PIBIC – Uespi

PROP: Resultado da análise de documentação do PIBIC e PIBITI já estão no Sigprop

A Universidade Estadual do Piauí, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), informa que o Resultado da análise de documentação do edital Nº 002/2022, referente ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) está disponibilizado, exclusivamente, na plataforma de gerenciamento de Projeto de Pesquisa SIGPROP: https://www.uespi.br/sigprop .

Para acessar o resultado da análise de documentação, os docentes devem entrar na área restrita, selecionar o edital PIBIC 2022-2023, verificar no item “Julgamento (Documentação) ” a documentação julgada.
Os recursos contra a análise de documentação, devem ser feitos, única e exclusivamente, de forma online, através da plataforma SIGPROP entre os dias 17 e 18 de maio de 2022. O docente deve acessar sua área restrita da plataforma, selecionar o edital PIBIC 2022-2023, e selecionar recurso de documentação.

#UESPI35ANOS: Professores e alunos da UESPI se destacam no desenvolvimento de pesquisas

Por Liane Cardoso

A pesquisa científica é um dos três principais pilares da Universidade Estadual do Piauí. Desde 2020, alunos e professores da UESPI realizam suas pesquisas enfrentando as restrições impostas pela pandemia da COVID-19. Nesse cenário, a produção acadêmica faz-se mais necessária ainda, pois visa atender as demandas da sociedade.

“A pesquisa tem um papel muito importante para o estado e para a sociedade em geral, pois devolve, através dos resultados das pesquisas, novas tecnologias e serviços aperfeiçoados”, comentou o Professor Franklin Oliveira, diretor do departamento de Pesquisa PROP/UESPI.

O empenho dos pesquisadores pode ser comprovado através do número de pesquisas em desenvolvimento: 442 pesquisas através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC – 2020/2021) e 14 produções por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI – 2020/2021). Além desses programas, a UESPI também conta com 309 grupos de pesquisas coordenados pelos docentes da instituição.

Pesquisas

O estudante Wanderson Carvalho, discente do curso de Odontologia no campus de Parnaíba, teve seu trabalho aceito pela Revista da Associação Brasileira de Ensino Odontológico – Rev ABENO -, considerada um periódico de grande prestígio nacional. Seu artigo, intitulado “Adaptação e Produção Acadêmica em tempos de Distanciamento Social: Relato de Experiência“, é uma descrição sobre as experiências que obteve nas atividades curriculares e produções acadêmicas durante o ano de 2020. “Descrevi neste artigo sobre os eventos científicos que participei, as apresentações de trabalhos, os Webinários nacionais e internacionais, cursos EaD, submissão e publicação de artigos dentro de meu âmbito de estudo, a Odontologia”, detalhou o aluno sobre o trabalho.

Wanderson durante a apresentação de um trabalho acadêmico

Outra pesquisa de destaque é a do grupo de Química Quântica Computacional e Planejamento de Fármacos, coordenado pelo professor Francisco das Chagas, que identificou substancias no Buriti e no Jaborandi com capacidade de inibir a Covid-19. O estudo teve destaque até mesmo no Japão e na Ucrânia, onde inclusive, no mês de agosto irá apresentar sua proposta.

Em Junho deste ano, docentes e discentes do curso de Agronomia, campus Uruçuí, lançaram um compilado de suas pesquisas e estudos apresentados no I EXPOJUR – Extensão e Pesquisa Junto ao Produtor: Semeando o conhecimento em campo. O conhecimento científico dos pesquisadores foi transformado em instruções práticas para orientar produtores e agrônomos em diversos segmentos da agricultura.

“O livro apresenta os resultados de nossas pesquisas e também as experiências dos nossos alunos”, destacou a professora Marlei Rosa dos Santos. O ebook está disponível para download no site da editora da UESPI.

EdUESPI

Assim como o Livro de Anais publicado pelos pesquisadores de Agronomia, desde que foi inaugurada a Editora da UESPI já lançou diversas obras. Por isso é importante destacarmos a contribuição da EdUESPI nas produções científicas, visto que muitos trabalhos acadêmicos ganham visibilidade através dela.

Confira as publicações no site da Editora

Lives e Podcast

A Assessoria de Comunicação da UESPI realiza um quadro de Lives, intitulado de #ContaPraGente, semanalmente no canal do Youtube UESPI Oficial. A proposta visa apresentar os diversos projetos dos alunos para a comunidade acadêmica e também para o público externo. Desde fevereiro, vários uespianos já contaram sobre suas produções e, através disso, ganharam mais visibilidade na sociedade.

Letícia Braz participou de uma edição do #ContaPraGente e apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso sobre o Mapeamento de Homicídios em Teresina. “Depois da Live, várias emissoras de TV entraram em contato, dizendo que assistiram a transmissão e pediram para realizar entrevistas comigo sobre o assunto”, relatou a aluna entusiasmada com a repercussão do seu projeto.

A live aconteceu no mês de maio

A Ascom também produz o Uespi Podcast e em seu episódio #42 destacou a Produção de pesquisas em tempos de Pandemia. O entrevistado foi o Professor Franklin Oliveira, diretor do departamento de Pesquisa PROP/UESPI.

