Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Conecta ENADE: Floriano e Parnaíba recebem visitas da equipe técnica

Membros da equipe do Programa Conecta ENADE, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), estiveram nos campi de Floriano e Parnaíba apresentando o Programa aos Coordenadores, Docentes e discentes dos cursos selecionados a realizarem o Exame, em novembro.

Visitas realizadas em Floriano (imagem de cima), e em Parnaíba (imagem de baixo)

O Conecta ENADE é um projeto permanente proposto pela Administração Superior com o objetivo de preparar a comunidade uespiana para o Enade e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). O programa foi lançado no último dia 29 de setembro para que toda a comunidade, em especial, os discentes possam estar informados sobre as provas do Enade, que irão ser realizadas no dia 27 de novembro para os estudantes dos cursos de bacharelado de Direito, Administração, Ciências Contábeis, Jornalismo, Turismo e Psicologia.

O cronograma de visitas presenciais nos campi que ofertam os curso que farão o Enade começou no dia 04 e seguem até o dia 15 de outubro.

CONHEÇA A EQUIPE DO PROGRAMA

Campus Floriano:

No Campus Dra. Josefina Demes em Floriano, as atividades foram realizadas nos turnos da tarde e da noite, com direito a reunião com Professores e Coordenadores dos cursos do ciclo e oficinas com professores e alunos dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Direito.

As visitas foram lideradas pelo Prof. Tales Antão, membro da Comissão Técnica do ENADE e diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), além da Prof. Lília Brito da Silva, membro da equipe de Língua Portuguesa, e professora de Letras/Português do campus de Picos.

Com camisas brancas personalizadas do Programa o Prof. Tales Antão e a Prof. Lília Brito

Além disso, o Programa também promoveu duas oficinas interligadas direcionadas aos professores e alunos, sendo uma delas uma oficina sobre o Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior (SINAES), no qual o ENADE está inserido e a Oficina de Língua Portuguesa e Formação Geral e Estrutuação da prova, com os tipos de questões e os distratores para os alunos.

Durante o encontro, o Prof. Joaes Mota, do curso de Ciências Contábeis fez uma avalição sobre a iniciativa promovida pela UESPI. “Acho que é de grande valia essa iniciativa, justamente por estar preparando os alunos que estarão prestando o Enade que é de fundamental importância tanto para o curso, como para a instituição no contexto geral”.

Prof. Lídia Brito durante palestra em sala de aula

Leia Assunção, aluna concluinte do curso de Ciências Contábeis que vai realizar o Exame no ano de 2022 comenta sobre a importância do ENADE para os alunos. “É de grande importância para de certa forma avaliar o curso, apesar de tudo o que passamos durante esse processo de pandemia, mas para provar mais uma vez que a educação e o curso de Contábeis na UESPI é muito bem colocado, passado e muito bem aproveitado para os alunos”, finaliza a discente.

Campus Parnaíba

No Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira em Parnaíba, as atividades foram realizadas no turno da noite, com direito a reunião com a direção, coordenadores e professores do curso de Direito, além de oficinas realizadas junto ao corpo docente e discente.

Prof. Márcia Edilene palestrando para os alunos

Segundo a Prof. Dra. Mônica Gentil, Pró-Reitora Adjunta de Ensino e Graduação (PREG) e membro da equipe técnica do Programa o encontro foi um espetáculo e destacou a participação do Prof. Eyder, Diretor do Campus e da Profa. Maria da Graça, coordenadora do Curso de Direito.

“Após a conversa com os professores de Direito, nos reunimos com os alunos para apresentarmos o Programa e discutirmos a estrutura da prova e as estratégias de leitura e escrita”.

Prof. Mônica Gentil reunida com professores

 

“O Programa Conecta Enade foi recebido, pelo curso de Direito de Parnaíba, como uma proposta essencial ao Enade -UESPI, principalmente porque objetiva ser contínuo e institucional.
Outro valor atribuído ao Programa foi a inclusão de professores-colaboradores dos Campis da UESPI.

Enfermagem UESPI: Egresso desenvolve Boletim Informativo em Parceria com o Hospital Tibério Nunes

Por Vitor Gaspar

Juan Victor, egresso do curso de Enfermagem e Maria Luzinete Rodrigues da Silva, Coordenadora do Curso de Bacharelado em Enfermagem da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Josefina Demes em Floriano, participaram da construção do Primeiro Boletim Informativo do Núcleo de Segurança do Paciente do Hospital Regional Tibério Nunes.

