do Arco do Covão.

“Como futura profissional da educação é mais do que necessário aprender e valorizar os povos originários, tanto para a minha qualificação profissional, como também pessoal. A visita técnica para esse sítio arqueológico me aproximou da vivência dos indígenas e me possibilitou passar todas as informações lá coletas para a minha sala de aula do estágio. Os alunos amaram!”, encerra.

Registro da equipe reunida na faixada do Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira

Campus de Floriano: Curso de Extensão “Saberes pedagógicos”

Por Clara Monte 

Comunidade acadêmica de pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Dra. Josefina Demes, em Floriano, promovem Curso de Extensão: Saberes pedagógicos.

Professora Sheila Borges, e os alunos organizadores das palestras.

O programa de extensão foi projetado para fornecer conhecimentos práticos e relevantes na área da Pedagogia. Com participação de especialistas preparados para apresentações dos conceitos mais atualizados, o evento permitiu os discentes terem ciência de conhecimentos remodelados sobre as tendências de ensino. A ação teve início no dia 03 de maio, com a organização dos próprios alunos do curso de pedagogia, e conta com uma carga horária de 40h.

Docentes palestrantes

A docente idealizadora do projeto, Sheila Borges, explica que os eventos acontecem apenas no horário da noite para garantir mais acesso as Atividades Curriculares Complementares (ACCs) dos discentes desse turno. “A maioria dos eventos acontecem durante o dia, mas nossos alunos dos últimos horários acabam não tendo a oportunidade de participar, assim, pensei nesse curso de extensão que atendesse a demanda desses discentes. Já tivemos muitas palestras interessantes e vamos promover mais novidades nos próximos períodos”.

Comunidade participativa do evento

Durante o curso, os alunos aprimoram seus conhecimentos com uma série de palestras interativas, estudos de casos práticos e projetos orientados, objetivando a ampliação de saberes para a aplicação na vida fora da academia.

Comunidade participativa do evento

Os organizadores do curso criaram um Instagram para mais informações, acesse: @uespicapedfloriano

Dia do pedagogo

Dia 18 de maio, foi comemorado o dia do Pedagogo. No auditório da universidade em Floriano, aconteceu palestras com vários convidados sobre a temática:  Pedagogia nos diversos campos de atuação. O evento foi mais uma ação ofertada pela organizadores do Curso de Extensão: Saberes pedagógicos.

 

Palestras que já aconteceram: 

 

 

 

 

Através do Parfor, UESPI forma mais 16 profissionais na área de Pedagogia em União

Por Vitor Gaspar

A parceria entre a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) tem proporcionado uma formação de qualidade para professores em diversas cidades do interior do Estado.
Na solenidade de encerramento, realizada no último sábado (20) no munícipio de União, foram celebradas a entrega dos diplomas para 16 novos profissionais da Pedagogia.

A cerimônia reuniu formados das cidades de União, Lagoa Alegre, José de Freitas e Miguel Alves. A partir de agora, esses profissionais visam cumprir o principal objetivo do Programa de contribuir para a melhoria da educação nas cidades atendidas.

Para o Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, é com imensa satisfação presenciar a cerimônia de formatura do Parfor, que trouxe consigo um significado especial ao entregar diplomas para 16 novos pedagogos em União. Para o Reitor essa conquista representa não apenas o esforço e a dedicação dos formados, mas também o compromisso da Universidade em fornecer uma formação de qualidade para os profissionais da educação.

“O Parfor desempenha um papel fundamental nessa jornada, permitindo que estudantes de diversas cidades do interior do Estado tenham acesso a uma formação adequada e qualificada. É um momento de celebração não apenas para os formandos, mas para toda a comunidade acadêmica e para a sociedade, que se beneficia diretamente dessa contribuição. Parabenizo os pedagogos formados e reafirmo o compromisso da UESPI em continuar fortalecendo essa parceria visando sempre a melhoria da educação em nosso estado. Juntos, construiremos um futuro promissor para a educação do Piauí.

O Parfor é um programa criado para permitir a professores em exercício na rede pública de educação básica o acesso à formação superior exigida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).  Ao todo, 495 professores foram formados em cursos como Matemática, Educação Física, Pedagogia, Geografia, História e Letras/ Português.

Com o encerramento dessas turmas, uma nova etapa se inicia, com a abertura de 11 novas turmas distribuídas em diversos municípios. Em Barras, serão oferecidos cursos de Educação Física, Pedagogia, Letras e Português. Já em Nossa Senhora dos Remédios, haverá uma turma de Pedagogia, enquanto em Piripiri será ofertada uma turma de Matemática. Além disso, no município de Água Branca, outra turma de Pedagogia será formada, e em Catolé do Piauí, será a vez de uma turma de Educação Física.

A Coordenadora Geral do Programa na UESPI, Francisca Cunha, compartilha com entusiasmo que a nova fase do programa já está em andamento, contando com a participação de 440 alunos. Segundo ela, essa conquista é resultado do esforço conjunto da Administração Superior da UESPI. “Estamos trabalhando em estreita colaboração com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior para desenvolver novos projetos, como o de Libras. Nosso objetivo é contribuir significativamente para o desenvolvimento do Piauí por meio da educação”, afirma.

