UESPI

Brasao_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Governo-do-Piauí-2023_300X129

UESPI e FAPEPI alinham estratégias para a I Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Piauí

Por João Fernandes

Nesta quarta-feira (21), uma reunião entre a comissão organizadora I Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Piauí e a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), foram debatidos as próximas etapas até a realização da conferência territorial, prevista para acontecer em março deste ano.
A UESPI em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) e de outras instituições de ensino do Estado estão à frente da organização do evento. 

Para realização da I Conferência Estadual, em 26 de março,  serão necessárias uma série de reuniões e conferências preparatórias que irão acontecer nas cidades sedes, que são  Floriano, Picos, Bom Jesus, Parnaíba e Teresina. Estas conferências territoriais têm como propósito envolver as comunidades locais, ouvir suas demandas e contribuir para a construção de propostas que serão discutidas e deliberadas durante a Conferência Estadual. A UESPI estará presente em todos os eventos e terá o campus de Picos como sede do evento no dia 13 de março.

Cada instituição de ensino será responsável por coordenar ações em territórios específicos, garantindo uma representação abrangente e participativa. De acordo com João Batista Lopes, Coordenador Geral da Conferência do Piauí, essa etapa será importante para fomentar as transformações no cenário científico e tecnológico que estão sendo desenvolvidas em diferentes territórios do Estado.

“As conferências territoriais, a qual a UESPI e outras instituições fazem parte, tem como propósito envolver as comunidades, autoridades, especialistas e a comunidade acadêmica para a construção de propostas que serão discutidas e deliberadas na Conferência Estadual. Dentro desse contexto, esse encontros tendem a abranger os 12 territórios do Piauí, buscando nesses territórios as instituições e as entidades e os organismos que trabalham em ciência e tecnologia”, pontua.

A diversidade de perspectivas e experiências dos participantes promete enriquecer as discussões e contribuir para a elaboração de propostas concretas durante a Conferência Estadual.  Por isso, a distribuição de responsabilidades por territórios visa também garantir uma abordagem mais regionalizada e inclusiva, incorporando as peculiaridades de cada localidade.

Para o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Rauirys Alencar, a expectativa é congregar pesquisadores que se interessam pelo tema para que ajudem a pensar uma política nacional, mas que também fique como embrião para futuras ações a nível estadual.

“Essa ação é importante para desenvolver as propostas voltadas à ciência, tecnologia e inovação a serem apresentadas em âmbito nacional. Queremos apresentar propostas e alinhar com as demandas do Brasil e, especificamente, com as demandas do Estado do Piauí, o que pretende desenvolver em termos de ciência e de inovação para os próximos anos”, ressalta o pró-reitor.

O vice reitor da UESPI, prof. Dr. Jesus Abreu, presidiu o encontro na reitoria  e enfatizou o comprometimento da UESPI em promover a reflexão e o desenvolvimento científico do Estado. “A Conferência de Ciência é uma forma das Instituições de Ensino Superior do Piauí desenvolverem e incentivarem as pesquisas científicas, a inovação como caminhos a serem trilhados para o desenvolvimento do Estado do Piauí”, ressalta o pró- reitor.

 

Inscrições abertas para o I Fórum de Acompanhamento de Egressos da UESPI

Por João Fernandes

Começa no dia 28 de fevereiro, o I Fórum de Acompanhamento de Egressos da UESPI. Essa iniciativa busca reunir docentes, discentes e egressos dos Cursos de Licenciatura em Filosofia, Ciências Sociais e História, do Campus Alexandre Alves de Oliveira, em Parnaíba, para debater os processos de formação acadêmica e o acompanhamento da atuação dos egressos.

A ação acontece no Auditório do Campus, entre os dias 28 de fevereiro e 01 de março. Em cada dia será promovido um fórum temático, mediado e realizado por egressos dos três cursos. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio do Formulário Eletrônico. Os participantes receberam certificados de 20h de participação. 

De acordo com o professor Felipe Ribeiro, organizador do evento, um dos objetivos é entender como os egressos estão inseridos (ou não) no mercado de trabalho, bem como estimular formas de integração e diálogo com os atuais corpos discentes e docentes. 

“Esse acompanhamento se apresenta como uma grande oportunidade para refletirmos sobre o processo de formação das nossas turmas, buscando seu aprimoramento e também conhecer mais detalhadamente sobre as formas de atuação dos profissionais que formamos em nossa Universidade”, comenta o professor.

Segundo o professor Leandro Sardeiro, coordenador geral do projeto, além de propiciar a avaliação dos cursos e acompanhamento de egressos, o Fórum permite reconexões da comunidade acadêmica com a comunidade externa, tendo em vista as variadas formas de inserção desses egressos na sociedade.

“Nossa expectativa é que isso sirva como impulso para a inauguração de uma preocupação permanente acerca da auto avaliação dos cursos na UESPI, pois que isso é de suma importância para a qualidade formativa e para a melhora nas notas das avaliações periódicas  pelas quais passam todos os cursos”, pontua.

Ele destaca ainda que esse projeto é essencial para que seja dado mais subsídios aos cursos em destaque e posteriormente haja o aprimoramento das suas perspectivas e atividades ofertadas.  “A partir deste projeto, podemos pensar novas propostas de formação continuada, novos conteúdos para o curso e novas formas de ‘estreitamento de laços’ com o nosso público externo. Por essa razão, decidimos reunir esforços e tentar consolidar uma política comum de busca dos resultados oferecidos pelos cursos, para que possamos utilizar tudo isso em prol da melhoria das nossas ofertas formativas”.

Tal iniciativa é um desdobramento da atuação da Comissão Permanente de Acompanhamento de Egressos (COPAE) do Curso de Filosofia, cujas atividades têm inspirado outros cursos, que visam fomentar propostas similares, tanto por conta da importância de se estabelecer uma política de acompanhamento de egressos, quanto pela sua necessidade em termos de avaliação institucional da própria universidade.de pretende ser desenvolvida em torno da compreensão, localização e estreitamento de laços com os egressos dos cursos envolvidos. Mais informações no site do evento.

Confira a programação completa

Dia 28/02 (quarta-feira)

17h – Mesa de Abertura

19h – Fórum 1: CAMPOS E
POSSIBILIDADES DE ATUAÇÃO

29/02 (quinta-feira)

17h – Momento Cultural

19h – Fórum 2: ATUAÇÃO
PROFISSIONAL E PÓS-GRADUAÇÃO

01/03 (sexta-feira)

17h – Momento Cultural

19h – Fórum 3: ENSINO E
FORMAÇÃO

Grupo de Pesquisa MAJI abre inscrições para novos membros

Por João Fernandes

O grupo de pesquisa Memória, Acesso à Justiça e Identidade dos Povos do Campo (MAJI), do campus de Corrente, está com inscrições abertas para novos colaboradores que desejam contribuir com as atividades do grupo. Podem participar do processo seletivo aqueles que estão cursando ou que já concluíram um dos cursos superiores das áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Linguística, Letras, Pedagogia, Direito, Biologia e áreas afins.

As inscrições ficam abertas até sexta-feira, (16) de fevereiro, mediante ao preenchimento do formulário de inscrição. Estão sendo ofertadas 10 vagas destinadas a discentes regularmente matriculados, ou que já concluíram um dos cursos superiores. O processo seletivo será feito a partir da análise do Currículo Lattes e entrevista com os candidatos, conforme descrito no Edital.

Os novos membros participarão das ações de estudo, pesquisa e extensão durante um ano, a partir da data de divulgação do resultado final do processo seletivo, prevista para o dia 27 de fevereiro. Os aprovados imediatos já terão que participar da primeira reunião, prevista para o dia 29.

O Grupo de pesquisa é composto por professores, técnicos e estudantes que se reúnem (presencial ou virtualmente), para desenvolver estudos sobre temas específicos, buscando a compreensão, análise e reflexão do objeto de estudo. De acordo com o Coordenador do grupo, professor Alcir Rocha, as pesquisas realizadas pelo grupo buscam contribuir na busca de soluções para os graves problemas sociais da população, auxiliando na formulação e realização de políticas públicas participativas e emancipadoras.

“O MAJI tem trabalhado para investigar questões relacionadas à identidade dos povos do campo da região da cidade de Corrente e, assim, contribuindo para o desenvolvimento da ciência através de nossas pesquisas e a mutação social, por meio do acesso à justiça”, destaca o professor.

Experiências para além dos muros da Universidade 

O discente Racyo Danillo é membro do MAJI e tem atuado no desenvolvimento da pesquisa científica, principalmente, na área das ciências humanas. Para ele, a integração no grupo é enriquecedora, especialmente durante o período da pandemia. Ele destaca a oportunidade de realizar atividades de ensino, pesquisa e extensão, além do contato direto com orientadores.  “O Grupo é uma porta de entrada para a iniciação científica. Além de proporcionar a aproximação entre a comunidade acadêmica e comunidade externa”, comenta o aluno.

Confira o edital completo

Inscrições abertas: liga acadêmica da UESPI promove debate sobre assistência obstétrica

Por João Fernandes

A Liga Acadêmica de Saúde da Mulher da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Picos, está promovendo uma série de encontros online com o intuito de debater e compreender as mudanças ocorridas durante o período de perinatalidade. Dando continuidade aos debates, a liga promove, no dia 06 de fevereiro, uma aula com foco na importância do diálogo na assistência obstétrica.

As inscrições já estão abertas e os interessados podem se inscrever neste link. O evento será aberto ao público, com transmissão ao vivo via Google Meet.  A Secretária Geral da Liga, Maria Luiza, lembra que a iniciativa visa a desmistificação da comunicabilidade entre os profissionais da saúde e as gestantes, para que seja um processo naturalmente confortável e não ocorra nenhum conflito. 

“A aula será de grande importância para a comunidade acadêmica para ampliar os conhecimentos, ajudar e informar esses futuros profissionais para que possam oferecer aos pacientes uma assistência respeitosa e efetiva e também tenham um amplo campo de resolubilidade de conflitos”, destaca.

Entre os principais conceitos trabalhados estão violência obstétrica, assistência de enfermagem humanizada, comunicação efetiva, acolhimento e compreensão. Segundo os organizadores, a expectativa é que o evento possa reunir alunos, professores e profissionais da área para debater estes e outros assuntos. Participa deste encontro, a Enfermeira Angélica Carneiro Sousa Luz, coordenadora do centro de parto normal – HRJL; especialista em UTI; especialista em urgência e emergência e em saúde pública.

Os participantes receberam certificados de participação. O link para o evento será enviado por e-mail após a inscrição.

Perinatalidade: o que é?

A perinatalidade é o período que precede e antecede o nascimento e se estende da gestação até um ano após o parto. Segundo especialistas, é um período de crise para as mulheres que precisam se adaptar à simultâneas mudanças nos níveis biológicos, psicológicos e sociais.

UESPI realiza programação para promover saúde mental para servidores

Por João Fernandes

O mês de janeiro é marcado pelo movimento “janeiro branco”, uma campanha que visa sensibilizar a sociedade sobre os cuidados com a saúde mental. Com base nisso, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), por meio da  Pró-reitoria de Administração – PRAD e o Curso de Psicologia do Campus Torquato Neto – CCS, apresentam, no dia 31 de janeiro, o programa Saúde Mental do Trabalhador.  A ação acontecerá no Auditório do Palácio Pirajá, a partir das 9h.

O programa será conduzido por alunos do 8º bloco sob a supervisão da professora Liliane Leite Moreira e fornecerá oportunidades para discussão de temas focados na relação Saúde mental e Trabalho como, também, atendimento psicológico individual on-line àqueles que necessitam e querem ser acolhidos. Na oportunidade, os servidores iram acompanhar uma palestra com o tema “Ansiedade e Trabalho”, que está em linha com os propósitos da campanha Janeiro Branco. Quem não puder acompanhar a palestra presencialmente, poderá assistir por meio do Canal da UESPI no Youtube.

Para a discente do Curso de Psicologia,  Maria Eduarda Araújo, a iniciativa vai além de uma campanha de promoção de cuidados e busca engajar a comunidade em uma reflexão conjunta sobre a saúde mental. Ela espera desenvolver diferentes propostas de discussão sobre essa temática. “Essa etapa de estágio supervisionado durante o curso vai explorar nosso melhor em prol das pessoas que farão proveito do projeto. Com um olhar mais humanizado, a vida no trabalho poderá ser vista por outra ótica, o que vai nos auxiliar bastante durante o decorrer desse projeto. Esperamos que seja uma iniciativa promissora para a Universidade”, destaca.

