Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Campus de Uruçuí: Discentes de Engenharia Agronômica apresentam trabalhos referente ao Dia mundial do solo

Por Giovana Andrade

O evento “O dia mundial do solo” aconteceu na manha de segunda-feira (05) no Campus Cerrado do Alto Parnaíba, em Uruçuí, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Na oportunidade, os discentes de Engenharia Agronômica apresentaram seus trabalhos sobre: erosão hídrica, erosão eólica, formação e tipos de solo, infiltração de água no solo e visitação e apresentação dos nossos laboratórios (Química, sementes e entomologia).

Discentes de engenharia agronômica do 9° período juntamente com o professor Francisco Leonardo.

As atividades foram organizadas por discentes do nono período do curso. O coordenador e professor de Engenharia Agronômica, Francisco Leonardo, explica que o intuito da ação é estreitar os laços entre universidade e sociedade. “O objetivo da ação foi abrir a universidade para que alunos da rede pública de ensino conheçam o curso de engenharia agronômica e apresentar a importância da conservação do solo não só na agricultura mais em todos os aspectos”.

Wesley Lima, discente do 9° período de Engenharia agronômica é um dos organizadores do evento, ele destaca que a construção dos trabalhos foram feitas de acordo com o que foi proposto pelo professor, onde pegaram perfis de solos da disciplina de gênese e morfologia do solo e confeccionaram os outros. “Esse evento foi muito importante para nossa formação acadêmica principalmente por nos mostrar como se faz uma apresentação. Além da oportunidade de apresentar para o público em geral conhecimentos de solo e mostrar a importância da agronomia na nossa sociedade”.

Vanessa Castro, também aluna do 9° período de Engenharia agronômica , apresentou seu trabalho em grupo e falou sobre Laboratório de química que segundo ela é de suma importância para a construção de dados para o TCC. “Mostramos alguns equipamentos que são usamos para nós ajuda a fazer alguns dados de tcc , como estufa , balança de precisão entre outros e ressaltamos a importância da química para nós da agronomia um exemplo que foi falo é que mesmo no solo, que é o lugar onde se irá plantar e, para isso, é necessário muitas vezes realizar uma medição do pH ou análises de solo, realizar correções e as propriedades físicas do solo (textura, estrutura, densidade entre outras ) . São fatores como estes citados, que eleva a importância do estudo e uso da Química, principalmente quando se é usada na agricultura, na qual se obtém nossos alimentos”.

” O evento me estimulou a querer ser engenheiro, foi uma experiência muito prazerosa. Foi bom aprender sobre equipamentos, principalmente os de química, pois nunca tive nenhum contato. além de poder relembrar a importância da vegetação no solo e nos meios eficientes para que a Erosão Hídrica e Erosão Eólica não aconteça”, pontua Jefferson Lima, estudante da Escola CETI MARIA PIRES LIMA, que esteve presente no evento.

A discente Vanessa Castro ao lado da equipe que apresentou o laboratório: Manuela Teixeira, Neuriane Cabral e Thiago Martins.

Manuela Texeira, discente do 9° período de Engenharia agronômica, foi outra aluna que apresentou sobre a importância do Laboratório de química para análise como também para pesquisas referentes a área da agronomia no solo bem como as características físicas como químicas do mesmo. “Como exemplo disso baseado no meu projeto de tcc , onde estou trabalhando nas análises físicas do solo, explanei um pouco sobre o que eu fiz em laboratório como : metodologia e material presente em laboratório que eu utilizei. Esse evento é de grande importância pois o mesmo ressaltar a importância do solo presente em nosso país que é bastante rico, bem como as práticas de manejo para a conservação das características, morfológicas, a microbiota como : nutrientes e matéria orgânica do solo.”

A discente Manuela Texeira apresentando seu trabalho para alunos da rede pública.

Confira mais imagens do evento:

Engenharia agronômica:

Em 2008 o Núcleo de Uruçuí adquiriu sede própria. O objetivo geral da criação do curso de Engenharia Agronômica foi ampliar o processo de interiorização da UESPI, reforçando a área de conhecimento das Ciências Agrárias, responsável pelo desenvolvimento do setor de maior representatividade econômica do Estado do Piauí, o setor primário.

