Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Da UESPI para o mundo: conheça o egresso Felipe Carvalho Rocha

Por Anny Santos

Com a série “Da UESPI para o mundo” você conhece a trajetória de egressos da Universidade Estadual do Piauí que impactam positivamente a sociedade e seguem sendo destaques, em âmbito nacional e internacional, em suas respectivas áreas de atuação.

O egresso Felipe Carvalho Rocha, que ingressou no curso de Bacharelado em Direito, campus Prof. Barros Araújo em Picos, no ano de 2015 e graduou-se em 2019, mesmo ano em que iniciou o exercício profissional de Advogado, é proprietário do escritório Felipe Rocha Advocacia e Assessoria Jurídica, atuando ainda como Procurador Jurídico da Prefeitura Municipal de Vila Nova do Piauí, Assessor Jurídico da Prefeitura Municipal de Padre Marcos-PI e da Câmara Municipal de Vila Nova do Piauí-PI.

Felipe Rocha é Pós-graduado em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Uninovafapi e em Direito Constitucional e Administrativo pela ESA/PI. Além disso, possui experiência na área do Direito, em especial na Advocacia Pública, Eleitoral e Penal. No período universitário, foi Presidente do Centro Acadêmico de Direito da UESPI de Picos, estagiário da Defensoria Pública do Estado do Piauí, participando dos projetos, pesquisas e eventos de interesse da Instituição e da sociedade.

Ascom: O curso de Direito é um dos mais disputados em diferentes universidades pelo país. Como foi receber a notícia da aprovação? Você sempre almejou sua atual área de atuação?

Sou de família simples do município de Vila Nova do Piauí, interior do semiárido piauiense, da roça, e desde criança ouvia meu avô Navez (in memorian), que sempre foi minha referência e exemplo de vida, em que ele expressava que, caso tivesse tido a oportunidade de estudar, teria feito o curso de Direito e se tornado um “homem de Lei” (nas suas palavras). Então aquelas palavras sempre foram importantes para mim, de modo que, quando estava cursando o ensino médio e iniciando a preparação para o ingresso no ensino superior, não tive dúvidas sobre o que eu almejava, que era exatamente o curso Direito, e mais ainda, que fosse no campus de Picos, próximo da minha cidade e minha família. E com a graça de Deus pude realizar esse sonho e viver um dos momentos mais felizes e inesquecíveis de minha vida.

Ascom: Que papel você atribui a UESPI na realização dessa conquista?

Antes mesmo de ingressar na UESPI eu tinha uma admiração pela instituição, pois em meio a um Estado de tamanhas dificuldades, no Nordeste brasileiro tão carente, a UESPI sempre foi um destaque formando grandes profissionais e sendo um patrimônio e orgulho do nosso Piauí. Diante disso, no período que estive na UESPI pude aumentar ainda mais essa admiração, soltavam aos olhos a dedicação dos discentes, a qualidade do corpo docente, e uma gestão que servia de modelo para qualquer universidade, sob a direção do então Diretor e atualmente Reitor, Evandro Alberto, o qual presto as minhas homenagens pelo trabalho e amor que tem por nossa UESPI. Portanto, esse contexto da UESPI nos inspirava a evoluir cada vez mais e honra com o que ela representa para todos nós.

Ascom: Como os professores puderam contribuir em sua formação e nas suas escolhas profissionais?

Na nossa trajetória tivemos a dificuldade da falta de professores efetivos suficientes, o qual é possível ver uma melhora significativa atualmente, diante da luta do Professor Evandro. Devido a isso, tivemos uma rotatividade significativa de professores, mas todos que por lá passaram fizeram seu trabalho e deixaram suas contribuições, muitos deles são valorosos amigos e colegas de profissão atualmente.

Ascom: De quais formas você percebe a educação como mister para transformação de realidades?

A educação é o único caminho para construir um futuro melhor para nosso Estado e nossa sociedade. É o fator transformador de uma realidade e deve ser buscada constantemente como o princípio fundamental de todos os projetos.

Ascom: Como você acredita que os egressos, em especial do curso de Direito, podem promover mudanças e transformações sociais em nossa sociedade?

Sem dúvida nenhuma. Na verdade, estão fazendo essa diferença em todos os ambientes profissionais, pois é possível encontrar os irmãos uespianos se destacando e sendo profissionais de excelência.

Ascom: Do que você mais sente falta na UESPI?

A UESPI faz muita falta, principalmente das amizades construídas que carrego por toda minha vida, de uma convivência de 5 anos que passa a fazer parte e ter lugar especial em nossa história. Um ciclo em que passamos mais tempo na universidade do que em casa e com a família. Momentos inesquecíveis que sentimos falta, mas que guardamos como ótimas recordações.

Ascom: Qual momento da sua graduação te trouxe a certeza de que estava trilhando o caminho correto?

Em todos os momentos eu me sentia realizado no curso de Direito, sentimento este que se tornou ainda mais forte quando iniciaram os estágios, em que a gente pôde perceber que o nosso estudo e trabalho fazia diferença na vida das pessoas, através da defesa e promoção dos seus direitos.

Ascom: Como foi a construção da sua carreira após a graduação?

O início é muito difícil, em especial diante da pandemia da covid-19 que fechou os ambientes de trabalho, além de um mercado bem competitivo, potencializado ainda pela ausência de experiência suficiente na prática forense, que é obtida com o trabalho contínuo. Contudo, com entusiasmo, dedicação, desejo de se sobressair sobre os desafios e o amor pela profissão faz com que trilhemos o caminho no sentido do sucesso profissional que vai sendo construído de forma contínua e ininterrupta, dia após dia.

Ascom: Que mensagem você gostaria de transmitir aos estudantes que estão ingressando ou pretendem ingressar no Ensino Superior através da UESPI?

Desejo muito sucesso aos amigos que estão ingressando em nossa UESPI e que deem continuidade ao legado desta renomada instituição que representa um dos maiores patrimônios do nosso Estado, um marco da nossa educação, que é reconhecida nacionalmente por suas conquistas, que cresce e se renova a cada dia. Que tenham a consciência da responsabilidade de darem continuidade nas lutas por melhorias da nossa UESPI e de sua importância no desenvolvimento do nosso Piauí.

Ascom: Para finalizar, como a UESPI contribuiu para que você se tornasse o profissional que é hoje?

A UESPI foi meu alicerce profissional, lançando as bases daquilo que carrego como missão de vida, de profissão, de sacerdócio, que permitiu trilhar a carreira profissional em que estou hoje. Além disso, a UESPI me permitiu um grande crescimento humano, a partir das lutas e movimentos pelas causas estudantis e sociais. Portanto, as palavras de ordem são: muito obrigado UESPI.

Campus de Picos: Professor de Filosofia publica livro sobre o uso de um jornal no ensino-aprendizagem

Por Giovana Andrade

O professor do curso de Filosofia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Barros Araújo na cidade de Picos, Ricardo de Moura Borges, publicou neste mês seu livro “O que pode um jornal escolar no ensino-aprendizagem de sociologia: o caso do Jornal O Corujinha”. o trabalho foi fruto da sua dissertação de Mestrado em Sociologia.