Já a discente Marina Alves lembra que o projeto tem muito potencial, tanto para os servidores quanto para os alunos. “Vai ser uma oportunidade incrível de pôr em prática o que aprendemos na universidade. Sabemos que o trabalho é um processo desafiador, que afeta diretamente a vida do indivíduo nos mais diversos âmbitos. Saber que poderemos, de alguma forma, auxiliar na saúde mental desses trabalhadores é muito gratificante”, comenta.

Segundo a Pró-reitora Adjunra da PRAD, Rosineide Candeia, o programa possibilitará a ampliação de conhecimento dos servidores, bem como maior autoconhecimento sobre sintomas psicológicos, assim como proporcionará um ambiente de trabalho acolhedor. “O objetivo é proporcionar um ambiente propício para a discussão aberta sobre sentimentos, emoções e desafios psicológicos enfrentados pelos servidores da UESPI. Essa iniciativa é também construir uma cultura que valoriza a saúde mental como parte integral do bem-estar geral, destituindo preconceitos e incentivando as práticas saudáveis”, pontua.

Novidades Ascom UESPI: nova edição da revista “UESPI em Pauta” e novos canais de comunicação

Por João Fernandes

Como uma forma de dar mais visibilidade às ações promovidas pela comunidade uespiana e para que as notícias cheguem de forma eficiente e rápida, a  Universidade Estadual do Piauí (UESPI), através da Assessoria de Comunicação (Ascom) traz boas e grandes novidades nesta semana, como a mais nova edição de sua revista anual “UESPI em Pauta”,  a chegada dos episódios dos Podcasts da UESPI no Spotify e o lançamento do Canal de Notícias da UESPI no Whatsapp.

A proposta da Revista, que está em seu terceiro volume, é demonstrar a participação da UESPI no desenvolvimento do Estado por meio de projetos de ensino, extensão e pesquisa que envolvem, conjuntamente, Docentes e discentes pesquisadores, além da comunidade em geral. Segundo Ana Raquel Costa, Chefe de redação da Ascom, a revista permite potencializar as atividades acadêmicas da UESPI.

“A obra pauta o desenvolvimento de projetos de extensão de norte a sul do Estado, apresentando as expertises de alunos e professores de diversos cursos da instituição, ou seja, esta edição fomenta as potencialidades extensionistas realizadas pela UESPI”, pontua.

Essa edição da revista UESPI em Pauta está voltada para a a extensão, pois as primeiras foram relacionadas ao ensino e pesquisa. Ela traz  um conjunto de matérias informativas sobre as atividades de Extensão desenvolvidas pelos docentes e discentes da Universidade. A revista já está disponível para leitura, no site da Editora da Uespi. Todas as matérias apresentam um pouco da produção da comunidade uspiana dentro e  fora dos muros da universidade, envolvendo à sociedade nos debates e possíveis soluções de problemas. Leia.

Para 2024, a Ascom anuncia outras novidades: os podcasts da UESPI no Spotify e o lançamento do Canal de Notícias da Universidade, no Whatsapp. Diversificando os meios de comunicação, a Ascom espera que as notícias cheguem ao maior número de membros da comunidade acadêmica. Para a Professora Sammara Jericó, Diretora da Ascom-UESPI, o conhecimento acadêmico precisa ser disseminado para além dos “muros ” da Universidade e os meios de comunicação são aliados nessa divulgação.

“Estamos sempre inovando nossos canais de comunicação, agora entrando em plataformas muito usadas por todos como uma forma de alcançar de forma efetiva nossa comunidade acadêmica e também, a sociedade em geral. Temos muitas atividades sendo realizadas, nossos professores, técnicos, colaboradores e estudantes, todos eles trabalham efetivamente nos três pilares do ensino superior e, por isso, a Assessoria de Comunicação sempre está pensando na transparência e visibilidade dessas ações tão relevantes e que fazem da nossa UESPI uma instituição melhor e maior a cada dia”, destaca a professora.

Canal no Whatsapp

O canal da UESPI no Whatsapp disponibiliza, diariamente, os links das matérias publicadas no Site da Universidade. As notícias sobre Ensino, Pesquisa, Extensão e Editais, agora estarão disponíveis de forma instantânea aos seguidores.  O canal é aberto à comunidade acadêmica e externa.  Para ingressar basta ter acesso a este link.  Link

Quem entrar no canal da Universidade também receberá informativos sobre os Auxílios Estudantis, Programas de Bolsas e Editais para Projetos de Extensão. Esse método de comunicação em massa deve simplificar a interação e otimizar os recursos, já que em apenas uma mensagem é possível alcançar um grande número de docentes, discentes e servidores da Universidade.

UESPI Podcast

Tratando sempre de temas relevantes, os Podcasts da UESPI estão disponíveis no Canal Uespi Oficial, no Youtube e, agora, chegam ao Spotify, a maior plataforma streaming de músicas do mundo. A plataforma permite ouvir músicas, podcasts e ver vídeos sem a necessidade de download. Outro ponto interessante são as temáticas diversas, o ouvinte pode escolher qual conteúdo consumir, no horário que preferir.

Os episódios contam com a participação de alunos, professores e egressos para falarem de temas como “A educação na Prevenção de Desastres Naturais”; “Inteligência Virtual: explorando o  ChatGPT”; e o mais novo, lançado no mês de janeiro, tratando sobre a campanha “Janeiro Branco: os cuidados que devemos ter com a saúde mental”. Para seguir o Canal da UESPI na Plataforma basta clicar neste link. UESPI Podcast.

UESPI tem novos docentes contemplados com bolsas de produtividade científica do CNPq

Por João Fernandes

A qualidade das pesquisas desenvolvidas na Universidade Estadual do Piauí (UESPI) ganhou mais um reconhecimento e incentivo nacional. A instituição teve mais dois pesquisadores contemplados, este ano, para receber bolsas de produtividade científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Este tipo de bolsa visa incentivar o aumento da produção científica, tecnológica e inovação de qualidade, além de selecionar projetos de pesquisa que sejam propostos considerando o rigor e o método científico, bem como outros conceitos fundamentais para a produção do conhecimento. Foram contemplados com as bolsas os docentes Gladstone de Alencar Alves, professor do Curso de Física; e  Reginaldo Silva Santos, professor do Curso de Química, ambos de Teresina.

O professor Gustavo Gusmão, Diretor do Departamento de Pesquisa da PROP, esclareceu que estas bolsas são concedidas anualmente para pesquisadores de todas as áreas do conhecimento e são uma forma de reconhecimento e distinção dos pesquisadores que apresentaram nos últimos anos uma destacada contribuição científica refletida. Para ele, esses resultados representam o avanço do ensino e pesquisa da UESPI.

“As bolsas trazem impactos muito significativos, pois, além do reconhecimento do mérito científico, elas proporcionam uma ajuda financeira também para o docente pesquisador, permitindo assim, eles se dedicarem mais tempo e terem recursos para suas investigações e pesquisas. E isso não apenas eleva a qualidade das pesquisas individuais, mas também contribui para o fortalecimento do corpo docente da instituição”, comenta o professor.

Segundo ele, o reconhecimento das pesquisas é também uma forma da instituição estimular a participação dos docentes nesses editais de bolsa de produtividade. O programa leva em consideração, entre outros pontos, o fator de impacto ou Qualis das produções científicas do participante; contribuição da área específica à geração de conhecimento, formação de recursos humanos de excelência e os setores considerados prioritários e estratégicos para o país.

“Essa valorização da pesquisa, reflete diretamente na qualidade do ensino ofertado, atraindo assim estudantes interessados em participar de um ambiente acadêmico cada vez mais dinâmico e inovador. Além disso, as bolsas não só fortalecem as pesquisas nas instituições, mas também contribuem para a solução de desafios locais e globais por meio do avanço do conhecimento científico, reconhecendo os méritos dos docentes e estimulando a formação de uma comunidade acadêmica inovadora”, pontua o professor.

Quem são os novos bolsistas

O docente Reginaldo Silva Santos, um dos classificados no Programa de Bolsas do CNPq, desenvolve estudos com materiais semicondutores e outros materiais com foco em questões ambientais e faz parte do GreenTec (Grupo de Estudos em Energias Renováveis e Tecnologias em Catálise).

Foto: Professor Reginaldo Silva Santos

Para ele, ter sido classificado com uma bolsa de produção científica representa um passo importante no desenvolvimento das pesquisas já realizadas na UESPI. Ele ressalta que esse reconhecimento fortalece a produção científica voltada para o desenvolvimento tecnológico e de inovação e contribui para enriquecimento do ensino da Universidade.

“É uma conquista relevante, como pesquisador, e também para nossa instituição pelo reconhecimento alcançado, isso nos dá uma sensação muito boa e prova que nossos trabalhos desenvolvidos por nossos grupos de estudos e pesquisa estão tendo relevância dentro da comunidade”, destaca o professor.

O docente destaca ainda que a bolsa é um aspecto simbólico do reconhecimento ao mérito profissional de um cientista.Agora é trabalhar para continuar avançando nas pesquisas e fortalecendo nosso grupo GreenTec da UESPI.  Penso que o Estado e a UESPI também ganham mais visibilidade com as conquistas de cada docente desta instituição”, pontua.

Já o docente Gladstone de Alencar Alves, nos últimos cinco anos, teve 18 trabalhos publicados em revistas de referência na área científica, todos feitos em colaboração com outros professores do Curso de Física do Campus Poeta Torquato Neto. Suas pesquisas tratam de propagações epidêmicas em estruturas geométricas e também modelos de opinião aplicados também a essas estruturas, como redes regulares, redes aleatórias e redes complexas.

Professor Gladstone de Alencar Alves

Além da Bolsa de Produtividade, o professor foi aprovado com uma taxa de bancada, esse recurso tem como finalidade auxiliar em qualquer atividade (acadêmica, de pesquisa e do projeto). De forma geral, pode ser utilizado na compra de material bibliográfico, material perecível de laboratório, reagentes e insumos de pesquisa. 

Para o professor, o feito reconhece as notáveis contribuições científicas da UESPI a nível nacional. “Estamos muito felizes por alcançar esse feito. Basicamente, trabalhamos para isso, agora,  participamos de um grupo seleto de professores pesquisadores, onde há participação de quase todos os professores pesquisadores do Brasil. Você vê seu nome ali num grupo seleto, além de ser importante para a questão individual, você também coloca o nome da instituição em destaque”, destaca o professor.

 

Sessão Especial no Campus: parceria da UESPI com a APL para promoção da literatura

Por Clara Monte

No próximo sábado, dia 13, às 10h, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), em conjunto com a Academia Piauiense de Letras (APL), promoverá uma Sessão Especial, no campus Poeta Torquato Neto.

O Presidente da APL, Zózimo Tavares Mendes, explica que a presença da Academia Piauiense de Letras na Uespi acontecerá pela primeira vez e faz parte de um projeto intitulado “APL Itinerante”. Para ele, o projeto tem procurado levar a Academia para os espaços de cultura fora da sede, expandindo por Teresina e nos interiores do Piauí. “É uma busca por maior integração com os polos de cultura e educação. A ideia é promover um intercâmbio maior entre a academia e instituições, como a Universidade,  levando nossa experiência, além de promover maior circulação do conhecimento”.

O evento terá uma programação que dará  as boas-vindas aos participantes e, em seguida, acontecerão as palestras sobre temas, como as origens, formação e evolução da literatura piauiense; o ensino da literatura, contextualizando-o nas experiências vividas na UESPI. Além disso, haverá a participação de discentes, que realizarão leituras ou declamações de textos de autores piauienses.

A Professora Raimunda Celestina Mendes, uma das organizadoras desta Sessão Especial, destaca a importância de aproximar essas atividades do ambiente universitário, englobando não apenas os estudantes de graduação e mestrado, mas também os membros da Administração e os funcionários da UESPI. “Eu tive a oportunidade de acompanhar e participar das atividades da APL e considero importante esse tipo de envolvimento com alunos de universidade. Nosso objetivo é também divulgar nossas pesquisas, nossos grupos de pesquisa e assim cultivar nossas produções acadêmicas”.

O Vice-Reitor, Jesus Abreu, expressa sua consideração acerca da significância do projeto APL Itinerante para todos aqueles que reconhecem a importância da literatura. Ele manifesta sua honra pela participação da UESPI em uma iniciativa que busca promover a valorização da leitura, especialmente nos dias atuais. “A UESPI tem a grata satisfação de se unir como parceira a um projeto que visa estimular a leitura entre nossos estudantes. Acredito que a literatura e a pedagogia construíram muito da nossa história, merecendo uma valorização mais profunda em nossas raízes”.

Na sessão Especial da “APL Itinerante” haverá também espaço para exposição de livros de autores piauienses como mais uma forma de apresentar e divulgar os autores locais.

