Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Consciência Negra: importância da ancestralidade dos povos africanos no Brasil

Por Anny Santos 

Sendo comemorado na data da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares e símbolo da luta e resistência dos negros escravizados, o Dia da Consciência Negra (20 de novembro) simboliza a reflexão sobre a importância da ancestralidade dos povos africanos no Brasil. A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) apoia a educação que valoriza todas as pessoas sem qualquer tipo de distinção.

A pesquisa científica, além de um dos pilares da universidade pública, é uma importante aliada no desenvolvimento pessoal e profissional dos discentes. Dentre as realizadas na instituição, o projeto de pesquisa “As Manifestações Culturais das Comunidades Quilombolas Custaneira/Tronco: Um Estudo Folkcomunicacional” é uma iniciativa da professora Jaqueline Torres, do curso de Jornalismo, no campus de Picos, que surge a partir da necessidade de observação e compreensão da visibilidade e valorização cultural da infância quilombola.

Com o objetivo de estudar os processos folkcomunicacionais que ocorrem no interior de comunidades quilombolas Custaneira/Tronco,  na cidade de Paquetá do Piauí, a iniciativa surgiu a partir da pesquisa de doutorado da docente, que abordava o processo de socialização das crianças quilombolas. Para a Professora, no âmbito do jornalismo, estudos como esse são importantes para criar, nos futuros jornalistas, a ciência da alteridade.

“Essas pesquisas contribuem para o conhecimento e a propagação sobre os processos folkcomunicacionais presentes nas comunidades quilombolas, além de aumentar a visibilidade dessas comunidades junto à sociedade de um modo geral. Esses discentes, enquanto futuros profissionais da comunicação precisam se colocar no lugar do outro, conhecê-lo, ouvi-lo para poder escrever. E entendemos que a comunidade é o ambiente propício para aprender tais habilidades”, destaca.

Inicialmente, o PIBIC 2021/2022 passou a ser um projeto de extensão 2022/2023 por se tratar de um trabalho etnográfico, que exige a experiência de se inserir em campo englobando a retratação de diários de campo, registros fotográficos e entrevistas, além da grande demanda de inscrições dos alunos.

Lara Lopes, aluna do 3° período do curso Jornalismo, em Picos, ressalta que as comunidades Custaneira/Tronco já acolhiam a equipe de pesquisa desenvolvida por Janaína Alvarenga e Luciano Figueiredo, também professores do campus , abrindo meios para um desmembramento possibilitando o surgimento dos microprojetos.

Lara Lopes, aluna do 3° período do curso Jornalismo em Picos

Lara Lopes, aluna do 3° período do curso Jornalismo em Picos

“Dentre esses microprojetos é iniciada a pesquisa etnográfica com as crianças quilombolas das comunidades Custaneira/Tronco, onde durante a realização do evento anual “Encontro de casas de Terreiros de Comunidades Quilombolas” é realizada uma oficina de leitura e apresentada a obra O Pequeno Príncipe Preto”.

A obra consiste em uma releitura que pauta a representatividade das raízes africanas no povo negro do Brasil, que por conta de uma estrutura discriminatória inviabiliza o acesso da população a obras de conteúdos de valorização e representatividade negra. A abordagem literária consistiu na apresentação da história juntamente a teatralização dela por meio de “dedoches” customizados artesanalmente com material reciclado coletado no próprio campus pelos alunos envolvidos.

A oficina contou com a colaboração de 10 alunos do segundo período do curso de Jornalismo, sendo elaborada com uma linguagem simples e interativa visando prender a atenção das crianças.

“A importância dessas abordagens acadêmicas para cultura de valorização das comunidades quilombolas é a própria aproximação social e humanitária, a troca de experiências e respeito, que por sua vez desmistificam preconceitos e promovem maior compreensão da estrutura comportamental e cultural dos costumes que hoje massivamente se entendem como brasileiro, sem se dar conta da grande parcela de contribuição da cultura negra como amplamente formadora também de saberes de diversas áreas”, finaliza a aluna.

