UESPI

Brasao_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Governo-do-Piauí-2023_300X129

Alunos de zootecnia realizam ação educativa na Escola Estadual Joel Ribeiro

Por Giovana Andrade

Alunos de zootecnia do nono período do campus Poeta Torquato Neto, em Teresina, realizaram ação educativa na Escola Estadual Joel Ribeiro que teve como tema “Educação ambiental: Importância dos Animais Silvestres“. A iniciativa faz parte da disciplina ‘Manejo de animais silvestres’, ministrada pela professora Débora Carvalho.

A docente Débora Carvalho explica que a proposta foi levar de uma forma didática para os adolescentes entre 15 e 17 anos a importância dos animais silvestres, destacando a necessidade de protegê-los e combater o tráfico ilegal deste animais.

“Tráfico de animais silvestres é a terceira atividade ilegal que mais da dinheiro no Brasil, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e armas. Entendemos que a educação ambiental é uma das ferramentas que contribuirá para redução desse tipo de atividades ilegais e o profissional zootecnista tem também esse papel de contribuir com meio ambiental através da educação da sociedade. Estes alunos do Ensino médio serão futuros profissionais das mais distintas profissões, contudo eles irão atuar possivelmente em áreas diferentes, mas cientes de onde eles estiverem, devem preservar nossa fauna para garantir o equilíbrio do ecossistema que é essencial para sustentabilidade da vida animal e também humana”.

O tráfico movimenta grandes volumes em torno de US$ 2 bilhões por ano, segundo a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas), uma Organização Social Civil de Interesse Público (OSCIP). Os números, segundo a entidade são alarmantes: em torno de 38 milhões de animais silvestres são retirados ilegalmente da natureza todos os anos.

Para a estudante Patrícia Lima foi uma experiência gratificante poder compartilhar conhecimento e conscientização ambiental com os alunos. Durante a ação, foi discutido o conceito de fauna e exploradas as características dos diferentes biomas presentes no Brasil. O objetivo era que os alunos compreendessem como a diversidade de animais está intrinsecamente ligada aos ecossistemas únicos de cada região.

“A recepção dos alunos foi incrível. Eles se envolveram muito nas atividades propostas, especialmente na gincana interativa. Foi emocionante ver como eles estavam interessados em aprender e participar ativamente das discussões. Ao final da ação, fizemos questão de reforçar os principais pontos discutidos e garantir que todos os alunos compreendessem a importância de preservar a fauna e seus habitats naturais. A entrega de brindes e materiais fornecidos pelo IBAMA foi uma forma de incentivar esse compromisso com a conservação ambiental desde cedo”.

Gabriela Carvalho, discente de zootecnia, destacou que eles recentemente tiveram a oportunidade de assistir a uma palestra no IBAMA e os materiais que receberam lá foram utilizados para enriquecer a ação educativa na Escola Estadual Joel Ribeiro. “Um ponto que abordamos foi a questão do tráfico de animais silvestres, levamos essas duas vertentes: a importância do animal silvestre e os malefícios do trafico no Brasil”.

A diretora da Escola Estadual Joel Ribeiro, Rosimeire Silva, esclareceu que a professora da disciplina, Débora Carvalho, é ex-aluna da escola, e que quando a docente sugeriu a posposta da palestra prontamente aceitou porque reconhece a necessidade de despertar nos alunos a importância da preservação do meio ambiente e dos animais silvestres.

” A partir do momento em que os alunos estão escutando, assistindo, interagindo em uma palestra, o conhecimento ali abordado vai ficar incutido, vai despertar o interesse, a curiosidade. Os alunos de zootecnia abordaram o assunto de uma maneira que conseguiram envolver os alunos aqui da escola, então, só tenho a agradecer pelo evento realizado, e acredito que tenha cumprido o objetivo”.

Pesquisa do curso de Zootecnia busca alternativas sustentáveis na alimentação de galinhas caipiras

Por Clara Monte 

Vanessa Almeida de Sousa, do curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí, desenvolve pesquisa explorando o potencial da inclusão do Farelo de Fevereira na alimentação de pintos da raça de galinhas caipira Canela-Preta. Esta iniciativa, é realizada em parceria com a orientadora Dinnara Layza e os professores co-orientadores Herbert Ramos e Thamires Ferreira.

Experimentos práticos

De acordo com a orientadora, Profa. Dinnara Layza, a pesquisa tem como objetivo principal avaliar o desempenho produtivo das aves e encontrar alternativas alimentares sustentáveis e economicamente viáveis para pequenos produtores. “Esse projeto busca aproveitar a quantidade de Faveira disponível no Piauí, uma planta nativa do Cerrado brasileiro, e tem, como intuito reduzir os custos com ração comercial.”

Experimentos práticos

Para Vanessa Almeida de Sousa a pesquisa representa não apenas um marco em sua trajetória acadêmica, estando na reta final do curso, como  também uma oportunidade de contribuir para a sustentabilidade e economia dos pequenos produtores de galinhas caipiras. Para ela, o estudo busca oferecer resultados que possam beneficiar as comunidades do estado, promovendo uma produção animal mais eficiente e ecologicamente consciente.

Experimentos práticos

“No entanto, este é apenas o começo de uma jornada de exploração da viabilidade alimentar, com muitos aspectos ainda a serem investigados para fornecer resultados que efetivamente impactem a produção animal no estado. Essa pesquisa promete  abrir novas possibilidades na alimentação animal e também inspirar outras iniciativas que visem a sustentabilidade e a prosperidade dos pequenos produtores rurais.”

Até o momento, a pesquisa já passou por diversas etapas, incluindo análises bromatológicas da faveira e a finalização do experimento com a introdução de diferentes níveis do alimento na ração das galinhas. Agora está na fase de análise estatística para determinar os efeitos e a quantidade ideal de faveira na dieta das aves.

Experimentos práticos

Alunos de Zootecnia visitam o IBAMA

Por Giovana Andrade

Nesta semana, os estudantes do nono período do curso de Zootecnia do campus Poeta Torquato Neto, em Teresina, tiveram a oportunidade de visitar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). A visita integra a disciplina ‘Manejo de Animais Silvestres’, ministrada pela Professora Débora Carvalho.

O objetivo da visita foi proporcionar aos alunos uma compreensão mais profunda sobre a importância da fauna silvestre, destacando o papel essencial do profissional de zootecnia no manejo dos animais silvestres apreendidos. Durante a experiência, os estudantes puderam observar a atuação do IBAMA na defesa dos animais silvestres e compreender como os zootecnistas podem contribuir nesse contexto.

A professora Débora Carvalho explica que, durante a visita, os alunos foram instruídos sobre a visão e missão do IBAMA na proteção da fauna. No campo, testemunharam em primeira mão o papel do zootecnista na nutrição e bem-estar dos animais silvestres apreendidos, com o objetivo de reabilitá-los para posterior reintrodução na natureza.