O livro apresenta a análise prática de um projeto de intervenção no ensino da disciplina de Sociologia na Educação Básica com o apoio da técnica do jornal escolar. Teve como objetivos trabalhar os conteúdos de forma contextualizada e interativa, contribuído para o desenvolvimento de habilidades
reflexivas por meio da produção textual de gênero jornalístico, além de uma aprendizagem significativa.

O docente destaca que trabalhar com um jornal escolar foi um momento ímpar que contribuiu para sua formação enquanto professor e que serviu como inspiração para o desenvolvimento do seu livro de mestrado. “Com o ingresso no mestrado no mesmo ano, tive a oportunidade de analisar e refletir sobre essa prática inovadora, construindo a minha dissertação com base nas reflexões sobre o jornal escolar – O Corujinha. Trabalho que se consolidou com a publicação do livro: O que pode um jornal escolar no ensino e aprendizagem de Sociologia – o caso do jornal O Corujinha”, explica.

Jornal escolar O Corujinha, fonte de inspiração para o livro “O que pode um jornal escolar no ensino-aprendizagem de sociologia: o caso do Jornal O Corujinha”

Ressalta ainda que a ideia do livro é aproximar conteúdos didáticos no campo da sociologia para a realidade próxima do aprendiz e, com isso, tornar o conhecimento escolar mais atraente significativo. “Espero que essa obra possa contribuir para uma educação escolar mais participativa e dinâmica, que possa aproximar o aluno de tudo aquilo que possa despertar seu interesse pela aprendizagem para a vida e pela vida”, finaliza.

 

 

Campus Picos: Curso de Pedagogia promove o I Sarau de Alfabetização

O curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), no campus Prof. Barros Araújo em Picos promoveu na última semana o 1° Sarau da Alfabetização: Entre palavras e a imaginação.

Cenário do I Sarau de Pedagogia

O evento realizado pela turma do 4º Bloco do curso, referente a disciplina de Alfabetização trouxe temas como “Ambiente Alfabetizador”, “Alfabetizando com clássicos”, “Alfabrincar”, e “Pescaria da Alfabetização: Fisgando Sílabas”. A ação tem como objetivo despertar o diálogo sobre a alfabetização e a diversidade de possibilidades metodológicas que o professor pode utilizar em sala de aula.

Os alunos organizaram ambientes alfabetizadores no corredor central do campus com uma variedade de repertório para mostrar possibilidades de alfabetizar com o lúdico com a contação de histórias, jogos, brincadeiras, músicas e recursos concretos para esse trabalho, levado e pensado pelos discentes.

Apresentação dos alunos na sala de aula

Para a professora Fabrícia Gomes, ministrante da disciplina a recepção foi muito calorosa, as pessoas que passavam pelo corredor se deparavam com um ambiente diferente, atrativo e logo participavam das propostas e destaca que a Universidade é um grande laboratório de práticas regadas por teorias, que devem ajudar os futuros professores a pensar em suas ações de prática pedagógica.

“Esse tipo de atividade desperta nos acadêmicos ideias de como trabalhar a alfabetização de forma prazerosa. Sendo esse um processo imensamente sofisticado e de uma importância ímpar para a vida em sociedade, precisamos buscar estratégias de pensa-lo de modo a agregar alfabetização e letramento em um ambiente estimulante e que faça sentido para a criança”, finaliza.

Professora Fabrícia Gomes e o aluno Cleovan Sousa

Poema feito pelo aluno Cleovan Sousa

Confira mais registros do evento:

Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia

O Pedagogo trabalha como professor em creches e em instituições de ensino que oferecem cursos de Educação Infantil e Fundamental; podendo atuar ainda como gestor de processos educativos de sistemas e de instituições de ensino; em editoras e 38 em órgãos públicos e privados que produzem e avaliam programas e materiais didáticos para o ensino presencial e a distância. Além disso, atua em espaços de educação nãoformal, como organizações não-governamentais, hospitais, asilos, movimentos sociais, associações e clubes; em empresas que demandem sua formação específica e em instituições que desenvolvem pesquisas educacionais.

Campus de Picos: professor do curso de Direito Lança Livro

Por Giovana Andrade

O professor do curso de Direito da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Barros Araújo na cidade de Picos, Emmanuel Rocha Reis, lançou o livro “Direito de energia, regulação e mudanças institucionais”. O livro é a 1ª obra jurídica no PI sobre direito de energia e renováveis.

O livro apresenta a análise do professor por meio das características da região do Piauí e o recebimento de empreendimentos eólicos. A publicação apresenta aspectos sociojurídicos e econômicos do litoral piauiense, com a dinâmica presente nas cidades de Parnaíba e Ilha Grande, que dividem uma faixa litorânea de forte potencial eólico, que, efetivamente, convive com o parque eólico desde o ano de 2013.

Nesse ponto, apresenta-se um debate científico sobre as formalidades procedimentais de implantação de um parque eólico e os momentos de interação com a comunidade, que são protocolos próprios de licenciamentos e autorização para instalação de empreendimentos dessa magnitude, com base nos requisitos do art. 225 da Constituição Federal de 1988 e dos parâmetros da Lei n. 6.938/1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente.

O professor destaca que a obra foi fruto do seu estudo de mestrado baseado em artigos publicados naquele momento. “ O livro se tornou a primeira obra jurídica que fala sobre direito e energia. Ela é uma prévia do lançamento que eu e meu professor orientador Sebastião Costa iremos fazer da dissertação”, explica.

O livro completo pode ser baixado de forma gratuita no link a seguir: https://www.fundarfenix.com.br/_files/ugd/9b34d5_caeca00a727e4495876c9ea83961dff6.pdf

PRIL: seleção para vagas remanescentes do Edital 024/22

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – PREG  torna público as normas de seleção de professores para atuação no Curso de Licenciatura Plena em Matemática (Campi de Parnaíba e de Picos e Polos de Barras e Santa Cruz do Piauí) na modalidade presencial, da Universidade Estadual do Piauí, Programa Institucional de Fomento e Indução da Inovação da Formação Inicial Continuada de Professores e Diretores Escolares ‒ PRIL – Edital MEC nº 66/2021.

As vagas disponibilizadas neste edital são remanescentes do edital PREG Nº 024/2022.

edital_professores_PRIL_vagas_remanescentes

 

PRIL: Edital para vagas remanescentes e cadastro de reserva

A Universidade Estadual do Piauí – UESPI, por intermédio da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – PREG  torna públicas, através deste Edital, para vagas remanescentes e cadastro de reserva para o Curso de Licenciatura Plena em Matemática, nos Campus de Parnaíba e Picos e no Polo de Santa Cruz do Piauí, através do Programa Institucional de Fomento e Indução da Inovação da Formação Inicial Continuada de Professores e Diretores Escolares ‒ PRIL – Edital MEC no 66/2021, oferecidos pela Universidade Estadual do Piauí – UESPI, para o primeiro semestre letivo do ano de 2022.

NOVO EDITAL PRIL MATEMÁTICA ASCOM

Picos: “I Encontro das Licenciaturas: debatendo os estágios e práticas pedagógicas”

Por Anny Santos

Os cursos de licenciatura da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Barros Araújo localizado, em Picos, realizam o evento “I Encontro das Licenciaturas: debatendo os estágios e práticas pedagógicas”, nos dias 01 e 02 de agosto de forma presencial, no auditório do campus.