Durante o estágio supervisionado no 9º bloco, a Coordenação iniciou o projeto sugerido pelas coordenações da qualidade e núcleo de segurança, junto a criação do QR Code em virtude do hospital ter dificuldades de registrar fisicamente os indicadores da qualidade e segurança do paciente. Dessa modo, o aluno se propôs em criar uma nova estratégia para monitorar as notificações importantes, como pré-teste e avaliação dessa nova ferramenta estando supervisionados pela coordenação.

O Boletim Informativo apresenta o perfil das notificações dos eventos adversos recebidos pelo Núcleo do Hospital, neste ano de 2022 e tem como objetivo divulgar os indicadores e identificar possibilidades de melhorias para agregar maior qualidade e segurança na assistência ao paciente.

Segundo, Adriana Barros, Coordenadora do Núcleo de Qualidade do Hospital, no início deste ano foi realizado a implantação do novo formato de notificação de eventos, incidentes e queixas técnicas. O novo formulário deixou de ser via manuscrita e passou a contar com uma versão eletrônica de acesso via QR Code disponibilizado nos murais de cada setor, resultado que segundo ela, foi possível graças a parceria o com Curso de enfermagem da UESPI em Floriano.

“Parabenizamos o idealizador do QR Code, o nosso egresso do Curso de Enfermagem Juan Victor, a coordenadora do Curso de Enfermagem Maria Luzinete pela receptividade, a coordenadora do NSP Mohema Duarte e a equipe por todo esforço e dedicação. Estamos muito felizes com essa parceria”.

A criação do QR Code possibilitou a adesão dos profissionais a notificarem eventos que acontecem dentro do hospital e interferem na qualidade e segurança do paciente.

Para a coordenadora do curso de Enfermagem da UESPI, em Floriano, Maria Luzinete da Silva, o uso do QRCODE é anônimo e prático, gerando maior confiabilidade ao profissional, por não criar estigmas relacionados a notificação, além de aproximar os setores assistência do núcleo de segurança.

“O boletim informativo visou a ampla divulgação do que é notificado e os profissionais terem a noção de quais eventos mais acontecem e quais medidas são implementadas para a sua extinção ou diminuição. Aproxima a atual gestão no sentido de melhorar a comunicação e divulgação de ações e projetos”.

No começo de 2022 o NSP (Núcleo de Segurança do Paciente) do Hospital Regional Tibério Nunes realizou a implantação do novo formato de notificação de eventos, incidentes e queixas técnicas. O novo formulário deixou de ser via manuscrita e passou a contar com uma versão eletrônica de acesso via QR Code, que foi disponibilizado nos murais de cada setor.

Segundo Juan Victor, esse resultado foi fruto da parceria do Hospital com o Curso de Enfermagem da UESPI-Floriano. Ele destaca que organizou um e-formulário, conforme orientações das profissionais do hospital, que pode ser acessado por meio de um Código QR, fator facilitador para a notificação por parte dos profissionais.

“A própria plataforma do formulário eletrônico já exportava os dados estatísticos em planilhas e gráficos, que serviram para construção do boletim informativo do Núcleo, contribuindo, assim, para a melhoria da assistência aos pacientes. O Boletim Informativo apresenta o perfil das notificações dos eventos adversos recebidos pelo NSP/HRTN neste ano de 2022”.

Juan Victor, idealizador do QR Code

Bacharelado em Enfermagem

O Enfermeiro atua na rede básica de serviços de saúde; em escolas e creches; em empresas; em hospitais gerais e especializados; em clínicas e ambulatórios; em órgãos de gestão, financiamento e 39 supervisão de saúde; poderá, ainda, atuar no atendimento em domicílio; em casas de parto; em consultórios de enfermagem. Também pode atuar, de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria, conforme os Referenciais Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação/Secretaria de Educação Superior.

Alunos de Educação Física estreiam produção artística dentro do II Congresso: FORMA

Por Vitor Manoel

A turma de Metodologia do Ensino da Dança do curso de Licenciatura em Educação Física da UESPI, campus Josefina Demes em Floriano estreia com a produção artística em dança “Caretas Brincantes”, com apresentação marcada para hoje(22) a partir de 12h, dentro do II Congresso Forma com transmissão no canal UespiOficial no Youtube. 

Caracterização artística dos reisados piauienses

O objetivo da realização do Congresso FORMA, projeto de extensão coordenado pelos professores Kácio Santos e Ireno Júnior é celebrar a dança no Estado do Piauí e refletir sobre sua reverberação com outros locais e em diferentes contextos. A intenção da proposta é afirmar a produção formativa, performativa e ativista da dança no Piauí.