Raquel Oliveira, Coordenadora Adjunta, também ressaltou a importância dessa realização. Ela afirma que a educação oferecida pelo Parfor é adequada para ser oferecida da melhor forma nos municípios piauienses. “Tivemos muitos alunos formados que foram distribuídos em todo o estado do Piauí e receberam uma excelente formação na Universidade Estadual do Piauí. Eles vão contribuir para melhorar a educação em suas respectivas cidades”.

A trajetória dos alunos do Parfor é marcada por superação e dedicação. Durante o período de estudos, muitos enfrentaram desafios para conciliar a vida pessoal, profissional e acadêmica. Ariádna Santos que possui dois filhos, compartilhou a experiência de conseguir conciliar os estudos com as demandas familiares. “Mesmo com as dificuldades e os obstáculos impostos até mesmo pela pandemia que desestimulou muito o nosso rendimento pela questão das aulas online, a perseverança prevaleceu e a conclusão do curso é motivo de orgulho para mim e toda a minha família”.

Receber o diploma é um momento de grande emoção e gratidão para os formados. A valorização da formação em uma instituição pública torna esse momento ainda mais especial, representando uma conquista não apenas individual, mas de toda a comunidade. A formação de professores qualificados é vista como um passo importante para a melhoria da educação no estado, pois acredita-se que a transformação da sociedade se dá por meio da educação.

Campi de Uruçuí, Corrente e Campo Maior celebram o Dia do Pedagogo

Por João Fernandes

No dia 20 deste mês será comemorado o Dia do Pedagogo. A data celebra os profissionais da educação que se dedicam ao ensino e à formação de crianças e jovens. Para comemorar, os discentes do Curso de Pedagogia dos campi de Uruçuí e Corrente terão a oportunidade de compartilharem histórias e experiências de aprendizagem inovadoras. 

Em Corrente

O Centro Acadêmico de Pedagogia Carolina Maria de Jesus, Campus Dep. Jesualdo Cavalcanti, realizará uma roda de conversa com a temática “Os Diversos Espaços de Atuação do Pedagogo”. O evento será sábado (20), na sala C5, a partir das 10:00h.

Participam do evento professores e outros profissionais que já estão atuando no mercado. O presidente do Centro Acadêmico e um dos organizadores do evento, Wilbâner Feitosa Nogueira, destaca a importância da ação para homenagear àqueles que fornecem conhecimento, formação para jovens e ajudam a formar o conhecimento das próximas gerações.  

Objetivo dessa roda de conversa é abrir novos horizontes para que as pessoas entendam que o pedagogo, além de educador, ele pode se inserir nos vários contextos na sociedade. É importante reconhecer seus feitos e enxergar que estes profissionais atuam muito além da educação infantil ou séries iniciais”, destaca o aluno.

Wilbâner destaca ainda que a iniciativa do Dia do Pedagogo é uma ótima oportunidade de quebrar paradigmas, com isso, refletir sobre a importância do pedagogo em nossas vidas. Os interessados em participar da Roda de Conversa não precisam se inscrever, basta apresentar-se no local da atividade no dia e horário informado.

Em Uruçuí

Também neste sábado, a Coordenação do curso de Pedagogia, Campus de Uruçuí, dará seguimento às suas sessões de cinema comentadas iniciadas em 2016. Nesta edição, com a homenagem a grande entusiasta e incentivadora das causas sociais pela qualidade da educação, professora Erlaine Wolf, convidada de honra para comentar sobre o filme “O grande desafio”. O evento acontece a partir das 18h.

A professora Dra. Denise Hosana Moreira, coordenadora do Curso de Pedagogia, destaca que o evento deve reunir não apenas profissionais, mas também alunos, egressos, familiares e amigos. Sendo um momento de reflexão sobre os desafios enfrentados e as conquistas alcançadas pelos pedagogos no município, no estado, no país e no mundo.

“A importância da ação está não apenas na atenção a promulgação do Dia do Pedagogo, mas também e, sobretudo, no justo reconhecimento da professora Erlaine Wolf, que se destaca em sua jornada, deixando uma marca indelével na vida de seus alunos e colegas de trabalho. Ela demonstra paixão, dedicação e compromisso na promoção de uma educação de qualidade na comunidade em parceria constante com a UESPI”, destaca a professora.

O Curso de Pedagogia do Campus Heróis do Jenipapo, em Campo Maior, também está preparando uma programação especial para celebrar o Dia do Pedagogo. Confira.

Educação que Transforma: conheça a trajetória de uma das mais novas Pedagogas formadas pela UESPI

Por Anny Santos

No mês de abril é comemorado o Dia da Educação, estabelecido no ano de 2000 em Dakar, capital do Senegal, em função do Fórum Mundial da Educação, organizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Firmada naquele 28 de abril, a Declaração de Dakar representa um pacto pelo desenvolvimento e pela implementação de medidas para garantir que toda criança e adolescente tenham acesso à educação. A UESPI, enquanto Instituição promotora de ensino e formadora de educadores (dentre inúmeros outros profissionais) há 36 anos contribui para o desenvolvimento da educação no Piauí, bem como para o cenário nacional.