“Os alunos tiveram a oportunidade de observar uma variedade de animais, incluindo araras, macacos, tamanduás, gaviões, tucanos, entre outros. Muitas vezes, esses animais são apreendidos em condições físicas críticas, exigindo cuidados específicos para sua recuperação. Nesse contexto, o papel do zootecnista é fundamental, pois eles são capacitados para fornecer a alimentação e nutrição adequadas que contribuem significativamente para a reabilitação desses animais”.

A aluna Patricia Lima descreve que foi uma oportunidade enriquecedora porque deu para entender melhor os desafios ambientais enfrentados atualmente. “Durante a visita ao IBAMA, pude perceber de perto o trabalho árduo realizado pelos profissionais para proteger o meio ambiente. Conversei com especialistas que compartilharam insights sobre as ameaças ambientais atuais e as estratégias em andamento para enfrentá-las. Foi inspirador ver o compromisso desses profissionais e entender como podemos contribuir para a conservação ambiental em nossas próprias comunidades. A experiência reforçou minha convicção sobre a importância de promover práticas sustentáveis e respeitar a natureza”.

Para Vanessa Almeida, também discente de zootecnia, a experiência foi de muito aprendizado e de oportunidades únicas. “Ao longo da visita, tivemos a oportunidade única de aprender sobre as diversas iniciativas e programas desenvolvidos pelo Ibama para conservar e preservar nossa rica biodiversidade. Foi muito significativo e esclarecedor ver o Ibama destacando a importante função do zootecnista em suas atividades. Fiquei especialmente contente com a presença da zootecnista Michele, com quem tive a oportunidade de estagiar. Sua experiência e dedicação na área de manejo de animais silvestres foram inspiradoras e ressaltaram a relevância dessa profissão na conservação ambiental”.

Alunos de Zootecnia participaram da 72ª edição da EXPOAPI

Por Giovana Andrade

No período de 03 a 10 de dezembro, mais de 30 alunos do curso de Zootecnia estiveram envolvidos em estágios práticos nas associações de criadores de animais da região, incluindo a APICOVI (Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos), APCZ (Associação de Criadores de Zebuinos) e ABQM (Associação de Criadores de Quarto de Milha) na 72ª Edição da EXPOAPI.

Os alunos fizeram acompanhando do processo de admissão de animais em pista de julgamento. Além disso, alguns alunos foram designados para estágios nos pavilhões de expositores, onde participaram de atividades como limpeza de pavilhões, manejo de animais e diversas outras responsabilidades relacionadas às exposições.

Participação em estágios e aulas práticas.

Durante esse período, o Professor Rocha ministrou aulas práticas para a turma de Ezoognósia, Além da execução de três projetos de extensão – “Agrárias em Campo,” “Agropecuarinho,” e “Fórum INOVATE´S” – coordenados pela Professora Samira Teixeira, Prof. Cardozo Júnior e Profa. Dinnara Silva, respectivamente.

A profª Dinnara Silva explicou que dentro do Fórum Inovacte´s ocorreram vários cursos, palestras e até Mostra Gastronômica da Raça de Galinha de Canela-Preta em parceria com SENAR/PI; Associação de criadores da raça de Galinhas Canela-Preta, Câmara setorial de Avicultura, Instituto Federal do Piauí; Embrapa Meio-Norte.

“ O Fórum de Inovações Tecnológicas Sustentáveis  – (INOVATEC´S) é um programa de Extensão e está na 5ª Edição. Ele visa organizar a grade de eventos técnicos ocorridos durante a maior exposição de animais do Estado do Piauí, a Expoapi. Nesse fórum ocorrem palestras, cursos, oficinas e visitas guiadas, tudo organizado pelos alunos e coordenado por nós”.

Visitas guiadas que foram conduzidos pelos participantes do Fórum INOVATEC´S, alunos do primeiro bloco de zootecnia sob coordenação da profa. Dinnara Silva.

A profª Samira Teixeira, atual coordenadora do curso de Zootecnia, destacou que a participação dos alunos foi grandiosa e muito enriquecedora. “Durante a feira foi permitido que os alunos estivessem inseridos no contexto do agronegócio e nas atividade e demandas da produção animal, vivenciando as culturas e os viés do campo de trabalho, enriquecendo sua formação profissional bem como construindo parcerias, além de levar à sociedade, de forma eficiente, o conhecimento de sua profissão”.

A discente Izabel Cristina, primeiro bloco, ressaltou que foi uma experiência enriquecedora de troca de conhecimentos, vivências e ideias. “Tivemos uma ótima receptividade e participamos de palestras muito proveitosas, com conteúdos que certamente contribuirão para todos os presentes. De aprendizado, a gente leva muito a questão de inserir a inovação e a tecnologia no nosso meio de produção, procurando melhorias e agilidade em todos os setores”.

Confira mais fotos:

Alunos de Zootecnia participam da 32° edição do Congresso Brasileiro de Zootecnia

Por Giovana Andrade

Alunos do curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, participaram da 32° edição do Congresso Brasileiro de Zootecnia (Zootec 2023), sediada em Natal, Rio Grande do Norte, nos dias 31 de maio a 2 de junho.
O evento é considerado a maior reunião latino-americana de profissionais da área e é promovido pela Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ).

Nesta edição, a temática foi sobre  “Pecuária 4.0 – Ciência, tecnologia e inovação na Zootecnia” e promoveu uma discussão importante sobre modernizações na área. O cronograma apresentou uma programação científica voltada para profissionais, estudantes, extensionistas, técnicos e produtores com interesse nas temáticas do evento.

A ação foi composta por palestras, mesas redondas, conferências técnicos-científicas, sessões de apresentação em pôster e comunicação oral, feira de exposições e diversas atividades, atendendo a necessidade de ampliação das discussões baseadas em abordagens multidisciplinares para tratar dos principais temas da área.

A Coordenadora do curso de Zootecnia, Profª Dinara Silva, pontua que foi uma experiência fantástica e de um aprendizado enorme. “Estivemos em Natal com um grupo de cinco alunos, juntamente com outros estudantes de Zootecnia do estado do Piauí, no trigésimo segundo Congresso Nacional de Zootecnia. Lá, tivemos a oportunidade de apresentar trabalhos científicos, participar de palestras, minicursos e do fórum coordenado pelo curso de Zootecnia. Foi uma experiência enriquecedora. Gostaria de destacar que tudo isso foi possível graças à parceria entre a UESPI, a Secretaria de Administração do Piauí e a Universidade Federal do Piauí”.

Rodolfo dos Santos Sousa, estudante do 6° período de Zootecnia, participou do Congresso e apresentou dois trabalhos científicos com as seguintes temáticas: “Efeito da castração sobre o peso ao abate de ovinos terminados em sistema semi-intensivo” e “Disseminação do aproveitamento do resíduo de laranja triturado e seco (rlts) na alimentação de ovinos através de atividades de extensão”.

“Foi uma experiência extremamente enriquecedora e significativa, pois tive a honra de representar a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e o Estado do Piauí. Durante o evento, tive a oportunidade de expor os trabalhos de extensão que realizamos, compartilhando as valiosas informações que adquiri no curso de Zootecnia com os excelentes professores. Além disso, participei de palestras ministradas por profissionais do Brasil e do exterior, o que me permitiu adquirir novos conhecimentos na área de cuidados com pets, animais silvestres e gestão de fazendas. Foi uma troca enriquecedora de informações e tive a oportunidade de estabelecer novas amizades com colegas de diversos Estados”.

