Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

Alunos do curso de Geografia desenvolvem pesquisa sobre os efeitos socioambientais das enchentes no período chuvoso

Por Anny Santos

Alunos do 7° período do curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Poeta Torquato Neto, realizam pesquisa intitulada “Ocupação do leito do rio Poti e os efeitos socioambientais das enchentes no período chuvoso (2022/2023) em Teresina-PI”, proveniente do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (PIBIC).

Realizada pelo aluno de iniciação cientifica, João Carlos dos Santos Cardoso, e outros três discentes colaboradores, Edson Osterne da Silva Santos, Luis Felipe de Freitas Costa, Maria Laura Rodrigues dos Santos, a pesquisa aborda o estudo dos efeitos socioambientais causados pelas enchentes em áreas mais afetadas de Teresina e tem a orientação da professora e Coordenadora do projeto, Maria Suzete Sousa Feitosa.

De acordo com a professora Maria Suzete, nos últimos anos, a cidade vem passando por um processo de crescimento urbano horizontal e vertical sem planejamento que atenda o ordenamento territorial do crescimento urbano. A ocupação do rio Poti acarreta consequências socioambientais para as aglomerações urbanas que vivem suscetíveis ao risco recorrente no período de chuvas intensas na cidade.

“A pesquisa busca evidenciar as áreas sujeitas a enchentes para que assim identifique e se evite futuras ocupações dessas áreas de risco. Queremos com isso contribuir para se evitar desastres naturais. Acrescenta-se que, no campo geográfico, a pesquisa contribui, sobretudo, para um confronto com o espaço geográfico produzido as margens dos canais fluviais, possibilitando desvelar aspectos da realidade socioambiental no espaço urbano em foco, este materializado mediante as relações que se estabelecem”, ressalta a professora.

A iniciativa surgiu a partir dos eventos ocorridos em 2022, enchentes decorrentes do período chuvoso da época que aumentou a cota de inundação do referido rio. Diante disso, diversas famílias foram atingidas por estarem licalizadad em áreas impróprias para moradia, acarretando danos irreparáveis.

Para os alunos o PIBIC contribui significativamente na formação acadêmica, pois projetos de Iniciação Científica consistem em uma ferramenta de investigação, que possibilita vivenciar na prática uma experiência de ensino mais aprofundada em determinado assunto científico. O projeto também tem o intuito de colaborar na busca de soluções para os problemas estudados.

João Cardoso destaca que, a partir da pesquisa, passou a ter uma formação mais especializada e focada na ciência, favorecendo aspectos importantes para o seu desenvolvimento acadêmico e influenciando no crescimento profissional, sendo imprescindível para a formação continuada, no que se refere a pós-graduação. “Em relação a minha experiência e dos demais envolvidos no projeto tem sido ótima, ao passo que nos aproximamos com o mundo da pesquisa, ampliamos o conhecimento cientifico, bem como senso crítico e o olhar sobre o mundo”.

Aluno de iniciação cientifica, João Carlos dos Santos Cardoso

Aluno de iniciação cientifica, João Carlos dos Santos Cardoso

O estudo dos efeitos socioambientais e o conhecimento das áreas mais afetadas da capital piauiense contribui para compreensão da dinâmica fluvial do rio Poti durante o período chuvoso, que podem acarretar enchentes.

“Será construído um quadro resumo que servirá de base de dados no que se refere a essas ocupações territoriais e as famílias que se encontram em vulnerabilidade após as enchentes no período estudado. Tais resultados deverão contribuir para estudos e pesquisas de natureza técnico-científico, didática, social no âmbito acadêmico da Geografia e áreas afins, aplicáveis no ensino, na pesquisa e extensão universitária, servindo como base para o poder público no subsidio para o ordenamento territorial da cidade com políticas públicas para enfrentamento de eventos de enchentes”, pontua o aluno.