Joyce Rocha da Silva, de 24 anos, é uma das mais novas Pedagogas formadas pela UESPI. Sua trajetória se inicia no povoado Baixão Grande, localizado na cidade de Parnarama, no Maranhão. Joyce, filha de Claudio Roberto Pereira da Silva, que fez somente o Ensino Fundamental, e Seniza Maria da Conceição Rocha, sem escolaridade, relata que mesmo diante do cenário educacional e grau de escolaridade vivenciado por seus pais, eles sempre a incentivaram e fizeram o possível para que ela pudesse concluir seus estudos.

Joyce Rocha da Silva, juntamente com seus pais

Joyce Rocha da Silva, juntamente com seus pais

Comecei a dar aula de reforço ainda no ensino médio, então fui tomando gosto pela arte de ensinar. Fiquei tão emocionada quando vi meu primeiro aluno lendo que aquilo despertou em mim um interesse pela área. Além disso, por minha mãe ser analfabeta, sempre vi as dificuldades que ela passava, isso só aumentava o meu interesse”.

Estudou durante toda a sua infância e adolescência em escolas de ensino público, quando, finalmente, teve a oportunidade de realizar o exame para ingresso no Ensino Superior por meio da Fundação Wall Ferraz. Joyce conta que também estudava muito em casa e ainda assistia videoaulas pela internet. Ela foi aprovada em Pedagogia, campus Poeta Torquato Neto, em 2018.1.

“Passei por uma situação bem difícil, pois, na época, eu morava em casa de família, sendo babá, e trabalhava dia e noite. Nesse período, comecei a estudar durante a madrugada, porque era o único horário que eu tinha livre. Pensava que não ia conseguir passar, porque meu tempo de estudo era pouquíssimo, mas graças a Deus deu tudo certo”.

A professora destaca que sempre busca se colocar no lugar do outro, que tem um grande amor pela profissão e que, por isso, deseja ser uma boa profissional, além de promover inspiração junto aos seus alunos para que estes também busquem conquistar seus sonhos usando o poder da Educação.

“Além desse objetivo, levando minha própria realidade em consideração, acredito que através da educação podemos ter melhores condições de trabalho, uma melhora financeira, contribuindo para melhores condições de moradia, alimentação e, consequentemente, uma vida mais feliz. Hoje posso dizer que alcancei muitos objetivos e todos por causa da educação, pelas oportunidades que tive”.

Joyce acredita que graças aos professores os discentes alcançam força para irem além, não desistir e sempre querer aprender. Ela destaca que teve muitos professores que a inspiraram profissional e pessoalmente, porque eles davam atenção aos alunos e entendiam suas dificuldades. “Costumo acreditar que um professor é capaz de mudar a vida de seu aluno de forma positiva ou negativa. O professor é responsável pelo aluno gostar ou não de uma matéria, pegar gosto pelos estudos e outras coisas mais”.

Assim como na de muitos outros discentes, a UESPI possui um papel importante e especial em sua vida. Foram cinco anos de desenvolvimento intelectual, participou de programas que ofereciam bolsas e que lhe proporcionaram experiências inigualáveis, como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e o Residência Pedagógica (RP), cruciais para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.

Essa é realização de um sonho que parecia tão distante e, agora, foi conquistado, com muito esforço e dedicação. A sensação de dever cumprido, um certo orgulho por não ter desistido em meio a tantas dificuldades e uma sensação de desenvolvimento profissional e autonomia. Graças à universidade, cheguei ao meu tão desejado sonho e tive uma experiência incrível no meu curso. Aprendi bastante com professores extremamente competentes e fui muito bem acolhida por todos que tive contato durante a graduação”, finaliza.

A educação é o principal meio de transformação de vidas. Com ela é possível alterar o rumo de uma vida, uma família e, sobretudo, uma sociedade. A UESPI atua incentivando e proporcionando o alcance dessas transformações por meio da educação.

Professores e alunos participam do Seminário Nacional de Pedagogia

Por João Fernandes

O Seminário Nacional de Pedagogia, realizado em João Pessoa, na Paraíba, entre os dias 18 e 19 deste mês, contou com a participação dos Professores e discentes do Curso de Pedagogia, campus Dom José Vasquez Dias, em Bom Jesus. O tema central foi “Pedagogia: ciência, curso e profissão”

Professores e alunos do Curso de Pedagogia estiveram no evento

 

O seminário reuniu pesquisadores, professores e profissionais da área da Educação de todo o país para discutir as políticas educacionais e os desafios da formação humana na atual conjuntura. Desse modo, se propõe a focalizar, por meio de conferências, mesas redondas, grupos de trabalho e outras atividades de caráter científico e cultural, aspectos históricos, teóricos, curriculares e profissionais que colaboram com a crítica propositiva em torno da Pedagogia.