Pensando nisso, a apresentação do grupo Caretas Brincantes, segundo o professor da disciplina consiste em uma vídeo-dança marcada pelas múltiplas possibilidades coreográficas que podem ser trabalhadas no âmbito escolar. Deste modo, Caretas Brincantes se propõe a ser um vídeo de dança com elementos cênicos do corpo com seus entrelaçamentos regionais.

Grupo reunido ensaiando para a apresentação

“Este trabalho enuncia experiências vivenciadas pelos intérpretes criadores discentes no componente curricular, Metodologia do Ensino da Dança, do curso, enfatizando, no corpo, as manifestações de uma cultura regional e popular, bem como pela produção de máscaras que simbolizam os caretas do Reisado piauiense como potência criativa e educativa para a escola”, encerra.

Para a aluna Maria Laiele Nunes, aluna do 5° Bloco do curso e participante do evento, participar da construção dessa produção artística “Caretas Brincantes”, foi como descobrir um novo conceito de dança da nossa cultura popular regional. Segundo ela, vivenciar uma cultura que não tinha conhecimento e também outros movimentos que expressavam essa cultura foi bem marcante durante todo o processo.

“Desde o início, na produção das máscaras, no aprender de cada passo da coreografia, que em alguns momentos foram espontâneos e ao mesmo tempo a gente buscava não fugir do objetivo que era retratar o que queríamos abordar, até o fim. Quando vimos o resultado de todo esforço em grupo e do professor Ireno Junior, que nos deu todo o suporte necessário pra ter sucesso na nossa apresentação”.

A discente Priscyla Rodrigues, do 5º Bloco, destaca que o uso da máscara, serve justamente para destacar cultura regional e popular do Reisado. “Tivemos a ideia, justamente porque muitos dos alunos não tiveram essa vivência e o contato com essas características, por isso queremos dar ênfase na nossa cultura popular”, finaliza.

Exposição Internacional “Aprendendo com Anne Frank” entre os dias 20 e 24 de junho

Por Vitor Manoel

O curso de Licenciatura em História da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Dra. Josefina Demes em Floriano, promove a Exposição Internacional: “aprendendo com Anne Frank – Histórias que ensinam valores” entre os dias 20 e 24 de junho.

A exposição é uma iniciativa da Casa Anne Frank de Amsterdam, do Instituto Plataforma Brasil de São Paulo e do Projeto Anne Frank Presente de Teresina-PI e será composta de 03 (três) painéis que apresentam fatos importantes da vida de Anne Frank. O acervo também é composto por réplicas do diário e do anexo secreto, onde ela viveu durante dois anos, 01 (um) óculos de realidade virtual para visualizar os compartimentos da casa, cartelas de racionamento de alimentos originais do período da Segunda Guerra Mundial, fardamento do exército holandês, uma estrela judaica holandesa autêntica, livros e catálogos que contam a  história de Anne Frank e de sua família.

Será organizada para os alunos do curso de Licenciatura em História da UESPI, uma formação como monitores da exposição com direito a certificação no final, com atuação na exposição durante todo o evento. A monitoria é parte de uma série de atividades educativas relacionadas ao tema proposto pelo Projeto Anne Frank Presente, de acordo com a demanda de cada instituição visitada com a exposição. O professor proponente da ação Gisvaldo Oliveira, do curso de história da UESPI de Floriano comenta que a exposição vai destacar a trajetória e a perseguição nazista feita na segunda guerra mundial relatada pela judia Anne Frank.

Programação:

Dia 20 de junho

7h30 – saída para a cidade de Floriano

13h – Montagem da exposição

17h – Formação dos monitores

 

Dia 21 de junho

8h – Palestra de abertura da exposição com o professor Randal Vieira

Temática: Anne Frank: uma vida perseguida ontem, uma história para hoje.

9h – Abertura da exposição

 

Dias 22, 23 e 24 – Visitação

Obs: no correspondente dia 24 (sexta-feira), último dia da exposição na cidade de Floriano, a mesma vai encerrar ao meio-dia.

 

 

 

Turmas do curso de Letras, campus de Floriano, foram recepcionados com sorteio de livros em sala de aula

18 de abril de 2022. Essa data foi comemorada, porque significa o retorno 100% presencial das atividades de ensino na Universidade Estadual do Piauí (UESPI). No campus de Floriano, Josefina Demes, a comemoração em sala de aula do curso de letras foi realizado com o sorteio de 10 livros entre os alunos.