Janeiro Branco: UESPI oferece serviço dedicado aos cuidados com a saúde mental

Por João Fernandes

O mês de Janeiro é marcado pelo movimento “Janeiro Branco”, uma campanha que visa sensibilizar à sociedade sobre a importância da saúde mental, a partir da prevenção de doenças decorrentes do estresse, como ansiedade, depressão e pânico. Com isso, elencamos alguns fatores importantes que podem orientar e incentivar a comunidade acadêmica a cuidar da saúde mental.

Primeiro, por que no mês de janeiro?

Porque no primeiro mês do ano, em termos simbólicos e culturais, as pessoas estão mais propensas a pensarem em suas vidas, em suas relações sociais, em suas condições de existência e emoções. Logo, o período se tornou essencial para desmistificar questões relacionadas aos transtornos mentais e incentivar a busca por ajuda e tratamento adequado.

Para a Psicóloga Juma Frota mais que um chamado para os cuidados com a saúde mental, a data se tornou importante para desmistificar temas relacionados aos cuidados com a saúde e possibilitou sensibilizar a população sobre temáticas importantes. 

“A campanha fala sobre essa prevenção do adoecimento psíquico e isso se dá além do mês de janeiro. Esse cuidado precisa ser contínuo, é algo que a gente vai desenvolvendo através de pequenas ações que vamos colocando em nossas rotinas. Fazer terapia é importante, mas a gente também lembra da importância das práticas de atividades físicas, ter uma alimentação mais adequada, hábitos que fazem com que a pessoa se sinta bem, por exemplo, a leitura, escutar uma música, um momento de lazer”, destaca a psicóloga.

Outro fator relevante para buscar os cuidados necessários se justifica pela representatividade da data. A psicóloga lembra que a cor branca da campanha representa uma “página em branco” onde todas as pessoas podem ser inspiradas a escreverem ou a reescreverem as suas próprias histórias de vida.  “Quando a gente fala de hábitos que desenvolvem a saúde mental, a gente tá falando não de coisas grandiosas, mas de uma junção de pequenas coisas que possam tá desenvolvendo um contexto de saúde mental e  promovendo a qualidade de vida”, pontua a psicóloga.

Janeiro Branco: como a UESPI pode apoiar essa campanha

Dado estes fatores, a UESPI mantém um trabalho constante com dispositivos que auxiliam a comunidade acadêmica a lidar com questões relacionadas a esta temática. Em alusão a Campanha  do “Janeiro Branco”, que faz menção à importância dos cuidados com a saúde mental ,o Serviço de Psicologia da UESPI, lança neste mês o Projeto Plantão Psicológico para discentes da UESPI. 

O Plantão Psicológico pode ser entendido como uma prática psicológica que tem como objetivo acolher o outro no “momento de sua urgência”. Não há necessidade de um agendamento prévio nessa modalidade de atendimento, aquele que busca esse serviço recebe o acolhimento e a escuta clínica no momento de sua procura. 

Esse serviço dispõe de terapeutas em dias e horários específicos para naquele momento oferecer escuta qualificada e suporte/acolhimento  em uma só sessão de aproximadamente 50 a 60  minutos, com começo, meio e fim, tendo caráter breve e pontual.

O nome dessa prática refere-se devido uma metáfora com uma grande planta ou árvore, em que o viajante possa sentar-se e receber sombra, acolhimento e repouso. Que ao estar acolhido nessa sombra, os viajantes poderiam olhar para dentro e refletir sobre seus caminhos e possibilidades. Desse modo, a função principal do terapeuta-plantonista é colocar-se à disposição no sentido do cuidado e  da abertura , promovendo um ambiente de acolhimento e compreensão para aquele que busca o atendimento.

Observações Importantes :

-Os atendimentos do Plantão Psicológico são exclusivos para os discentes de graduação matriculados no regime regular presencial da UESPI;

Os atendimentos acontecerão às segundas e às quintas, das 09h às  12h. Não há necessidade de agendamento;

-Os atendimentos para discentes dos CAMPI de TERESINA (Campus Poeta Torquato Neto e Campus Clóvis Moura) poderão ocorrer na Modalidade Presencial,  desde que o/a discente se dirija a uma das salas de atendimentos individuais localizadas no Serviço de Psicologia da UESPI, no Prédio do Palácio Pirajá( térreo) ou na Modalidade Online (a combinar através do Whatsapp do Serviço de Psicologia da UESPI);

-Os atendimentos para discentes dos outros CAMPI DA UESPI acontecerão apenas na Modalidade Online (a combinar através do Whatsapp do Serviço de Psicologia da UESPI);

-Não é o foco do plantão psicológico os  diagnósticos ou enquadramentos de qualquer natureza;                                              

-Não se enquadra nessa modalidade de atendimento os surtos psicóticos.  Neste caso, deve acionar o SAMU 192.

-Quaisquer dúvidas entrar em contato pelo WhatsApp (86)99498-5419.                                                                                             

Além disso, o Serviço de Psicologia retomará a Programação do Grupos Psicoeducativos Online , com a temática do mês: O que é Janeiro branco?: Hábitos e Estratégias no auxílio a prevenção e promoção de saúde mental, dia 24/01/2024, às 11h, via plataforma Google Meet.

Professora Adriana Borges é eleita para Academia Piauiense de Letras Jurídicas

Por João Fernandes

A professora Adriana Borges Ferro Moura, coordenadora do Curso de Pedagogia, do campus Prof. Antônio Giovani Alves de Sousa, em Piripiri, foi eleita para ocupar a cadeira 27, na Academia Piauiense de Letras Jurídicas – APLJ. A posse perante os demais membros ocorrerá ainda no primeiro semestre de 2024.

Ela será a primeira titular da cadeira 27, que tem como patrono o Dr. Nicanor Barreto. Para a professora a sua nomeação para a APLJ representa uma honra pessoal mas também um reconhecimento do comprometimento com a excelência no ensino e na pesquisa.

“Levando em consideração que meus estudos e escritos se concentram na área de Ensino Jurídico, acredito que ao integrar o ambiente da academia será possível levar  importantes reflexões sobre o tema e suas especificidades, além de problematizar questões acerca da qualidade e dos desafios das escolas de direito no Brasil”, destacou a professora.

A partir da posse, a professora espera fortalecer os laços entre a academia e a prática jurídica, influenciando positivamente as futuras gerações de profissionais do direito no Estado. 

“Encontrei na academia um ambiente de acolhimento e de leveza, o que me deixou muito feliz em adentrar em um espaço que passarei a chamar de casa. Além de ter contemporâneos de trabalho, como a professora Adrianna Setúbal, Professor Nelson Juliano, Professor Leandro Lages e Professor Leandro Maciel, todos eles e os demais acadêmicos foram muito receptivos com os novos integrantes”, pontua a professora.

Autora de vários artigos na área de Docência Superior e obras como “Docência Superior: o Desenvolvimento Profissional do Professor Bacharel em Direito”, a professora é graduada em Pedagogia pela UFPI, Especialista em Direito Constitucional pela ESAPI/UFPI, Especialista em Bioética e Direitos Humanos ANIS, Mestre em Educação PPGEd UFPI. Ela é Professora de Direito Penal: Teoria do Crime e Teoria da Pena (graduação e pós-graduação), Criminologia, Professora de Pedagogia da UESPI,  Professora de Pós graduação também nas áreas de Docência Superior e Metodologia do Ensino Superior (pós-graduação) e Avaliadora de Várias revistas jurídicas e educacionais.

Sobre a Academia

A APLJ foi fundada em 1º de outubro de 1981, por professores do Departamento de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Piauí, reunidos na sala dos professores do referido órgão e tem como objetivo incentivar o estudo e a pesquisa da ciência do Direito, cultuando e consagrando os vultos piauienses que se destacarem no campo das letras jurídicas.

Campus de Picos: inscrições abertas para a VI Semana de Comunicação da UESPI

Por João Fernandes

O Curso de Bacharelado em Jornalismo, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Barros Araújo (Picos), promove, entre os dias 21 e 23 de fevereiro, a VI Semana de Comunicação da UESPI.
Os interessados em participar dos
Grupos de Trabalho têm até o dia (22) de dezembro para submeter seus trabalhos científicos. Aqueles que optarem por participar apenas como ouvintes têm até o dia (31) para se inscreverem no primeiro lote do evento. As inscrições podem ser feitas no Site Oficial do Evento

A semana de Comunicação objetiva incentivar a reflexão conjunta entre a universidade e a sociedade, além de promover um debate coletivo sobre as práticas de comunicação no cenário contemporâneo, levando em conta a realidade local da região da Cidade.

Em 2024, o evento terá atividades voltadas a temática central “Democracia e Desordem Informacional: debate sobre a regulamentação dos Meios de Comunicação”, reunindo discentes, docentes, pesquisadores, profissionais da área e de áreas afins. O evento pretende contribuir para a compreensão do que estamos vivenciando em temas como democracia, desinformação e regulamentação midiática.

Os melhores trabalhos apresentados serão premiados nas seguintes modalidades: Concurso de audiovisual – Sheila Fontenele; Concurso de fotografia – Emanoel Costa; Concurso de reportagem – Jailson Dias de Oliveira; Concurso de artigo científico – Orlando Berti; Concurso de TCC – Jaqueline Cardoso. Os três primeiros lugares de cada concurso serão notificados até 26 de janeiro de 2024. A classificação específica e geral será divulgada somente no dia 23 de fevereiro, na ocasião da premiação.

Segundo a professora Ruthy Costa, uma das coordenadoras do evento, a Semana de Comunicação já está consolidada como um evento que proporciona aos participantes atualizações sobre os desafios enfrentados no cenário midiático atual, bem como a capacidade de compreender os impactos dessas questões na democracia e na sociedade de uma maneira geral.

“Além de debates relevantes, a Semana irá proporcionar a construção de redes profissionais e acadêmicas, tendo em vista que os estudantes têm a possibilidade de dialogar com outros estudantes, com profissionais, e pesquisadores de diversas áreas. Dessa forma, será possível que montem as suas teias profissionais, inclusive saindo do evento com propostas de projetos colaborativos e até pesquisas em parceria com outras instituições, por exemplo”, destaca a professora.

As inscrições são divididas em duas modalidades, sendo uma delas exclusiva para estudantes e outra somente para professores, pesquisadores, profissionais da área e demais interessados. A programação da Semana contempla palestras, oficinas, mesas temáticas e apresentação de trabalhos e artigos científicos.

Informações para submissão dos trabalhos

Projeto SARU promove fomento à leitura dentro de escola da rede municipal

Por João Fernandes

O Projeto SARU, desenvolvido pelo Curso de Biblioteconomia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Poeta Torquato Neto, esteve na “Feira de Literária: viajando pelo mundo da leitura”, realizada na escola CETI PE Joaquim Nonato Gomes, em Teresina. A Feira contou com apresentações culturais, exposição de trabalhos e mostras de atividades da escola, todas preparadas pelos alunos e professores.

O Projeto atua na escola desde 2020 na organização técnica do acervo da Biblioteca e no apoio à formação da comunidade escolar ao permitir fácil acesso às obras do acervo em seus mais variados suportes e aos demais serviços oferecidos pela mesma.  No evento, realizado nesta quinta-feira (07), os alunos da instituição de ensino básico tiveram acesso a um projeto de troca e doação de livros, onde a comunidade escolar foi convidada a efetuar a troca por outros exemplares disponíveis.

Segundo o professor Aluísio Castelo Branco, um dos organizadores do projeto, a ação é importante pois incentiva a leitura e pesquisas escolares por meio do acesso às fontes de informação e fomento à cultura local. Segundo o professor, as obras disponibilizadas são de literatura brasileira e de autores piauienses.

“Dentro do processo de desenvolvimento de extensão, nós visualizamos e trabalhamos nesse fomento à leitura, dentro da escola, integrando tanta parte pedagógica dos professores como envolvendo todo o corpo discente dos alunos.  Além disso, um outro ponto importante é que esse trabalho desenvolvido dentro da extensão contribui para nós desenvolvermos também as pesquisas em termos de avaliação e desempenho dos alunos”, destaca o professor.

Para Antônio Gomes, diretor da Unidade Escolar, ações como a Feira ajudam a despertar a leitura, tornando os alunos mais críticos, com uma visão melhor do mundo, ajudando no desenvolvimento intelectual deles.

“O Projeto já atua no fortalecimento da nossa base pedagógica, impactando na leitura e despertando o interesse dos alunos em vir mais à biblioteca, em ler, em deixar um pouquinho as telas de lado. É um projeto excepcional, que desenvolve um trabalho muito importante com os nossos alunos”, comenta o Diretor.