Para o professor Valdeney Lima a presença da UESPI no Seminário foi muito importante para a troca de experiências e conhecimentos na área da educação. “Estar no Seminário é de suma importância para nossa formação, pois nos proporcionou debater o curso de Pedagogia, problematizando suas fragilidades e promovendo novas diretrizes curriculares de maneira a contemplar a amplitude da formação e atuação do pedagogo. Nossa participação e os conhecimentos adquiridos auxiliarão nossas discussões no colegiado”, destaca o professor.

O Seminário Nacional de Pedagogia  é um dos principais eventos na área de Educação do País e reúne, anualmente, milhares de participantes de todo o Brasil. Para os professores e alunos da UESPI, a participação no evento foi uma experiência positiva e uma oportunidade de enriquecimento profissional. 

Segundo a professora Joquebede Dias, Coordenadora do Curso de Pedagogia,  a participação da UESPI no seminário potencializa interlocuções que fomentam a problematização do curso de Pedagogia e ajuda a dar mais visibilidade à nossa Universidade.

“Nossa participação representa um crescimento acadêmico aos que foram e tiveram a oportunidade de trocar conhecimentos com outros pesquisadores. Participamos de discussões progressistas na área da Educação com foco numa formação Humanista, que potencialize a Universidade para os desafios impostas pelas demandas atuais”, destaca a professora.

Durante o evento, o aluno Fabrício Assiole, discente do 9° período, apresentou um projeto de pesquisa com foco em destacar a Arte na Universidade e que está sendo desenvolvido a partir do Programa Institucional de Bolsas em Extensão Universitária (PIBEU). Para ele, participar do Seminário possibilitou a discussão de temas atuais e relevantes para a área, sobretudo, temas capazes de ajudar na compreensão do curso.

“Considero nossa apresentação muito importante para nossa formação acadêmica e mostra a importância da pesquisa e de nossas reflexões sobre os temas apresentados. Os encontros foram essenciais para conhecer e fazer novos contatos com outros educadores e alunos, como forma de difundir nossos conhecimentos”, acrescenta o aluno. 

Professora e aluna desenvolvem projeto de pesquisa “Alfaletrar na Educação Infantil: Reflexões curriculares da BNCC”

Por Giovana Andrade

Professora e aluna do curso de Licenciatura em Pedagogia da UESPI, campus de Professor Possidônio Queiroz, em Oeiras, desenvolvem o projeto “Alfaletrar na Educação Infantil: Reflexões curriculares da BNCC”.

Segundo a prof. Ana Luiza, Coordenadora do projeto, trata-se de uma pesquisa bibliográfica sobre o processo de alfabetização e letramento na educação infantil, analisando como ocorre esse processo e fazendo reflexões criticas sobre a Base Nacional Comum Curricular.

De acordo com a docente é de suma importância debater sobre a temática, pois muitos discentes chegam ao ensino médio com fragilidades no processo de alfabetização e letramento. “Refletir sobre isso é fundamental para a formação dos nossos futuros professores. Quando eles chegarem ao mercado de trabalho terão  a consciência de que essas reflexões sobre letramento devem iniciar desde a entrada da criança na escola”.

A discente Maria Rita, voluntária do projeto e aluna do quarto bloco, explica que alfabetizar e letrar são dois processos fundamentais para o desenvolvimento humano, são a base da educação.” Eu, como estudante de Pedagogia, acho que esse projeto será essencial para minha formação. Na Educação Infantil, que é a área em que eu desejo atuar, existem muitos desafios, então nada melhor do que desde cedo já buscar compreender e entender melhor esse mundo, para que, futuramente, eu possa ser uma profissional que faça meu trabalho com excelência e da melhor forma possível”.

Ela ainda destaca que cada pesquisa feita sobre esses temas é muito importante, pois, a cada ano, a educação, as metodologias de ensino mudam e evoluem. “Este projeto contribui para que possamos entender quais os melhores métodos alfabetizadores, os métodos que podem ser desenvolvidos e qual a importância disso para se fazer e garantir uma educação de qualidade”.

O projeto conta com um perfil no Instagram (@pibic.uespi) com o intuito de divulgar todo o processo da pesquisa.

 

Campus de Oeiras: II Encontro de Educação acontece entre 07 e 10 de fevereiro

Por Vitor Gaspar

O curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), do campus Possidônio Queiroz em Oeiras, promove, entre os dias 07 e 10 de fevereir,  o II Encontro de Educação com o tema “Educação e Multidimensionalidades: perspectivas de uma Pedagogia democrática, inclusiva e antirracista”.

O evento, organizado pelas professoras Ana Luiza Floriano de Moura e Katyanna de Brito Anselmo, tem como finalidade refletir sobre a Pedagogia como ciência da educação, considerando as multidimensionalidades que ela proporciona, com discussões sobre democracia, inclusão e a luta contra o preconceito.