Coordenador Rubens acredita que o retorno presencial precisa ser incentivado para que as atividades de ensino voltem ao seu ritmo dentro da UESPI

Os livros foram levados pelo Coordenador do curso, Professor Rubens Lacerda, e pelo Professor Daniel Ciarlini, e foram sorteados nas turmas de Leitura: teorias e práticas e Literatura afro-brasileira e indígena; Teoria Literária II, Literatura portuguesa II e Literatura Piauiense.
“Considero importante essa forma de recepção aos nossos alunos. Acredito que incentivamos um pouco mais a vinda dos alunos à Universidade, visto que as atividades de ensino ficaram por mais de um ano ocorrendo de forma remota”, destacou o Coordenador.
Para o Coordenador, é relevante que cada docente, cada coordenador, cada membro da UESPI incentive o retorno presencial de forma tranquila, “pois é através dessa modalidade de ensino que conseguiremos um melhor aproveitamento das nossas atividades, proporcionando um ensino-aprendizagem de melhor qualidade”, finalizou.

Campus de Floriano: Professor da Uespi oferta 2° edição de curso básico de programação gratuito

Por Arnaldo Alves

Atenção, comunidade acadêmica. O professor Danilo Borges, do curso Ciências da Computação da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Floriano, realiza a 2° edição do curso “Programação para Todos: do zero ao básico”, de forma online, a partir da próxima segunda-feira (14).

Ao todo estão sendo disponibilizadas 65 vagas. Os selecionados vão aprender a elaborar soluções utilizando lógica de programação, transformar problemas reais em programas de computador, além de desenvolver programas usando o navegador web.

O objetivo do curso é aprender a programar utilizando linguagem de programação javascript do ZERO ao básico que todo programador deve saber. As aulas vão até o dia 25 de fevereiro, de segunda a sexta (18h42 às 19h42), com um total de 10 encontros.

 

De acordo com o docente responsável pela ação, Danilo Borges, o projeto é direcionado a pessoas leigas em programação. Pessoas maiores de 18 anos, que tenham no mínimo o ensino médio incompleto, e o principal: queiram aprender a programar.

“Entender de programação nos dias de hoje está se tornando cada vez mais uma necessidade. Atualmente, programação já está sendo apresentada nas escolas como uma matéria onde o aluno poderá desenvolver melhor a lógica matemática – uma forma de desenvolver soluções para problemas do dia a dia e problemas mais complexos. Este curso vem a possibilitar que toda a comunidade entenda de lógica computacional aplicada na programação para solução de problemas básicos utilizando ferramentas online”, explica.

Inscrições

As inscrições começam nesta quarta-feira (09) e seguem até o dia 11 de fevereiro, através de preenchimento de formulário no site do evento.

O Programação para Todos do ZERO ao Básico é gratuito e oferece certificado de 40h.

#UESPI35ANOS: “Somos mais que uma universidade, somos uma família”, diz aluno sobre estudar na UESPI

Por Arnaldo Alves

Com mais de 18 mil alunos, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) completa 35 anos nesta quarta-feira (28). Através do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, esses discentes estão transformando suas vidas e de muitas pessoas por meio de 29 cursos ofertados em 12 campi.

Qualidade no ensino

Natural de Tocantins, a estudante Daniela Andrisia, atualmente no 10° período, conta que um dos fatores que o levaram a escolher a instituição, foi sempre ter ouvido falar muito bem do curso de Odontologia da UESPI em Parnaíba.

Evento Sorriso vai à Praça |foto tirada antes da pandemia

Evento Sorriso vai à Praça |foto tirada antes da pandemia

“Além de uma universidade, encontrei uma segunda casa e família. Na UESPI temos excelentes professores. Sem dúvidas foi a melhor escolha que fiz. Sou extremamente grata a UESPI por minha trajetória na Faculdade de Odontologia no Piauí (FACOE/UESPI). Aqui temos a oportunidade de participar de vários projetos de extensão como o UESPI ODONTO, Prevenção de Câncer de Boca e Prevenção de Candidíase, participar dessas ações ressignificou muitas áreas da minha vida e aumentou meu amor pelo curso”, aponta.

Proximidade e afeto

Vinícius Coutinho, estudante do curso de Jornalismo do campus de Picos, escolheu a UESPI por ser a mais próxima de sua cidade natal (Patos do Piauí) e por ter laços de afeto com a instituição – sua mãe é formada na UESPI.

