tecnologia – Uespi

Estudante de Engenharia Elétrica desenvolve tecnologia para automação residencial

Por Liane Cardoso

Já pensou em acender ou desligar uma lâmpada com um simples comando no celular? Pensando nisso, o aluno Glenerson Vieira, do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estadual do Piauí, idealizou e executou uma proposta de Automação residencial por meio da tecnologia de comunicação móvel. A iniciativa foi desenvolvida através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI).

A ideia se baseia na tecnologia de comunicação móvel, a mesma utilizada para realizar ligações e chamadas, dessa forma, o projeto utiliza sinais de frequência para executar comandos. “Conseguimos construir uma placa eletrônica capaz de receber ligações de qualquer telefone e a qualquer distância, desde que tenha sinal telefônico. Essa placa consegue executar comandos de acionamento de dispositivos previamente programados para captar a informação advinda do usuário”, explicou o discente que desenvolve a proposta.

Assista a seguir o vídeo demonstração do protótipo desenvolvido pelo projeto

O professor Juan de Aguiar é docente colaborador nesse projeto. Ele afirma que o primeiro passo para consolidar essa expertise no segmento tecnológico é explorar a tecnologia utilizada para a realização de automação e interação entre máquinas. ” É isso que temos feito e a academia deve continuar promovendo a formação de profissionais nessa área para o mercado de trabalho”, disse o docente.

Glenerson ressalta que através desse sistema é possível realizar a programação de qualquer dispositivo elétrico sem ter um contato direto com ele. “No caso da automação residencial, é possível acionar uma lâmpada ou ventilador pelo celular, dentro de casa ou até mesmo fora, possibilitando comodidade, conforto e até mesmo segurança, pois não existe um contato direto com esse equipamento”, pontuou o estudante do 5º período do curso de Engenharia Elétrica.

Material utilizado para a experiência

Essa tecnologia permite o controle total dos dispositivos eletroeletrônicos de uma casa ou até mesmo industrial, por meio de uma simples chamada telefônica a qualquer distancia, horário e sem a necessidade de internet. O aluno e o professor estudam agora a viabilidade desse sistema aplicado em novos dispositivos, tais como aparelhos de mídia e ar-condicionado.

Inovação tecnológica é um dos temas do Workshop na UESPI

Colaboração: Carollyna Meireles / Orientação: Profa. Sammara Jericó

Amanhã dia 06 de julho, terça feira, acontecerá o Workshop das Chamadas do CNPq de Bolsa de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológica e Extensão Inovadora – DT (N° 003/2021) e da Bolsa de Produtividade em Pesquisa – PQ (N° 004/2021) realizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação (PROP) da Universidade Estadual do  Piauí (UESPI) no canal do YouTube da Uespioficial.

O workshop prevê o incentivo de produções científicas, culturais e de inovação tecnológica e contará com palestras sobre Critérios de Elegibilidade e Execução do Projeto – Bolsa de Produtividade  (PQ/DT), Submissão da Proposta na Plataforma Integrada Carlos Chagas – PQ/DT e Potencial do Projeto para a Produção Tecnológica e a Inovação – DT.
A respeito da inovação tecnológica, ficou responsável pela Professora Vanessa Alencar, Diretora do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da Uespi.
Ela irá tratar sobre as oportunidades relacionadas a projetos de pesquisa dos professores da Universidade  que possuem um potencial para inovação. Essas oportunidades envolvem o registro e transferência de tecnologia do meio acadêmico para o mercado.
Outros tópicos que serão abordados são: a Hélice tripla da inovação – mercado, universidade e governo, e As tendências de mercado e os objetivos de desenvolvimento do milênio.
Lembrando que o Núcleo de Inovação Tecnológica  é um órgão vinculado a Reitoria, formado por uma instância colegiada –  denominada Comitê Gestor –  e  uma instância executiva, composta  por um diretor e dois assessores técnicos e adota as competências do artigo 16 da Lei da Inovação.
O NIT é responsável pela política de inovação da Uespi e tem como objetivo promover o empreendedorismo e a inovação, além de preservar a propriedade intelectual, protegendo as marcas patentes, entre outras inovações geradas na Universidade.