Segundo uma das organizadoras da ação, a Prof. Ana Luiza Moura, a primeira edição desse evento aconteceu em 2019. Ela conta que estão mantidas algumas discussões do primeiro evento, acrescentando dessa vez outros pontos que vêm sendo muito discutidos atualmente.

“Vamos trabalhar na perspectiva de formar o futuro professor dentro das questões democráticas, antirracistas, inclusivas, trabalhando na formação de professores que possam ser críticos, conscientes e a construtores de sua própria história”.

O II Encontro de Educação é destinado a toda comunidade acadêmica, como também para a comunidade externa da UESPI no município de Oeiras que queiram participar.

Confira o cronograma:

 

Campus de Picos: Turma do terceiro bloco de Licenciatura em Pedagogia promove o I Seminário de Didática da UESPI

Por Giovana Andrade

Turma do terceiro bloco de Licenciatura em Pedagogia, do campus de Picos, promove o I Seminário de Didática da UESPI com a temática Didática e formação docente: “Um dedo de prosa sobre a educação básica e superior”. O evento acontece em dois momentos, no dia 07 de fevereiro de forma remota com transmissão pelo canal da UESPI no Youtube a partir das 19:30h. E no dia 08 de fevereiro será ofertado oficinas presenciais no próprio campus com as seguintes temáticas: O planejamento escolar, Os métodos de ensino, Avaliação escolar, A relação professor aluno.

Ação foi idealizada a partir da disciplina de Didática ministrada pela professora Fabrícia Gomes junto com o monitor Agenor Sousa. O seminário tem como objetivo sistematizar discursões e reflexões sobre a didática na educação básica e superior, socializar praticas favoráveis para o processo de ensino e aprendizagem, Além de possibilitar diálogos sobre as praticas pedagógicas e os elementos que constituem o pensar didático como por exemplo os objetivos, os conteúdos e as metodologia.

Agenor Sousa, discente do nono bloco e monitor da disciplina, destaca que estão sendo planejados momentos de compartilhamento de saberes e experiências que agreguem e estimulem um fazer docente criativo e significativo. ” Será um evento que irá proporcionar bastante conhecimentos práticos, além de promover aos discentes uma participação mais ativa, favorecendo a sua construção profissional e pessoal”.

Inscrições:

As inscrições acontecem através do preenchimento do formulário online até o dia 23 de janeiro. O público alvo é discentes e docentes do curso de pedagogia, mas também de outros cursos da uespi e comunidade externa. O evento emitirá um certificado de 10h.

Programação:

Terça-Feira (07/02) Conferência de abertura:

(Transmissão: Canal da Uespi Oficial no Youtube)

19:30- Palestrante: Ozeane Pinto da Silva

Quarta-Feira (08/02 ) 

Oficinas de forma presencial

Local: Uespi Campus Professor Barros Araújo/Picos

Horário: 14:30 as 16:30

 

 

Curso de Pedagogia da UESPI comemora seus 20 anos de atividade

Por Clara Monte

Na última terça-feira (10), a Coordenação do curso de Pedagogia da Universidade Estadual (UESPI), campus Clóvis Moura (CCM), organizou um evento em comemoração aos 20 anos do curso.

Comunidade acadêmica de pedagogia reunida

O encontro aconteceu no auditório do CCM e contou com a presença da Pró-reitoria de Ensino de Graduação (Preg), apresentação do Coral da Uespi, composição de mesa de saudação e uma roda de conversa sobre a importância da criação do curso de pedagogia na região sudeste de Teresina.

Composição de mesa de Saudação

Profa. Ana Célia de Sousa, Coordenadora do curso, disse que esse encontro serviu como um momento de confraternização e comemoração entre discentes e docentes pelos anos de ensino pedagógico no campus, mais também como reflexão histórica pela importância do curso na vida dos envolvidos.

“Estamos construindo história em um bairro de Teresina, mas que se tornou uma grande Região. O Dirceu até já poderia se tornar uma cidade, porque já possui estruturas para tal, como uma Universidade Pública. Talvez alguns moradores não conheçam a Campus Clóvis Moura, porém sabem que aqui um dia foi um CSU- Centro Social Urbano, que atendia as famílias carentes e foi espaço, também, onde os adolescentes e a juventude vinham para desenvolverem práticas de leitura, de teatro, reuniões dentre outras atividades”.

A Coordenadora também enfatizou que o evento mostra a importância do curso para toda a Uespi, levando a universidade mais próxima da comunidade, contribuindo ao longo dos seus 20 anos de ensino para a formação de vários jovens, seja ensino, mestrado, doutorado e até aprovações em concursos.

O evento contou com a presença de alunos egressos do curso para a homenagem ao ensino. E foi finalizado com bolo e parabéns.

Comemoração dos 20 anos do curso de pedagogia

Contribuições do curso de pedagogia no CCM

O Curso de Pedagogia, Campus Clóvis Moura possui, hoje, 15 professores efetivos. Destes, 8 doutores, 5 mestras, 4 doutorandos. E duas professoras já assumiram a função de Pró-Reitoras da universidade.