Apresentação de um dos artigos publicados

Apresentação de um dos artigos publicados

Atualmente no 6° período, o discente possui 12 artigos publicados, diversas participações em eventos nacionais e projetos da UESPI, além de passagens como estagiário em rádio, Ongs e agência de marketing.

“Inicialmente eu não teria condições de ingressar no ensino privado e também seria complicado ir para um lugar muito distante. A UESPI me trouxe a possibilidade de estudar mais perto de casa o curso que queria e também abriu as portas para várias oportunidades. Hoje trabalho no setor público e continuo realizando minhas atividades acadêmicas de ensino e pesquisa, defendendo que a UESPI esteja cada vez presente no Estado”, relata.

Vinícius no campus Prof. Barros Araújo | foto tirada antes da pandemia

Vinícius no campus Prof. Barros Araújo 

Humanização

A humanização dos egressos da UESPI foi um ponto observado por Juan Victor da Silva antes de ingressar no curso de Enfermagem do campus de Floriano. Segundo ele, essa característica foi fundamental para sua escolha.

“Estou no bloco IX do bacharelado em Enfermagem da UESPI. Tenho muita segurança em dizer que a graduação em Enfermagem mudou a minha vida para melhor. Ensinou-me a olhar o mundo de uma forma mais humana, educou-me para encarar um mundo de incertezas, mas sempre com empoderamento. A graduação de Enfermagem me proporciona momentos incríveis, de muitos aprendizados, de muitas causas e conquistas. De fato, hoje posso dizer que o impacto da graduação em Enfermagem, por meio da UESPI, foi positivo e que minha devoção como profissional honrará essa profissão e a instituição que proporcionou essa conquista”, agradece.

Juan (de óculos) e colegas de estágio | foto tirada antes da pandemia

Juan (de óculos sem a pasta) e colegas de estágio | foto tirada antes da pandemia

Realização profissional

Com premiações e dois livros produzidos, Felipe Oliveira, acadêmico de Administração do campus Poeta Torquato Neto (Teresina), faz parte de um seleto grupo de pesquisadores da área de gamificação no Piauí.

“Estudar na UESPI para mim é mais que um sonho, é a possibilidade de realizar o que eu almejo profissionalmente. Ingressei na universidade em 2018.1, fiquei muito animado com tudo que eu estava conhecendo, eu me sinto muito acolhido por todos os professores, técnicos, profissionais e colegas da UESPI. Somos mais que uma universidade, somos uma família. Gostaria de parabenizar a UESPI por mais um aniversário, que ela possa impactar ainda mais pessoas”, salienta.

Felipe com a camisa do curso de Administração da UESPI

Felipe é pesquisador de Gamificação e representa a UESPI em diversos eventos

Experiências pessoais

A estudante Valtécia Marques, do campus de Corrente, caminha para finalização do seu segundo curso na UESPI, tendo produzido atividades, ações e pesquisas nos programas do PIBEU, PIBID e Residência Pedagógica.

“A UESPI faz parte da minha vida não apenas no sentindo de formação profissional, mas no meu crescimento como pessoa, e na minha evolução como ser humano. Lugar onde tenho adquirido grandes experiências, de aprendizado, formação, e onde tenho conhecido pessoas magníficas, colegas, professores e amigos. Sou formada em Engenharia Agronômica e me encontrei como profissional na Pedagogia. Dentro do curso ampliei meus horizontes e toda a minha visão a respeito do mundo que me rodeia”, disse.

Ação realizada em uma escola de Corrente

Ação realizada em uma escola de Corrente |foto tirada antes da pandemia

Logísticas e qualidade do curso

No último período do licenciatura, o discente Igo dos Santos Reis, atua no Laboratório de História do campus Ariston Dias Lima, de São Raimundo Nonato. Para ele, logística e qualidade do curso foram determinantes para o seu desenvolvimento na licenciatura.

“A minha trajetória na UESPI foi riquíssima, o conhecimento construído ao longo desses anos é para toda uma vida. Os diálogos com professores, colegas, as produções acadêmicas, tudo isso gera um impacto extremamente positivo para mim enquanto futuro mediador do conhecimento no ambiente escolar”, acrescenta.

Igor (camisa polo) com colegas de curso durante o evento UESPI Negra

Igor (camisa polo) com colegas de curso durante o evento UESPI Negra|foto tirada antes da pandemia

Com 35 anos de existência, esse são exemplos de estudantes que escolheram a UESPI para fazer parte da sua trajetória acadêmica e de vida. Eles fazem parte de uma instituição com maior capilaridade do Piauí e que acredita o capital humano como maior transformador da educação pública no Brasil.