UESPI

Brasao_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Governo-do-Piauí-2023_300X129

Ecossistemas em Foco: Parcerias acadêmicas fortalecem estudos ecológicos no Norte do Piauí

Por Clara Monte

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Campo Maior, recebe a visita de três pesquisadores: Dr. César Murilo de Albuquerque Correa, coordenador do Laboratório de Bioecologia de Scarabaeoidea (Scaralab) da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul; Leonardo Vilas-Bôas Mendonça Pedreira de Cerqueira e Dr. Renato Portela Salomão, ambos do Laboratorio de Ecología en un Mundo Cambiante (LABEMUNDO) da Facultad de Estudios Superiores Iztacala, Universidad Nacional Autónoma de México.

Equipe acadêmica reunida no Parque de Sete Cidades durante a expedição de campo

Essa visita representa uma colaboração em andamento com um projeto conduzido pelo Prof. Lucas Lima, responsável pelo Núcleo de Pesquisa em Insetos Aquáticos (NUPEIA) na UESPI. O projeto “Efeito da paisagem sobre a assembleia de besouros rola-bosta em vegetação aberta de uma região ao norte do Cerrado”, concentra-se no estudo de aspectos ecológicos, com a distribuição de espécies e biodiversidade de besouros escaravelhos no Parque Nacional das Sete Cidades, localizado no norte do Piauí. Inicialmente originado na dissertação de mestrado de Lucas Kaíque Sousa Gonçalves, estudante do Programa de Pós Graduação em Biodiversidade e Conservação (PPGBC) da Universidade Federal do Piauí.

Aluno de mestrado, Lucas Kaíque Sousa Gonçalves, analisando os besouros coletados

Para o Prof. Lucas Lima, a visita dos pesquisadores representa mais do que uma mera interação acadêmica; ela formaliza uma parceria com a UNAM do México e a UEMS do Mato Grosso do Sul. Ele destaca a importância das parcerias acadêmicas como uma prioridade para o desenvolvimento dinâmico e saudável do meio científico, tanto dentro quanto fora do Piauí.

“Através dessa visita, fortalecemos diferentes aspectos sociais e acadêmicos cruciais para a UESPI, Campo Maior e o Piauí como um todo. Com a presença dos pesquisadores César, Leonardo e Renato, promovemos a troca de experiências humanas e científicas entre suas instituições e a nossa. Essas colaborações também abrem portas para que estudantes e professores da UESPI possam compartilhar conhecimento além das fronteiras do Piauí, através de visitas e estudos de pós-graduação nas instituições desses colaboradores. Dessa forma, estabelecemos conexões humanas e científicas benéficas para ambas as partes”.

Expedição de campo

O pesquisador visitante, Renato Portela Salomao, destaca a importância prática do projeto, envolvendo atividades como coleta de material biológico nos ecossistemas naturais do Piauí. Ele menciona que a parceria não apenas permite a troca de conhecimentos e experiências entre diferentes universidades, mais também apoio às comunidades nas cidades envolvidas – Campo Maior, Aquidauana e Tlalnepantla de Baz.

“Essa pesquisa contribui diretamente para a geração de conhecimentos teórico e prático sobre Ecologia. Ao entender como os diversos espaços naturais no PARNA Sete Cidades influenciam a distribuição de espécies de besouros escaravelhos, estabelecemos uma base para compreender as dinâmicas de distribuição espacial de insetos no cerrado brasileiro. Esse conhecimento é fundamental para a compreensão global dos padrões de distribuição espacial da biodiversidade. Além disso, a pesquisa está formando profissionais piauienses altamente qualificados, prontos para atuar dentro e fora do estado. Com a formação do estudante Lucas Kaíque, teremos um mestre capaz de contribuir significativamente em aspectos sociais, de biodiversidade e políticos no estado do Piauí”.

UESPI Campo Maior: Aula Prática no Laboratório da UESPI

Por Giovana Andrade

No Laboratório de Informática da UESPI do campus de Campo Maior, foram realizadas duas aulas práticas da disciplina de Geografia Agrária, no curso de Licenciatura Plena em Geografia durante os dias 26 e 27 de outubro.

Nestas aulas, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer uma das principais plataformas de coleta de dados estatísticos do Brasil, o SIDRA. O SIDRA é um Banco de tabelas estatísticas que tem como principal objetivo armazenar e disponibilizar os dados de pesquisas realizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Através dessa plataforma, os alunos puderam aprender a gerar tabelas, gráficos e cartogramas relacionados a informações populacionais, econômicas e ambientais, entre outros.

Alunos de Geografia na aula prática.

O objetivo principal das aulas foi apresentar o SIDRA aos alunos e demonstrar, na prática, como eles podem coletar dados estatísticos para a realização de seus trabalhos acadêmicos.