Discente Rodolfo Sousa apresentando seu trabalho ao lado da Coordenadora do curso de Zootecnia, Profª Dinara Silva.

Vanessa Almeida, estudante do sétimo período de Zootecnia, também participou do Congresso e destacou que foi uma experiência incrível, na qual adquiriu diversos conhecimentos sobre temas atuais.

“Foi uma oportunidade de conhecer grandes profissionais da Zootecnia de todo o Brasil, que marcaram presença no evento e fez com que minhas expectativas em relação à profissão aumentassem. Especialmente para nós, estudantes do Piauí, que estamos constantemente lutando pela consolidação e reconhecimento da profissão no Estado, o evento foi essencial para reafirmar a nossa importância na produção animal”.

Zootecnia Teresina: alunos realizam aula prática em Nazária-PI

Por Anny Santos

Alunos do curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, realizaram uma aula prática, na última segunda-feira (05), em uma granja de Galinhas Caipiras, no município de Nazária, Piauí.

A coordenação do curso estimula a promoção de aulas práticas para que os alunos possam associar a teoria de sala de aula com a prática no campo e assim ter uma formação acadêmica mais completa. Com isso, a atividade foi organizada pela Profa. Dra. Débora Carvalho, responsável por ministrar as disciplinas de Avicultura e Melhoramento Genético Animal 2.

De acordo com a Professora, o contato direto com campo e com o produtor, vivenciando in loco as práticas da produção de aves caipiras, tanto de linhagens especializadas como de raças locais, contribuirá para a bagagem de conhecimento do discente nessa importante área da Zootecnia, que muito tem crescido no Estado do Piauí, com perspectiva de que absorva bastante profissionais no futuro.

“Os alunos puderam vivenciar, na prática, como se formula ração para aves caipiras e suas particularidades. Também viram sobre manejo de pintos, vacinações de aves, manejo de aves poedeiras e aves de reprodução, diferenciações de grupos genéticos de aves caipiras e, até mesmo, práticas de bioseguridade em granja caipira. Todas essas ações realizadas na prática. Ações como essas somam como diferencial na vida profissional dos alunos”, destaca.

Segundo a aluna Ayrlane Cavalcante, do 6° bloco do curso, a experiência foi maravilhosa. O lugar é completo, organizado e bastante acolhedor, com o diferencial de que tudo é realizado de forma orgânica e natural. “Eu, particularmente, não me interessava muito pela área da avicultura, porém, tive uma experiência tão boa que vimos que não é um bicho de sete cabeças e me despertou bastante interesse. Acredito que não só em mim, mas na maioria da nossa turma de Zootecnia do sexto bloco”.

Jyslaine Pereira, aluna do 8° bloco, reforça a experiência como única e enriquecedora, pois trouxe um aprendizado que não pode ser adquirido apenas em sala de aula. “Essa experiência contribuiu muito para que eu, enquanto acadêmica, entendesse e visse como realmente funciona na vida real todo um sistema de criação e produção de galinhas caipiras. Mostrou que é possível utilizar e produzir, de forma satisfatória, a raça nativa do nosso estado que é a Canela-Preta. Além disso, trouxe uma maior aproximação com o produtor e mostrou como funciona toda a dinâmica da sua produção e, possivelmente, abrirá portas para que nós estudantes possamos ter oportunidades de estágio, podendo nos inserir no mercado de trabalho”.

Palestra “O Agronegócio no Mundo e no Piauí”

Por Clara Monte 

Na manhã desta quarta-feira (17), aconteceu, na Embrapa, a Palestra “O Agronegócio no Mundo e no Piauí”. A oportunidade contou com a presença dos alunos da disciplina de Agronegócio dos cursos de  Administração, Agronomia e Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

“O Agronegócio no Mundo e no Piauí”

A iniciativa partiu do docente da disciplina, Prof. Marcio Vinicius Brito, que destacou a necessidade de aproximar os alunos dos conhecimentos aplicados em sala de aula, dando a experiência de um ensino mais didático.

“Minha função como educador foi de verificar dados e informações com quem conhece a cadeia produtiva do agronegócio de uma forma em geral, contribuindo no ensino dos meus alunos, para que eles possam ampliar conhecimentos sobre o mercado e aproveitar as oportunidades”.

Comunidade acadêmica atenta a palestra

O monitor da disciplina, Davi Costa, fala que a ação contou com a palestra do pesquisador da Embrapa, Dr. Sergio Vilela, na qual foi discutido conhecimentos em relação as atividades da Embrapa no agronegócio do Piauí, buscando trazer alguns pontos importantes na área da agropecuária no Brasil, em especial, as tendências, como o hidrogênio verde, que poderá ser o novo combustível para o futuro.

“A palestra explicou sobre os biomas, focando nos cerrados e na plantação de soja, que cresce no Norte e Nordeste, pontos importantes que foi posto ao futuro e a gestão empresarial que trabalha com ativos ambientais”.

Palestrante, Dr. Sergio Vilela, e o professor da UESPI, Marcio Vinicius Brito

O aluno, Lucas Gabriel Carvalho, do oitavo período do curso de Administração, conta que foi uma experiência diferente do que estava acostumado, já que é a primeira vez que paga uma disciplina envolvendo o agronegócio.

“A palestra me deu um norte nessa temática, discutindo pontos importantes para o futuro da área, que tem um potencial muito grande de crescimento. Muito do que foi falado era novidade para mim, me estimulando a buscar mais conhecimentos a partir de agora”, finaliza o aluno

Curso de Zootecnia promove dia de campo de criação de galinha raça canela-preta

Por Clara Monte 

Na manhã desta quinta-feira (11), aconteceu o primeiro dia de campo de criação de galinhas caipiras: experiência como raça piauiense canela – preta. O evento foi promovido pelo Núcleo de pesquisa de galinhas nativas do Meio Norte (NUGAN MN), do curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Primeiro dia de campo de criação de galinhas caipiras: experiência como raça piauiense canela – preta

A coordenadora Dinnara Silva afirma que o primeiro dia de campo tem como objetivo reabrir o núcleo de conservação de galinhas caipiras. Ela conta que o evento trouxe a participação de agricultores, técnicos agrícolas e representantes de diversas instituições ligadas à agricultura e pecuária do Piauí. “Durante o dia de campo, apresentamos as estações com objetivos específicos relacionados à criação sustentável de galinhas da raça canela preta, desde a escolha dos reprodutores até a compostagem do resíduo da produção”, destaca a docente.

Comunidade comunitária atenta ao evento

O evento contou com cinco estações de aprendizados: seleção de matrizes e reprodutores, formulação de ração,  alimentação fornecida para as galinhas, limpeza e desinfecção de galinheiros e a compostagem dos resíduos da produção. Ana Paula Santos, estudante do 9° período, atuou como monitora da estação de higiene e desinfecção de aviários. Segundo ela, o objetivo é mostrar aos alunos e produtores como fazer a desinfecção e a limpeza correta do aviário, para evitar a contaminação de doenças e garantir um bom desempenho das aves. 