Sob Coordenação das Professoras Daniela Correia Grangeiro e Nélida Amorim da Silva, o evento está sendo organizado pelos docentes das disciplinas de Estágio e Prática Pedagógica dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas, Educação Física, Pedagogia e Letras-Português, do Campus Professor Barros Araújo. A ação é destinada aos discentes que estão cursando as disciplinas Estágio Supervisionado e Prática Pedagógica.

Segundo a professora Daniela Correia Grangeiro os discentes terão oportunidade de apresentar para a comunidade acadêmica o seu relato de experiência em forma de trabalho científico (resumos ou vídeos). “Será de suma importância para a formação e composição do currículo dos alunos. Esse evento é uma peça fundamental na formação dos nossos alunos, tendo em vista que nele são apresentadas e discutidas diversas metodologias utilizadas nas práticas e estágios que foram aplicadas pelos nossos alunos, futuros professores”, pontua.

A inciativa surgiu de duas professoras dos cursos de Educação Física e Ciências Biológicas que, em separado, já iam fazer eventos distintos nas suas disciplinas de Estágio e Prática Pedagógica, respectivamente. Conversando na sala de professores, resolveram unir as duas ideias, e, além disso, convidar os demais cursos de Licenciatura com a finalidade de engrandecer o evento.

Para a professora Nélida Amorim, também Coordenadora do evento, enquanto docente é necessário contemplar nas disciplinas o tripé que sustenta a universidade – o ensino, a pesquisa e a extensão. “Um evento de cunho científico realizado ao final de disciplinas como Estágio e Prática Pedagógica, onde os discentes podem, além do discutido em sala de aula, apresentar em forma de trabalho acadêmico, a sua experiência com a comunidade externa, e ainda ter seu relato publicado. Isto, atenderia, ao nosso ver, minimamente esse tripé”.

Confira a programação:

Segunda-Feira (01/08)

14h -17h30 – Apresentação dos trabalhos orais (Auditório)

18h – 19h – Palestra Magna com o Reitor Dr. Evandro Alberto

19h – 20h – Coffee Break

20h – 21h30– Apresentação dos trabalhos orais (Auditório)

Terça-feira (02/08)

08h – 11h30 – Apresentação dos trabalhos orais (Auditório)

14h – 15h – Palestra com o Professor Dr. Raimundo Dutra

15h – 17h30 – Apresentação dos trabalhos orais (Auditório)

17h30 – 18h – Apresentação Cultural

18h – 19h – Palestra com a Professora Dra. Mônica Gentil (Pró-Reitora Adjunta PREG)

19h – 21h30 – Apresentação dos trabalhos orais (Auditório)

PREX: Resultado final da seleção dos membros do corpo de dança

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX) torna público o RESULTADO DA HOMOLOGAÇÃO FINAL referente ao Edital PREX/DPPE no 016/2022, de Seleção de 11 Membros para o Corpo de Dança do Campus Barros Araújo- Picos(PI) e o Resultado da Prova Prática.

SEI_GOV-PI – 4751089 – Despacho.HOMOLOGAÇÃO

SEI_GOV-PI – 4750832 – Despacho.RESULTADO

Campus Picos: Curso de Direito recebe livros em parceria com o MPT

Por Vitor Manoel

Por meio de uma transação extrajudicial, O Ministério Público do Trabalho, (MPT-PI), contemplou a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), no campus de Picos com 150 livros para o curso de Direito da Instituição.

Estudantes recebendo os livros junto com autoridades

O Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto esteve no campus Prof. Barros Araújo recepcionando o Dr. Carlos Henrique, Procurador do Ministério Público do Trabalho e de Mariluska Macêdo, professora Adjunto Nível II da Universidade Estadual do Piauí. A parceria entre o MPT-PI e a UESPI é importante na construção do diálogo.

Segundo o reitor da UESPI, o programa foi sugerido anteriormente para que uma proposta fosse apresentada em conjunto com a professora Regiane na época coordenadora do curso, e dessa forma, houve o pedido para reorganizar o projeto de forma que foi bem acolhido pelo Ministério Público do Trabalho e culminando com essa transação extrajudicial com a doação de livros para o curso de Direito.

“Então, é muito importante para a universidade e para o curso. No total foram entregues agora foram 56 livros de um total de 150. Nós agradecemos aqui a parceria com o Ministério Público do Trabalho e hoje a biblioteca do curso de direito está de Picos está equipada com o que há de mais atual na literatura jurídica”, encerra.

O Dr. Carlos Henrique destaca que foi uma satisfação estar na UESPI entregando esses livros. “Foram doados 15 mil reais em livros para a Instituição, sendo entregues nesse momento 5 mil reais, o que dá 56 livros e posteriormente a empresa vai adquirir mais 10 mil reais em livros entregues para o curso de direito via Ministério do Trabalho”, finaliza.

 

Estudantes com os livros entregues pelo MPT

 

Estiveram presentes na recepção estudantes do curso de Direito contemplados com a doação dos materiais para a melhor prática na área.

Curso de Pedagogia em Picos promove II Workshop de Educação

Por Vitor Manoel

O curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo, promoveu o II Workshop de Educação com o tema “Neurociência e Educação: construindo pontes para um processo de aprendizagem significativa”. O evento acontece entre os dias 23 e 27 de julho de forma híbrida, com transmissão dos eventos on-line no canal do Youtube UespiOficial e na modalidade presencial, mediante a inscrição.

 

O objetivo principal do encontro é despertar diálogos sobre a contribuição da neurociência para os processos de aprendizagem humana. O projeto é coordenado pela professora Fabrícia Gomes e Thaizi Helena, ambas do curso de Pedagogia de Picos.

O público-alvo do II Workshop abrange estudantes de graduação, professores da rede básica e do ensino superior que tenham interesse na área, entendendo que atualmente a neurociência é vista como um campo que tem trazido grandes contribuições para o entendimento sobre os processos de aprendizagem. A neurociência mostra, revela, elementos gerais e as funções acerca de como de fato acontece os processos dentro do cérebro humano e dessa forma, contribuindo para haja um pensamento, um planejamento, para que as práticas dos professores possam vir a ser adaptadas.

Para a professora Fabrícia Gomes, tem sido uma imensa satisfação pensar em projetos como esse, pois contribuem a todos os participantes a pensar objetivamente em como fazer uma prática significativa. “Nós teremos momentos em que serão trazidos conceitos, bases teóricas, mas nós estamos pensando muito nesse evento através de possibilidades práticas. Então, nós queremos que os participantes saiam desse momento de fato com sugestões reais e com sugestões que tenham a ver com com a prática docente, e que eles saiam do nosso evento e cheguem na segunda-feira, na terça-feira, na quarta-feira, e  em todos os momentos nas salas de aula pensando em em proposições que pensaram quando que nós sugerimos e que foram construídas durante o II Workshop”, finaliza a docente.

Confira a programação completa:

 

Durante o evento serão trabalhados temas como funções executivas, dislexia, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e afetividade, além da exibição de documentários e filmes sobre a temática e de oficinas e palestras para os participantes.