A Coordenadora do curso de Geografia, Cíntia dos Santos Lins, explica que durante as atividades realizadas no laboratório, os alunos tiveram a possibilidade de atualizar os dados estatísticos associados à expansão do agronegócio no Nordeste, mostrar o processo evolutivo, além de construir gráficos, tabelas e cartogramas.” Foi gratificante a oportunidade de oferecer aos nossos alunos uma aula com maior dinamismo, o que proporcionou maior entendimento do assunto em estudo, além disso, eles aprenderam a construir gráficos, tabelas e cartogramas para melhor representar esses dados”.

UESPI celebra 30 Anos do Campus Heróis do Jenipapo, em Campo Maior

Por Anny Santos

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) celebrou os 30 anos do Campus Heróis do Jenipapo, localizado na cidade de Campo Maior, nos dias 16, 17 e 24 de outubro. O evento foi marcado por uma série de atividades que uniram as comunidades acadêmica e a sociedade local.

Uma das grandes novidades foi a inauguração do novo laboratório de informática, equipado com 20 computadores, que oferecerá oportunidades de aprendizado e pesquisa para estudantes e pesquisadores. Esse é o 11° (décimo primeiro) laboratório inaugurado pela nova gestão.

O Reitor da instituição, Professor Dr. Evandro Alberto, marcou presença na cerimônia de encerramento do evento, realizando a entrega do novo laboratório. “É uma honra poder celebrar esse momento. Gostaria de agradecer aos professores que fazem desse espaço um local de transmissão de conhecimento, além de tornarem possível o fomento a uma educação de excelência. Nosso compromisso, com a entrega desse novo laboratório, é garantir o acesso à internet de qualidade e equipamentos novos, possibilitando uma melhor conectividade, que contribui para o ensino de nossos discentes”.

A programação teve início com o I Campeonato Poliesportivo, que reuniu alunos em competições de diversas modalidades esportivas, promovendo a integração e o desenvolvimento esportivo. Os participantes do evento também tiveram a oportunidade de acompanhar apresentações culturais, bem como salas temáticas, permitindo a troca de conhecimentos.

Ingrid Veras, discente do 3° período do curso de Licenciatura em Geografia, destaca a importância de receber alunos das escolas da região dentro da universidade, com o intuito de demonstrar o que a UESPI tem a oferecer, incentivando o desenvolvimento da educação no município e nas demais localidades. “É sempre importante ressaltar o quanto a nossa universidade faz para fomentar o ensino. Tudo que apresentamos objetivou o entusiasmo desses alunos que recebemos, não apenas beneficiando eles, mas também nós, enquanto futuros professores”.

Para a Diretora do campus, Professora Dra. Maria Pessoa da Silva, é perceptível os benefícios que os trabalhos desenvolvidos pela instituição trazem para a comunidade. “Sou egressa desse campus e me sinto honrada em estar hoje à frente dele. As contribuições da UESPI no território dos Carnaubais são imensas. Estamos aqui há 30 anos com os cursos que hoje se encontram ativos, outros que já estiveram e com os que estão por vir. Entendemos que a instituição sempre foi e será uma entidade de grande respeito, de grande respaldo junto à população campo-maiorense’.

Dentre as atividades, uma exposição retratou as contribuições da UESPI para a região de Campo Maior e áreas adjacentes. Isso incluiu projetos de pesquisa, ações sociais e iniciativas que têm impactado positivamente as comunidades locais. No encerramento, foi entregue láureas acadêmicas à estudantes que se destacaram em suas respectivas áreas, honrando o compromisso com a excelência acadêmica.

O evento de comemoração dos 30 anos do Campus reforçou o compromisso contínuo da instituição com o desenvolvimento acadêmico, cultural e social da região. Além disso, destacou a importância da universidade como um pilar fundamental no progresso do Piauí.

Campus de Campo Maior: Ação extensionista promove práticas sustentáveis para o meio ambiente

Por Clara Monte 

Comunidade acadêmica do cursos de Pedagogia, Ciências Biológicas e Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Campo Maior, promoveram uma ação extensionista de atividades práticas no ensino superior a fim de aproximar o ensino de Ciências e a Arte na perspectiva da Educação sustentável.

O programa visa articular entre os alunos dos cursos a interdisciplinaridade das disciplinas Metodologia em Ciências, Arte e Educação e Educação Ambiental, a fim de utilizar os espaços do campus da Universidade Estadual do Piauí (Campus heróis do Jenipapo – Campo Maior) como local de sustentabilidade e respeito à natureza: com a plantação de mudas e hortas utilizando sucata e material reciclável.