Ana Paula Santos, estudante do 9° período de zootecnia

“Nós ensinamos como fazer a limpeza de forma correta, seguindo as etapas recomendadas pela literatura e demonstramos como utilizar os produtos adequados para a desinfecção e a lavagem do aviário. Este tipo de evento é importante porque proporciona uma vivência prática para os alunos e também orientações técnicas para a comunidade que cria aves, mas não possui um conhecimento adequado”, conclui

Marcos Vicente Vieira, aluno do 7º período, destaca a importância do evento por aproximar criadores, produtores e escolas, além de fornecer informações institucionais sobre o que será oferecido, como a formulação de rações e a criação de galinhas caipiras da raça canela preta. “Para os estudantes e graduandos essa aproximação com produtores é valiosa, pois estabelece um contato mais próximo e prático com o mercado de trabalho”, afirma.

Aluno de zootecnia, Marcos Vicente Vieira

O Vice-Reitor, Dr. Jesus Abreu, também esteve presente na ação e comentou que essa raça quase foi extinta com a chegada de linhagens comerciais, que exigem mais investimentos para manutenção. Segundo ele, isso torna ainda mais importante preservar e estudar essa raça a fim de favorecer a agricultura familiar. 

“Essa raça é muito resistente e adequada para a agricultura familiar, pois depende menos de insumos e vacinas, o que a torna mais acessível aos pequenos produtores. Parabéns ao curso de Zootecnia da UESPI por promover este importante evento e reativar o núcleo de conservação”.

Vice-reitor, Jesus Abreu, no cultivo de galinha da canela preta

 

Confira mais fotos do evento: 

Dia do Zootecnista: curso prepara programação para celebrar a data

Por João Fernandes

Em homenagem à data da aula inaugural do primeiro curso de Zootecnia no Brasil, em 13 de Maio de 1966, criou-se no calendário brasileiro o Dia do Zootecnista. Para celebrar esta data especial, a Coordenação do Curso de Zootecnia, do campus Dep. Jesualdo Cavalcanti, em Corrente, realiza a I Olimpíada Uespiana da Zootecnia – OUZ.

O evento tem como objetivo reforçar a importância da área no aspecto socioeconômico e para o desenvolvimento do agronegócio.  

A coordenadora do Curso, Profa. Cintia Mirely de Araújo, acredita que a data reforça a importância dos profissionais que estão sempre empenhados em desenvolver pesquisas científicas nas mais diversas áreas de produção agropecuária. Sobre o encontro, ela destaca que a iniciativa tem o intuito de promover uma rica troca de conhecimentos entre os alunos, além de incentivá-los a participarem da Olimpíada Brasileira de Zootecnia.

“Nosso encontro será marcado como um momento para celebrar a Zootecnia, por ser uma ´profissão que alimenta o mundo`. Além disso, queremos levar aos nossos alunos momentos de convivências para debaterem o que tem vivenciado dentro do curso e apresentá-los às novas possibilidades dentro do mercado”, destaca a professora.  

A Zootecnia faz acontecer na produção animal, no melhoramento genético, na educação, na nutrição animal, no agronegócio e em muitas outras áreas, com seu trabalho refletindo diretamente no Produto Interno Bruto (PIB) e no desenvolvimento econômico do nosso Estado e do Brasil.  

A professora destaca ainda que o evento permite vislumbrar a atuação da Zootecnia eno dia a dia.”O trabalho dos zootecnistas  fica evidente quando se observa o grande avanço de profissionalismo que colocou o Brasil como maior produtor e exportador de carnes do Mundo, por isso, é de suma importância que possam compartilhar essas e outras trajetórias de sucesso”. 

Inscrições

O evento é gratuito e com certificado de 6 horas. Os interessados devem se inscrever através do Formulário Eletrônico até as 12h do dia 12/05. 

Reunião entre UESPI e SEAGRO define parceria e colaborações para os cursos de Ciências Agrárias

Por Vitor Gaspar

Na manhã desta quarta-feira (05), a Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), recebeu o Secretário de Estado do Agronegócio e Empreendedorismo Rural (SEAGRO) Fábio Xavier, para tratar sobre parcerias e colaborações entre as instituições para os cursos de Agronomia e de Zootecnia.

Registro do encontro na Reitoria

A reunião contou com a presença do Reitor, Prof. Dr. Evandro Alberto, do Vice Reitor, Prof. Dr. Jesus Abreu, do Diretor do Centro de Ciências Agrárias (CCA) Luiz Gonzaga, da Coordenadora Dinnara Silva do curso de Zootecnia e da Coordenadora de Agronomia Helen Arruda.

A UESPI se mostrou receptiva à proposta de colaboração e reconheceu a importância do agronegócio e do empreendedorismo rural para o desenvolvimento econômico e social do Estado do Piauí. Além disso, o Reitor destacou que essa foi uma visita importante que firmou um compromisso junto ao Deputado Fábio Xavier entre todos os envolvidos nos cursos de Ciências Agrárias.

“Desejamos fazer projetos de formação, de qualificação para melhorar, sem sombra de dúvidas, a vida das pessoas que trabalham diretamente com caprinos, ovinos, bovinos e tudo o que envolve essa grande área do agronegócio”, afirmou.

Mais um registro dos presentes na reunião

A Secretaria de Estado do Agronegócio e Empreendedorismo Rural (SEAGRO) do Piauí é responsável por coordenar as políticas públicas para o desenvolvimento do agronegócio e do empreendedorismo rural no estado e para falar sobre isso, o Deputado Fábio Xavier, que é o titular da pasta, comentou que foi um privilégio estar na reunião fazendo essa parceria que segundo ele, é fundamental para a área do agronegócio com o intuito de melhorar as condições do homem do campo.

“Acredito que o mínimo que a gente pode fazer é melhorar a condição dos professores de darem aula e dos alunos de receberem o saber. Vamos atuar forte junto à UESPI, que é uma instituição importantíssima para o nosso Estado”, afirmou o secretário.

O Diretor do Centro de Ciências Agrárias da UESPI, Prof. Luiz Gonzaga, esteve presente na reunião. Ele, que é o responsável pela gestão administrativa e acadêmica do centro que compreende cursos de Agronomia e Zootecnia, destaca que a ideia do avanço nessa parceria de cooperação técnica para implementar ações nos cursos deve melhorar a estrutura das disposições e também as atuações.

“Queremos avançar em ações de pesquisa, extensão e ensino, como também no apoio aos eventos que são promovidos. Estamos muito otimistas e entusiasmados com o que foi discutido aqui e vamos implementar ações para a nossa instituição, então, a gente agradece o apoio do secretário e da sua prontidão de nos atender para essa parceria”, encerra.

Alunos de Zootecnia aprendem técnicas de inseminação artificial em bovinos

Por Vitor Gaspar

Na última semana, estudantes do 9º Bloco do curso de Bacharelado em Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), realizaram um curso de Inseminação Artificial com práticas em fazendas na cidade de Timon-MA.