PREX: Resultados do Edital referente ao Corpo de Dança do campus de Picos

A Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX, divulga o Resultado da Interposição de Recursos contra a Homologação Preliminar das Inscrições e o Resultado Final da Homologação das Inscrições do Edital nº016/22 referente a seleção de 11 membros para o Corpo de Dança do Campus de Picos.

INTERPOSICAO DE RECURSO

RESULTADO FINAL

Campus Picos: Reitor da UESPI, docente e discentes lançam livro nesta segunda-feira

Por Leonardo Dias

Acontece nesta segunda-feira (25) de abril, às 19h, através do canal do Youtube o Lançamento do Livro o lançamento do livro “Comunicação Comunitária e Pandemia no Sertão do Piauí”, produzido por professores e 18 alunos do curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) campus professor Barros Araújo, na cidade de Picos.

O livro foi organizado pelos professores da UESPI, Evandro Alberto de Sousa,  Reitor da Instituição, e Orlando Mauricio de Carvalho Berti, professor do curso de Jornalismo, Campus Torquato Neto. Os discentes participantes foram: Ana Caroline de Oliveira Morais, Ana Júlia Oliveira, Fernanda Maria Teixeiras, Gessica Lima Feitosa, Isadora Freitas do Vale Lima, João Pedro Pereira Nunes, Júnior do Vale Lucena, Lia Rachel Silva Marinho Barbosa, Luana de Sousa Rodrigues Moura, Lucas do Nascimento Ibiapino, Maria Renata Arrais de Sousa, Myvrian Hazy Braga de Araújo, Patrícia da Conceição Oliveira Soares, Rafaela de Oliveira Alves, Stefanie de Jesus Leal, Vinícius da Silva Coutinho.

As temáticas do livro  abordam  o papel da universidade na reflexão da pandemia e a comunicação comunitária nesse processo. Para o Reitor da Universidade e um dos autores e organizadores do livro, Prof. Doutor Evandro Alberto, “o e-book vai contribuir para um conhecimento maior sobre a importância da comunicação comunitária para tratar sobre temas que impactam as suas comunidades, como por exemplo a Covid. Colocamos todo nosso esforço e dedicação e quero agradecer a parceria com o  Prof. Orlando Berti, e também com os discentes envolvidos.  Parabenizo todos os discentes pelo esforço na produção científica e empenho que cada um, cada uma demonstrou desde a produção do livro até agora. Tenho certeza de que serão grandes profissionais, tanto nas suas áreas de atuação, como na literatura e na produção científica de forma geral.  A nossa UESPI está sempre empenhada nos seus mais diversos cursos e áreas a dar um retorno social para todo o Piauí”.

O professor Orlando Mauricio de Carvalho Berti explica que este e-book é o terceiro produzido pelos discentes do curso de Jornalismo do campus de Picos, onde trazem reflexões sobre questões pandêmicas.

“Sempre Temos a intenção de vivenciar questões da região, mostrando sempre as características da Universidade que é pensar os fenômenos regionais e, principalmente, as atualidades desses fenômenos. O livro demorou quase um ano para ser feito, pois envolveu as fazes da pesquisa e a interação com os grupos sociais até aparte de organização, edição, diagramação para ser lançado agora no inicio do ano”.

Autores

Vinícius da Silva Coutinho, um dos autores do livro, escreveu sobre  “O protagonismo da Igreja Católica na comunitarização da cidade de Patos do Piauí”.  “Poder tratar sobre como a comunicação acontece na minha cidade foi muito gratificante. Principalmente, por contribuir com as especificidades da cidade em relação à comunicação comunitária e o protagonismo da igreja católica”, relatou.

Já o aluno Júnior Lucena abordou  “A comunicação exercida pela associação atlética acadêmica midiática, de Picos, em suas redes sociais”. “Contar a história do movimento estudantil que foi a Atlética Midiática  junto do estudo das comunicações comunitária e contra-hegemônica foi uma ótima forma de registro histórico para o curso, além da contribuição acadêmica na área”, disse.

A discente Ana Júlia, que pesquisou sobre pandemia da covid-19,  um “Estudo de caso da comunicação comunitária religiosa da Assembleia de Deus – templo central  na cidade de Picos”, diz que “falar sobre a adaptação da Igreja, em especial a Igreja de Picos, ao mundo virtual no período de isolamento, incertezas e medos foi renovador. Compreender todos os desafios que a pandemia trouxe e como a Igreja lutou e se apegou a meios cabíveis para continuar exercendo sua fé, os cultos, tudo isso foi uma experiência gratificante”.

E-book

O e-book esta disponível na editora da UESPI na categoria livros 2022, totalmente gratuito.

Grupo interdisciplinar de pesquisa realizará evento em comunidades quilombolas da região de Picos

Por Leonardo Dias

Inscrições abertas para evento “Comunidades Quilombolas e Indígenas no Piauí: Dilemas e perspectivas”. O encontro será realizado pelo grupo interdisciplinar de pesquisa Dinâmicas socioambientais, cultura e desenvolvimento no semiárido em consonância com o Projeto de Extensão Universitária “Multiculturalismo e Direitos Humanos: fatos, fotos e versões”, campus professor Barros Araújo na cidade de Picos.

O evento acontece nos dias 09 e 10 de abril de 2022, na cidade de Paquetá do Piauí, nas Comunidades Quilombolas Custaneira e Canabrava. O grupo de pesquisa, aprovado no PIBEU UESPI N° 024/2021 da UESPI, é liderado pela Professora Doutora Janaína Alvarenga Aragão.

No primeiro e segundo dia de evento serão realizadas palestras e minicursos, com objetivo do evento é fortalecer as discussões a respeito das dificuldades e garantias do acesso a políticas públicas destinadas às Comunidades Indígenas e Quilombolas do Piauí e viabilizar que as políticas públicas tenham mais aproximação prática com a realidade das vivências que são desenvolvidas nas comunidades.

Segue a grade de palestrantes:

A organizadora, Rita de Kassia Leal e Silva, aluna do 5º período curso de Direito de Picos fala que as expectativas do evento é atingir o público tanto acadêmico quanto organizações sociais e políticas, bem como outras comunidades quilombolas que se sintam tocadas com os temas que serão abordados durante os dois (02) dias.

“Esperamos que o evento promova o debate acerca da desigualdade social, intolerância religiosa, escassez de política públicas e as dificuldades de concretização das políticas públicas já existentes nessas comunidades, direitos das comunidades tradicionais, religiosidade, saúde, cultura, multiculturalismo, dentre outras pautas atenientes às Comunidades Indígenas e Quilombolas do Piauí“, explica.

Inscrições

As inscrições poderão ser realizadas através do link disponibilizado pela organização do evento.

Os inscritos receberão certificado de 20h/a, sendo limitado o número de vagas para a modalidade presencial (100 pessoas) e ilimitado para a modalidade remota (transmissão ao vivo pela internet), de forma que para efetuá-la os interessados deverão investir R$ 15,00.

Divulgação e Ouvidoria

O evento ainda conta com uma página oficial de divulgação no Instagram para repassar mais informações acerca das inscrições e da programação (@projeto_multiculturalismo) e com um e-mail para sanar dúvidas (projetomulticulturalismo@gmail.com).