Também possui dois Núcleos de Pesquisa e Extensão, que desenvolvem várias projetos e pesquisas que resultaram em publicações de livros e artigos. A BrinquedoLer, espaço para desenvolvimento das práticas educativas, serve para desenvolver parcerias com a CMEI Maria José Arcoverde, que fica ao lado do campus.

Além disso, criaram e editam a Revista Clóvis Mouras de Humanidades, que vem se destacando em suas edições, onde homenageia um artista piauiense.

Campus de Piripiri: inscrições abertas para a 2° Colônia de Férias do LPM

Por Anny Santos

O curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Antônio Giovanni Alves de Sousa em Piripiri, abre inscrições nos dias 11 e 12 de janeiro para a 2° Colônia de Férias do LPM de forma presencial no Laboratório de Práticas Pedagógicas Maria Montessouri (LPM). A iniciativa parte do Projeto de Extensão Lugar de Criança é na Universidade.

A Coordenadora do LPM, Profa. Adriana Ferro, afirma que a iniciativa, criada em 2018, possui o intuito de aproximar a comunidade da academia e colocar em prática os conhecimentos desenvolvidos em sala de aula. A ação é realizada pela Coordenação do curso de Pedagogia, juntamente com alunos que tiveram formação e realizaram o planejamento dos dias de atividades.

Poderão participar crianças de 5 a 7 anos, preferencialmente com vínculo com a comunidade acadêmica da UESPI. Além das crianças, que desenvolverão atividades a partir dos campos de experiências estabelecidos pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), toda comunidade será beneficiada com suas crianças em um ambiente seguro, lúdico e educativo.

A professora explica que o projeto visa desenvolver os campos de aprendizagem da educação infantil com foco no letramento, propiciando experiências lúdicas para as crianças e permitindo que alunos e alunas de pedagogia coloquem em prática o que discutem em sala de aula. A comunidade acadêmica e a comunidade em geral terão, durante a semana de realização da colônia de férias, um espaço de aprendizagem e segurança para suas crianças.

“Esse projeto foi proposto que a intenção de retomar a vivência universitária, para além da sala de aula, após o período de ensino remoto. Além de todos os benefícios já colocados, o projeto permitirá aos alunos e alunas perceberem a necessidade de viverem a universidade para além das aulas”, destaca.

Para a aluna Samantha Stefany Sousa Barros, do 4° bloco do curso de Pedagogia, o evento possui uma importância significativa, de modo a contribuir em sua formação acadêmica e profissional. “O evento beneficia o público alvo abrangendo crianças de diferentes localidades, com o intuito de proporcionar a elas momentos agradáveis e divertidos”.

Período de Inscrições:

11 e 12 de janeiro

No Laboratório de Práticas Pedagógicas Maria Montessouri (LPM)

Data da realização:

De 16 a 20 de janeiro

UESPI de Piripiri

UESPI apresenta o evento VI Semana de Pedagogia

Por Clara Monte 

Entre os dias 13 a 16 de dezembro a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) apresenta a VI Semana de Pedagogia, desenvolvida pela Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX) em parceria com a direção do CCECA e o Centro acadêmico do curso de Pedagogia.

O projeto propõe discutir sobre o tema “A formação no curso de Pedagogia e suas articulações com os processos sociais democráticos para a educação emancipatória“, com o intuito de promover o debate e a reflexão acadêmica em torno de temáticas educacionais relevantes para a formação dos estudantes de pedagogia. O evento ocorre de forma híbrida com a palestra de abertura de forma remota, através de transmissão pelo YouTude e nos demais dias de forma presencial no CCECA.

Antônia Alves, coordenadora do curso de Pedagogia, conta que durante os dias de programação os participantes contam com palestras, mesa redonda, oficinas, socialização de trabalhos dos discentes, resultados de suas participações em projetos como PIBID, PIBIC, PIBEU, RP e trabalhos de conclusão de curso, além de atividades culturais.

“A VI Semana de Pedagogia ajuda no debate sobre a formação do curso de Pedagogia trazendo para nossas atividades questões relativas a esse processo como currículo, políticas atuais voltadas para formação do(a) pedagoga(a), temáticas atuais e desafiadoras como questões de diversidade e educação”.

O público alvo do projeto envolve professores e estudantes do curso de pedagogia da Uespi, mas será aberto para os demais estudantes, professores da instituição e comunidade em geral. Ao final será emitido certificados de 40h aos participantes.

Confira o cronograma:

 

       

 

Curso de Extensão de Pedagogia promove hoje atividade voltada ao estudo do cérebro da criança

Por Vitor Gaspar

O curso de Extensão “O Cérebro da Criança Por Inteiro”, promove nesta sexta-feira (28) a partir das 18h, o 3° Módulo do Projeto. A atividade será transmitida on-line no canal da Professora Kelly-Anne no Youtube.

Essa é uma ação extensionista coordenada pelas docentes Kely-Anne e Francisca Cunha, ambas professoras adjuntas do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Ao todo, o curso conta com seis módulos totalizando uma carga horária de 60 horas. Os temas estão relacionados a neuroplasticidade cerebral, desenvolvimento infantil, o cérebro da criança por inteiro, aprendizagem e memória, emoções e estratégias de conexão com a criança.