Registro da fazenda em Timon

A realização desse projeto aconteceu devido uma parceria entre a UESPI e a Senar-PI – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, que viabilizou a solicitação da coordenação de Zootecnia, em nome da Profa. Dinnara Silva e da Direção do Centro de Ciência Agrárias (CCA), na pessoa do Prof. Luiz Gonzaga.

O curso consistiu em aulas teóricas, no Núcleo de Biotecnologia da UESPI, e em aulas práticas diretamente no campo, em duas propriedades, ambas localizadas em Timon-MA. A fazenda Boa Vista de gado de leite, que tem como proprietário Roberto Vilar, e a Fazenda Palestina de gado de corte, do empresário Paulo Guimarães, ambas cedidas gentilmente para as práticas.

Momento de prática dos alunos com os animais

Segundo a Coordenadora, Profa. Dinara Silva, essas aulas foram fundamentais para que os alunos adquirissem uma vivência prática de biotecnologia reprodutiva e, dessa forma, foi uma grande oportunidade de aprendizado das técnicas colocadas em ação, além da questão do convívio com essas propriedades que, segundo a coordenadora, é muito importante para que os discentes possam conhecer toda a prática do manejo e da tecnologia.

“Esse curso foi fundamental. O Senar prontamente atendeu a nossa demanda, forneceu todos os materiais necessários para que os alunos passassem a semana fazendo as atividades e isso já deu frutos, inclusive, com alunos que já vão novamente para essas fazendas realizarem extensão dentro de propriedades de gado de leite, o que é muito importante para o crescimento profissional deles.

A parte teórica do conteúdo passada em sala de aula

A Inseminação Artificial é uma técnica que consiste em introduzir, de forma artificial, o esperma do macho no trato reprodutivo da fêmea, sem que haja a necessidade da monta natural. A técnica é amplamente utilizada na pecuária e é uma ferramenta importante para melhorar a produção de animais geneticamente superiores. Segundo a estudante Meridiana Vasconcelos, o conhecimento obtido na atividade foi muito importante, pois durante as aulas conseguiu compreender todas as informações que um profissional da área deve aprender na prática e na teoria. Ela destacou ainda a didática da instrutora, a veterinária Aline Monte, que  guiou os discentes com cuidado e atenção.

“A importância para a Zootecnia é imensurável, pois o seu principal foco está no aumento de produção animal com o menor investimento possível, sendo permitido através do curso formação de profissionais com capacidade de desenvolver o melhoramento genético e com baixo custo para sua formação”, finaliza a discente.

Mias um registro dos estudantes em Timon-MA

O estudante Francivaldo dos Santos destaca que a importância dessas atividades se dá na realização prática de conteúdos que são passados em sala de aula, fator que, segundo ele, é fundamental para que o conhecimento seja adquirido e fixado. “Fizemos um treinamento para poder ter uma noção melhor de como proceder quando estivesse em contato com o animal, utilizando peças para fazer treinamentos e fazendo o manejo dos equipamentos que seriam utilizados durante a execução do procedimento”, encerra.

Curso de Bacharelado em Zootecnia,em Teresina

O curso existe desde 2016.

O Zootecnista atua na administração de propriedades rurais tais como fazendas, granjas e haras, podendo ainda atuar em empresas de projetos agropecuários, em agroindústrias (indústrias 44 de rações, produtos biológicos e outros insumos para animais), órgãos públicos como agente de desenvolvimento rural, empresas e laboratórios de pesquisa científica e tecnológica. Também pode atuar, de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria.

 

Zootecnia: alunos da UESPI recebem doação do IFPI para projeto aviário

Por Clara Monte 

Alunos do 8° período do curso de Bacharelado em Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí, campus de Teresina, recebem insumos do IFPI de José de Feitas para execução de projeto aviário.

Alunos recebendo os insumos no IFPI

A professora Débora Carvalho explica que a ação está relacionada ao projeto desenvolvido pelos alunos sobre avicultura caipira, tendo como objetivo a multiplicação de galinhas caipiras da raça piauiense e canela preta.

“O trabalho de pesquisa é proveniente da disciplina Avicultura, que é ministrada por mim. Tanto ajuda em uma maior produtividade no setor agrário da instituição, como também serve de ensino prático para aquilo que foi discutido dentro da sala de aula. Fizemos essa parceria com o IFPI de José de Freitas para nos auxiliar, porque eles são uma referência em projeto de extensão com a raça canela preta, por isso, nos ajudaram na doação de equipamentos de telas, rações, pinteiros e insumos básicos, que são de extrema necessidade para o desenvolvimento das atividades. Nossa Uespi também contribuiu bastante, mas sempre buscamos bons parceiros para nos auxiliar até conseguirmos ser totalmente independentes”, finaliza a professora

Equipamentos de telas, rações e pinteiros

O projeto conta com uma variedade de ensinos sobre os animais aviários, como: vacinação, alimentação (nas várias fases produtivas) e a parte da instalação no setor. O trabalho está sendo realizado de maneira prática, com o intuito de aperfeiçoamento na pesquisa, incentivando também para projetos de extensão.

O aluno Flávio Igo Freitas dos Santos conta que a universidade está montando um setor produtivo de avicultura, que, através da disciplina, ele e outros estudantes, que estão quase finalizando suas formações, acompanham de perto as atividade e isso auxilia no aprendizado acadêmico.

“Estou fazendo o meu TCC na área de avicultura, então, para mim é de extrema importância esse contato e prática que estou tendo acesso aqui na universidade, por ventura, futuramente, pretendo seguir carreira nesta mesma área, assim já estou garantindo experiência nesse sentido, saindo do curso preparado para o mercado de trabalho. Além disso,  ficamos muito felizes por essa parceria com o IFPI, ajudando a gente a promover uma raça de galinha nativa do Piauí”, finaliza o aluno

Na oportunidade, os alunos foram recebidos pelo diretor do IFPI, José dos Santos Moura, que levou os alunos para um tour em toda a instituição, incluindo setores de avicultura, apicultura e caprinocultura.

Curso de Zootecnia realiza I Seminário de Empreendedorismo Rural em Corrente

Por João Fernandes

Buscando formas de apresentar novas oportunidades para o desenvolvimento de soluções no agronegócio. A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) por meio do curso de Zootecnia do Campus Deputado Jesualdo Cavalcanti, em Corrente, apresenta à comunidade acadêmica o I Seminário de Empreendedorismo Rural. O evento acontece dia três (3) de fevereiro no auditório do campus, a partir das 8h.

O Empreendedorismo Rural é a capacidade de identificar problemas e oportunidades ligadas ao setor rural e distinguir soluções benéficas para a sociedade em geral.

No evento, dedicado aos alunos e produtores da região, serão apresentados novos planos de negócios como uma das formas para fomentar o empreendedorismo rural, e assim, aumentar o poder político, econômico e social dos empreendedores rurais da cidade.

Para a professora Cintia Mirely de Araújo, coordenadora do curso de Zootecnia, as discussões são importantes já que cada vez mais jovens estão interessados em suceder os negócios familiares e até mesmo abrir seu próprio negócio. 