Abertura das atividades do XXII Simpósio de Produção Científica, XXI Seminário de Iniciação Científica e I Seminário de Inovação Tecnológica

Por Anny Santos e Vitor Gaspar

Na manhã desta quarta-feira (09), ocorreu a abertura das atividades do XXII Simpósio de Produção Científica, XXI Seminário de Iniciação Científica e I Seminário de Inovação Tecnológica, eventos integrados, no auditório da Faculdade de Ciências Médicas (FACIME) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) com transmissão ao vivo pelo canal da instituição no Youtube.

Prof. Dr. Evandro Alberto, do Vice-Reitor, Prof. Dr. Jesus Abreu, o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar e demais Pró-reitores

Prof. Dr. Evandro Alberto, do Vice-Reitor, Prof. Dr. Jesus Abreu, o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar e demais Pró-reitores

A cerimônia de abertura contou com a presença do Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, do Vice-Reitor, Prof. Dr. Jesus Abreu, o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar e demais Pró-reitores, docentes e discentes. Além disso, a Orquestra Sanfônica de Teresina trouxe um repertório regional e consolidou sua participação com o Hino Nacional.

Para o Prof. Dr. Evandro Alberto a iniciativa marca novas perspectivas para ciência e inovação tecnológica no Piauí. Segundo ele é através da universidade, em parceria com outros órgão e instituições, que se torna possível alcançar um melhor desempenho e desenvolvimento nessas áreas imprescindíveis da sociedade.

“O mundo está mudando e a ciência também precisa evoluir. Temos que acompanhar esse desenvolvimento, valorizando e incentivando nossos pesquisadores. A Universidade está e continuará presente investindo na tríade ensino, pesquisa e extensão. Esperamos propiciar novos rumos e possibilidades para esses pesquisadores, auxiliando no desenvolvimento da ciência”, destaca.

Prof. Dr. Evandro Alberto

Prof. Dr. Evandro Alberto

Estes eventos, com cerca de 750 inscritos e 450 trabalhos que serão apresentados, têm como objetivo divulgar os resultados das pesquisas e inovações desenvolvidas pelos docentes, discentes e técnicos da UESPI vinculados ao Programa de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI).

Segundo o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar, as atividades são um marco para os alunos que realizam pesquisas por meio do PIBID e PIBIC da UESPI. “A iniciativa, além de mostrar para comunidade acadêmica e para a sociedade em geral o que a UESPI produz em termos de pesquisa, também proporciona o reconhecimento da importância que isso tem para o desenvolvimento de todo o nosso estado”.

Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar

Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar

Organizado pela PROP, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) e da Fundação de apoio à Universidade (FUAPI), o evento está previsto para acontecer até o dia 11 de novembro no formato híbrido.

Apresentações de pesquisas

Dentre as apresentações de pesquisas programadas para a abertura, o aluno do 8° bloco de Engenharia Elétrica, Alisson Mesquita, expõe a pesquisa “Desenvolvimento de rastreador Solar para Otimização da Produção de Energia Elétrica a partir de Sistemas Fotovoltaicos”, que visa melhorar a incidência de raios solares na placa solar com baixo custo.

Alisson Mesquita acredita que o evento propicia oportunidade de aprender, divulgar e entender com está o desenvolvimento das pesquisas no Piauí e como elas podem contribuir para o desenvolvimento do estado. “A construção do rastreador solar e os testes mostraram a considerável diferença entre o sistema de geração com o Rastreador e sem o rastreador. A geração de energia elétrica pode aumentar em até 25% dependendo de alguns fatores climáticos, isso é uma justificativa plausível para a instalação do sistema de rastreador em sistemas solares de pequeno porte, mas que deve ser estudada mais profundamente”.

Um rastreador é um equipamento que busca o sol, ou seja, o melhor índice de irradiação solar. A medida que o sol se desloca o rastreador faz com que a placa se movimente. Segundo o Orientador da pesquisa, Professor Juan de Aguiar, o Rastreador aumenta, significativamente, a produção de energia do módulo solar do sistema de energia solar fotovoltaica.