Sobre o Projeto SARU

Um dos objetivos de Projeto SARU é integrar os serviços oferecidos ao processo de ensino e aprendizagem a partir de uma ação planejada entre bibliotecário, equipe administrativa, professores e familiares, visando uma melhor apreensão dos conhecimentos pelos alunos. Além disso, desperta o hábito da leitura e o desenvolvimento do senso crítico. Saiba mais sobre o Projeto.

Vaga de Estágio Supervisionado

O projeto divulga a existência de 02 (duas) vagas disponíveis para Estágio Supervisionado.

Contato: coord.biblioteconomia@ccsa.uespi.br

UESPI lança processo seletivos para Programas de Residência

Por João Fernandes

Nesta terça -feira (28), a Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), lançou três novos editais para seleção de residentes nas áreas de Residência Multiprofissional em saúde da família, Residência Multiprofissional em Atenção à Terapia Intensiva, além do novo edital para Residência Médica em 12 especialidades diferentes.

Este ano houve uma ampliação no número de vagas especializadas, no total, as vagas disponibilizadas saíram de 31 para 59 vagas. As inscrições serão feitas, exclusivamente, de forma online entre os dias 15 a 28 de dezembro, através do endereço eletrônico, nucepe.uespi.br/residencias_uespi2024.php.
Já as provas serão realizadas em janeiro de 2024, por isso,  é importante os candidatos estarem atentos às datas nos cronogramas de cada edital. 

Segundo o Prof. Dr. Rauyres Alencar, Pró-reitor da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PROP),  os novos editais para Residências Médicas e Multiprofissionais são uma grande oportunidade para os egressos que querem ampliar seus conhecimentos, se especializarem, ao tempo em que é uma prestação de serviço para a comunidade,  ampliando a assistência médica de saúde no estado de Piauí. 

“Este ano, conseguimos captar recursos para ampliar as residências multiprofissionais, com isso, a UESPI continua como uma referência no treinamento dos profissionais da área da saúde, especificamente, na área médica. Desta forma, estamos contribuindo com o estado do Piauí, dando assistência a saúde estadual e beneficiando as assistências da nossa população”, destaca o Pró-reitor.

O reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, lembra que as áreas contempladas nos editais são essenciais para contribuir no aperfeiçoamento dos profissionais da áreas da saúde e ainda melhorar os serviços prestados à população.  “Além de capacitar nossos profissionais, as residências ampliam a assistência junto ao povo piauiense”, destaca o reitor.

Quanto aos editais

O edital Residência Multiprofissional em Atenção à Terapia Intensiva contempla 27 vagas distribuídas da seguinte forma: 09 vagas para fisioterapeuta, 09 vagas para enfermeiro e 09 para psicólogo.  

Durante este processo, o candidato deve ler o Edital, efetuar o cadastro, preencher o requerimento de inscrição e enviá-lo via internet. Em seguida, imprimir o boleto bancário referente à taxa de inscrição e efetuar sua quitação até o último dia.

O Edital para para residentes da IX Turma de Residência Multiprofissional em Saúde da Família contempla diferentes áreas, tais como: Assistente Social, Profissional de Educação Física, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Cirurgião Dentista, Nutricionista e Psicólogo.

O curso terá duração de 24 meses, distribuídas em 60 horas semanais. Será concedido, a título de bolsa, o valor mensal bruto de R$ 4.106,09 (quatro mil, cento e seis reais e nove centavos) por um período de 24 (vinte e quatro) meses a contar da data de assinatura do contrato. 

A Residência Multiprofissional em Saúde da Família constitui modalidade de Ensino de Pós-Graduação Lato Sensu. A qualificação objetiva capacitar profissionais de diversas categorias para atuarem com os preceitos organizativos e funcionais do Sistema Único de Saúde – SUS, tendo como princípio básico a prática multiprofissional e interdisciplinar em Saúde da Família para que estes obtenham competências sociais, políticas, técnicas e humanas para aplicá-las na perspectiva da promoção da saúde.

Nos programas de residência médica estão: cirurgia geral, clínica médica, otorrinolaringologia, ginecologia e obstetrícia, medicina intensiva, cirurgia pediátrica, cirurgia vascular, coloproctologia, cirurgia do aparelho digestivo, ortopedia e traumatologia, nefrologia e urologia – 2023/2024

Os selecionados terão dedicação em tempo integral em caráter de dedicação exclusiva, com atividades teóricas e teórico–práticas (20%) e atividades práticas de formação em serviço-comunidade (80%). Confira os Editais.

 

PRIL realiza I Semana de Matemática, em Santa Cruz do Piauí

Por João Fernandes

O Programa Institucional de Fomento  e Indução da Formação Inicial Continuada de Professores e Diretores Escolares – PRIL, realizou a  Semana de Matemática, em Santa Cruz do Piauí. A ação aconteceu nesta quinta-feira (23) e reuniu professores e membros da administração do Núcleo de Educação a Distância da UESPI – NEAD, para apresentação dos trabalhos.

Segundo a professora Márcia Percilia, Diretora do NEAD, a iniciativa objetiva congregar os três pilares da Universidade, aprimorando o Ensino, Pesquisa e Extensão.   “Essa é uma das várias atividades que o Programa de Incentivo à Licenciatura promovidas pelo PRIO desenvolve nos municípios em que está instalado. Aqui em Santa Cruz do Piauí, ofertamos para a população local o curso de licenciatura em matemática. Então é uma demanda que vai trazer muito”, comenta a diretora.

Para o Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, o evento reflete o compromisso da Universidade em levar ensino superior público de qualidade para todas as regiões do Estado.

“Por meio deste programa vamos promover um aperfeiçoamento aos profissionais que já atuam na educação básica e aqueles que ainda vão atuar, assim, nós estamos fazendo a extensão universitária, trazendo-a para a comunidade de Santa Cruz do Piauí. Dessa forma, vamos fazer com que as a conhecer o que a universidade produz, e o que os alunos da matemática estão produzindo, além de ajudar a trazer novos conhecimentos para a população”, destaca o reitor.

Já a aluna Alanda França acredita que o PRIL fortalece o ensino da região, promovendo a capacitação de professores de matemática e atendendo a demanda por esses profissionais. “Essa oportunidade veio pra gente como uma oportunidade muito grande, tendo em vista que aqui em nossa microrregião é muito carente por professores de matemática. Então, essa oportunidade veio pra somar na qualidade de ensino ofertada e aprimorar nossa formação”, pontua a aluna.

O professor Me. Anderson Meneses, Coordenador Acadêmico do Curso de Matemática do PRIL,  ressalta o compromisso do programa em formar novas turmas qualificadas para atender as demandas da região.

“Nossa meta é interiorizar o Ensino Superior de Qualidade, já que muita gente não tem condição de ir para a capital ou para grandes cidades para estudar, por conta do custo financeiro muito grande que isso exige Então, percebemos aqui o êxito do programa. A população está bem feliz com nossa atuação e empolgada para também fazer parte do projeto”, finaliza o professor.

UESPI agora conta com Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher

Por João Fernandes

Nesta sexta-feira (24), a  Universidade Estadual do Piauí (UESPI) em parceria com a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Piauí (SSP – PI), inauguraram o Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, no Campus Poeta Torquato Neto, em Teresina.  A ideia é que este espaço seja usado para acolher mulheres que enfrentam violências dentro ou fora da Universidade.

O Núcleo será responsável por acolher, ouvir e orientar mulheres pertencentes ao corpo discente, docente, técnico administrativo e colaboradores da UESPI, que enfrentam violências, a fim de encaminhá-las para as redes de apoio necessárias. 

Segundo a Psicóloga Vitória Antão, o Núcleo de enfrentamento à Violência representa um passo importante da Universidade na construção  de trabalhos focados em combater a violência e promover a conscientização da comunidade acadêmica sobre este tema.

“As Universidade são espaços de construção de conhecimentos fundamentais  para formação de saberes que podem refletir na consciência social sobre os direitos das mulheres. Então, ao utilizarmos estes espaços para falar e prevenir a violência temos muito mais chances de reduzir essa triste realidade e alcançar a sociedade com nossas ideias”, destaca a psicóloga. 

A Superintendente de Cidadania e Defesa Social da SSP, Coronel Elizete Lima, defende que o espaço será essencial para integrar a Universidade e a Secretaria de Segurança Pública com foco no desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção e de políticas que garantam o direito das mulheres.

“É de suma importância integrar esse projeto amparado pela UESPI, tendo em vista que a comunidade universitária merece essa atenção especial na área das políticas públicas e este Núcleo surge como uma forma de complementar essas iniciativas. Além disso,  discutir esse tema  é  importante para que nós mulheres nos sintamos cada vez mais integradas numa sociedade que prima pela igualdade, sem misoginia, longe do machismo”, comenta a superintendente.


O vice-reitor da UESPI, Dr. Jesus Abreu, considera a iniciativa necessária, provando que a Universidade está sintonia com a implementação de políticas públicas de proteção às mulheres.

A partir da implementação deste núcleo, vamos alinhar nossas atividades de ensino, pesquisa e extensão focados em construir iniciativas capazes de sobrepor os muros da Universidade, para isso, vamos trabalhar na sugestão de projetos, pesquisas e parcerias que vão colaborar na formação de políticas públicas para as mulheres. Nesse sentido, nossos profissionais se inserem como formadores de opinião e pessoas capacitadas para promover projetos que vão influenciar a sociedade”, pontua o Vice-reitor.

O Núcleo terá um grupo de trabalho formado por representantes da Universidade e da Secretaria, que irão elaborar os instrumentos e campanhas que guiarão os participantes dos Núcleos de Enfrentamento à Violência contra a Mulher nos campi da UESPI.

Para o Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, o Núcleo chega em um momento em que a sociedade discute a importância da equidade de gênero e da ocupação das mulheres em diversos espaços, bem como a necessidade da consolidação de políticas públicas voltadas ao enfrentamento da violência. 

“Nosso foco é dar mais segurança para as relações sociais de gênero na Universidade e trabalhar para construir mecanismo que nos ajude a alcançar a equidade de gênero e garantir os direitos das mulheres. Ademais, a implementação do Núcleo possibilitará que a UESPI esteja presente nas discussões sobre a participação das mulheres em locais de poder, bem sua participação na formação de ideias para mudar essa realidade”, destaca o reitor.  

A iniciativa se fundamenta nos princípios da igualdade, segurança, respeito, inclusão e dignidade das mulheres. Os principais objetivos deste termo incluem também o funcionamento de um espaço de acolhimento psicossocial e jurídico para mulheres, que já está funcionando no Campus Poeta Torquato Neto, de segunda-feira à sexta-feira, entre 14h e 20h.

 

Parceria entre UESPI e TJPI visa projetos para inovações tecnológicas

Por Clara Monte

Na manhã desta terça-feira (21), a Reitoria da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) se reuniu com representantes do Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI) para discutir uma futura parceria voltada para inovações tecnológicas. Na oportunidade, foi apresentado o projeto JuLIA, que corresponde a “Justiça Auxiliada por Inteligência Artificial”, uma iniciativa do TJPI que emprega a Inteligência Artificial (IA) em diversas atividades.

A reunião aconteceu na sala da reitoria, no palácio Pirajá

O projeto JuLIA engloba funcionalidades como acesso a informações, serviço de mensagem para comunicação automatizada via WhatsApp com cidadãos, servidores e representantes processuais, análise e indicação de jurisprudência, consulta e acompanhamento processual, além da análise de petições.

O Secretário Executivo do Laboratório de Inovação do TJPI, Glaydson Vilanova, enfatizou que o projeto JuLIA foi concebida para atender à necessidade de adaptar o Tribunal de Justiça às demandas contemporâneas, visando o avanço e a modernização dos sistemas. Ele destacou que a implementação da IA pode ser uma solução eficaz para lidar com o aumento significativo de processos judiciais e agilizar o trâmite processual.

“Estivemos na UESPI para apresentar nossos projetos de inovação, com destaque para a JuLIA, como uma ferramenta ideal para automatizar tarefas rotineiras, como a classificação de processos, identificação de duplicidade de processos e elaboração de minutas de decisões judiciais. Pretendemos formalizar uma parceria com a UESPI, a fim de promover diversos cursos, como Ciências da Comunicação, Matemática e Direito. Nosso objetivo é cultivar a semente da inovação, proporcionando benefícios para ambas as instituições”, afirmou o Secretário.

O Reitor da UESPI, Evandro Alberto, ressaltou a relação harmoniosa existente entre a Universidade e o Tribunal, evidenciando os frutos dessa colaboração. Para ele, é importante haver trabalhos conjuntos com o TJPI e o ambiente acadêmico como meio de promover projetos de extensão capazes de atender às demandas da sociedade.