“A participação da comunidade acadêmica é de suma importância, como forma de vislumbrar os passos iniciais dos que pretendem abrir seu próprio negócio, além da possibilidade de aprenderem um pouco sobre economia e sua relação direta com a gestão  dos negócios rurais”, destaca a professora.

Na programação, além da apresentação dos planos de negócios desenvolvidos pelos alunos do 5° bloco de Zootecnia. No mesmo dia, será apresentada a palestra “Análise de  Indicadores Econômicos e sua Importância na Gestão de Fazendas”, por Ricardo Holanda Alves, ele é médico veterinário, mestre em Zootecnia e Supervisor de serviços de assistência técnica e gerencial – ATeG do Senar Piauí.

O evento comtempla a disciplina de ´Gestão de Pessoas e dos Negócios`, e visa apresentar aos participantes que empreender é uma grande oportunidade profissional.

Alunos de Zootecnia irão apresentar trabalhos de pesquisa no Congresso Nordestino de Produção Animal

Por Clara Monte

Entre  quarta-feira (30) até sexta-feira (02), alunos de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) irão apresentar seus trabalhos de pesquisa no Congresso Nordestino de Produção Animal (CNPA) em Fortaleza – CE.

O Congresso Nordestino de Produção Animal é um evento tradicional da grande área de conhecimento da Zootecnia e é realizado, anualmente, pela Sociedade Nordestina de Produção Animal. Desde a sua criação, em 1998, o CNPA reúne os principais representantes da área que atuam diferentemente no setor produtivo da pecuária do Estado.

Os discentes estão no sexto período do curso de Zootecnia da UESPI. Eles apontam como a participação em eventos contribuem nas suas carreiras acadêmicas. Marcos Vicente Vieira, um dos estudantes que irá apresentar o projeto, diz está muito feliz pela sua primeira oportunidade em um congresso tão importante. “Esse é o meu primeiro evento representando a instituição e fiquei muito feliz por ter sido aprovado”.

O evento contará com a presença de pesquisadores, professores, estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais que atuam nos órgãos de gestão governamental e na indústria, além de empresários e produtores que buscam conhecimento e inovação tecnológica para melhorias na gestão.

Outro estudante, Jeremy Lorran da Silva, que tem como projeto o crescimento de fêmea da raça canela-preta associada a sua diversidade de plumagem, diz estar ansioso para o seu primeiro congresso. “ Irei apresentar um trabalho com um tema interessante para o Nordeste e isso tem uma importância muito grande, pois irei conhecer diversas pessoas da agrária, assistir palestras de temas que agrega para o meio e tudo isso vai contar muito para minha experiência e para o meu currículo acadêmico”.

Estudantes de Zootecnia Jeremy Lorran e Marcos Vicente

Setor de Avicultura da UESPI recebe melhorias para a prática dos alunos de Zootecnia

Por Vitor Gaspar

Alunos e professores do curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizam ações para a disciplina de Avicultura durante a reativação do setor, no Centro de Ciências Agrárias (CCA).

Equipe reunida do setor de Avicultura

A reativação do setor tem como objetivo promover aos alunos a parte prática depois da teoria apreendida em sala de aula durante o andamento da disciplina de Avicultura.

O processo de reativação foi iniciado há 60 dias em toda a sua estrutura. Segundo a Prof. Débora Carvalho, titular da disciplina, as atividades já estão bem avançadas e existe a perspectiva de que nos próximos dias o setor já conte com a presença de alguns animais para as práticas dos estudantes. Além disso, a docente ressalva a importância dessa realização.

Trabalho sendo realizado

“Através desse setor, os alunos terão acesso direto aos animais, então eles vão conseguir fazer essa associação da teoria com a prática, aprender a manejar esses animais, entender as particularidades de acordo com cada fase de criação, compreender como é feita a limpeza e a desinfecção das instalações, dentre outros vários pontos”, comenta a docente.

Segundo Francivaldo Sousa, aluno do 8° Bloco e que está cursando essa disciplina, a realização desse trabalho gera um sentimento de satisfação e espera que a reativação do local proporcione o melhor aprendizado para os estudantes do curso. “Para a nossa turma a contribuição é enorme, já que quando estivermos formados vamos nos deparar com várias realidades, então quando a gente já sabe como funciona os procedimentos e, literalmente botando a mão na massa, temos a oportunidade de termos melhores tomadas de decisão”.

Mais uma imagem do trabalho de reativação sendo realizado

O que é Avicultura e qual sua importância para a economia brasileira?

A avicultura é uma atividade que se baseia na criação de aves com a finalidade de produzir alimentos, principalmente carne e ovos. O frango se destaca entre as principais espécies criadas, além de outros como perus, patos, gansos, codornas e avestruzes. Esta atividade se divide em áreas, estando entre as principais a Avicultura de corte e postura.

Atualmente, segundo o EMPRAPA, o Brasil aparece na terceira posição na produção mundial de carne de frango e já há muitos anos é o maior exportador, sendo os principais destinos de produção para a Ásia, África e União Europeia. Além disso, a produção de ovos no país longo de 2020 chegou aos 47,2 bilhões de unidades.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) e compilados pela Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA), essa atividade foi umas das maiores geradores de emprego, em 2020, com 5.993 vagas geradas ao longo do ano.

Bacharelado em Zootecnia

O Zootecnista atua na administração de propriedades rurais tais como fazendas, granjas e haras, podendo ainda atuar em empresas de projetos agropecuários, em agroindústrias (indústrias 44 de rações, produtos biológicos e outros insumos para animais), órgãos públicos como agente de desenvolvimento rural, empresas e laboratórios de pesquisa científica e tecnológica. Também pode atuar, de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria.

Reitoria Itinerante: Aula Magna no campus de Corrente com a ação Reitoria Itinerante

Por Anny Santos e Giovana Andrade

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Dep. Jesualdo Cavalcanti, realizou a Aula Magna do período 2022.1, com temática “Vida Universitária: a construção da Identidade Uespiana” na manhã desta quinta-feira (6).

A ação parte da iniciativa Reitoria Itinerante, que visa uma maior aproximação entre a Administração Superior e a comunidade acadêmica dos 12 campi da instituição. Os encontros visam levar o entendimento sobre o trabalho realizado, esclarecendo duvidas e observando possíveis necessidades de melhorias.

Estiveram presentes o corpo docente e discente da UESPI de Corrente e representantes da Administração Superior. Na oportunidade, a representante discente e aluna do curso de Pedagogia, Kelly França, pontuou a importância de ter sido escolhida para representar os alunos do campi e ressaltou sua passagem por diferentes programas oferecidos pela instituição.

“O que tenho a dizer para os calouros é que sejam bem-vindos. Espero que vocês possam participar ativamente dos projetos e programas que a UESPI oferece. Isso nos aproxima de outros cursos e possibilita uma boa comunicação dentro da universidade. Fiquem atentos ao PIBEU, PIBID e demais programas”.