O engenheiro agrônomo atua em todas as etapas do processo de produção agrícola, desde o planejamento até o processamento e a comercialização de produtos de origem animal e vegetal, respeitando o manejo e uso sustentável dos recursos naturais. É responsável pelo ensino, pesquisa, transferência de tecnologia e gerenciamento de atividades nas áreas de biotecnologia, agroindústria, engenharia de biossistemas e economia agrícola, administração e sociologia.

 

Reitoria Itinerante: administração superior realiza ações em Uruçuí

Por Ana Raquel Costa

A Reitoria Itinerante começou com uma conversa com toda a comunidade, na Câmera dos Vereadores

 

Na manhã desta segunda-feira (24) a Administração Superior deu início às atividades do projeto Reitoria Itinerante, no Campus Uruçuí da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Durante o encontro a equipe teve um momento com toda a comunidade acadêmica do campus para explicar sobre os objetivos do projeto.

 

Prof. Dr. Evandro Alberto em diálogo com a comunidade acadêmica

 

A diretora do campus da UESPI em Uruçuí, professora Anarlete Ursulino, comenta a importância das atividades da reitoria para a universidade no interior do estado e explica que a presença do ensino superior no município impacta positivamente na sociedade uruçuiense.

“A visita da administração superior através do projeto ‘Reitoria Itinerante’ é um momento muito esperado por toda a comunidade acadêmica para reforçar esse apoio que a Reitoria tem dado ao campus de Uruçuí durante sua administração. Toda a comunidade acadêmica foi mobilizada para esse encontro com reuniões para tratarmos de assuntos relacionados a diversas áreas do conhecimento”, relata a professora Anarlete Ursulino.

 

Participação da comunidade acadêmica da UESPI de Uruçuí

 

Wesley Sales, discente do bacharelado em Agronomia da Universidade Estadual do Piauí, campus de Uruçuí, avalia positivamente a iniciativa do projeto direcionado ao interior do estado e comenta a importância da reunião com a comunidade discente.

“Como aluno tenho as melhores expectativas em relação à vinda presencial da administração superior para esse contato mais direto com nosso campus onde poderemos esclarecer a atuação de cada pró-reitoria, o que pode oferecer para a comunidade acadêmica através de suas ações e, basicamente, reforçar os conhecimentos sobre cada uma delas e estreitar os diálogos com a reitoria da universidade”, relata o discente.

 

Reitoria e Pró-Reitorias da UESPI representadas nas ações do projeto “Reitoria Itinerante”

O coordenador do curso de bacharelado em Agronomia, professor Francisco Leonardo, comenta a importância da UESPI fornecer profissionais qualificados para o mercado de trabalho e como ações como do projeto “Reitoria Itinerante” chegam para a fortalecer a a qualidade do tripé ensino, pesquisa e extensão no interior do estado.

“Nós estamos localizados em uma localidade muito propícia para se desenvolver a agricultura com uma área muito produtiva onde o agronegócio atua de forma expressiva no município. Nosso objetivo principal é qualificar o máximo nossos estudantes para que eles estejam preparados  com um bom nível de conhecimento para atuar no mercado. Estamos tentando cada vez mais melhorar a qualidade do profissional formado pela nossa universidade que, atualmente, é referência na formação desses profissionais [de agronomia] na região de Uruçuí”, destaca o professor Francisco Leonardo.

A programação da “Reitoria Itinerante” no campus de Uruçuí tem momentos de diálogos direcionados para cada público da comunidade através de reuniões agendadas com docentes e técnicos-administrativos, coordenadores de curso e com todos os discentes do campus.

“Estamos apresentando, em cada campi, as ações da reitoria e das pró-reitorias em diferentes temas, como ensino, pesquisa, administração, extensão e também tecnologia e investimentos.  Ao mesmo tempo, ouvimos e tiramos dúvidas que são muito específicas de cada campus. Mais uma vez,  aqui em Uruçuí, o contato com toda a comunidade ueapiana nos motiva ainda mais para um trabalho responsável e incansável. Somos apaixonados pela UESPI e vamos manter nosso compromisso com a Universidade, com a sociedade e com o Piauí “, finalizou o reitor.