Os discentes deverão não somente plantar e ornamentar as sucatas – transformando-as em arte para sustentar as plantas e embelezar o campus, como deverão cuidar todos os dias do crescimento dessas mudas e hortas, aprendendo também a utilizá-las como recurso didático nas suas práticas metodológicas. A proposta traz em seu bojo um espaço de partilha de ideias promovendo uma avaliação, tanto nos aspectos cognitivos, quanto nos operativos e atitudinais.

A Profa. Samara Borges da Silva, uma das coordenadoras do projeto, afirma que, quanto a participação nas diversas atividades, serão levados em consideração aspectos relacionados à motivação, gosto pela arte, interesse, criatividade, responsabilidade, relacionamento interpessoal, assim como a construção de novos conceitos que regem a alfabetização científica no contexto da sustentabilidade.

“A intenção do desenvolvimento do projeto se dar não apenas pela necessidade de ações articuladas e interdisciplinares entre as áreas estudadas no curso de Pedagogia, como metodologia das Ciências, Arte e Educação, Educação Ambiental, mas também pela necessidade de revitalizar os corredores do campus com a plantação de mudas e hortas como meio de sustentabilidade para os alunos e os funcionários. Com essa ação, ainda tem o embelezamento do campus com a transformação de sucata em arte. Estamos promovendo a sustentabilidade”, afirma a docente.

A aluna Nadiene Sousa disse que participação e experiência no projeto está sendo enriquecedora, pois através as palestras ministradas permitiram novas visões e novos conhecimentos acerca das práticas sustentáveis sobre o meio ambiente.

“Acredito que esse projeto voltado para a sustentabilidade permite a promoção da sensibilização, preservação e cuidado com o meio ambiente. E dentro da academia é de extrema importância por ser um espaço para desenvolvimento do conhecimento crítico, com isso permitir a conscientização do cuidado com o meio ambiente e também permitir uma ambiente mais saudável e bonito”, finaliza a discente

 

 

Programa de Extensão “Biblioteca Móvel” realiza atividade em alusão ao Dia Internacional do Brincar

Por Luana Silva

Em alusão ao Dia Internacional do Brincar, que é comemorado em 28 de maio, foi executado o programa de extensão “Biblioteca Móvel: levando a leitura a todos os lugares“, que  ocorreu  na praça Rui Barbosa, em Campo Maior.

Crianças e os pais se envolveram no projeto de extensão


A ação aconteceu no último sábado (27), com o intuito de
reforçar a ideia de que brincar é um direito de todas as crianças e que atividades lúdicas beneficiam o desenvolvimento em aspectos como a criatividade, a educação, a coordenação motora, o bem estar e a convivência social. 

O Programa de Extensão “Biblioteca Móvel: levando a leitura a todos os lugares” teve início em Setembro de 2019 e tem a finalidade de incentivar a leitura, principalmente, junto às crianças que não têm acesso aos livros, além de possibilitar a escolha livre de obras literárias, estimulando a autonomia e o prazer no ato de ler. Há um ano, o programa realiza  atividades livres nas praças da cidade e vem ganhando uma maior expansão e visibilidade, sendo divulgado nas mídias sociais como o Instagram (@bibmovel_uespi).

As crianças podiam também escolher o seu livro preferido para ler

A Professora e  Coordenadora do programa, Ana Gabriela Nunes, enfatiza a relevância das ações realizadas na cidade e realça como são essenciais para o desempenho dos alunos.  “Gostaria de acrescentar que ações extensionistas como essa são de grande importância para a comunidade campomaiorense e para os nossos alunos, que têm a oportunidade de relacionar os conhecimentos teóricos com as atividades práticas, além de ampliar as habilidades sociais, necessárias na interação com o público que irão trabalhar futuramente”, destaca.

Além da leitura de livros, brincadeiras foram inseridas na ação extensionista

O projeto também tem como organizadora a aluna do 7º bloco de Pedagogia, Letícia Maria Nunes, que ressalta a importância da valorização da data comemorativa e a satisfação em proporcionar ações como essas para as crianças da população. “A atividade realizada, neste sábado, em alusão ao Dia Internacional do Brincar, foi muito proveitosa e prazerosa. Valorizar essa data é importante e necessária, em especial, para as crianças, porque levamos alegria, diversão e brincadeiras. Tudo isso valoriza a infância de cada uma. As crianças que chegavam na praça já ficavam animadas para saber o que tinham em cada espaço que organizamos, tivemos muitas opções de atividades, levamos livros, teve contação de história, brincadeiras, pintura no rostinho, música, dança e muita animação das crianças e dos pais. Os pais ficaram maravilhados e agradeceram pelo momento”.

A proposta contempla ações em três níveis: formação inicial com os acadêmicos participantes, que são os discentes do campus inscritos no projeto, com leituras e discussões; e ações na comunidade, como em escolas e ainda atividades mensais nas praças da cidade de Campo Maior.