“Hoje, houve a apresentação de uma nova inteligência artificial voltada para facilitar o acesso a informações do Poder Judiciário, criando uma comunicação mais fácil e acessível para qualquer cidadão. A Universidade entra nesse contexto para oferecer ideias, integração formativa e contribuir para que essas inovações cheguem à sociedade, proporcionando maior acesso comunicativo aos processos judiciais”, afirmou o Reitor.

Projeto JuLIA
A criação de um chatbot para o Tribunal de Justiça do Piauí é uma iniciativa que pode trazer inúmeros benefícios tanto para a instituição quanto para os cidadãos que precisam acessar seus serviços. Em um momento em que a tecnologia se apresenta como uma grande aliada na busca por maior eficiência e agilidade nos serviços públicos, a criação de um chatbot para o TJPI segue uma tendência que vem ganhando espaço em todo o mundo.

O chatbot pode ser programado para responder a perguntas frequentes, dar orientações sobre procedimentos jurídicos e tirar dúvidas sobre o funcionamento do tribunal. Além disso, o chatbot pode ser utilizado para agendar atendimentos, emitir certidões e até mesmo realizar petições iniciais de processos judiciais de menor complexidade, como ações de cobrança, por exemplo.

PARCERIAS ENTRE UESPI E TRIBUNAL DE JUSTIÇA

A UESPi e o Tribunal de Justiça já tem bons exemplos de projetos e parcerias consideradas bem-sucedidas, como a que aconteceu na última segunda-feira, dia 20, no auditório da Facime – Painel: Justiça Restaurativa na Educação”.

O evento reuniu discentes dos cursos de psicologia, Direito e Pedagogia

O evento foi organizado através de um trabalho conjunto do curso de Psicologia da UESPI com o Comitê Gestor da Justiça Restaurativa do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí.

 

UESPI e SSP-PI lançam Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher

Por João Fernandes

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) em uma ação conjunta com a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Piauí (SSP – PI) lançam, na próxima sexta-feira (24), o Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. A ideia é que este espaço seja usado para acolher mulheres que enfrentam violências dentro ou fora da Universidade.

O Núcleo será responsável por acolher, ouvir e orientar mulheres pertencentes ao corpo discente, docente, técnico administrativo e colaboradores da UESPI, que enfrentam violências no ambiente universitário, a fim de encaminhá-las para as redes de apoio necessárias.

Para isso, os trabalhos do Núcleo serão divididos em três vertentes: proteção, enfrentamento à violência e prestação de apoio. Serão realizados cursos, palestras, rodas de conversa, seminários e estudos dentro da universidade, com o intuito de educar e conscientizar a comunidade universitária sobre a violência contra as mulheres no ambiente acadêmico, bem como promover a prevenção e a denúncia.

O termo de cooperação entre a UESPI e a Secretaria de Segurança foi assinado em agosto deste ano.  Confira.

O Núcleo terá um grupo de trabalho formado por representantes da Universidade e da Secretaria, que irão elaborar os instrumentos e campanhas que guiarão os participantes dos Núcleos de Enfrentamento à Violência contra a Mulher nos campi da UESPI.

Segundo Vitória Antão, Psicóloga do Serviço de Psicologia da UESPI, é importante que a universidade incorpore esse trabalho para combater a violência contra a mulher e promover a conscientização. 

É fundamental que todas as instituições governamentais abordem questões ligadas à violência de gênero, tendo em vista que é uma demanda presente em todos os espaços e responsável por diversos impactos na vida das mulheres. Por isso, o Núcleo é importante para formar uma consciência crítica sobre este assunto a fim de prevenir a violência de gênero”, comenta a psicóloga. 

A iniciativa se fundamenta nos princípios da igualdade, segurança, respeito, inclusão e dignidade das mulheres. Os principais objetivos deste termo inclui também o funcionamento de um espaço de acolhimento psicossocial e jurídico para mulheres, que já está funcionando no Campus Poeta Torquato Neto, de segunda-feira à sexta-feira, entre 14h e 20h.

Brenda Alves de Carvalho, Diretora de Defesa Social da SSP-PI, acrescenta que o núcleo será essencial para integrar os campis da Universidade, com foco no desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção e de políticas que garantam o direito das mulheres.

“Essa é uma política muito importante porque visa a garantia de direito das mulheres de estarem estudando e não serem perturbadas. As mulheres que estão nos campi universitários querem estudar e não se preocupar com a violência ou de estar andando pelo campus e ser atacada, perseguida, assediada seja por um outro aluno ou seja por um professor. Então o Núcleo visa proteger essas mulheres de todas as violências, seja ela  psicológica, moral ou física”, acrescenta a diretora.

A Diretora ressalta que o núcleo irá promover apoio tanto para as mulheres quanto para sua família. Tendo em vista que a família dessa mulher precisa de apoio psicológico. A cerimônia de lançamento do Núcleo acontece na próxima sexta-feira (24), a partir das 10h, no auditório do Palácio Pirajá e contará com representantes da Administração Superior e da Secretaria de Segurança.  

Campus de Parnaíba: alunos promovem feira sobre curiosidades das Ciências Biológicas

Por João Fernandes

A turma do 5° período do Curso de Biologia, do campus Alexandre Alves de Oliveira, em Parnaíba, promoveu, na última terça-feira (14),  a ação extensionista “Mostra Científica e Didática: Mamíferos e Aves”. A ação aconteceu durante todo o dia levando para os corredores do Campus conceitos e curiosidades ligadas às ciências biológicas.

Os discentes utilizaram materiais didáticos e reuniram peças que compõem o Laboratório de Biologia do Campus, que foram expostas no dia do evento. Durante a Mostra Científica, os alunos apresentaram trabalhos científicos, exposição de maquetes e materiais fósseis de diversos animais. 

Segundo o Professor Felipe Augusto Gonçalves, um dos organizadores do evento, a iniciativa surgiu como forma de aproveitar o material didático comumente utilizado em aulas práticas da Disciplina de Zoologia de Vertebrados, e assim divulgar aspectos relacionados à evolução e biologia desses grupos. Para ele, promover a Mostra Científica é uma oportunidade de explorar o protagonismo dos alunos expondo o conteúdo da disciplina para o público.

“Esse material didático é geralmente utilizado apenas para aulas práticas. E, dessa vez, a gente vai aproveitar para uma exposição. Por exemplo, vamos expor os ossos e estes são materiais que recebemos nos últimos 10, 15 anos, muitos foram coletados por nossa comunidade acadêmica e transformado em material didático”, destaca o professor.

O docente comenta ainda que durante o evento os discentes tiveram a oportunidade de trocar conhecimentos com alunos de outras áreas, além de promover um intercâmbio de experiências vivenciadas por docentes e graduandos na área de ensino da biologia da UESPI e de outras instituições.

Aprendizado na prática

Apresentando características gerais dos mamíferos, o discente Ramon José Santos, acredita que a Mostra Científica foi essencial para esclarecimento à todos da comunidade acadêmica, tendo em vista que aqueles que não cursam biologia tiveram a possibilidade de compreender sobre diversos aspectos relacionados a área.  

“Repassar conhecimento traz benefícios tanto para os discentes quanto para os docentes, porque levo em consideração a possibilidade de treinar a comunicação, raciocínio lógico e interação com outros discentes.  Todos do grupo, tiramos dúvidas e apresentamos algumas curiosidades deste grupo de animais”, destaca o aluno.

A discente Larissa Fernanda Cardoso também participou da Mostra. O grupo dela explorou o mundo das aves, juntos, os discentes criaram cartazes sobre características das aves, espécies em extinção e um mural com 38 fotos de aves do Piauí e nordestinas.

“Acredito que a Mostra Científica foi mais uma grande construção de conhecimento.  Adquirimos novas experiências na criação de eventos, exploração da criatividade e trabalho em grupo. Estes objetivos são fundamentais por se tratar de um curso de licenciatura. A experiência ficará marcada e usarei de referência na minha vida docente futura”, comenta a aluna.

A aluna reforça que o principal benefício foi trabalhar o conteúdo estudado em sala de aula e em aulas práticas, alem de utilizar o conhecimento sobre aves e mamíferos, se  aprofundando no tema e descobrindo uma série de novas informações.

 “Optamos por fazer um cartaz de fácil compreensão, para isto foi pensado em um mural com um guia com curiosidades de cada espécie, enumeradas e os seus respectivos sons foram mostrados Além disso, apresentamos  alguns exemplares de penas e crânio 3D adquiridos em colaboração com a UFDPAR, acrescenta a aluna.

Minicurso apresenta as contribuições, à literatura, cultura e as histórias de autoras africanas

Por João Fernandes

Compreender a literatura, a cultura e as histórias africanas é um dos objetivos do minicurso que será ministrado pela professora Dr. Algemira Mendes, docente do curso de Letras Portugues, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). O minicurso acontece online e conta com a participação de professores do Ensino Básico, alunos de graduação e pós- graduação da área de Letras de diversas instituições.

Trabalhando a temática “Escritas de Resistência Produzidas por Mulheres nas Literaturas”, o minicurso explora textos narrativos e poéticos de escritoras Moçambicanas, Cabo Verdianas e Santomenses. O objetivo é  identificar a presença de vozes de resistências, marcas identitárias e questões memorialistas que estejam presentes nas obras das escritoras africanas de língua portuguesa.

Para isso, as aulas foram divididas em duas partes, a primeira, aconteceu nesta segunda-feira (13), e alcançou um público de 90 participantes. Durante o primeiro encontro, foram discutidos aspectos ligados à ancestralidade, resistências sobre a questão política, questões ligadas ao colonialismo, questões de gênero, identitárias, além de outras  subjugações vivência no período de domínio português.

Todo o referencial teórico do minicurso foi pensado para oferecer uma visão geral das literaturas africanas de língua portuguesa e entender questões ligadas aos colonialismos e suas dependências. Estão sendo usadas as obras de Maria Nazareth Soares Fonseca (2015); Afeto e Poesia, de Carmen Lúcia Tindó Secco (2014); A Magia das Letras Africanas, Angola e Moçambique, de Tindó Secco (2021).

A professora Dr. Algemira Mendes, explica que as obras dialogam entre si, sendo possível identificar nelas as questões que estão sendo trabalhadas, observando como as personagens vivenciam essas experiências e como eles se ressignificam todos esses questionamentos, as guerras e os processos de independência das colônias.

“Uma das autoras apresentadas é Paulina Chiziane, primeira escritora moçambicana a escrever um romance, ganhadora de prêmios, como o prêmio Camões. Através destas perspectivas, debatemos como a língua do colonizador foi imposta e a língua natural, a língua dos povos que habitavam nesses países foram subjugadas”, comenta a professora. 

O segundo encontro acontece, hoje, dia 14 de novembro, com discussões voltadas a questões de gênero e identidade, além de questões de resistência ao patriarcado e resistência ao poder político.

SEMEC e UESPI definem próximas etapas para realização do concurso para docente da rede municipal

Por João Fernandes

Em uma reunião entre a professora Bárbara Melo, Diretora do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE) e o Dr. Antônio Menezes, Assessor Jurídico da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), foram definidos as próximas etapas do Certame para o cargo de docente da rede municipal de ensino.

Este já é o segundo encontro entre a comissão organizadora do Concurso e a direção do NUCEPE. Confira como foi o primeiro encontro. Essa parceria deverá ser firmada em breve, a partir da assinatura do contrato. A primeira reunião aconteceu ainda em novembro. Dentre os pontos debatidos,  foram esclarecidas as próximas etapas até o lançamento do Edital, planejamento para a fase de criação das comissões e as principais regras para a realização da prova. 

De acordo com a professora Bárbara Melo, Diretora do NUCEPE, a realização deste concurso é um marco para a instituição, tendo em vista a importância do Certame para fortalecer a rede pública de ensino. “Neste momento, estamos trabalhando a assinatura do contrato e, posteriormente, o lançamento do Edital. Esta reunião foi essencial para alinharmos questões técnicas e conhecer os prazos das etapas seguintes, por isso, a importância da presença da comissão jurídica. Além disso, o encontro demonstra que a UESPI, por intermédio do NUCEPE e a Prefeitura de Teresina, estão engajados na execução do Concurso”, pontua a professora.

Já o Dr. Antônio Menezes, Assessor Jurídico da SEMEC, afirma que a parceria com o NUCEPE vai otimizar a elaboração das próximas etapas e assegurar os procedimentos que devem compor o Edital. “Nesta reunião, pré-edital, definimos como se dará a organização do concurso e buscamos reconhecer modelos de organização já em uso pela NUCEPE, desta forma, vamos otimizar a construção do nosso fluxograma e fazer um concurso amparado em requisitos técnicos”, destaca o assessor.  