O Reitor da nossa instituição, professor Dr. Evandro Alberto, esteve presente promovendo apoio ao trabalho que está sendo desenvolvido em Corrente. Para ele, a visita marca a atuação do projeto Reitoria Itinerante, promovendo avanços e melhorias. “Não tem sido uma tarefa fácil, mas estamos avançando. Temos que caminhar com os pés no chão, mas com palavra e compromisso. Hoje estamos com um quadro de 935 professores efetivos e isso é um avanço para a nossa universidade”.

Alcir Rocha, professor e Diretor do campi, reitera a motivação da ação ao tornar possível uma educação pública de qualidade. Segundo ele, o campus recebeu melhorias, com o apoio da reitoria, ao longo do seu período de atuação. Além disso, acredita que é importante que os campi demonstrem, através de uma melhor aplicação dos recursos e cuidados, os resultados do apoio que recebem.

“Nós iremos continuar trabalhando e esse é o meu compromisso. Conto com vocês para continuarmos fazendo um campus melhor e que os nossos cursos estejam bem acima dos índices da média do nosso Brasil”, finaliza o Diretor.

Novos equipamentos para o curso de Zooetecnica

Na ocasião o curso de zootecnia recebeu vários equipamentos entregues pelo Reitor Prof. Dr. Evandro Alberto.

O coordenador do curso, Hermógenes Santana, destaca a felicidade e satisfação do recebimento dos novos equipamentos.

” É uma grande satisfação as ações realizadas hoje, começando pelo projeto da Reitoria Itinerante, que possibilitou uma aproximação e um alinhamento do pensar administrativo. E hoje tivemos o prazer de receber os equipamentos finais  para o funcionamento do laboratório de nutrição animal, que irá atender o ensino em mais de 25 disciplinas com aulas praticas , projetos de pesquisa e extensão. Além disso o laboratório servirá para atender a comunidade e aos produtores rurais”.

Hermógenes Santana, coordenador do curso de Zootecnia

Reitoria Itinerante continua

Hoje (07), o Campus Dom José Vasquez Dias, da Universidade Estadual do Piauí, será a segunda cidade a receber a reitoria itinerante.

A ação está sendo realizada pela primeira vez em 36 anos da história da Universidade. O objetivo principal é aproximar a administração superior da comunidade uespiana em todos os campis da Uespi.

A programação do projeto contará com reuniões com coordenadores, docentes e servidores, além de oficina Enade para a coordenação e discentes do curso de Direito. A equipe também se reunirá com toda comunidade discente para tratar sobre cada pasta da administração superior e tirar dúvidas.

 

 

 

Alunos de Zootecnia realizam atividade de Nutrição Animal na zona rural de Teresina

Por Vitor Manoel

Alunos do 5º Bloco do curso de Bacharelado em Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), realizaram um trabalho entre os meses de junho e julho para a disciplina de Nutrição Animal I na Fazenda Escola Santo Afonso, localizado no Povoado Soinho, zona rural de Teresina-PI.

Prática de mensuração biométrica, procedimento que medem a altura, comprimento e profundidade do corpo do animal

Os alunos Antônio Neto, Karol Alves, Rodolfo dos Santos, além da professora e coordenadora do curso Dinnara Silva, estiveram na propriedade de Padre Andrade, que cedeu o espaço do terreno e auxiliou os discentes, proporcionando assim uma troca de conhecimento entre ambos.

A finalidade da ação foi avaliar a nutrição animal de 40 ovinos, através de medidas biométricas, pesos, análise da alimentação, nos quais foram observados erros com gastos excessivos nos insumos.

Ovinos na Fazenda Escola Santo Afonso

Segundo a discente Karol Alves, foi proporcionado uma organização ao pequeno produtor, agregando a base nutricional dos animais em suas localidades que foram a partir disso, enviados para a análise bromatológica. Ela comenta que além de aprender na prática como ocorre cada etapa do procedimento alimentar em uma fazenda, foi possível observar todos o processo desde os gastos ao consumo de animal, além do retorno ao produtor.

“Esse trabalho além de envolver conhecimentos teóricos adquiridos na matéria, envolveu a prática do diálogo entre produtor e aluno, além de uma troca de conhecimento que gerou dois projetos de pesquisa para ajudar pequenos produtores como o abordado nessa fazenda, ajudando também na organização, alimentação, e desenvolvimento desse produtor, podendo assim contribuir com a comunidade futuramente”, encerra.

O trabalho proporcionou aos discentes a construção de dois resumos dirigidos ao CNPA (Congresso Nordestino de Produção Animal) em Fortaleza-CE.

Aluna mostrando os dados do trabalho para o produtor

Bacharelado em Zootecnia

O Zootecnista atua na administração de propriedades rurais tais como fazendas, granjas e haras, podendo ainda atuar em empresas de projetos agropecuários, em agroindústrias (indústrias 44 de rações, produtos biológicos e outros insumos para animais), órgãos públicos como agente de desenvolvimento rural, empresas e laboratórios de pesquisa científica e tecnológica. Também pode atuar, de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria.

Oportunidade: professores e alunos de Zootecnia da UESPI podem participar do “IV ZOOMAPI” em novembro

A Comissão Organizadora do IV ZOOMAPI convida os alunos de Bacharelado em Zootecnia da UESPI para o IV Encontro de Zootecnistas do Maranhão e do Piauí entre os dias 21 e 23 de novembro, em Bom Jesus.

O evento promove o reencontro dos cursos de graduação entre os dois estados possibilitando a presença de zootecnistas e acadêmicos do curso de forma presencial, após o período pandêmico. A ação acontece a cada dois anos e com alternâncias de sedes, dessa vez com o Piauí recebendo o encontro.

Para um dos organizadores do encontro, Professor Stelio Bezerra esse evento será importante por vários motivos: será o primeiro grande evento presencial da área na região, com palestrantes nacionais e locais que abordaram diversos temas. “Nos cabe ressaltar também que esse evento abordará a relação da zootecnia com os objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU”, encerra.

A Professora Dinara Silva destaca que os docentes do curso da UESPI estarão presentes, inclusive como palestrantes e ressalta a importância da participação dos alunos de todos os blocos do curso. “É o momento de juntarmos força da Zootecnia dos dois estados com essa parceria. Vai ter palestras, minicursos, ações de extensão, o que vai proporcionar um momento muito bom para os nossos discentes”, enfatiza.

Curso de Zootecnia promove Projeto de Extensão destinado a alunos do Ensino Médio

Por Vitor Manoel

O curso de Zootecnia da UESPI no campus Poeta Torquato Neto, promove o Projeto de Extensão “Zootecnia 4.0: itinerários formativos aproximando a educação agrária do ensino superior com o ensino médio”, de forma presencial com alunos do 3° ano do Ensino Médio na Unidade Escolar Joel Ribeiro, no bairro Matadouro, zona norte de Teresina.

Discentes do curso e voluntários do curso de Agronomia estiveram presentes na ação

O projeto é desenvolvido pelo Professor e Coordenador Francisco Cardozo, juntamente com a discente e bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Extensão Universitária (PIBEU), Patricia Lima do 5º bloco, responsável pela execução na escola, com auxílio de discentes voluntários da turma de Agronomia.