Rastreador ligado a placa de energia solar

Rastreador ligado a placa de energia solar

Pedagogia UESPI: aluna apresenta pesquisa em Observatório de Quadrinhos da USP

Por Anny Santos

A aluna Amanda Farias do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, apresentou no 27° Colóquio Cientifico Virtual do Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP a pesquisa “O Protagonismo de Personagens Negras em Quadrinhos Nacionais: Sentidos e Significados”, proveniente de sua participação no PIBIC 2021/2022, sob orientação do professor Dr. Robson Carlos da Silva.

A pesquisa propõe discutir os sentidos e os significados do protagonismo de mulheres negras nos quadrinhos (HQs) nacionais, trazendo para o campo da educação possibilidades de promover diálogos onde ideologias racistas, misóginas e excludentes possam ser evitadas, além de desmistificar a visão de que o papel da mulher, especialmente o da mulher negra, deva ser apenas de objeto de desejo sexual. Identificando a incidência das personagens, o trabalho foi conduzido a partir da constatação histórica de que o povo negro sempre sofreu os mais diversos tipos de degradação.

Amanda Farias da Silva, aluna do 9° bloco do curso de Pedagogia

Amanda Farias da Silva, aluna do 9° bloco do curso de Pedagogia

Para a aluna e pesquisadora, realizar pesquisas sobre a representação das mulheres negras na sociedade através das linguagens da Cultura Pop, nos meios de comunicação de massa, possibilitam um diálogo maior sobre os estereótipos e os preconceitos ainda existentes sobre o povo negro, além dos estereótipos e estigmas que já se sobrepõem sobre as mulheres.

“Nunca tinha visto os quadrinhos como uma possibilidade de pesquisa acadêmica, mas como sempre me interessei por práticas pedagógicas inovadoras que pudessem contribuir de forma mais consistente no aprendizado dos alunos, aceitei o convite para realizar a pesquisa. Dessa forma, pude visualizar como os quadrinhos, com sua linguagem plural, podem beneficiar significativamente os leitores, especialmente os alunos em seu processo de aprendizagem”.

Amanda Farias acredita que a universidade proporciona espaços para que os discentes possam socializar os mais diversos saberes e entrar em contato com as mais diversas formas de práticas de ensino e aprendizagem, com as quais a educação possa ser ampliada e acessível a todos. O curso de Pedagogia, por trabalhar com esses diversos saberes, forma alunos que não somente trabalham com as disciplinas do currículo, mas investigam temáticas e práticas que contribuem para uma aprendizagem significativa dos alunos em seu processo de aprendizagem.

“A apresentação significou muito para mim, pois estar em contato com esses pesquisadores conceituados pôde me abrir um leque de possibilidades para que eu possa prosseguir na minha carreira acadêmica e proporcionar, com essas pesquisas, uma educação que se preocupe com questões que ultrapassam os muros da escola, mas que interferem diretamente na sala de aula”, finaliza.

O professor Dr. Robson Silva, Orientador da pesquisa, é membro do grupo de pesquisa Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP, que faz parte da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, com encontros mensais que possibilitam estudantes da Graduação e da Pós-graduação apresentarem suas pesquisas dentro da temática HQ.”A apresentação promove visibilidade a temática, que é de grande importância, a colocando no meio de grandes centros que produzem pesquisa acadêmico-científica com teoria de quadrinhos”, acrescenta o professor.

PIBIC UESPI

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da UESPI tem como objetivo o apoio às atividades de pesquisas científicas realizadas por docentes e discentes da Universidade. A estrutura básica do programa tem como referência o PIBIC do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

PROP divulga resultado final do Edital 002/2022 do PIBIC/PIBIT

Universidade Estadual do Piauí- UESPI, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP) e do Comitê Institucional de Pesquisa e Inovação Tecnológica (CIPIT), divulga o Resultado Final do Edital Nº 002/2022do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIC-CNPQ, PIBIC-CNPQ-AF, PIBIC-UESPI-AC, PIBIC-UESPI-AF, PIBIC- FAPEPI-AC, PIBIC- FAPEPI-AF, PIBIC-Voluntário) 2020-2021 (PIBITI-UESPI, PIBITI-AC, PIBITI-Voluntário) 2022-2023.