Campus de Picos: Estudante de Direito publica pesquisa que discute sobre a legislação para proteção de fósseis no Brasil

Por Priscila Fernandes

“Os fósseis brasileiros são conhecidos mundialmente, principalmente os da Bacia Sedimentar do Araripe. A Constituição Federal de 1988 considera os fósseis como patrimônio cultural, mas a ausência de legislação específica dificulta sua proteção”, afirma em trabalho científico o estudante do curso de Direito, Campus Professor Barros Araújo-Picos, Paulo Victor de Oliveira.

Ele desenvolveu um trabalho intitulado “Os fósseis além da paleontologia- Uma questão jurídica”, que foi publicado na revista da academia de ciências do Piauí, com as pesquisadoras Maria Somália Sales Viana, da Universidade Estadual Vale do Acaraú e Yana de Moura Gonçalves, da Universidade Federal do Piauí.

Paulo Victor explica que o Brasil é muito rico no âmbito da paleontologia, mas infelizmente não dispõe de uma legislação específica para tratar dos fósseis, que regulamente de forma clara procedimentos relacionados proibição de certas condutas, como a proibição do comércio e previsão de punição ao tráfico, por exemplo.

“O curso de direito está sendo meu segundo curso de graduação. Eu sou formado em Ciências Biológicas, tenho mestrado e doutorado em Geociências. Sou paleontólogo e desde 2013 professor da UFPI campus de Picos. O interesse pelo direito é mais na esfera ambiental. Então, pensando no descaso com a questão dos fósseis, no que diz respeito ao seu amparo legal e proteção, associado ao interesse pessoal e profissional pela temática, foram incentivos para a pesquisa”, conta.

O resumo do trabalho aponta que os fósseis como bens culturais merecem ser protegidos e salvaguardados em coleções científicas de instituições públicas de pesquisa, como universidades e museus. “Eles merecem um lugar de destaque e devem ser acessíveis à sociedade. O trabalho apresenta uma discussão sobre o amparo jurídico que o patrimônio paleontológico tem no Brasil e demonstra a necessidade de criar dispositivos legais que garantam sua custódia, combatam o tráfico e expressem punições e sanções para quem dilapidar o patrimônio paleontológico”, relatam os pesquisadores.

Confira o artigo completo.

Campus de Picos: Núcleo de Prática Jurídica é inaugurado e oferecerá atendimento gratuito para toda população

Por Valéria Soares

Foi inaugurado o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) do campus Professor Barros Araújo, em Picos, nesta sexta-feira (04), no prédio localizado no bairro Junco. O espaço oferecerá atendimento gratuito a toda comunidade interna e externa, com orientação, acompanhamento e protocolo de ações judiciais.

O NPJ visa atender aos interesses da população que não possui acesso e conhecimento à justiça. A atuação terá abrangência no município de Picos, mas também oferecerá serviços a toda microrregião, que abrange municípios circunvizinhos.

 O campus de Picos contará com um Núcleo de Práticas Jurídicas e o Juízado Especial

 

Na solenidade de inauguração, estiveram presentes o Reitor Evandro Alberto De Sousa; a Vice-Presidente Da Oab Subseção De Picos, a Doutora Yana De Moura Gonçaves; a diretora do campus de Picos, Mariluska Macedo Lobo de Deus Oliveira e o Vice-Diretor, Professor Doutor Renato Santos Rocha. Além dos professores coordenadores do Núcleo, coordenação de Direito e alunos do curso.

Reitor Evandro Alberto destacou a importância do empenho da comunidade acadêmico no trabalho

Reitor Evandro Alberto destacou a importância do empenho da comunidade acadêmico no NPJ

A professora Ingrid Medeiros, coordenadora do Núcleo de Práticas Jurídicas, explica que os focos de atuação do NPJ serão nas áreas solicitadas pelos próprio requerentes. “Nossos alunos da UESPI receberão as demandas, darão orientações, junto com a nossa orientação e supervisão. Vamos atender toda a comunidade em geral, que busca um atendimento, um auxílio jurídico, sem ter condições de arcar com as despesas processuais.  Muitas demandas como direito do consumidor, em outras demandas também que necessitam de uma orientação, o NPJ vai estar sempre de portas abertas pra dar seguimento e atender toda a comunidade de Picos e a microrregião também”, afirma.

Ouça o áudio da docente:

O professor Hamurabi Siqueira, também coordenador do Núcleo, destacou que o NPJ é um projeto de extensão, sendo uma ação permanente que tem o objetivo de trazer para população hipossuficiente da região um atendimento de direito adequado, atendimento na área jurídica especializado nos mais variados ramos do direito. “Isso traz um impacto, cumprimento de uma função social. Leva a universidade para fora dos muro da academia impactando diretamente na sociedade picoense e da microrregião”, reintera.

Ouça o áudio do docente:

O reitor Evandro Alberto ressaltou que a entrega do Núcleo é a realização de um sonho dos acadêmicos e professores. “Hoje nós estamos aqui entregando essa importante obra para o curso de direito e para a comunidade. Para o campus uma é um grande realização e para o curso principalmente, porque aqui passarão vários estudantes e  este núcleo que contribuirá também com a sociedade”, comemorou.

Atuação da comunidade discente

No Núcleo vão atuar professores advogados e alunos do estágio supervisionado. Segundo a coordenadora do curso de Direito, Hilziane Laysa de Brito, os estudantes irão fazer um estágio supervisionado de qualidade, com a possibilidade de exercer a prática jurídica com atendimento direto ao público, que necessita de um atendimento jurídico  e não tem condições financeiras de contratar um advogado para uma consulta jurídica. “Vamos democratizar o acesso a esses conhecimentos jurídicos. É proporcionar cidadania para todo o povo de Picos e região”, disse a docente.

Os professores e alunos do curso de Direito atuarão para atender as demandas jurídicas da comunidade

Os professores e alunos do curso de Direito atuarão para atender as demandas jurídicas da comunidade

O NPJ vai funcionar em parceria com o Juizado Especial, que já funciona na unidade, permitindo que a população de Picos. “O Núcleo de prática jurídica vai dar oportunidade aos nossos alunos do curso de Direito de fazer realmente a prática em si e o social. Vai estar estar realizando o estágio de direito e em contato o nosso público, a nossa comunidade”, disse a Diretora do Campus, Mariluska Macedo.

Ouça o áudio da diretora:

Ruan Pablo, do 4º período do curso de Direito, revelou que a expectativa dos estudantes é muito alta em relação ao Núcleo. “Quando entramos no curso de direito, almejamos muito por demandas sociais, por poder ajudar a sociedade no geral. Vemos isso como oportunidade de ajudar realmente perto ativamente, por meios de casos, informações. De trabalhar com pessoal de uma forma agradável, educada, muito respeitosa  e poder dar a eles a melhor orientação, a melhor o melhor trabalho possível que a gente possa fazer”, finaliza o voluntário do NPJ.

Os horários de atendimento no NPJ serão de segunda a sexta, das 8h às 12h e de 13h às 17h.  O endereço é no prédio localizado na Av Senador Helvídio Nunes, bairro Junco – Picos.

 

Uespi divulga resultado preliminar da homologação das inscrições do Grupo Esperança Garcia

Por Arnaldo Alves

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) divulga o resultado preliminar da homologação das inscrições do Grupo de Estudos, Pesquisas e Extensões Esperança Garcia (GEPEG), campus Prof. Barros Araújo – Picos.