A ação tem como objetivo divulgar o curso e o profissional zootecnista para alunos do 3° ano do Ensino Médio criando espaços, com tempos de diálogo, rodas de conversa e apresentação de temas a respeito do curso de forma didática.

A professora do curso e colaboradora na ação, Dinara Silva comenta que esse projeto é de suma importância para que haja uma maior divulgação do profissional da área. Segundo ela, difundir é apresentar a sociedade a importância desse profissional que tanto faz a diferença no agronegócio no Brasil e no Piauí.

“O Piauí tem como característica histórica ser um estado em que a pecuária se fez presente desde a sua colonização, então essa disciplina anda junto com o desenvolvimento do Piauí no sentido de criação agropecuária e de difusão de todo conhecimento da produção animal. Então esse projeto é de suma importância para divulgar o curso, pois são nessas escolas agrícolas que muitos dos nossos alunos saem, então eles podem ter a continuidade seus estudos em um nível de graduação aqui na nossa UESPI aqui em Teresina”, finaliza.

Alunos da Unidade Escolar Joel Ribeiro acompanhando as palestras

Para a aluna e bolsista Patricia Lima do 5º Bloco, muitos alunos do ensino médio desconhecem a profissão, dessa forma o graduando irá estimular a sua participação como mobilizadores das potencialidades comunitárias, motivando a descoberta de novos futuros profissionais que darão continuidade ao que é proposto para a Ciência Zootécnica.

“De acordo com a comissão Nacional de Educação em Zootecnia, a divulgação do curso deve ser premissa básica de ações na instituições de Ensino Superior e órgãos governamentais, com o objetivo de criar espaços para discussões e articulações com os diversos segmentos da sociedade, assim fortalecendo o crescimento e consolidação dessa área nas distintas regiões do Brasil”, encerra.

Os encontros acontecem semanalmente às segundas-feiras a partir de 10:20 na Unidade Escolar Joel Ribeiro. Para mais informações, os organizadores divulgam todas as ações em um perfil no Instagram @zootecniaemfoco_uespi e no site da disciplina.

 

PREX: resultado preliminar para estágio não obrigatório no campus de Corrente

A Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX e do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários – DAEC, torna público Resultado Preliminar do Processo Seletivo para Estágio Não Obrigatório do Curso de Bacharelado em Zootecnia, para atuar no Laboratório de Caprinovinocultura, Bovinocultura Leiteiro e Campo Agrostológico, em Corrente – PI, conforme Edital UESPI/PREX/DAEC no 18/2022.

RESULTADO PRELIMINAR – LABORATORIO ZOOTECNIA CORRENTE

Projeto Zooday: curso de Zootecnia realiza debate com profissionais da área

Por Arnaldo Alves

O curso de Zootecnia da Universidade da Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, realizou, nesta manhã (14), o projeto Zooday, no auditório do Núcleo de Ensino a Distância (NEAD).

A programação do evento contou com palestras e debates com professores e profissionais zootecnista e de áreas afins, em alusão ao dia do Zootecnista, comemorado nesta sexta-feira.

De acordo com a professora do curso de Zootecnia e coordenadora da ação, Dinara Sousa, o projeto Zooday veio para mostrar a importância da Zootecnia para o agronegócio do Piauí.

“Nós saímos de dois anos de aulas remotas e esse contato presencial acabou sendo perdido um pouco. Esse momento de juntarmos todo mundo é de suma importância para o aluno ingressante no curso ter esse contato com os profissionais da área”, ressalta.

Professora Dinara (camisa branca) com a palestrante do evento

Professora Dinara (camisa branca) com a palestrante do evento

Para a estudante do 5° período do curso de Zootecnia e organização do evento, Michele Morais, o projeto Zooday aproxima a comunidade acadêmica dos profissionais do mercado de trabalho.

“O nosso evento reúne professores, profissionais e estudantes de Zootecnia e Agronomia. A gente enxerga isso como um momento importantíssimo de debate e confraternização entre toda comunidade acadêmica”, ressalta.

Estudante Michele Morais (camisa azul) ao lado da professora Dinara e amigos de sala de aula

Estudante Gabriela Carvalho (camisa azul) ao lado da professora Dinara e amigos de sala de aula

O evento também contou com a participação da egressa Michele Morais, além do professor e diretor estadual da Associação Brasileira de Zootecnia (ABZ), Daniel Biagiotti.

Público presente no evento

Público presente no evento

Projeto Zooday: projeto em alusão ao Dia Nacional do Zootecnista

Por Vitor Manoel

Em referência ao dia Nacional do Zootecnista, comemorado na próxima sexta-feira (13), o curso de Zootecnia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) do campus Poeta Torquato Neto em Teresina promove o Projeto Zooday, no dia 13 de maio de forma presencial no auditório do Núcleo de Ensino a Distância (NEAD) durante a manhã de 9h às 12h.

O evento vai contar com palestras e debates com profissionais zootecnistas atuantes na região, além da participação de egressos do curso no formato de mesas de discussões entre eles. O objetivo da ação é propiciar um  momento de integração entre os docentes e discentes. De acordo com a Professora do curso de Zootecnia da UESPI, Dinara Silva, organizadora do evento,  toda a comunidade acadêmica que tenha interesse sobre Ciências Agrárias e Agronegócio pode participar.

O profissional da área atua em conjunto com a produção animal, no melhoramento genético, educação, nutrição animal, agronegócio e em muitas outras áreas, com seu trabalho refletindo diretamente no Produto Interno Bruto (PIB) e no desenvolvimento econômico do Brasil. Além disso, também existe um debate sobre a sustentabilidade e a qualidade de vida desses animais.

Para a Professora Dra. Dinara Silva a expectativa é apresentar aos alunos do curso de Zootecnia a importância de estar contribuindo com o agronegócio do Estado. “O evento é de sua importância para identificação dos alunos com o curso e a profissão, para exemplificar atuação dos profissionais na região e como é importante para o desenvolvimento do agronegócio do Piauí”, comenta a discente.

A egressa do curso Nagila Araújo destaca que a zootecnia é a ciência que alimenta o mundo, e o papel do profissional hoje é muito importante no desenvolvimento e melhoramento de manejo dentro de uma fazenda, indústria de ração e até mesmo na preservação da nossa fauna, juntamente com o tripé da nutrição, do manejo e da genética, sempre muito atentos ao bem estar.

“No 13 de maio, é o dia em que comemoramos o dia do Zootecnista. O que se torna importante para o reconhecimento do valor e mérito do profissional mais qualificado para promover a criação animal em todos os seus aspectos e ramos da atividade produtiva ou de conservação fazendo com que a pecuária nacional seja competitiva e eficiente. A importância do evento, Projeto Zooday, é agregar ainda mais conhecimentos e experiência passada de um profissional à outro e entender como é o dia a dia de um profissional no campo”, finaliza.

O curso de Zootecnia da UESPI em Teresina propicia eventos em prol da produção animal sustentável no Estado.O evento é aberto para o público em geral e para participar do encontro deve ser realizada a inscrição com direito a ganho de certificado de participação.