A ideia do projeto é incentivar a leitura e o conhecimento através dos livros


Nessas ações são  realizadas contação de histórias, incentivo a leitura livre de obras do acervo e, recentemente, foi ampliado para brincadeiras e jogos que estimulam a coordenação motora das crianças.

Curso de Geografia de Campo Maior promove evento em homenagem ao dia do Geógrafo

Por Clara Monte 

No dia 29 de maio acontece o evento “Dia do Geógrafo: Ciclo de Palestras“, promovido pela comunidade acadêmica do curso de Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Heróis do Jenipapo, em Campo Maior. O evento será presencial, na biblioteca do campus, e também sendo disponibilizado um link via Google Meet para os demais interessados.

O projeto foi idealizado pelo professor do curso de Geografia, Bruno Maia, que tem como objetivo mostrar aos alunos a importância da profissão para à sociedade, além de prestar homenagem ao Dia Internacional do Geógrafo(a), recordando os maiores nomes dos profissionais da área no Estado do Piauí.

“Esse é o primeiro evento que vamos organizar no ano para o curso, onde todos do departamento de geografia estão engajados no debate sobre o papel do profissional no século XXI, nas mais diversas áreas onde podemos atuar. Será discutida, nos ciclos de palestras, a contextualização de áreas físicas, culturais, políticas e de ensino”, pontua o professor.

A oportunidade é mais uma ação desenvolvida pela coordenação do curso com o intuito de promover restruturações de melhorias na formação dos alunos. A professora Cíntia dos Santos, uma das organizadoras do evento, afirma que o encontro marca uma continuidade do curso em desenvolvimento de uma série de atividades e projetos.

“Nós professores, juntamente com a direção da UESPI e os alunos, estamos em uma busca constante por melhorias para o nosso curso, como a criação de projeto ecológico associados a materiais reciclados do campus, projetos de pesquisa e extensão, horta comunitária para práticas e elaboração de um controle acadêmico para nossos discentes. Esse evento significa muito para nós geógrafos, pois, além de servir como homenagem ao nosso dia, é a integração de todos as ações em um só momento, impulsionando o ensino de qualidade”.

A docente destaca, ainda, que a oportunidade contará com ciclos de palestras com temas ligados ao raciocínio geográfico na educação básica e estratégias didáticas nas áreas da geografia cultural, política e outras, na qual geógrafos de renome de outras cidades foram convidados para participação, além de dois egressos do curso da UESPI que irão contribuir contanto suas experiências dentro do campo em formação e no mercado de trabalho.

“Nossa intenção é fazer com que os alunos tenham contato com profissionais de outros lugares, resultando em mais conhecimento e informações, explorando o máximo de áreas de estudo, além de incentivá-los na organização de eventos, motivando nossa comunidade de discentes a promoção de ciclos de palestras que geram maior nível de interação entre eles, permitindo a estimulação de pesquisas e projetos”, finaliza a professora.

Marcelo Alves, um dos egressos que irá palestrar no evento, comenta que ficou muito feliz com o convite para participar e que suas expectativas são as melhores possíveis, tendo em vista que contribuirá para visibilidade do campus. “Esse momento é essencial para incentivar os graduandos a se dedicarem aos estudos e focarem na continuidade de sua formação, sempre buscando aperfeiçoamento em sua carreira de professor-pesquisador, ver como é o campo de atuação funciona, e como lograr êxito na carreira”.

UESPI Campo Maior realiza Semana do pedagogo 2023: repensando saberes e fazeres da prática pedagógica

Por Giovana Andrade

No dia 20 deste mês é comemorado o dia do pedagogo e, pensando nisso, acontecerá no campus da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), de Campo Maior, o evento com a temática “ Semana do pedagogo 2023: repensando saberes e fazeres da prática pedagógica“, entre os dias 22 e 25 deste mês.

A ação é voltada para os alunos do curso de pedagogia e contará com Roda de conversa: Autocuidado e Saúde Mental; Mostra Residência Pedagógica: experiências significativas na Educação Infantil; Oficina – Aprendizagem e inclusão: elaboração de recursos didáticos para a aprendizagem de alunos com deficiência.

A coordenadora do curso de pedagogia e uma das organizadoras do evento, Suênya Mourão, destaca que o evento foi pensado junto ao colegiado do curso como uma forma de ampliar as oportunidades formativas dos alunos. ” O principal objetivo é proporcionar momentos de discursões e aprendizagens acerca da formação do pedagogo e os desafios atuais de sua atuação”.

Inscrição

As inscrições devem ser realizadas apenas para participar da Oficina – Aprendizagem e inclusão: elaboração de recursos didáticos para a aprendizagem de alunos com deficiência , através do preenchimento do formulário online ou através do número da coordenação  86 99922-0384 (Suênya Mourão), até dia 19 deste mês.