O resultado é referente ao edital de seleção para novos membros do GEPEG.

Para os candidatos não homologados caberá recurso, que deve ser interposto por meio de preenchimento do Anexo V do Edital, e seu respectivo envio, em formato doc. ou docx., via formulário eletrônico, neste sábado (21).

O resultado definitivo das homologações das inscrições será divulgado através do site da UESPI no dia 23 de agosto.

Confira o resultado preliminar.

Veja também o edital e a errata com todas as etapas de seleção.

Professor do curso de Direito desenvolve pesquisa sobre o uso da energia renovável para evitar o racionamento

Por Arnaldo Alves

O professor Emmanuel Rocha Reis, do curso de Direito da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Picos, produz uma pesquisa com o tema “Como a energia renovável pode evitar o racionamento: crise hídrica energética, sustentabilidade e a diversificação da matriz energética”.

De acordo com o docente Emmanuel Rocha, a pesquisa apresenta sua importância diante das situações presentes na implantação da energia renovável no estado do Piauí, com o intuito de possibilitar um debate sobre as relações existentes entre as comunidades que recebem empreendimentos, estado e empreendedores.

“Percebe-se que a diversificação da matriz energética é necessária, diante do contexto global de novas técnicas de uso energético e o menor impacto ambiental, além de possibilitar, claramente, uma redução do custo da energia ao consumidor. O trabalho busca evidenciar o papel das normatizações da energia renovável, das políticas públicas no Piauí na construção da diversificação da sua matriz energética. Inicialmente, a pesquisa constata que é preciso dar maior ênfase aos renováveis na matriz elétrica estatal, para que haja um real acesso à energia elétrica barata, a construção do desenvolvimento sustentável e a interação efetiva entre todas as partes envolvidas”, explica.

A pesquisa teve origem a partir da dissertação do professor Emmanuel no mestrado em Direito na Universidade Federal do Piauí (UFPI), sob orientação de Sebastião Mendes, defendida em dezembro de 2019. O trabalho tinha como temática as relações sociojurídicas e econômicas da energia eólica no litoral piauiense.

Projeto

Com previsão para o lançamento do edital em outubro, o professor Emmanuel pretende desenvolver o projeto de pesquisa “Direito, Meio Ambiente, Tecnologia e Energia Renovável: análise sociojurídica e economica do processo de diversificação da matriz energética piauiense”.

O objetivo será analisar os pontos em comum entre direito, meio ambiente, tecnologia e energia renovável, através da co-construção sociojurídica e econômica do processo de diversificação da matriz energética piauiense.

Segundo Emmanuel, serão feitos encontros e debates entre estudantes, convidados e a comunidade. As atividades do projeto devem contar com coleta de dados e produção científica textual.

“O Direito se apresenta como instrumento de diálogo entre as questões socioeconômicas, oportunizando a diversificação da matriz energética estadual a partir da aplicabilidade de regulações específicas do uso dos renováveis, à luz dos ditames do desenvolvimento sustentável, dos princípios constitucionais ambientais, presentes no art. 225 da Constituição Federal de 1988 e na Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981 (entre outras legislações), da viabilidade da economia verde, da construção de políticas públicas de incentivo, etc, em meio às ações governamentais estaduais e municipais de manuseio e implantação da energia renovável no estado do Piauí”, finaliza o professor.

Professoras da UESPI lançam livro sobre Educação Especial Inclusiva nesta terça-feira (10)

Por Arnaldo Alves

As professoras Fabrícia Gomes e Cristina Menezes, ambas do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Picos, lançam o livro Educação Especial Inclusiva: práticas e subjetividade na formação docente, nesta terça-feira (10), às 20h, na plataforma Google Meet. A obra conta com alunos, egressos e docentes do curso de Pedagogia.

A proposta da obra é debater a formação docente a partir de experiências investigativas na formação inicial do pedagogo. O livro aborda a Educação Especial em uma perspectiva inclusiva, com o intuito de fomentar discussões que perpassam desde concepções a praticas vivenciadas em sala de aula de escolas comuns e de centros de atendimento educacional especializado. Também são destacados temas voltados à subjetividade e praticas na formação docente, com ressalve para experiências pedagógicas institucionais e a construção do ser professor a partir do estágio supervisionado.

De acordo com a escritora do livro, Fabrícia Gomes, o lançamento também ocorrerá no dia 13 de agosto, às 17h, no I Seminário Pibid e PRP da Região Nordeste. “A obra tem a proposta de colaborar com a formação e práticas de profissionais da educação. Seja daqueles que ainda estão conosco, academicamente no curso, seja com egressos e demais autores profissionais da educação básica e superior”, ressalta.

Professora Fabrícia com o livro Educação Especial Inclusiva

Professora Fabrícia com o livro Educação Especial Inclusiva

Veja mais detalhes sobre a obra no vídeo da docente e autora do livro, Cristina Menezes:

Professora Cristina Menezes é uma das escritoras da obra

Professora Cristina Menezes é uma das escritoras da obra

Com desconto através do código (EDUCC20), você pode comprar a versão impressa da obra no site da Editora Appris. O link de acesso ao lançamento será divulgado nas redes sociais das professoras (fabricia_gomees) e (crisprofpsi).

Inscrições prorrogadas: Grupo Esperança Garcia publica errata do edital de seleção para novos membros

Por Arnaldo Alves

O Grupo Esperança Garcia, da Universidade Estadual do Piauí (GEPEG/UESPI), campus Prof. Barros Araújo – Picos, pública Errata do edital n. 01/2021 para seleção para novos membros.

De acordo com o coordenador do GEPEG e professor do curso de Direito da UESPI, Elvis Marques, as mudanças ocorreram em virtude do sistema da plataforma Lattes está fora do ar.

A principal modificação refere-se a prorrogação do prazo final de inscrição até o próximo domingo (08), mediante preenchimento do formulário, bem como envio (anexados no mesmo formulário) dos documentos listados na errata e no edital.

Veja as demais alterações na errata publicada nesta segunda-feira (02). Ao todo serão selecionados 20 candidatos.

Errata 01 2021 GEPEG UESPI.

Definitivo-EDITAL-DE-SELEÇÃO-PARA-GRUPO-DE-ESTUDOS-ESPERANÇA-GARCIA-UESPI.

Inscrições prorrogadas: Núcleo da UESPI realiza evento sobre produção científica nesta sexta-feira (30)

Por Arnaldo Alves

O Núcleo de Estudos Constitucionais da Universidade Estadual do Piauí (NEC/UESPI), campus de Picos, realiza o evento “Evolução Acadêmica Através da Produção Científica”, nesta sexta-feira (30), às 19h, via YouTube.

De acordo com um dos coordenadores do NEC e professor do curso de Direito da Uespi, Hamurabi Siqueira Gomes, o encontro tem como objetivo oferecer aos discentes e comunidade em geral um momento para debater e elucidar os pontos importantes na produção de trabalhos acadêmicos, demonstrando a importância e as possibilidades de evolução acadêmica através da produção científica.