O concurso da SEMEC já foi aprovado pela Câmara Municipal e, além de vagas para o cargo de professor, a Secretaria também fará para o cargo de técnico. Ainda no primeiro encontro foi anunciado que o Edital a ser lançado em breve terá 616 vagas para o cargo de professor em diferentes áreas do conhecimento.

NUCEPE: andamento do Concurso para professores e técnicos da UESPI

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE) está atuando na realização do concurso para professores e técnicos da UESPI. No total, são 85 vagas ofertadas para as Classes Professor Auxiliar (Especialista) e Professor Assistente (Mestre). Além de 75 vagas para preenchimento dos cargos de Níveis Superior e Médio. Concurso docentes e técnicos estão na etapa de heteroidentificação. Confira o Edital.

O NUCEPE atua na execução de etapas de concurso, que são definidas nos editais  conforme as singularidades dos cargos ofertados. Atualmente, 12 concursos estão em fase de execução.

O NUCEPE

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) tem como missão realizar Processos Seletivos e Concursos Públicos promovidos por essa instituição, pelo Governo do Estado do Piauí, Prefeituras Municipais e outros órgãos públicos.

Há mais de duas décadas, o NUCEPE presta serviços de forma personalizada, assumindo a responsabilidade de todas as etapas inerentes a processos seletivos e concursos públicos, com foco na garantia da segurança, da lisura e da segurança dos certames.

De acordo com a Professora Bárbara Melo, o Núcleo tem atuado em concursos muito importantes para o Estado do Piauí. Um dos grandes certames realizados foi o Concurso da Polícia Militar, onde foram mais de 40 mil inscritos. A primeira turma, composta por mil aprovados, já foi entregue para o Comando da Polícia Militar. Além disso, o NUECEPE é a instituição responsável pela execução do cronograma do edital do Corpo de Bombeiros, o maior concurso já realizado pela corporação, com 400 vagas. Confira. 

“Nos dois últimos anos, o NUCEPE tem atuado de forma impactante, de forma brilhante, realizando concursos grandes, com lisura, transparência, e segurança. Nós temos importante apoio do Serviço de Inteligência, até hoje não temos nenhum indício suspeita de fraude”, destaca a professora.

EducationUSA: confira a programação da abertura da Semana da Educação Internacional

Por João  Fernandes

Nesta terça-feira, (07) de novembro, acontece a abertura especial da Semana da Educação Internacional, do Escritório EducationUSA. O encontro acontece online, a partir das 15h, e visa reunir professores, alunos e pessoas interessadas em estudar no exterior para debater sobre “Os Benefícios Da Educação Internacional e a atuação do EducationUSA no Nordeste”

A Semana da Educação Internacional  acontece entre os dias 06 a 30 de novembro, com várias iniciativas e oportunidades para que os estudantes aprendam mais sobre estudar nos Estados Unidos.

Toda a comunidade acadêmica da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) pode participar desse encontro, basta se inscrever através deste Link. A abertura da Semana da Educação contará com a participação dos representantes dos escritórios do EducationUSA no Nordeste, incluindo, a professora Vanessa Alencar,  Adviser Orientadora do EducationUSA na UESPI e, Jeffrey Lodermeier, cônsul geral dos Estados Unidos em Recife.

Confira a programação

14h40 – abertura da sala virtual no Zoom

15h00-15h04 – Sala aberta

15h05 – Cristina e Lina abrem o evento com a presença de Jeffrey Lodermeier, Diretor de Relações Públicas do Consulado dos EUA em Recife.

15h05 15h15- Jeffrey Lodermeier fala sobre a importância da educação internacional e como a missão diplomática/Departamento de Estado dos EUA apoia isso no Brasil. 

3:16 3:21 PM-Alagoas (Marco Aurélio Machado)

15h22 15h27 – Bahia (Magnólia Santos)

3:28-3:33 PM – Ceará (Lina Sena e Cristina Borges)

3:34-3:39 PM – Maranhão (Jane Ewerton e Ana Carolina Lima)

3:40-3:45 PM – Piauí (Vanessa Alencar)

3:45 3:50 PM – Pernambuco (Luiza Villela e Dany Marina)

Cada conselheiro fala sobre seus serviços e eventos que está promovendo durante o IEW 2023.

15h50-15h55 – Dany Marina falará sobre os serviços do EducationUSA e os seguintes programas:

– Opportunity Funds (Oportunidades Acadêmicas) – Graduação – registrations open

– Jovens Embaixadores – results released Nov 3

– Power4Girls

– Tech Girls

– One Beat

– STEAM Tech Camp

– FEBRACI

EducationUSA na UESPI

Em outubro, a UESPI inaugurou o escritório do programa “EducationUSA” no Centro de Ciências da Saúde (CCS), com a missão de facilitar o acesso a informações precisas, abrangentes e atualizadas sobre oportunidades de estudo no ensino superior nos Estados Unidos.

Na oportunidade, estiveram presentes a Cônsul Geral May Baptista, o Cônsul de Cultura, Jeffrey T. Lodermeier e Rita Moriconi, da Regional Educational Advising Coordinator (REAC) do EducationUSA, além da Administração Superior da UESPI, Diretores de Campi e Centro. Confira.

Dia do Servidor: solenidade reconhece o empenho daqueles que se dedicam à UESPI

Por João Fernandes

Nesta quarta-feira (01) de novembro, a Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizou uma cerimônia em homenagem ao Dia do Servidor Público, comemorado no último sábado (28). O evento aconteceu no Hall do Palácio Pirajá, em Teresina.

A comemoração começou com uma apresentação do Coral da UESPI. O grupo é uma das ações extensionistas da Universidade composto por docentes, discentes da instituição e membros da comunidade externa. O coral atua desde 1991 encantando seus espectadores. 

Coral da UESPI, o grupo é das ações extensionistas da Universidade, composto por docentes, discentes da instituição e membros da comunidade externa.

Ainda na solenidade,  os servidores destacaram a importância da Universidade na formação acadêmica e profissional dos estudantes, bem como o compromisso contínuo em proporcionar uma educação de excelência para a sociedade. 

O reitor da Universidade, Prof. Dr. Evandro Alberto, agradeceu empenho de todos os servidores e colaboradores da instituição, bem como o compromisso contínuo em prestar serviços de qualidade.  

Os servidores representam a espinha dorsal da Instituição. A cada ano é notório a evolução da nossa Universidade e isso é resultado do trabalho e esforço de cada um. Sabemos que hoje a Uespi conta com um quadro técnico formado por servidores qualificados e empenhados, dispostos a servir nossa Comunidade Acadêmica. Além disso, o Dia do Servidor é uma oportunidade importante para reconhecer, valorizar o trabalho e a dedicação dos funcionários. É um dia especial para lembrar e agradecer por todo o esforço daqueles que se dedicam à instituição”, comenta o reitor.

O Vice Reitor, Dr. Jesus Abreu destacou o crescimento da Universidade nos últimos anos, atribuindo esta evolução ao empenho dos funcionários que buscam fortalecer as relações entre ensino e prestação de serviço. “Valorizamos o trabalho de todos os servidores, técnicos e colaboradores da UESPI. Juntos, somos responsáveis pelo sucesso da instituição e pela formação dos alunos”, destaca o Vice.

Após a  solenidade, um sorteio de brindes contemplou alguns dos servidores que prestam serviço à instituição.

História que se confundem com a história da UESPI

A UESPI é formada por muitas mãos e muitas histórias que se confundem com a história da própria instituição. Afinal quem faz a Universidade são pessoas, alunos, professores e servidores dos mais diversos setores.

Há histórias de servidores que estão há 20, 30 anos trabalhando na UESPI, o que reflete como a Universidade é feita por pessoas comprometidas e que se dedicam ao que fazem. Uma dessas histórias que hoje comemoram uma longeva dedicação é a de Maria da Cruz Vieira, a servidora que atua na Coordenação de Letras Português, mas se dedica a serviços na UESPI desde a sua fundação.

A servidora reflete que a data é importante para reconhecer e valorizar o trabalho de todos os servidores. Ela enfatiza que esse dia marca o reconhecimento do trabalho dos servidores dando a eles a sensação de pertencimento. “Acredito que todos nós merecemos ter o dia especial para que nós estejamos reunidos, isso nos alegra e melhora o ambiente da Universidade, sabendo que a instituição gosta desse trabalho das pessoas, que isso é muito bom. É um reconhecimento. É importante e valoriza o empenho e dedicação de todos. É maravilhoso quando podemos trabalhar com o que amamos”, destaca a servidora.

Já Carlota Neta Soares, servidora lotada na Biblioteca Central do Campus Poeta Torquato Neto, conta que ingressou na UESPI há 38 anos. Durante estes anos, a servidora acredita que a instituição lhe ensinou muito sobre a importância do ensino não só para a comunidade acadêmica, como também externamente. “Tenho uma vida dedicada e comprometida com a Universidade. Em três décadas uma coisa que observei é que quando os servidores, professores e agentes universitários ingressam na instituição, se tornam parte de uma família, que é a família UESPI”, destaca a professora.

Ana Angélica é egressa do curso de biblioteconomia, e há 11 anos ela atua como servidora do Curso. Para ela, é motivo de orgulho ser servidora da UESPI e reconhecer os esforços da administração em valorizar os servidores. 

 “A gente vê a preocupação em valorizar o quadro de funcionários, aumentando o quadro docente que a gente sabe que é uma das prioridades. Recentemente, com o concurso tanto para técnico como para professor, está tendo a preocupação na questão salarial, que é importante. Tive o privilégio de participar da Comissão de Reformulação do Plano dos Técnicos e eu fiquei muito feliz em ver como a gente foi bem tratada pela Administração”, pontua a servidora.

A professora Rosário Batista, Procuradora Institucional, reconhece que a evolução em níveis educacionais da Universidade é também uma atribuição de seus colaboradores, que atuam para fortalecer o ensino, pesquisa e oportunidades de extensão oferecidas. Na oportunidade, ela lembrou o desempenho dos cursos ofertados na instituição no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), uma das avaliações que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES).

“Se hoje vocês estão me dando essa oportunidade de permanecer nessa casa até agora é porque algo eu faço, mas eu quero dizer a todos que nunca fiz nada sozinha. Se não fosse a colaboração de vocês, eu não estaria aqui. Então assim, importante continuar trabalhando por essa casa, dedicando-se e evoluindo junto a nossa instituição. Os resultados comprovam nosso empenho”, pontua.

Contribuições da UESPI no II Encontro De Pesquisa em Educação e Formação Humana, em Parnaíba

Por João Fernandes

Um grupo de estudantes da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), participou do II Encontro De Pesquisa em Educação e Formação Humana – EDUFOH, em Parnaíba. O evento, idealizado pela Universidade Federal do Piauí, reuniu pesquisadores, professores e alunos para discutir e divulgar pesquisas voltadas à Educação, formação humana e processos educativos. 

Este ano todos, os debates e trabalhos apresentados no EDUFOH foram baseados na temática central do evento “Perspectivas histórico-críticas para Formação e o Trabalho do Docente na educação Básica”. O evento promoveu um intercâmbio entre pesquisadores de instituições acadêmicas do País, profissionais da educação básica, graduandos e pós-graduados. Na oportunidade, docentes e discentes dos cursos de Pedagogia e História, do Campus Prof. Ariston Dias, em São Raimundo Nonato, contribuíram com as discussões apresentando trabalhos orais.

Segundo a professora Sandreanne Negreiros, o Encontro foi uma experiência enriquecedora para docentes e discentes tendo em vista as diversas possibilidades de contribuição e aprendizado com outros pesquisadores, a oportunidade de trocar experiências com profissionais de diferentes instituições e regiões, além de divulgar os resultados das pesquisas dos alunos da UESPI.

“Durante o evento, tivemos a oportunidade de fortalecer os laços entre a Universidade, outras instituições e grupos de pesquisa que compartilham da perspectiva teórico-formativa dos educadores na perspectiva da educação básica e das políticas educacionais que estão em vigência”, comenta a docente.

Alguns dos trabalhos apresentados no EDUFOH

Apresentando seu artigo “Práticas Educacionais com o Brincar Heurístico Na Educação Infantil em São Raimundo Nonato”, a estudante Samara Borges Aragão, discente do segundo período Pedagogia, conta que sua participação no evento contribui para sua formação, sendo uma experiência enriquecedora para seu futuro profissional.

“Foi um evento muito importante. Participamos de mesas redondas e oficinas temáticas sobre produção de projeto na prática, contribuindo de forma significativa no processo de elaboração de nossas pesquisas e trabalhos de conclusão de curso, apresentando uma noção de como começar. Também tivemos a oportunidade de elaborar e apresentar resumos expandidos, ao qual tivemos o incentivo dos professores, desta forma, o evento marca positivamente meu desenvolvimento educacional”, destaca a aluna.