Segundo a Prof. Kely-Anne a proposta surgiu, pois há um tempo já vinha sido aberta com a comunidade uma discussão acerca do desenvolvimento infantil e a importância da compreensão do processo de aprendizagem para formação das crianças de forma integral, considerando a maturação, o desenvolvimento cognitivo, motor e socioemocional.

“Nós ficamos muito contentes e satisfeitas, porque o objetivo do nosso curso é justamente promover essa educação positiva, considerando o desenvolvimento da criança, principalmente o desenvolvimento emocional, porque as emoções são as nossas primeiras formas de comunicação como ser humano, então é extremamente importante que os pais e os futuros professores e os atuais que já estão tendo essa convivência entendam como funciona o cérebro da criança”.

No próximo mês em novembro, serão abertas novas inscrições para outro curso da área de Pedagogia com as aulas previstas para iniciar em Janeiro de 2023.

Curso de Licenciatura em Pedagogia da UESPI

O Pedagogo trabalha como professor em creches e em instituições de ensino que oferecem cursos de Educação Infantil e Fundamental; podendo atuar ainda como gestor de processos educativos de sistemas e de instituições de ensino; em editoras e 38 em órgãos públicos e privados que produzem e avaliam programas e materiais didáticos para o ensino presencial e a distância. Além disso, atua em espaços de educação não formal, como organizações não-governamentais, hospitais, asilos, movimentos sociais, associações e clubes; em empresas que demandem sua formação específica e em instituições que desenvolvem pesquisas educacionais.

Pedagogia UESPI: aluna apresenta pesquisa em Observatório de Quadrinhos da USP

Por Anny Santos

A aluna Amanda Farias do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, apresentou no 27° Colóquio Cientifico Virtual do Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP a pesquisa “O Protagonismo de Personagens Negras em Quadrinhos Nacionais: Sentidos e Significados”, proveniente de sua participação no PIBIC 2021/2022, sob orientação do professor Dr. Robson Carlos da Silva.

A pesquisa propõe discutir os sentidos e os significados do protagonismo de mulheres negras nos quadrinhos (HQs) nacionais, trazendo para o campo da educação possibilidades de promover diálogos onde ideologias racistas, misóginas e excludentes possam ser evitadas, além de desmistificar a visão de que o papel da mulher, especialmente o da mulher negra, deva ser apenas de objeto de desejo sexual. Identificando a incidência das personagens, o trabalho foi conduzido a partir da constatação histórica de que o povo negro sempre sofreu os mais diversos tipos de degradação.

Amanda Farias da Silva, aluna do 9° bloco do curso de Pedagogia

Amanda Farias da Silva, aluna do 9° bloco do curso de Pedagogia

Para a aluna e pesquisadora, realizar pesquisas sobre a representação das mulheres negras na sociedade através das linguagens da Cultura Pop, nos meios de comunicação de massa, possibilitam um diálogo maior sobre os estereótipos e os preconceitos ainda existentes sobre o povo negro, além dos estereótipos e estigmas que já se sobrepõem sobre as mulheres.

“Nunca tinha visto os quadrinhos como uma possibilidade de pesquisa acadêmica, mas como sempre me interessei por práticas pedagógicas inovadoras que pudessem contribuir de forma mais consistente no aprendizado dos alunos, aceitei o convite para realizar a pesquisa. Dessa forma, pude visualizar como os quadrinhos, com sua linguagem plural, podem beneficiar significativamente os leitores, especialmente os alunos em seu processo de aprendizagem”.

Amanda Farias acredita que a universidade proporciona espaços para que os discentes possam socializar os mais diversos saberes e entrar em contato com as mais diversas formas de práticas de ensino e aprendizagem, com as quais a educação possa ser ampliada e acessível a todos. O curso de Pedagogia, por trabalhar com esses diversos saberes, forma alunos que não somente trabalham com as disciplinas do currículo, mas investigam temáticas e práticas que contribuem para uma aprendizagem significativa dos alunos em seu processo de aprendizagem.

“A apresentação significou muito para mim, pois estar em contato com esses pesquisadores conceituados pôde me abrir um leque de possibilidades para que eu possa prosseguir na minha carreira acadêmica e proporcionar, com essas pesquisas, uma educação que se preocupe com questões que ultrapassam os muros da escola, mas que interferem diretamente na sala de aula”, finaliza.

O professor Dr. Robson Silva, Orientador da pesquisa, é membro do grupo de pesquisa Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP, que faz parte da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, com encontros mensais que possibilitam estudantes da Graduação e da Pós-graduação apresentarem suas pesquisas dentro da temática HQ.”A apresentação promove visibilidade a temática, que é de grande importância, a colocando no meio de grandes centros que produzem pesquisa acadêmico-científica com teoria de quadrinhos”, acrescenta o professor.