Programação

22/05 (Segunda-feira)

09h-Roda de conversa: Autocuidado e Saúde Mental (Auditório do campus Herois do Jenipapo)

23/05 ( Terça-feira)

09h-11:30h– Mostra: Residência Pedagógica: experiências significativas na Educação Infantil (Corredor central do campus Herois do Jenipapo)

24/05 (Quarta-feira)

14h– Oficina – Aprendizagem e inclusão: elaboração de recursos didáticos para a aprendizagem de alunos com deficiência (Laboratório de Práticas)

25/05 (Quinta-feira)

08h– Oficina – Aprendizagem e inclusão: elaboração de recursos didáticos para a aprendizagem de alunos com deficiência (Laboratório de Práticas)

 

Batalha do Jenipapo: 200 anos da luta de Piauienses pela Independência do Brasil

Por Clara Monte

O dia 13 de março é marcado pela lembrança do confronto mais sanguento da Guerra de Independência do Brasil, a Batalha do Jenipapo.

Solenidade em Campo Maior

A batalha aconteceu no dia 13 de marco de 1823, onde cearenses e maranhenses se juntaram ao povo do Piauí para lutar contra resistentes tropas portuguesas lideradas pelo Major João José da Cunha Fidié. Este conflito se tornou um momento histórico para o Estado e para o país.

A Batalha do Jenipapo | ©2008 Todos os Direitos Reservados. … | Flickr

Como aconteceu?

A batalha aconteceu às margens do Rio Jenipapo, onde, atualmente, se encontra a cidade Campo Maior, no Piauí. A confronto se iniciou após terem sido descobertas as intenções do comandante das tropas portuguesas: manter a região sob o domínio português para abafar os movimentos de independência que se desenvolviam na área.

Os brasileiros decidiram, então, impedir que o plano dos portugueses fosse realizado e travaram uma luta entre o Império do Brasil e o Reino Unido de Portugal.

Do lado brasileiro estavam pessoas simples, lavradores, artesãos, escravos, roceiros, vaqueiros, etc. Enquanto que do lado português haviam soldados bem treinados, bem armados e à cavalo.

A Batalha do Jenipapo é conhecida como uma das mais sangrentas batalhas realizadas no solo brasileiro, isso se deve ao fato de que os brasileiros não foram para a luta com armas de guerra e sim com facões, machados, porretes e armas artesanais. Cerca de 200 brasileiros foram mortos e outros 542 foram feitos prisioneiros por Portugal, enquanto 116 portugueses morreram e 60 ficaram feridos.

A sangrenta Batalha do Jenipapo, que opôs brasileiros e portugueses no sertão um ano após Independência 'pacífica' - BBC News Brasil

Os brasileiros perderam a batalha, mas fizeram a tropa mudar de percurso e evitaram que o exército português fosse até a capital, onde, por não haver exército de prontidão, seria muito fácil tomar o comando de tudo.

A ação dos brasileiros foi crucial para o processo de emancipação do Brasil e é lembrado até hoje como um gesto de coragem, onde o bem da maioria se sobrepôs ao medo de perder a vida. Em 1973 foi criado um monumento na cidade de Campo Maior para homenagear as pessoas que se sacrificaram na Batalha do Jenipapo, que completa 190 anos em 2023.

Marcelo de Sousa Neto, docente da Uespi, campus Clóvis Moura, desenvolveu o artigo “Os filhos da Nação” sobre análises do contexto do que estava acontecendo no solo piauiense durante a organização da política do Império Português. 

“No Piauí, o que se observou é que o projeto vitorioso de Independência foi o das elites locais, formadas a partir de influentes grupos familiares e que já faziam parte da administração provincial. Para essas elites, transformações político-sociais representavam uma prédica, com vistas na manutenção de seus interesses no novo arranjo político do Brasil. Contudo, no Piauí, o processo se deu de maneira árdua e prolongada, marcado por combates, alianças e contradições internas de diversos setores da sociedade, em que grupos populares, em sua maioria composta pela população empobrecida da Província, se uniram às elites em uma luta comum contra a Coroa portuguesa, àquele instante apresentada como a responsável por todos os seus males e mágoas. Em meio às lutas, os grupos dirigentes buscavam a manutenção de seus interesses, ao tempo que as camadas populares, os filhos indesejados da Nação, lutavam por sua inserção na nova ordem”.

São discutidos no artigo o processo de adesão dos grupos familiares locais a causa separatista, suas movimentações no cenário local em contraponto às movimentações em outras capitanias e na sede da Colônia, antes, durante, e depois do grande confronto, e como foram estabelecidas alianças provisórias com grupos populares locais, tomando como metodologia a revisão da literatura existente sobre o tema a partir do estudo da História das Famílias.