A estudante, Samara Borges Aragão apresentou seu artigo “Práticas Educacionais com o Brincar Humorístico Na Educação Infantil em São Raimundo Nonato”

Apresentando sua pesquisa “O estudo da Psicologia da Educação na Formação dos Discentes do Curso de Pedagogia em São Raimundo Nonato”, a discente Evelin Pereira Damasceno participou pela primeira vez de um evento com foco na divulgação de pesquisas científicas. Para ela, a oportunidade representa um passo importante na sua carreira como pesquisadora e seu aprimoramento acadêmico.

“Foi uma experiência incrível, tendo em vista que nunca havia me imaginado que no primeiro período de Pedagogia já estaria apresentando trabalho orais em outra cidade. Durante o processo de produção e coleta de dados do trabalho, aprendi sobre diversos elementos que compõem as pesquisas e trabalhos científicos, desde a estruturação do corpo da pesquisa que era algo completamente novo até a preparação para a apresentação, tudo feito em colaboração com meu orientadores”, comenta a aluna.

A discente Evelin Pereira Damasceno, participou pela primeira vez de um evento de iniciação cientifica

A discente destaca ainda que ter participado deste evento e ter passado por todos os processos de construção e apresentação de sua pesquisa foi essencial  para seu desenvolvimento profissional, ela agora pretende continuar pesquisando.

Fazer pesquisa me abriu um olhar para um mundo totalmente desconhecido, que é o do pesquisador, me identifiquei bastante e tenho total incentivo dos meus docentes e profunda vontade de continuar e elaborar novos projetos em colaboração com meus orientadores e de autoria própria. Já ao que se diz respeito das contribuições para minha formação, acredito que estas realizações destacaram ainda mais minhas potencialidades como estudante, além de revigorar o meu foco acadêmico”, pontua a aluna.

Para Hélmika Rayanny Rocha, com a pesquisa intitulada “Desafios de Lecionar História no Ensino Básico”, é essencial para compreender a diversidade em sala de aula e o papel da família no âmbito escolar. Apresentando trabalho científico pela primeira vez, ela acredita que essa temática é importante para aperfeiçoar a atividade dos professores em sala de aula.

“Segundo os professores que conversarmos, temos dificuldades quanto a lidar com um sala de aula na qual todos têm um pensamento, uma crença e etc.. Isso é desafiador. Todavia, eles enxergam a importância de criar meios para que possam tornar a escola um lugar de acolhimento para que eles possam se expressar sem receios. No caso do papel da família, os educadores acreditam que a escola deve trabalhar juntamente com a família para que assim os alunos se envolvam/interessem mais nas questões escolares”, pontua a discente.

Outubro Rosa: CABIO promove evento informativo sobre câncer de mama

Por João Fernandes

Em alusão ao Outubro Rosa, mês dedicado à conscientização das mulheres sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, o Centro Acadêmico de Biologia – CABIO, promove, na próxima terça-feira, (31) de outubro, o evento “Outubro Rosa: Um olhar para a Saúde e Bem Estar”. A ação acontece a partir das 8h, no Auditório do NEAD.

O evento é gratuito e aberto à comunidade acadêmica. Os interessados podem se inscrever através do Formulário Eletrônico. Na oportunidade, professores e especialistas convidados irão debater temas essenciais para promoção da saúde, como, “fatores genéticos e o Câncer”; “reconhecendo o Câncer de Mama” e “experiências e vivências” com a professora Márcia Percília e convidados.

O discente Francisco Lima de Oliveira, presidente do CABIO, destaca a importância do encontro como uma forma de conscientizar a comunidade acadêmica sobre o câncer de mama e informar sobre serviços de diagnóstico e de tratamento disponível para a população, fatores de proteção, detecção precoce do câncer, além de contribuir para a redução da mortalidade com informações essenciais para comunidade.

“É importante debater que a batalha contra o câncer de mama é uma questão de saúde pública que afeta pessoas de todas as idades e classes sociais, incluindo estudantes universitários. Promover a conscientização sobre o câncer de mama desempenham um papel crucial na sensibilização das comunidades e na educação sobre a importância da detecção precoce, prevenção e tratamento adequado da doença”, destaca o discente.

O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização sobre o controle do câncer de mama e foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komem for the Cure.

Confira a programação

7:00h-8:00h: Credenciamento

8:00h-8:30h: Abertura com Alfredo César de Resende Paz – Mestrando PROFBIO/UESPI

8:30h-9:30h: PALESTRA 1: “Fatores genéticos e o câncer” Profa. Dra. Francielle Alline Martins.

9:30h-9:40h: Coffebreak

9:40h-11:10h: PALESTRA 2: “Reconhecendo o câncer de mama” Enf. Beatriz do Nascimento Sousa

11:10-12:00h: MESA REDONDA “Experiências e vivências” Profa. Dra. Márcia Percília e convidades

12:00h-12:30h: Encerramento

Sobre Câncer de mama

No Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama, em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Ainda de acordo com o instituto do câncer de mama, também ocupa a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no Brasil, com taxa de mortalidade ajustada por idade, pela população mundial, para 2019, de 14,23/100 mil. 

Melhorias UESPI: plano de reforma do Campus Dom José Vasquez Dias, em Bom Jesus

Por João Fernandes

Nesta quarta-feira (25), em uma reunião entre a Pró-reitora de Administração, Profa. Fabia Buenos Aires, e o Prof.  Gasparino Batista, Diretor do campus Dom José Vasquez Dias, em Bom Jesus, foram definidas as próximas etapas para o início das obras de reforma do campus. A obra já foi licitada e já está em fase de assinatura do contrato.

Também estiveram presentes na reunião, Eduardo Kilson Bezerra de Souza,  Representante da Construtora Prada Construções, empresa responsável pela execução da obra, e Suzy Clara Marinho, Chefe da Divisão de Arquitetura e Urbanismo do Departamento de Engenharia e Arquitetura da UESPI (DENG). Na oportunidade, eles detalharam como será o planejamento para realização da obra.

Contemplando as reformas das salas de aula, setores administrativos e espaços de convivência, além da Biblioteca e Laboratórios, que também passarão por intervenções. Segundo a Pró-Reitora, a obra está orçada em R$3.050.829,17 e com previsão de execução em no máximo 365 dias. O representante da construtora afirmou que até dezembro pretende estar com pelo menos 40% (quarenta por cento) da obra em andamento.

O professor Gasparino Batista, Diretor do campus, explica que as reformas darão mais conforto para a comunidade acadêmica e devem otimizar os espaços do Campus. A nossa Universidade está evoluindo a cada dia. Novos professores estão sendo contratados, novos alunos têm procurado ingressar na UESPI, por isso, essas melhorias estão sendo pensadas para termos um campus mais dinâmico, com mais aproveitamento dos seus espaços, fortalecendo o ensino, pesquisa e extensão. Todos os espaços terão intervenção de reformas profundas, então, vai mudar a cara a estrutura física do nosso Campus”, destaca o Diretor.

Profa. Fábia Buenos Aires, Pró-reitora de Administração, com o Diretor do campus de Bom Jesus, Prof. Gasparino Batista.

A Pró-Reitora de Administração, Profa. Fabia Buenos Aires,  destacou  a relevância da obra para consolidação do ensino no campus e as expectativas positivas em relação à execução e entrega da obra.

“O início da obra está previsto para a segunda quinzena de novembro e já nos traz uma impressão positiva sobre sua execução dentro do prazo estabelecido. Estaremos diligentes quanto à fiscalização e acompanhamento de cada etapa. A reforma contemplará todos os espaços físicos internos e externos trazendo modernidade e qualidade estrutural. Além da obra de Bom Jesus, há previsão do início da execução das Obras em Uruçuí, Picos, Floriano, Torquato Neto e Clóvis Moura, ainda este ano”, afirmou a professora.

Maquete 3D da Obra

UESPI na XX Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em São Raimundo Nonato

Por João Fernandes

Em parceria, a comunidade a acadêmica da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Ariston Dias Lima, em são Raimundo Nonato,  e o  Instituto Federal do Piauí,   participarão nos dias 25 a 27 de outubro da 20° Semana Nacional de Ciência e Tecnologia –  MUV Ciência em Movimento. O evento objetiva promover a divulgação científica e a popularização da Ciência. 

Além da UESPI, o evento pretende reunir e expor trabalhos de outras instituições de ensino superior, escolas de educação básica das redes estadual e municipal, além de atividades voltadas para a comunidade externa desenvolvidas com a participação de órgãos ligados ao Governo local.

Na programação, palestras, feiras, oficinas, exposição de banners, apresentação de trabalhos orais e culturais serão voltados a explanação da temática central do evento “Ciências Básicas para o Desenvolvimento Sustentável”. Os interessados em participar das oficinas e palestras podem se inscrever gratuitamente no site do evento, através deste Link.

Participação da UESPI na MUV – Ciências em Movimento

 

Apresentando a oficina “Explorando a Ecologia de Parasitas”, a aluna Ingrid Pereira de Souza, discente do 8° período do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, ressalta que a ação possibilitará um estudo das dinâmicas dos parasitas da saúde humana, animal e na conservação da biodiversidade. Abordando importantes pontos de relevância na saúde pública, no interesse científico, na conexão entre Ecologia e Saúde e, principalmente, na consciência educativa. A oficina acontece na próxima sexta-feira (27), a partir das 8h, na sala 7, no IFPI.

“Os participantes poderão ter uma visão aprofundada sobre como os parasitas interagem com seus hospedeiros e o ambiente. Isso possibilita a compreensão dos impactos ecológicos dos parasitas em ecossistemas naturais. Além disso, vamos entender como os parasitas afetam as populações dos hospedeiros, e como podem ajudar na tomada de decisões para a preservação de espécies ameaçadas”, destaca a aluna.

A discente espera que a feira seja um espaço para troca  de saberes e uma experiência enriquecedora para os participantes.  “Considero de suma importância mostrar a população os trabalhos e projetos que estão sendo desenvolvidos pelas instituições e universidades. Além disso,  é de grande importância mostrar e divulgar os projetos de iniciação científica, com oportunidades de aprendizado, interação e aplicação do conhecimento adquirido.

Já o aluno Gabriel Carvalho Soares, um dos ministrante da oficina, ele comenta que na oportunidade serão apresentadas  amostras de parasitas, como o Triatomíneo (Vetor da Doença de Chagas) e Flebotomíneos (Vetor da Leishmaniose) para os participantes analisarem e conseguirem observar melhor, em microscópio e lupas, as estruturas desses vetores. 

 “A oficina pode trazer vários benefícios para os participantes, pois eles podem aprender conceitos básicos sobre o parasitismo, conhecer os principais grupos que infectam humanos e animais,  incentivando-os a buscar um aprofundamento teórico sobre a temática. Também esperamos contribuir para a divulgação científica e a conscientização da sociedade sobre a importância dos parasitas e os desafios que eles representam para a saúde pública”, comenta o aluno.

A oficina também vai oferecer um material educativo, que será distribuído após o encerramento para que haja a conscientização e o cuidado necessário contra essas doenças. Todo o material foi cedido pela Fundação Oswaldo Cruz Piauí – FIOCRUZ por se tratar de uma  região endêmica para essas doenças parasitárias, como Leishmaniose e Doença de Chagas. 

Para conhecer a Biodiversidade da flora da Caatinga.

Também na Sexta-feira (27) de outubro, a Docente Janilde de Melo, professora de biologia e Diretora do Campus, também irá ministrar uma das oficinas da Feira de Ciência. Com a temática “Explorando a Taxonomia de plantas da Caatinga”, a professora fala sobre identificação, catalogação e usos de plantas medicinais amplamente utilizadas na microrregião da Serra da Capivara.  A oficina acontece presencialmente, a partir da 8h, no laboratório de Biologia do IFPI.

Segundo a Professora, a feira Ciência e Tecnologia e Inovação é uma oportunidade única para que estudantes, professores, pesquisadores e membros da comunidade se conectem, compartilhem conhecimentos e ideias. 

Esse evento é muito importante para expor os cursos da UESPI e  despertar em todos os alunos a curiosidade para temas voltados para Ciências e Tecnologia. Assim como trazer a esses alunos uma maior expectativa de pesquisa e extensão dentro da Universidade”, destaca a professora.

Curso de Turismo da UESPI completa 20 anos de existência

Por João Fernandes

O Curso de Turismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) comemora duas décadas de existência e consolidação de  jornadas de descobertas. Para celebrar essa marca, na manhã desta terça-feira (17), docentes, discentes e egressos se reuniram para debater sobre novas tendências e atualizações que o setor tem a desenvolver.