PIBIC UESPI

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da UESPI tem como objetivo o apoio às atividades de pesquisas científicas realizadas por docentes e discentes da Universidade. A estrutura básica do programa tem como referência o PIBIC do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Campus Clóvis Moura: Alunos de Pedagogia produzem e doam material didático para escola municipal

Por Vitor Manoel

Alunos do 4º Bloco do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), do campus Clóvis Moura em Teresina produzem material didático com temas educacionais para doação na escola CMEI José Maria Arcoverde, localizada no bairro Dirceu.

A ação contou com o uso de fantoches

A atividade faz parte do programa da disciplina Educação Infantil com o tema voltado a inclusão na Educação Infantil, contendo diversas atividades como a visita à escola, leituras de textos sobre o tema, seminários, além da produção do material.

A professora Ana Célia de Sousa Santos, ministrante da disciplina destaca principais assuntos presentes no projeto: “Os alunos e alunas produziram material didático que possibilita o trabalho dos temas: relações de gênero, relações étnicos-raciais, questões indígenas e religiosa e o crianças com necessidades educacionais especiais”.

Alunos durante a apresentação do projeto

Os estudantes de Pedagogia receberam cinco temas diferentes para podermos desenvolver o material didático, no qual o principal objetivo foi criar um material com o intuito de falar sobre a inclusão, respeito as diversidades, de uma maneira simples e divertida para as crianças.

Bernardo Oliveira, aluno do curso e um dos colaboradores no projeto ressaltou a importância essa ação porque, segundo ele, a maioria das escolas não falam sobre esses temas ou não conseguem consegue desenvolve-los em seu dia a dia.

“Sendo um material fácil de entendimento e manuseio, acredito que podemos mudar essa situação. Podendo assim, desenvolver esses temas como diversidade, religião, crianças com necessidades especiais, de uma maneira em que elas vão poder compreender sem julgamentos, que muitas vezes são desenvolvidas pelas suas famílias. Eu sendo um estudante de Pedagogia, me alegro de ter tido essa possibilidade em minha vida”, enfatiza o discente.

Confira mais imagens da ação:

Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da UESPI

O Pedagogo trabalha como professor em creches e em instituições de ensino que oferecem cursos de Educação Infantil e Fundamental; podendo atuar ainda como gestor de processos educativos de sistemas e de instituições de ensino; em editoras e 38 em órgãos públicos e privados que produzem e avaliam programas e materiais didáticos para o ensino presencial e a distância. Além disso, atua em espaços de educação não formal, como organizações não-governamentais, hospitais, asilos, movimentos sociais, associações e clubes; em empresas que demandem sua formação específica e em instituições que desenvolvem pesquisas educacionais.

Campus Picos: Curso de Pedagogia promove o I Sarau de Alfabetização

O curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), no campus Prof. Barros Araújo em Picos promoveu na última semana o 1° Sarau da Alfabetização: Entre palavras e a imaginação.

Cenário do I Sarau de Pedagogia

O evento realizado pela turma do 4º Bloco do curso, referente a disciplina de Alfabetização trouxe temas como “Ambiente Alfabetizador”, “Alfabetizando com clássicos”, “Alfabrincar”, e “Pescaria da Alfabetização: Fisgando Sílabas”. A ação tem como objetivo despertar o diálogo sobre a alfabetização e a diversidade de possibilidades metodológicas que o professor pode utilizar em sala de aula.

Os alunos organizaram ambientes alfabetizadores no corredor central do campus com uma variedade de repertório para mostrar possibilidades de alfabetizar com o lúdico com a contação de histórias, jogos, brincadeiras, músicas e recursos concretos para esse trabalho, levado e pensado pelos discentes.

Apresentação dos alunos na sala de aula

Para a professora Fabrícia Gomes, ministrante da disciplina a recepção foi muito calorosa, as pessoas que passavam pelo corredor se deparavam com um ambiente diferente, atrativo e logo participavam das propostas e destaca que a Universidade é um grande laboratório de práticas regadas por teorias, que devem ajudar os futuros professores a pensar em suas ações de prática pedagógica.

“Esse tipo de atividade desperta nos acadêmicos ideias de como trabalhar a alfabetização de forma prazerosa. Sendo esse um processo imensamente sofisticado e de uma importância ímpar para a vida em sociedade, precisamos buscar estratégias de pensa-lo de modo a agregar alfabetização e letramento em um ambiente estimulante e que faça sentido para a criança”, finaliza.

Professora Fabrícia Gomes e o aluno Cleovan Sousa

Poema feito pelo aluno Cleovan Sousa

Confira mais registros do evento:

Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia

O Pedagogo trabalha como professor em creches e em instituições de ensino que oferecem cursos de Educação Infantil e Fundamental; podendo atuar ainda como gestor de processos educativos de sistemas e de instituições de ensino; em editoras e 38 em órgãos públicos e privados que produzem e avaliam programas e materiais didáticos para o ensino presencial e a distância. Além disso, atua em espaços de educação nãoformal, como organizações não-governamentais, hospitais, asilos, movimentos sociais, associações e clubes; em empresas que demandem sua formação específica e em instituições que desenvolvem pesquisas educacionais.