O professor reflete dizendo que a Batalha do Jenipapo no Piauí foi uma engrenagem muito importante no processo de separação do Brasil de Portugal. “Os povos lutaram na grande batalha por sua independência e mesmo assim foram silenciados pelas grupos de edites que comandavam o Piauí na época e que continuaram mesmo após a separação”, finaliza.

Pauliana Maria de Jesus, egressa do campus da Uespi de Campo Maior, escreveu sua monografia com o título “Polifonia sobre a Batalha do Jenipapo: A construção de uma memória”. Ela diz que sua motivação para a esse tema veio da vontade de um maior reconhecimento nacional por essa luta piauiense.

“Eu sou campo-maiorense, tenho uma motivação afetiva com esse tema, e vejo como uma forma de valorização para nosso estado promover mais artigos sobre a memória significativa para a população de Campo Maior, e piauienses. Acho importante as pessoas saberem e terem a consciência que muitas pessoas simples e humildes, quase que desarmados, mas com muita força de vontade, morreram lutando pela nossa independência, e estão na história do nosso estado como verdadeiros heróis”.

A monografia analisa a historiografia da Batalha do Jenipapo e os clássicos envolvidos com o tema, como as obras do autor Monsenhor Chaves. A egressa destaca no seu trabalho analises críticas sobre os debates, tendo como objetivo principal a construção do monumento, e como a história dessa luta é vista pela sociedade.

Um estado de coragem

Na próxima segunda-feira (13), acontece no município de Campo Maior-PI atividades comemorativas ao 200° Aniversário da Batalha do Jenipapo.

A ação é promovida pelo governo do estado, e conta com a solenidade Cívico-Militar, desfile militar, apresentação da peça teatral, e outorga da ordem estadual do mérito renascença do Piauí local: Monumento Heróis do Jenipapo.

Presidente Lula manda uma mensagem aos piauienses pelo dia da Batalha de Jenipapo


Imagens do Monumento e das festividades em Campo Maior: 

Solenidade em Campo Maior

Credito: Francisco Gilásio

 

 

 

 

 

Batalha do Jenipapo: 198 anos da luta de Piauienses pela Independência do Brasil - Cidade

Batalha do Jenipapo completa 199 anos neste domingo (13) - Geral

Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência promove evento em Teresina e Campo Maior

Divulgação

Convidamos você a se inscrever e participar de um importante evento científico organizado pela Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a ser realizado nos dias 13 e 14 de março em Teresina, e no dia 15 em Campo Maior. As inscrições são gratuitas e já estão abertas.

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) preparou uma programação intensa com o tema “Território ancestral e promissor: ciência para o desenvolvimento sustentável e inclusivo do Piauí”, trazendo debates sobre independência, soberania, educação, meio-ambiente e economia. Quem não puder participar presencialmente, poderá acompanhar as atividades online, pelo canal oficial da SBPC no Youtube.

Durante o evento, o público poderá assistir a conferências e mesas-redondas voltadas aos estudantes de graduação e pós-graduação, professores do ensino básico, médio e técnico, além de professores do ensino superior e interessados em geral. As atividades contarão com a participação de pesquisadores locais e de outras regiões do País.

Entre os temas que serão debatidos nas conferências estão a “Batalha do Jenipapo”, que contará com a participação de Johny Santana de Araújo, professor da UFPI, e apresentação de Ildeu de Castro Moreira, presidente de honra da SBPC e professor e pesquisador do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); “Desafios do ensino superior e da pós-graduação”, que será proferida por Naomar de Almeida Filho, professor titular de Epidemiologia no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e apresentada por Renato Janine Ribeiro, presidente da SBPC; e “A construção de uma sociedade sustentável”, que terá como conferencista Paulo Artaxo, vice-presidente da SBPC e professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), e apresentação de Helena Bonciani Nader, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Assim como ocorre em todos os eventos da SBPC, a Reunião Regional tem como um de seus objetivos principais popularizar e valorizar a produção científica nacional e inseri-la no cotidiano dos cidadãos.

As atividades da Reunião Regional são gratuitas e abertas ao público em geral, mas quem quiser receber o certificado de participação geral do evento precisa se inscrever no site https://rr.sbpcnet.org.br/piaui/

Seletivo para Estágio Não Obrigatório do Curso de Licenciatura em Pedagogia

A Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX e do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários – DAEC, torna pública a abertura de Processo Seletivo para Estágio Não Obrigatório do Curso de Licenciatura em Pedagogia, para lotação na Brinquedoteca, em Campo Maior-PI.

Confira:

EDITAL CAMPO MAIOR

Matemática PRIL: Campo Maior realiza Aula Inaugural do curso

Por Anny Santos

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizou, na última sexta-feira (25), a Aula Inaugural do curso de Licenciatura Plena em Matemática pelo Programa Institucional de Fomento e Indução da Inovação da Formação Inicial Continuada de Professores e Diretores Escolares (PRIL), no Campus Heróis do Jenipapo em Campo Maior.