Reunião da Adm. Superior com os docentes e técnicos

 

Campus de Uruçuí: Começa hoje a III Semana de Agronomia

Por Vitor Gaspar

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), em parceria com o Instituto Federal do Piauí (IFPI), realiza em ambos os campi do município de Uruçuí, entre os dias 24 e 27 de outubro a III Semana de Agronomia com o tema: “Perspectivas de atuação do Engenheiro Agrônomo nas cadeias produtivas no Cerrado piauiense”.

No site do evento, você tem acesso a programação, a lista de palestrantes e atividades que vão acontecer durante o encontro.

O objetivo do evento é reunir professores, pesquisadores, produtores, estudantes e outros profissionais ligados à Ciências Agrárias na região, para  mostrar e debater questões técnicas e científicas fundamentais para o desenvolvimento de cadeias produtivas na região do Cerrado do Piauí, promovendo uma interação entre os profissionais, além da partilha de conhecimentos que provocam o fortalecimento dessas parcerias e contribuem no desenvolvimento intelectual e profissional para os alunos de Graduação.

O Prof. João Filho, destaca que o evento ocorre há aproximadamente 10 anos na instituição. Segundo o docente, no curso de engenharia agronômica, estão matriculados aproximadamente 120 alunos e ao total a ação deve reunir a participação de 250 discentes somando os estudantes duas instituições.

“O evento é de fundamental importância para conhecermos e discutirmos a realidade do setor agropecuário na região do Cerrado do sul piauiense. Esta região tem passado por grandes transformações, principalmente no que diz respeito ao setor agrícola, o que pode estimular aos discentes matriculados no curso de Agronomia, a buscarem maior conhecimento e capacitação das futuras áreas de atuação.”

Além disso, a III Semana de Agronomia traz temas voltados as potencialidades e desafios para inserção e atuação do Engenheiro Agrônomo nas principais cadeias produtivas do Agronegócio da região, a exemplo, da cadeia de grãos, hortifruti e pecuária, todas responsáveis pela geração de emprego e renda que impulsionam o crescimento da economia na região.

Pesquisadores estudam sobre o desenvolvimento agrícola no Cerrado Piauiense

Por Liane Cardoso

Um grupo de professores e alunos do curso de Engenharia Agrônomica da Universidade Estadual do Piauí, campus Uruçuí, pesquisam sobre o desenvolvimento sustentável no Cerrado Piauiense. A equipe promove experimentos e coleta dados sobre a produção de algodão, soja e milho na região. Todo trabalho executado pelo grupo é divulgado no canal do Youtube Coordenação de Agronomia.

Cinco pesquisadores integram o grupo, sendo três alunos e dois docentes. “A nossa ideia é fazer pesquisas sobre as culturas cultivadas aqui na região, trabalhando aspectos do solo, irrigação, produção, dentre outros”, explicou o professor colaborador, João Valdenor Pereira Filho.

Ações do grupo

Recentemente, o grupo fez uma avaliação da estimativa de produtividade e das perdas na colheita do algodão (com apoio da Associação Piauiense dos Produtores de Algodão – APIPA) de uma determinada fazenda na região. Após análise e coleta de dados, o grupo concluiu que “as perdas foram equivalentes a uma média de 31 arrobas por hectares, representando cerca de 10% da produtividade alcançada na safra atual”, informou o professor Francisco de Assis Pereira Leonardo, coordenador do curso de Agronomia e orientador do trabalho.

Pesquisadores realizando análise da produção de algodão

O agrônomo ainda ressalta que através dessa parceria com a APIPA mais pesquisas serão realizadas sobre o algodão, inclusive no próximo ano, o grupo irá acompanhar todo o ciclo de produção.

O professor João Valdenor aproveita para destacar que essas ações contribuem para a inserção prática dos discentes no campo de atuação. “Uma vez que estamos tendo contato direto com essas fazendas, nós acabamos inserindo os estudantes no campo da agricultura da região”, comentou.

Isaltino Pereira é aluno 6º período de Engenharia Agronômica e um dos integrantes do grupo de pesquisa. Ele confirma o que disse o professor João. “Tem sido muito importante, no sentido de trazer conhecimento e engajamento para a minha formação, pois através das parcerias com as fazendas e empresas de consultoria, conhecemos a realidade das propriedades rurais”, complementou o estudante.