A PROP informa aos proponentes (pesquisadores e discentes) com projeto(s) aprovado(s), sobre a obrigação de submissão dos seguintes documentos de adesão ao edital:

-Termo de compromisso do orientador (orientador).

Termo de compromisso do discente aluno (a) Bolsista ou voluntário (a).

-Declaração de não acúmulo de bolsas (apenas para os discentes, cujo projeto foi aprovado com bolsa).

Este processo deve ser realizado no período  de 08 a 15/09/2022 exclusivamente via sistema SIGPROP, na área restrita do discente e do docente. Observação: Docentes e discentes possuem acessos na plataforma do SIGPROP, cada um envia o seu termo. 


Exclusivamente para os bolsistas CNPq, para efetivação da bolsa PIBIC/PIBITI/CNPq, PIBIC/PIBITI/CNPq-AF, além, do bolsista inserir o termo de compromisso na plataforma do SIGPROP, deverá responder o e-mail que receberá do CNPq (para aceitar e assinar o termo compromisso na plataforma do CNPq), entre os dias 08/09 e 15/09/2022. Portanto nesse período o bolsista deverá acompanhar diariamente o seu e-mail, sob pena de não ter sua bolsa efetivada.

Conforme edital, é de inteira responsabilidade do discente está com seu e-mail e Currículo Lattes atualizados, uma vez que é por meio dele que o CNPq mantém contato com os beneficiários para enviar o link para assinatura do termo de compromisso.

A indicação dos discentes com bolsas UESPI ou FAPEPI só será enviado ao respectivo setor financeiro após o mesmo atualizar os seus dados cadastrais e enviar o termode compromisso na plataforma do SIGPROP.  

Maiores informações entrar em contato com a PROP pelo e-mail gabinete@prop.uespi.br.

resultado_final_pibic (1)

resultado_final_pibiti

 

PROP: Prorrogado prazo para envio dos relatórios PIBIC/PIBITI

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da UESPI comunica que a entrega dos relatórios finais do PIBIC/PIBIDI 2021-2022  foram PRORROGADOS até domingo, 04 de setembro, em função de uma instabilidade causada no sistema SIGPROP.

Após o prazo, o sistema do SIGPROP somente será reaberto depois que o Docente enviar uma justificativa via processo SEI para a PROP

 

PROP: Resultado Final do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

A Universidade  Estadual do Piauí- UESPI, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP) e do Comitê Institucional de Pesquisa e Inovação Tecnológica (CIPIT), divulga o Resultado Final do Edital N.º 002/2022 do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIC-CNPQ, PIBIC-CNPQ-AF, PIBIC-UESPI, PIBIC-UESPI-AF, PIBIC-Voluntário) 2022-2023 (PIBITI-CNPQ, PIBITI-UESPI, PIBITI-Voluntário) 2022-2023.

A PROP informa que nesse momento não será divulgado a modalidade de bolsa (PIBIC-CNPQ, PIBIC-CNPQ-AF, PIBIC-UESPI, PIBIC-UESPI-AF, PIBIC-Voluntário) ou  (PIBITI-CNPQ, PIBITI-UESPI, PIBITI-Voluntário), pois a instituição esta aguardando o resultado da chamada  CNPq Nº 21/2022 – Programa Institucional De Bolsas De Iniciação Científica (PIBIC),
Chamada CNPq N° 34/2022 – Programa Institucional de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas (PIBIC-Af) e a  
Chamada CNPq N° 33/2022 – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI)
, que visa selecionar  as propostas para concessão de cotas de bolsas de Iniciação Científica (IC)  para o período de 2022 a 2024. Conforme cronograma dessas chamadas, o prazo de divulgação será no mês de agosto do corrente ano. Assim que for divulgado e confirmado o quantitativo de bolsas do CNPq para a UESPI a PROP divulgará a relação completa dos projetos de pesquisas com a sua respectiva modalidade de bolsa, em conformidade com   Edital  PROP N.º 002/2022

Lembramos aos proponentes (pesquisadores e discentes) com projeto(s) aprovado(s), sobre a obrigação de submissão dos seguintes documentos de adesão ao edital: -Termo de compromisso do orientador (orientador), Termo de compromisso do discente (aluno (a) Bolsista ou voluntário (a) -Declaração de não acúmulo de bolsas (apenas para os discentes, cujo projeto foi aprovado com bolsa). Este processo deverá ser realizado exclusivamente via sistema SIGPROP , conforme os prazos que serão informados em breve.