“Um dos objetivos do NEC é estimular os nossos alunos do curso de Direito a produzirem cientificamente. Então, o compartilhamento da experiência e do conhecimento de uma pessoa como a professora Suzana Russo é de grande valia para alcance desse objetivo. A professora Suzana tem grande respaldo na comunidade científica. É doutora, possui pós-doutorado nos EUA, é professora aposentada pela Universidade Federal de Sergipe, é professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação (mestrado e doutorado) em Propriedade Intelectual da UFS e ministra diversos cursos na área da produção científica. Então, com certeza, será uma ótima oportunidade para os nossos alunos e comunidade em geral”, explica.

Inscrições

As inscrições encerram hoje (29), às 17h. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição do evento.

#UESPI35ANOS: “Somos mais que uma universidade, somos uma família”, diz aluno sobre estudar na UESPI

Por Arnaldo Alves

Com mais de 18 mil alunos, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) completa 35 anos nesta quarta-feira (28). Através do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, esses discentes estão transformando suas vidas e de muitas pessoas por meio de 29 cursos ofertados em 12 campi.

Qualidade no ensino

Natural de Tocantins, a estudante Daniela Andrisia, atualmente no 10° período, conta que um dos fatores que o levaram a escolher a instituição, foi sempre ter ouvido falar muito bem do curso de Odontologia da UESPI em Parnaíba.

Evento Sorriso vai à Praça |foto tirada antes da pandemia

Evento Sorriso vai à Praça |foto tirada antes da pandemia

“Além de uma universidade, encontrei uma segunda casa e família. Na UESPI temos excelentes professores. Sem dúvidas foi a melhor escolha que fiz. Sou extremamente grata a UESPI por minha trajetória na Faculdade de Odontologia no Piauí (FACOE/UESPI). Aqui temos a oportunidade de participar de vários projetos de extensão como o UESPI ODONTO, Prevenção de Câncer de Boca e Prevenção de Candidíase, participar dessas ações ressignificou muitas áreas da minha vida e aumentou meu amor pelo curso”, aponta.

Proximidade e afeto

Vinícius Coutinho, estudante do curso de Jornalismo do campus de Picos, escolheu a UESPI por ser a mais próxima de sua cidade natal (Patos do Piauí) e por ter laços de afeto com a instituição – sua mãe é formada na UESPI.

Apresentação de um dos artigos publicados

Apresentação de um dos artigos publicados

Atualmente no 6° período, o discente possui 12 artigos publicados, diversas participações em eventos nacionais e projetos da UESPI, além de passagens como estagiário em rádio, Ongs e agência de marketing.

“Inicialmente eu não teria condições de ingressar no ensino privado e também seria complicado ir para um lugar muito distante. A UESPI me trouxe a possibilidade de estudar mais perto de casa o curso que queria e também abriu as portas para várias oportunidades. Hoje trabalho no setor público e continuo realizando minhas atividades acadêmicas de ensino e pesquisa, defendendo que a UESPI esteja cada vez presente no Estado”, relata.

Vinícius no campus Prof. Barros Araújo | foto tirada antes da pandemia

Vinícius no campus Prof. Barros Araújo 

Humanização

A humanização dos egressos da UESPI foi um ponto observado por Juan Victor da Silva antes de ingressar no curso de Enfermagem do campus de Floriano. Segundo ele, essa característica foi fundamental para sua escolha.

“Estou no bloco IX do bacharelado em Enfermagem da UESPI. Tenho muita segurança em dizer que a graduação em Enfermagem mudou a minha vida para melhor. Ensinou-me a olhar o mundo de uma forma mais humana, educou-me para encarar um mundo de incertezas, mas sempre com empoderamento. A graduação de Enfermagem me proporciona momentos incríveis, de muitos aprendizados, de muitas causas e conquistas. De fato, hoje posso dizer que o impacto da graduação em Enfermagem, por meio da UESPI, foi positivo e que minha devoção como profissional honrará essa profissão e a instituição que proporcionou essa conquista”, agradece.

Juan (de óculos) e colegas de estágio | foto tirada antes da pandemia

Juan (de óculos sem a pasta) e colegas de estágio | foto tirada antes da pandemia

Realização profissional

Com premiações e dois livros produzidos, Felipe Oliveira, acadêmico de Administração do campus Poeta Torquato Neto (Teresina), faz parte de um seleto grupo de pesquisadores da área de gamificação no Piauí.

“Estudar na UESPI para mim é mais que um sonho, é a possibilidade de realizar o que eu almejo profissionalmente. Ingressei na universidade em 2018.1, fiquei muito animado com tudo que eu estava conhecendo, eu me sinto muito acolhido por todos os professores, técnicos, profissionais e colegas da UESPI. Somos mais que uma universidade, somos uma família. Gostaria de parabenizar a UESPI por mais um aniversário, que ela possa impactar ainda mais pessoas”, salienta.

Felipe com a camisa do curso de Administração da UESPI

Felipe é pesquisador de Gamificação e representa a UESPI em diversos eventos

Experiências pessoais

A estudante Valtécia Marques, do campus de Corrente, caminha para finalização do seu segundo curso na UESPI, tendo produzido atividades, ações e pesquisas nos programas do PIBEU, PIBID e Residência Pedagógica.

“A UESPI faz parte da minha vida não apenas no sentindo de formação profissional, mas no meu crescimento como pessoa, e na minha evolução como ser humano. Lugar onde tenho adquirido grandes experiências, de aprendizado, formação, e onde tenho conhecido pessoas magníficas, colegas, professores e amigos. Sou formada em Engenharia Agronômica e me encontrei como profissional na Pedagogia. Dentro do curso ampliei meus horizontes e toda a minha visão a respeito do mundo que me rodeia”, disse.

Ação realizada em uma escola de Corrente

Ação realizada em uma escola de Corrente |foto tirada antes da pandemia

Logísticas e qualidade do curso

No último período do licenciatura, o discente Igo dos Santos Reis, atua no Laboratório de História do campus Ariston Dias Lima, de São Raimundo Nonato. Para ele, logística e qualidade do curso foram determinantes para o seu desenvolvimento na licenciatura.

“A minha trajetória na UESPI foi riquíssima, o conhecimento construído ao longo desses anos é para toda uma vida. Os diálogos com professores, colegas, as produções acadêmicas, tudo isso gera um impacto extremamente positivo para mim enquanto futuro mediador do conhecimento no ambiente escolar”, acrescenta.

Igor (camisa polo) com colegas de curso durante o evento UESPI Negra

Igor (camisa polo) com colegas de curso durante o evento UESPI Negra|foto tirada antes da pandemia

Com 35 anos de existência, esse são exemplos de estudantes que escolheram a UESPI para fazer parte da sua trajetória acadêmica e de vida. Eles fazem parte de uma instituição com maior capilaridade do Piauí e que acredita o capital humano como maior transformador da educação pública no Brasil.

Professora e alunos da UESPI de Picos criam perfil no Instagram para divulgar atividades extracurriculares

Colaboração: Mayara Carvalho / Professora Orientadora: Sammara Jericó

Professora  e coordenadora do curso de jornalismo, Thamyres Sousa, juntamente com os alunos do 4º período no curso de Jornalismo da UESPI de Picos, lançam projeto Eu quero horas para divulgação de atividades acadêmicas, científicas e culturais, oferecendo visibilidade a eventos gratuitos e pagos, de diversas áreas tanto para estudantes quanto aos demais interessados.