 

#ContaPraGente: alunos falam sobre alimentação e saúde bucal

Por Liane Cardoso

Nesta quarta-feira (14), a partir das 13h, acontecerá mais uma Live do #ContaPraGente no canal do Youtube UESPI Oficial. Estarão presentes três estudantes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Piauí, campus Alexandre Alves de Oliveira, para discutir sobre alimentação e saúde bucal.

Na live, os acadêmicos detalharão os resultados das pesquisas que desenvolvem, além de trazerem informações sobre alimentos que podem desfavorecer a saúde bucal.

Wanderson Carvalho, aluno do 8º período, desenvolve um trabalho de pesquisa através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Ele investiga a relação entre a erosão dentária e a cárie dentária com sucos de uva industrializados. “Nosso estudo mostra a importância clínico-científica de se avaliar alimentação e a saúde bucal. Destacando, ainda, a importância do Cirurgião-Dentista em conhecer esses alimentos e orientar seus pacientes quanto ao consumo deles”, enfatizou o discente.

Ana Beatriz Aragão, acadêmica do 6º período de Odontologia e pesquisadora-discente através do PIBIC, analisou as características de pH e açúcares de cinco marcas de suplemento Whey Protein. Ela constatou que os valores de pH são considerados críticos, favorecendo a dissolução do esmalte do dente. “Esse fato, associado a presença de açúcares, pode contribuir para a erosão dentária e o desenvolvimento de lesões de cárie, caso tais alimentos forem consumidos com frequência e sem adequada higiene oral”, explicou a estudante sobre o estudo.

A aluna Andressa dos Santos, também desenvolveu nos anos de 2018 e 2019 um estudo sobre Relação da erosão dental e cárie dentária com bebidas lácteas. Ela e os outros dois discentes participarão da live na quarta-feira.

O público pode interagir durante a transmissão através do chat ao vivo. Participe!

Pesquisa: Produtos industrializados e suplementos são constatados como maléfico aos dentes

Por Liane Cardoso

Alimentos com alto teor de açúcar e baixo valor de pH, se consumidos com frequência e sem uma higiene bucal adequada, podem afetar a saúde dos dentes. Por isso, dois estudantes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Piauí, campus Alexandre Alves Oliveira, realizaram pesquisas com sucos de uva industrializados e suplementos Whey Protein, e constataram que o consumo excessivo desses produtos podem causar erosão e cárie dentária.

Ana Beatriz Aragão Nunes e Wanderson Carvalho de Almeida são alunos pesquisadores que desenvolveram seus trabalhos através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (PIBIC). Os discentes realizaram produções distintas, contudo, foram orientados pela mesma docente, Professora Maria Ângela Arêa Leão.

Procedimentos

Ambos realizaram seus trabalhos no Laboratório de Pesquisa da Clínica Escola de Odontologia da UESPI (CEO-UESPI), no campus de Parnaíba. O estudo foi realizado através da análise das propriedades físico-químicas, por meio de equipamentos como o pHmetro e Refratômetro, conforme a metodologia preconizada pelo Instituto Adolfo Lutz 1985.

Aparelho pHmetro utilizado na pesquisa

A professora orientadora esclarece que a análise de sólidos solúveis e pH de líquidos é realizada para avaliação da possível relação da ingestão desses alimentos com cárie e erosão dentária. “Reiteramos que, por mais que as bebidas analisadas tenham relevante teor de açúcar e, algumas delas, considerável acidez, lembramos que a cárie é multifatorial e a higiene oral bem conduzida é fator decisivo para que tal manifestação não ocorra”, enfatizou a docente.

Whey Protein e sua relação com a Erosão e cárie dentária

Ana Beatriz, acadêmica do 6º período de Odontologia, analisou características de pH e açúcares de cinco marcas de suplemento Whey Protein. Ela constatou que todos estão acima do teor de açúcar necessário para que haja formação do biofilme cariogênico (5%), demonstrando assim, maior potencial para gerar lesões de carie dentaria.

Segundo a análise da aluna quanto aos valores de pH, constatou-se que todos ficaram acima do valor de 5,5, que é considerado o valor crítico para a dissolução do esmalte do dente. “Esse fato, associado a presença de açúcares, pode contribuir para a erosão dentária e o desenvolvimento de lesões de cárie, caso tais alimentos forem consumidos com frequência e sem adequada higiene oral”, explicou a discente sobre o estudo.

Sucos de uva industrializados e sua relação com Erosão e Cárie dentária

Wanderson Carvalho cursa o 8º período de Odontologia e analisou em sua pesquisa 05 marcas de Sucos de Uva Industrializados. “Os resultados obtidos após a coleta de dados e a análise estatística, comprovam que os sucos avaliados possuem quantidades elevadas de açúcares e baixos valores de pH, podendo assim ocasionar problemas que interferem na saúde dos dentes – erosão e cárie”, contou o aluno.

O Refratômetro foi também um dos equipamentos usados nas pesquisas

Ele destaca que é fundamental que o profissional dentista oriente seus pacientes quanto ao consumo destes alimentos. “Os resultados da pesquisa nos dá, enquanto acadêmicos e futuros profissionais de saúde, informações importantes para que possamos atuar de maneira preventiva nos cuidados de higiene bucal, diminuindo, assim, a incidência dessas condições patológicas”, concluiu o aluno sobre o assunto.

Os dois trabalhos apresentados nesta matéria fazem parte do PIBIC. O primeiro está na fase de escrita do relatório final e o segundo já está sendo encaminhado como artigo científico para periódicos indexados.