Para acessar o resultado dos recursos, os docentes devem entrar na área restrita, da plataforma SIGPROP, selecionar o edital PIBIC 2022-2023 e verificar o julgamento dos recursos da planilha de produção científica e dos projetos de pesquisa

Resultado_Final_PIBITI_2022_2023

Resultado_Final_PIBIC_2022_2023

PROP: Resultado parcial do Pibic e Pibiti

A Universidade Estadual do Piauí, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), informa que o Resultado Parcial do edital Nº 002/2022, referente ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) está disponibilizado, exclusivamente, na plataforma de gerenciamento de Projeto de Pesquisa SIGPROP: https://www.uespi.br/sigprop.

Para acessar o resultado parcial, os docentes devem entrar na área restrita, selecionar o edital PIBIC 2022-2023 e verificar o julgamento da planilha de produção científica e dos projetos de pesquisa.
Os recursos contra o resultado parcial, especificamente da planilha de produção científica e dos projetos de pesquisas, devem ser feitos, exclusivamente, de forma online, através da plataforma SIGPROP, entre os dias 11 e 12 de julho de 2022.
O resultado final será divulgado até o dia 29/07/2022.

PROP: Resultado da análise de documentação do PIBIC e PIBITI já estão no Sigprop

A Universidade Estadual do Piauí, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), informa que o Resultado da análise de documentação do edital Nº 002/2022, referente ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) está disponibilizado, exclusivamente, na plataforma de gerenciamento de Projeto de Pesquisa SIGPROP: https://www.uespi.br/sigprop .

Para acessar o resultado da análise de documentação, os docentes devem entrar na área restrita, selecionar o edital PIBIC 2022-2023, verificar no item “Julgamento (Documentação) ” a documentação julgada.
Os recursos contra a análise de documentação, devem ser feitos, única e exclusivamente, de forma online, através da plataforma SIGPROP entre os dias 17 e 18 de maio de 2022. O docente deve acessar sua área restrita da plataforma, selecionar o edital PIBIC 2022-2023, e selecionar recurso de documentação.

#UESPI35ANOS: Professores e alunos da UESPI se destacam no desenvolvimento de pesquisas

Por Liane Cardoso

A pesquisa científica é um dos três principais pilares da Universidade Estadual do Piauí. Desde 2020, alunos e professores da UESPI realizam suas pesquisas enfrentando as restrições impostas pela pandemia da COVID-19. Nesse cenário, a produção acadêmica faz-se mais necessária ainda, pois visa atender as demandas da sociedade.

“A pesquisa tem um papel muito importante para o estado e para a sociedade em geral, pois devolve, através dos resultados das pesquisas, novas tecnologias e serviços aperfeiçoados”, comentou o Professor Franklin Oliveira, diretor do departamento de Pesquisa PROP/UESPI.

O empenho dos pesquisadores pode ser comprovado através do número de pesquisas em desenvolvimento: 442 pesquisas através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC – 2020/2021) e 14 produções por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI – 2020/2021). Além desses programas, a UESPI também conta com 309 grupos de pesquisas coordenados pelos docentes da instituição.

Pesquisas

O estudante Wanderson Carvalho, discente do curso de Odontologia no campus de Parnaíba, teve seu trabalho aceito pela Revista da Associação Brasileira de Ensino Odontológico – Rev ABENO -, considerada um periódico de grande prestígio nacional. Seu artigo, intitulado “Adaptação e Produção Acadêmica em tempos de Distanciamento Social: Relato de Experiência“, é uma descrição sobre as experiências que obteve nas atividades curriculares e produções acadêmicas durante o ano de 2020. “Descrevi neste artigo sobre os eventos científicos que participei, as apresentações de trabalhos, os Webinários nacionais e internacionais, cursos EaD, submissão e publicação de artigos dentro de meu âmbito de estudo, a Odontologia”, detalhou o aluno sobre o trabalho.