Na ocasião, a comunidade acadêmica do Curso teve a oportunidade de debater com os convidados temas como  “Expectativas e  Perspectivas Sobre a Formação e Atuação do Turismólogo”; “A Importância do curso de Turismo da UESPI para o Desenvolvimento do Turismo Local” e ainda conversar com a Prof. Dr. Graça Targino, autora do livro “Embarques e Desembarques”, a obra narra as experiências da professora em diversos países.

O único curso de Turismo, presencial, em Teresina, hoje, conta com 152 discentes matriculados. Ao longo dos últimos 20 anos, o Curso tem deixado uma marca permanente em seus alunos. Tendo em vista que os graduandos não apenas se tornaram especialistas em destinos e gestão turística, mas também contribuem para o desenvolvimento do turismo local.

A professora Angélica Learth, Coordenadora do Curso, leciona aulas desde 2003 como substituta e efetivamente desde 2012, conta que é “ gratificante testemunhar a formação de novos profissionais cada vez mais capacitados para atuar nesse setor”. A professora lembra que o curso de turismo da UESPI tem formado profissionais que hoje atuam em diversos lugares do Mundo, trabalhando em diferentes funções.

“Me sinto muito feliz em ver o progresso do nosso curso e da própria Universidade em ‘exportar’ profissionais preparados para lidar com esse mercado, que evolui a cada dia. Levando em consideração que nosso Estado tem um grande potencial turístico, a gente começa a perceber que as autoridades e a sociedade geral estão sentindo a importância do profissional do turismo em setores como planejamento e gestão”.

A demanda por profissionais de turismo continua a crescer e os estudantes formados na UESPI estão prontos para enfrentar os desafios e oportunidades que o setor oferece. Essa é a perspectiva compartilhada pela egressa Stella Maria de Carvalho, hoje, atuando como professora no Instituto Federal do Piauí –  IFPI,. Ela lembra que o curso já está consolidado entre diferentes áreas profissionais.

“O curso de Bacharelado em Turismo é um curso considerado recente comparado com as demais áreas do conhecimento, completou recentemente 50 anos. Então, essa evolução é contínua, ela é necessária para transformar a teoria de turismo como uma ciência cada vez mais forte, com pesquisa, ensino e extensão. Fatores que contribuem para que nossos futuros egressos tenham empregabilidade garantida no futuro”, destaca a egressa.

 

Muitos discentes escolheram o curso por sua paixão por viajar, explorar novas culturas e desvendar novas perspectivas do mundo. Perguntamos para alguns deles quais motivações os fizeram trilhar o caminho do turismo e o impacto que essa decisão teve em suas vidas.

Uma escolha de paixão

Para Larissa dos Santos Fernandes, discente do 7° período, fazer turismo é ter a oportunidade de explorar novas culturas e desvendar diferentes perspectivas do mundo.

“Sempre tive essa paixão muito grande por viagens e cultura. Sempre gostei de estudar outros lugares, outros idiomas e outras sociedades, saber o que elas costumam fazer de diferente, o que elas costumam comer de diferente. Então esse universo das viagens, culturais e perspectivas diferentes sobre cada lugar do mundo sempre chamou a minha atenção”, pontua a aluna.

O encanto pelo Turismo local

Além de viagens e experiências em diversos lugares do mundo, a aluna Marina Alves, discente do 5° período, enxerga o curso de turismo como uma oportunidade para construir uma jornada repleta de novos conhecimentos.

“Eu escolhi o curso de Turismo por ser uma área que vai me oferecer uma visão abrangente sobre diferentes contextos sociais. Ao falar em turismólogos as vezes somos lembrados como profissionais especializados em viagens, mais que isto somos agentes capazes de lidar com pessoas, conversar e interagir de forma geral. Logo  podemos aprender muito a partir de nossas relações humanas”, pontua a aluna.

O futuro no Turismo 

Bianca Valéria, discente do 5° período, conta que escolheu a graduação em Turismo como uma decisão natural, pois, sempre foi motivada a entender o mundo, ela conta que está entusiasmada com seu futuro nesta área. 

“Escolhi o turismo como uma forma de entender diferentes culturas e idiomas. Hoje, enxergo o Curso como uma graduação multidisciplinar, já que estudamos um pouco de economia, Meio Ambiente, Contabilidade, Direito e Administração. Diferentes áreas e perspectivas para entender o Mundo, o Turismo, e nos relacionar bem em qualquer situação ou local”, destaca a aluna

20 anos do Curso de Turismo da UESPI: alunos e professores participam de solenidade na ALEPI

Por João Fernandes

O dia 27 de setembro foi instituído, em 1980, pela Organização Mundial do Turismo – OMT, como o dia Mundial do Turismo e do turismólogo e, em alusão a essa data, aconteceu, nesta segunda-feira (16), uma sessão solene na Assembleia Legislativa do Piauí (ALEPI) para homenagear profissionais e entidades que atuam nesse setor. 

Foram convidados para a homenagem todas as entidades representativas do setor do turismo no Piauí, bem como alunos e professores que compõem a comunidade acadêmica do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

 

Presente na solenidade a professora Angélica Learth, Coordenadora do Curso, e ela ressaltou que a solenidade promove a consciência nas sociedades para a importância da atividade turística, de seus valores sociais, culturais, políticos e econômicos.

“A sessão, além de nos homenagear, dá mais visibilidade às ações do nosso Curso, o compromisso da nossa universidade em formar novos profissionais para este setor. Além disso, dá mais visibilidade para estes profissionais e mostra para a comunidade, para os gestores públicos, a importância do turismólogo na gestão pública dos municípios turísticos”, destaca a professora.

20 anos do Curso de Turismo

O Curso de Turismo da UESPI é o único presencial em Teresina. Essa semana está completando 20 anos de existência. Para celebrar essa marca, uma série de eventos acontecem no Campus Poeta Torquato.

A Semana de comemoração dos 20 anos do Curso acontece entre os dias 17 e 18 de outubro, no Auditório do Geratec e pretende reunir discentes, docentes, egressos e profissionais da área para debater sobre questões ligadas às atualizações desse setor.  

No dia 17, estão programadas palestras e rodas de conversa ministradas por professores e profissionais convidados, que abordarão temas como “Embarques e Desembarques”, com a Prof. Dra. e escritora Graça Targino; “Expectativas e  Perspectivas Sobre a Formação e Atuação do Turismólogo”; “A Importância do curso de Turismo da UESPI para o Desenvolvimento do Turismo Local”, ministrada pela  prof. Msc. Ana Angélica Fonseca.

No mesmo dia, a partir das 14h, acontece no Espaço de Convivência do CCSA, o primeiro Forró Tur, com oficinas de forró e dança popular. Essa ação tem como objetivo exaltar nossas tradições.

Já no dia 18 de outubro, acontece a I Gincana de Integração do CCSA, organizada pelos alunos do Curso de Turismo. A ação pretende reunir toda a comunidade acadêmica do Centro para competições como queimada, passa ou repassa, corrida de obstáculos e arrecadação de alimentos.

A professora Sarany Fernandes, uma das organizadoras do evento,  destaca que a ação ressalta a visão de futuro da própria UESPI em perceber a relevância e importância do profissional de Turismo para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas à atividade.

“A nossa expectativa é que os alunos e o público em geral participem de forma ativa para que eles possam compreender a importância do turismo, não só para a economia, como também um elemento essencial para o bem estar social. Destacando o turismo como um fenômeno social, nosso público irá perceber sua importância, para além da esfera profissional, do bacharel em turismo na contribuição para essa atividade”, destaca a professora.

De olho em tendências do setor agropecuário: IV Semana de Agronomia será realizada em Uruçuí

Em parceria com o Instituto Federal do Piauí – Campus de Uruçuí, o corpo acadêmico do Curso de Agronomia,  da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Cerrado do Alto Parnaíba, promove, entre os dias 24 e 27 de outubro, a IV Edição da Semana de Agronomia. Os interessados em participar já podem se inscrever através do Formulário Eletrônico, disponível no site do evento.

Em 2023, a Semana de Agronomia pretende reunir docentes, discentes, egressos e profissionais da área para debater sobre questões ligadas às inovações no Setor agropecuário. Com a temática “O perfil Profissional e os Desafios para as Transformações no Campo”, os participantes poderão refletir sobre as mudanças e transformações que vêm alterando o cenário agrícola brasileiro.

Na programação, palestras e minicursos ministrados por professores e pesquisadores da Embrapa Meio-Norte abordarão temas como “O papel da Universidade na Formação Profissional”; “Mercado de Trabalho: desafios e Oportunidades”; “Avanços Tecnológicos e Inovação na Fruticultura Irrigada no Estado do Piauí”; além de “Tecnologias para Cultivo de Cajazeiras”.

Segundo o Professor João Filho, um dos organizadores do evento, as discussões são muito importantes, tendo em vista os avanços significativos da pesquisa, as rupturas nas tradições, nas formas de expressão e nas relações humanas no campo. 

“Queremos mostrar para os nossos discentes o profissional que é exigido para trabalhar dentro das unidades produtivas já instaladas em Uruçuí.  Entendendo o que é preciso para esses profissionais se modernizarem. Nossa região tem sido bastante propensa para o crescimento da agropecuária, logo, através deste evento a gente quer mostrar para os alunos a importância de entender as tendências para atuar no mercado de Trabalho, que está em constante crescimento”, pontua o professor.

O evento possui um site, com espaço de inscrição, programação e esclarecimento de dúvidas. Confira

Discentes do Curso de Licenciatura em Geografia da UESPI realizam feira com alunos do Liceu Piauiense

Por João Fernandes

Alunos de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, realizaram na manhã desta quarta-feira (11), uma atividade pedagógica com alunos do Colégio Estadual Zacarias de Góis – Liceu Piauiense. Na oportunidade, discentes do Curso atuaram como supervisores da ExpoGeo, uma feira voltada para o ensino de Geografia da Instituição de Ensino.

A ExpoGeo é uma anualmente no Liceu Piauiense e em 2023, a feira foi organizada pelos alunos do colégio acompanhados por discentes do Programa de Residência Pedagógica (PRP), envolvendo toda a comunidade escolar.

Na oportunidade, os alunos foram estimulados a criarem maquetes ilustrativas do Sistema Solar e a apresentar seminários explicativos sobre conhecimentos geográficos, tudo feito em colaboração com os discentes do PRP sob orientação da professora Clemilda Bandeira. Durante a exposição dos trabalhos, alunos, professores e convidados de outras instituições de ensino  prestigiaram as apresentações.

Aprendizado na Prática 

Ketlen Aguiar, discente do 8° período do curso de geografia, pontua que foi muito gratificante a experiência de campo, já que estimula os alunos a saírem da rotina de um ambiente fechado da sala de aula.  Além de ser uma oportunidade para aperfeiçoar suas habilidades para além dos estágios e da graduação. 

“É muito importante essa parceria entre a Residência Pedagógica da UESPI e a a disciplina de Geografia do Colégio Liceu para realizar essa ação, pois os alunos jovens trazem criatividade e bagagem de novos conhecimentos. Dessa forma, juntos com os professores, conseguem fazer um trabalho excepcional, tornando o aluno protagonista de suas próprias experiências. Além disso, essa ação ajuda a saímos da Universidade com uma segurança maior para a nossa atuação profissional”, comenta a discente.

Para a professora Clemilda Bandeira, preceptora da Residência Pedagógica no Liceu Piauiense, a interação com os residentes é uma oportunidade de troca de conhecimento. A docente ressalta o compromisso do programa em estimular o aperfeiçoamento e desenvolvimento da formação prática dos acadêmicos do curso de Licenciatura.

É uma parceria que ambas as instituições ganham. Juntos, alunos do Liceu Piauiense e discentes que compõem a Residência Pedagógica da UESPI, fortalecem o ensino da Geografia. A colaboração deles foi essencial para o resultado positivo desta Feira. Ademais, com este apoio,  nossos alunos se sentem mais motivados e  seguros para  expor os resultados de seus trabalhos, obtendo um aprendizado dinâmico e interativo”, contou a professora.

Para Valdenilson Carvalho, discente do 8° período do curso de Geografia, é muito importante vivenciar e acompanhar o cotidiano dos professores e conhecer de perto a prática pedagógica. Para ele, projetos como a ExpoGeo são essenciais para  vivenciar e aprender de forma funcional a execução de projetos de Geografia.

“É de grande importância para minha formação. Tendo em vista que a colaboração com a Residência Pedagógica é importante pois beneficia tanto a formação dos futuros professores em formação quanto a experiência prática dos alunos, permitindo que eles vejam na prática como os assuntos de geografia são aplicados. Isso torna o aprendizado mais significativo e enriquecedor para todos os envolvidos”, conclui o discente.