Segundo o Professor Me. Anderson Meneses, Coordenador Acadêmico do Curso de Matemática do PRIL, a aula inaugural contou com a apresentação dos docentes, das regras e benéficos da instituição, além da importância da graduação e do programa. Para ele, a ação possibilita criar um ambiente favorável para que professores e alunos se conheçam, garantindo um aprofundamento sobre protocolos, avaliações e carga-horária de cada disciplina.

A Coordenadora Institucional do PRIL da UESPI, Profa. Dra. Márcia Percilia, destaca que a ação proporciona um acolhimento dos novos alunos e também possibilita o conhecimento das ações desenvolvidas pelo Programa. “É muito importante contextualizar o programa que os alunos estão iniciando agora”.

Com o intuito de aprimorar as licenciaturas, o PRIL objetiva induzir a oferta de cursos de licenciaturas e de formação continuada inovadoras, a fim de atender às necessidades e organização da atual política curricular da educação básica e da formação de professores e diretores escolares.

Para Klerys Alvarenga, aluna de Licenciatura Plena em Matemática pelo PRIL, a aula permitiu sanar diversas dúvidas. “É muito importante receber essa atenção inicial por parte dos professores. É uma honra poder estar estudando Matemática, fiquei muito feliz por ter conseguindo isso através da UESPI. Tenho boas expectativas e espero conseguir acompanhar tudo da melhor forma possível”.

O Professor Dr. Arnaldo Silva Brito, Coordenador Pedagógico do PRIL, destaca que o momento também serviu para deixar os discentes cientes da excelência de ensino que a UESPI está disponibilizando para a região de Campo Maior. “Tenho certeza que em 4 anos devolveremos para a sociedade um corpo docente altamente qualificado que retornara para sala de aula fazendo a diferença na educação”.

Já para a Professora Dra. Maria Pessoa da Silva, Diretora do Campus, a contemplação do curso de Matemática na modalidade PRIL agrega e engrandece mais uma área do conhecimento no campus. “Estamos contentes com a viabilização desse curso. Avaliamos como algo que trará muitos benefícios para toda a comunidade campo maiorense e para os municípios jurisdicionados”.

PRIL: Resultado da análise dos históricos para ingresso o campus de Campo Maior

A Coordenação do PROGRAMA INSTITUCIONAL DE FOMENTO E INDUÇÃO DA INOVAÇÃO DA FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA DE PROFESSORES E DIRETORES ESCOLARES ‒ PRIL divulga Resultado da análise dos históricos ou equivalentes dos candidatos no processo seletivo para ingresso no Curso de Lic. Plena em matemática, Campus Heróis do jenipapo, em Campo maior.

O resultado é referente ao Edital PRIL – n 66/2021

Campo Maior: servidores e colaboradores participam da palestra sobre violência contra a mulher

Por Giovana Andrade

Servidoras e servidores participaram do debate e da conscientização

Os servidores e servidoras do campus de Campo Maior da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) participaram de uma palestra sobre Violência Contra a Mulher. O encontro aconteceu no dia 19 de agosto, no auditório do campus. .

A palestra é uma iniciativa do Programa Estadual Pró-Equidade de Gênero, Raça e Diversidade, coordenado pela Coordenadoria Estadual de Políticas para Mulheres (CEPM), cujo a UESPI esta inserida.  A diretora do campus, Prof. Maria Pessoa, destaca que o evento foi muito importante.

“Esse foi um momento muito significativo, pois a nossa contemporaneidade exige que tenhamos um olhar para esse importante tema. Ao decorrer dos meses que sucedem iremos trazer novas temáticas através do programa”.

Janaira Rayane, servidora da instituição, expressa muita satisfação em ter participado do momento. “A palestra foi um momento muito importante, contribuiu para esclarecer diversas dúvidas, como também com informações importantes sobre a temática que não eram de conhecimento da maioria. O momento foi bastante enriquecedor”.

O evento faz parte do Agosto lilás de combate a violência contra a mulher

A palestrante é vice-presidente OAB/subseção Campo Maior. Dra. Micaelle Craveiro

Programa Pró-Equidade de Gênero, Raça e Diversidade

Este é um programa estadual que tem como objetivo difundir novas concepções na gestão organizacional, combatendo quaisquer discriminações e desigualdades de gênero, raça e diversidade, praticadas no ambiente de trabalho, buscando promover a equidade de gênero, raça e diversidade no que diz respeito às relações formais de trabalho e à ocupação de cargos de direção.