Wanderson durante a apresentação de um trabalho acadêmico

Outra pesquisa de destaque é a do grupo de Química Quântica Computacional e Planejamento de Fármacos, coordenado pelo professor Francisco das Chagas, que identificou substancias no Buriti e no Jaborandi com capacidade de inibir a Covid-19. O estudo teve destaque até mesmo no Japão e na Ucrânia, onde inclusive, no mês de agosto irá apresentar sua proposta.

Em Junho deste ano, docentes e discentes do curso de Agronomia, campus Uruçuí, lançaram um compilado de suas pesquisas e estudos apresentados no I EXPOJUR – Extensão e Pesquisa Junto ao Produtor: Semeando o conhecimento em campo. O conhecimento científico dos pesquisadores foi transformado em instruções práticas para orientar produtores e agrônomos em diversos segmentos da agricultura.

“O livro apresenta os resultados de nossas pesquisas e também as experiências dos nossos alunos”, destacou a professora Marlei Rosa dos Santos. O ebook está disponível para download no site da editora da UESPI.

EdUESPI

Assim como o Livro de Anais publicado pelos pesquisadores de Agronomia, desde que foi inaugurada a Editora da UESPI já lançou diversas obras. Por isso é importante destacarmos a contribuição da EdUESPI nas produções científicas, visto que muitos trabalhos acadêmicos ganham visibilidade através dela.

Confira as publicações no site da Editora

Lives e Podcast

A Assessoria de Comunicação da UESPI realiza um quadro de Lives, intitulado de #ContaPraGente, semanalmente no canal do Youtube UESPI Oficial. A proposta visa apresentar os diversos projetos dos alunos para a comunidade acadêmica e também para o público externo. Desde fevereiro, vários uespianos já contaram sobre suas produções e, através disso, ganharam mais visibilidade na sociedade.

Letícia Braz participou de uma edição do #ContaPraGente e apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso sobre o Mapeamento de Homicídios em Teresina. “Depois da Live, várias emissoras de TV entraram em contato, dizendo que assistiram a transmissão e pediram para realizar entrevistas comigo sobre o assunto”, relatou a aluna entusiasmada com a repercussão do seu projeto.

A live aconteceu no mês de maio

A Ascom também produz o Uespi Podcast e em seu episódio #42 destacou a Produção de pesquisas em tempos de Pandemia. O entrevistado foi o Professor Franklin Oliveira, diretor do departamento de Pesquisa PROP/UESPI.

 

#ContaPraGente: alunos falam sobre alimentação e saúde bucal

Por Liane Cardoso

Nesta quarta-feira (14), a partir das 13h, acontecerá mais uma Live do #ContaPraGente no canal do Youtube UESPI Oficial. Estarão presentes três estudantes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Piauí, campus Alexandre Alves de Oliveira, para discutir sobre alimentação e saúde bucal.

Na live, os acadêmicos detalharão os resultados das pesquisas que desenvolvem, além de trazerem informações sobre alimentos que podem desfavorecer a saúde bucal.

Wanderson Carvalho, aluno do 8º período, desenvolve um trabalho de pesquisa através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Ele investiga a relação entre a erosão dentária e a cárie dentária com sucos de uva industrializados. “Nosso estudo mostra a importância clínico-científica de se avaliar alimentação e a saúde bucal. Destacando, ainda, a importância do Cirurgião-Dentista em conhecer esses alimentos e orientar seus pacientes quanto ao consumo deles”, enfatizou o discente.

Ana Beatriz Aragão, acadêmica do 6º período de Odontologia e pesquisadora-discente através do PIBIC, analisou as características de pH e açúcares de cinco marcas de suplemento Whey Protein. Ela constatou que os valores de pH são considerados críticos, favorecendo a dissolução do esmalte do dente. “Esse fato, associado a presença de açúcares, pode contribuir para a erosão dentária e o desenvolvimento de lesões de cárie, caso tais alimentos forem consumidos com frequência e sem adequada higiene oral”, explicou a estudante sobre o estudo.