A ação surgiu da necessidade dos alunos adquirirem horas complementares. “Percebendo a dificuldade da maioria dos alunos na realização e entrega de horas extracurriculares na disciplina de AACC, eu resolvi criar a página juntamente com os alunos”, disse a docente.

Perfil do projeto no Instagram

Perfil do projeto no Instagram

Ela acrescenta que alguns alunos chegam as disciplinas do final do curso sem conseguir completar a carga horária. “Muitos não têm conhecimento sobre a realização de alguns eventos e atividades ou até mesmo não se encontravam nas atividades ofertadas. Com a página, alunos de vários cursos podem ter acesso a atividades variadas, além de adquirir conhecimento completar as horas de atividades complementares”, acrescentou.

O perfil @euquerohoras tem posts semanais, abrangendo áreas diversas como comunicação, saúde e educação afim de alcançar todos os públicos.

Inscrições abertas: programa Seu Direito na Praça promove evento com temas relacionados ao acesso à Justiça

Por Arnaldo Alves

O programa de extensão Seu Direito na Praça, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof° Barros de Araújo – Picos, realiza o evento “O Sistema Multiportas como Política de Acesso à Justiça”, nos dias 09 e 10 de agosto, das 14h às 18h, através da plataforma Google Meet.

De acordo com a coordenadora do Seu Direito na Praça, professora Hilziane Brito, trata-se de um curso de extensão de dois dias, com a presença de palestrantes de notório conhecimento jurídico sobre o tema.

“A proposta consiste em propagar entre docentes, discentes, do curso de Direito da UESPI de Picos e de outros cursos e à comunidade externa noções do sistema multiportas e de como este é capaz de proporcionar um efetivo acesso à justiça”, ressalta a docente.

O evento conta com a coordenação adjunta do professor Emmanuel Reis. A programação da ação possui três conferências com os seguintes eixos temáticos:

• O mundo mudou, o Direito chegou ao fim?

Mediação On-line;

• O papel do Poder Judiciário diante da efetividade dos mecanismos multiportas;

Inscrições

As inscrições estão abertas, os interessados devem preencher o formulário de inscrição do evento.

Gratuito e aberto ao público em geral, os participantes receberão certificação de 10h/a.

Inscrições abertas para seleção de novos membros do Grupo Esperança Garcia

Por Arnaldo Alves

Estão abertas as inscrições para seleção de novos membros do Grupo de Estudo e Pesquisa Esperança Garcia (GEPEG), da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Barros Araújo – Picos.

Ao todo o edital conta com 20 vagas. Podem se inscrever aqueles que estão cursando ou que já concluíram um dos cursos superiores das áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes, que estão categorizados conforme estabelecido na tabela de áreas do conhecimento da CAPES/CNPq.

De acordo com o aluno do curso de Direito e secretário do Grupo Esperança Garcia, Josenilson Rodrigues, o GEPEG é o local ideal para quem busca crescer como pessoa e acadêmico, através da produção de estudos, pesquisas e extensões.

“O GEPEG proporciona diversos meios de autodesenvolvimento, é um local de troca de experiências e conhecimentos plurais, um ambiente que oportuniza o desenvolvimento do senso crítico, ao passo que é formado por pesquisadores de diversas áreas, cada qual com suas potencialidades. Em minha trajetória no GEPEG já pude participar de diversas discussões nos nossos encontros, além de ajudar na promoção de projeto de extensão, organizando diversos eventos voltados à comunidade. Além disso, tive minhas primeiras produções, com um artigo publicado em periódico científico qualificado pela CAPES e outro publicado em capítulo de livro. Isso ajuda e muito no meu desenvolvimento acadêmico”, ressalta o discente.

Reunião do Grupo Esperança Garcia

Reunião do Grupo Esperança Garcia

O processo seletivo conta com quatro etapas:

a) homologação das inscrições (eliminatória);

b) análise do projeto de pesquisa e/ou de extensão (classificatória e eliminatória);

c) arguição oral (classificatória e eliminatória);

d) análise do currículo Lattes e tabela de títulos (classificatória), vide tabela de pontuação do Anexo V.

Inscrições

As inscrições começaram nesta quinta-feira (15) e seguem até o dia 05 de agosto.

Os interessados devem preencher o formulário de inscrição do edital, bem como anexar no mesmo formulário os seguintes documentos:

a) Ficha de inscrição, em formato PDF, corretamente preenchida e assinada (Anexo II), acompanhada de comprovante de matrícula ou diploma de curso superior, conforme grupo de concorrência, de acordo com o item 4.1;

b) Declaração de disponibilidade, em formato PDF, com assinatura (Anexo III);

c) Projeto de pesquisa e/ou de extensão, em formato PDF;

d) Tabela de títulos (Anexo V) preenchida e devidamente acompanhada dos comprovantes, bem como do Currículo Lattes.

Confira o edital completo com todas as informações sobre o processo seletivo.

Grupo Esperança Garcia lança edital para seleção de novos membros no dia 15 de julho

Por Arnaldo Alves

O Grupo de Estudo e Pesquisa Esperança Garcia (GEPEG), da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Barros Araújo – Picos, lança no dia 15 de julho o edital para seleção de novos integrantes do Grupo.

Ao todo serão disponibilizadas 20 vagas distribuídas em três grupos:

a) GRUPO A: cinco vagas para alunos bacharelandos ou licenciandos, regularmente matriculados na UESPI;

b) GRUPO B: cinco vagas para alunos bacharelandos ou licenciandos, regularmente matriculados em qualquer instituição de ensino superior (IES) do Brasil reconhecida pelo MEC;

c) GRUPO C: 10 vagas para egressos de curso superior de qualquer IES.

De acordo com o professor do curso de Direito e coordenador do Esperança Garcia, Elvis Marques, poderão se inscrever os graduandos, licenciandos e egressos das áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes, conforme estabelecido na tabela de áreas do conhecimento.

“O candidato selecionado para integrar o GEPEG deve, por semestre: publicar um artigo científico em revista qualificada pela CAPES; participar da organização de dois eventos organizados pelo GEPEG; participar das reuniões mensais via Google Meet, com frequência mínima de 80%; e apresentar relatório das atividades desenvolvidas”, explica o docente.

O professor acrescenta que, todas as atividades do GEPEG (discussões de estudos, projetos de pesquisa e de promoção de extensões) estão sendo desenvolvidas, excepcionalmente, em caráter remoto, em virtude da pandemia de COVID-19. Cessado o estado pandêmico, as atividades serão desenvolvidas de forma híbrida, mesclando atividades presenciais e à distância”, explica o docente.

Inscrições

As inscrições serão abertas na próxima quinta-feira (15) e o cronograma completo divulgado no site da UESPI e nas redes sociais do GEPEG.

Para se inscrever, o candidato deve apresentar ficha de inscrição, declaração de disponibilidade, projeto de artigo e tabela de títulos.

Serão quatro etapas: homologação das inscrições, análise do projeto de pesquisa, arguição oral e análise dos títulos. O projeto possui peso 5, a arguição oral possui peso 4 e os títulos possuem peso 1.