A UESPI tem a missão de estabelecer mecanismos que cumpram os objetivos acima citados dentro da instituição, com ações voltadas para seus servidores e servidoras no que tange a orientações sobre assuntos como questões de gênero e orientação sexual; assédio moral e sexual; discriminação racial; pessoa com deficiência, entre outros.

A próxima ação do projeto é em São Raimundo Nonato. Na quarta-feira (24), colaboradores e servidores acompanham uma palestra também sobre Violência contra a Mulher, com a psicóloga Ivana Amorim. O encontro acontece às 9 horas, via Google Meet.

Confira mais informações. 

Curso de Pedagogia realiza ação lúdica para alunos

Por Arnaldo Alves

A professora Airan Rocha, do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Heróis do Jenipapo – Campo Maior, realizou uma ação com os estudantes da disciplina de Lúdico e Educação.

Alunos do curso de Pedagogia

Alunos do curso de Pedagogia

A atividade foi idealizada em alusão ao dia do pedagogo (a), comemorado na última sexta-feira (20). A programação do encontro contou com confecção de materiais infantis, palestras, entre outras dinâmicas.

De acordo com a professora responsável pela ação, Airan Rocha, o objetivo da ação foi refletir a importância do pedagogo para a formação humana e valorizar a pedagogia enquanto epistemologia formativa.

“Após seminário temático da disciplina, refletimos sobre a importância desse profissional para a educação e para a sociedade. Também analisamos os seus diferentes campos de atuação, através de roda de conversa e para finalizar foi disponibilizado um material para confecção de cartazes que representasse o dia do Pedagogo”, explica a docente.

Discente durante a realidade das atividades

Discente durante a realidade das atividades

Para o estudante do 2° período do curso de Pedagogia, Matheus Araújo, a dinâmica realizada em sala de aula foi de grande importância.

“A atividade foi bem interessante pois na confecção dos cartazes podemos refletir sobre como a atuação do pedagogo é fundamental para a construção de uma sociedade, e que apesar de todos os ataques que a educação sofre diariamente, serviu para nos dar força por quê como diz Paulo freire, a educação é um ato de coragem”, ressalta.

Ações

Essa não é a primeira atividade do período desenvolvida pelo curso de Pedagogia do campus Heróis do Jenipapo. No mês de abril, a coordenação fez uma acolhida para os calouros e veteranos do curso, que contou com apresentações do PIBID e do Residência Pedagógica, dinâmicas organizadas pelos estudantes, sorteio de livros e tour no campus.

A atividade também contou com a presença do projeto Biblioteca Móvel, organizado pela docente, Drª Ana Gabriela Nunes. conta com um acervo de quase 400 obras literárias adquiridas através de doações e levados para escolas, praças e várias regiões do Piauí por meio de uma Kombi.

PREX: Cronograma de entrevistas para o Estágio não obrigatório do curso de Ciências Biológicas

A Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX e do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários – DAEC, torna público o Cronograma de Entrevistas do Processo Seletivo para Estágio Não Obrigatório do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, Campus Heróis do Jenipapo, Campo Maior–PI, conforme Edital UESPI/PREX/DAEC no 15/2022.

Cronograma de entrevistas CAMPO MAIOR

Curso de Pedagogia da UESPI promove acolhida para alunos do campus de Campo Maior

Por Arnaldo Alves

O curso de Pedagogia fez uma acolhida para os alunos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Heróis do Jenipapo – Campo Maior.

A atividade foi idealizada sob coordenação da professora Lucineide Soares. A programação contou com apresentações do PIBID e do Residência Pedagógica, dinâmicas organizadas pelos estudantes, sorteio de livros e tour no campus.

Outra parte da ação envolveu o projeto Biblioteca Móvel, que tem por objetivo levar a leitura para espaços internos e externos da instituição.

O Biblioteca Móvel conta com um acervo de quase 400 obras literárias adquiridas através de doações e levados para escolas, praças e várias regiões do Piauí por meio de uma Kombi.

Acolhimento dos alunos

Acolhimento dos alunos

De acordo com a Coordenadora do Programa, Profa. Drª Ana Gabriela Nunes, a atividade de acolhimento fez alusão a semana nacional do livro.”Fizemos uma acolhida aos alunos nesse retorno ao ensino presencial, apresentando o projeto e oportunizando reflexões sobre a importância da leitura na formação acadêmica e humana deles. Após um momento mais formal no auditório com os alunos de Pedagogia, a Kombi ficou exposta juntamente com o acervo do projeto para que os demais alunos do campus pudessem conhecer e participar do sorteio de livros”, explica a docente.

 

Kombi utilizada no projeto

Kombi utilizada no projeto

O projeto é destinado para toda comunidade educacional, em especial o público infantil com livros infantis, gibis e infanto juvenis.

Conheça outros projetos literários da UESPI.