A aluna Andressa dos Santos, também desenvolveu nos anos de 2018 e 2019 um estudo sobre Relação da erosão dental e cárie dentária com bebidas lácteas. Ela e os outros dois discentes participarão da live na quarta-feira.

O público pode interagir durante a transmissão através do chat ao vivo. Participe!

Pesquisa: Produtos industrializados e suplementos são constatados como maléfico aos dentes

Por Liane Cardoso

Alimentos com alto teor de açúcar e baixo valor de pH, se consumidos com frequência e sem uma higiene bucal adequada, podem afetar a saúde dos dentes. Por isso, dois estudantes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Piauí, campus Alexandre Alves Oliveira, realizaram pesquisas com sucos de uva industrializados e suplementos Whey Protein, e constataram que o consumo excessivo desses produtos podem causar erosão e cárie dentária.

Ana Beatriz Aragão Nunes e Wanderson Carvalho de Almeida são alunos pesquisadores que desenvolveram seus trabalhos através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (PIBIC). Os discentes realizaram produções distintas, contudo, foram orientados pela mesma docente, Professora Maria Ângela Arêa Leão.

Procedimentos

Ambos realizaram seus trabalhos no Laboratório de Pesquisa da Clínica Escola de Odontologia da UESPI (CEO-UESPI), no campus de Parnaíba. O estudo foi realizado através da análise das propriedades físico-químicas, por meio de equipamentos como o pHmetro e Refratômetro, conforme a metodologia preconizada pelo Instituto Adolfo Lutz 1985.

Aparelho pHmetro utilizado na pesquisa

A professora orientadora esclarece que a análise de sólidos solúveis e pH de líquidos é realizada para avaliação da possível relação da ingestão desses alimentos com cárie e erosão dentária. “Reiteramos que, por mais que as bebidas analisadas tenham relevante teor de açúcar e, algumas delas, considerável acidez, lembramos que a cárie é multifatorial e a higiene oral bem conduzida é fator decisivo para que tal manifestação não ocorra”, enfatizou a docente.

Whey Protein e sua relação com a Erosão e cárie dentária

Ana Beatriz, acadêmica do 6º período de Odontologia, analisou características de pH e açúcares de cinco marcas de suplemento Whey Protein. Ela constatou que todos estão acima do teor de açúcar necessário para que haja formação do biofilme cariogênico (5%), demonstrando assim, maior potencial para gerar lesões de carie dentaria.

Segundo a análise da aluna quanto aos valores de pH, constatou-se que todos ficaram acima do valor de 5,5, que é considerado o valor crítico para a dissolução do esmalte do dente. “Esse fato, associado a presença de açúcares, pode contribuir para a erosão dentária e o desenvolvimento de lesões de cárie, caso tais alimentos forem consumidos com frequência e sem adequada higiene oral”, explicou a discente sobre o estudo.

Sucos de uva industrializados e sua relação com Erosão e Cárie dentária

Wanderson Carvalho cursa o 8º período de Odontologia e analisou em sua pesquisa 05 marcas de Sucos de Uva Industrializados. “Os resultados obtidos após a coleta de dados e a análise estatística, comprovam que os sucos avaliados possuem quantidades elevadas de açúcares e baixos valores de pH, podendo assim ocasionar problemas que interferem na saúde dos dentes – erosão e cárie”, contou o aluno.

O Refratômetro foi também um dos equipamentos usados nas pesquisas

Ele destaca que é fundamental que o profissional dentista oriente seus pacientes quanto ao consumo destes alimentos. “Os resultados da pesquisa nos dá, enquanto acadêmicos e futuros profissionais de saúde, informações importantes para que possamos atuar de maneira preventiva nos cuidados de higiene bucal, diminuindo, assim, a incidência dessas condições patológicas”, concluiu o aluno sobre o assunto.

Os dois trabalhos apresentados nesta matéria fazem parte do PIBIC. O primeiro está na fase de escrita do relatório final e o segundo já está sendo encaminhado como artigo científico para periódicos indexados.