Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

I Encontro Nacional de SocioAntropologia Política da Saúde “: a política como questão de vida e de morte”

Por Giovana Andrade

O “I Encontro Nacional de SocioAntropologia Política da Saúde”: a política como questão de vida e de morte” é um evento realizado pelo Núcleo Interdisciplinar em Pesquisa e Extensão em Sociologia da Saúde (NIPESS), Programa de Extensão Universitária da Universidade Estadual do Piauí em parceria com a Coordenação do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Sociais, Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira, em Parnaíba.

A ação acontece na modalidade remota nos dias 25,26 e 27 de janeiro. As palestras e as mesas-redondas serão realizadas pelo canal do NIPESS no YouTube , as oficinas simultâneas, os minicursos simultâneos e os Grupos de Trabalhos (GTs) acontecem através de videochamadas do Google Meet (O link será disponibilizados por e-mail, no perfil do NIPESS no Instagram perfil do NIPESS no Instagram e no site do NIPESS: Site do NIPESS ).

E no dia 26 de janeiro de 2023, no horário de 16h às 18h, no próprio campus da UESPI/Parnaíba, haverá uma feirinha de artesanato.

A professora Lourdes Almeida, idealizadora e uma das organizadora do evento, destaca que o evento é pensado para que os discentes tenham acesso e possam vivenciar, simultaneamente, pesquisa e extensão. “O objetivo é agregar e compartilhar ideias, propostas, pesquisas e conhecimentos das humanidades na área do corpo, da saúde, da doença e da morte, em um viés Interdisciplinar”.

Ao final será emitido certificado de 40h aos participantes.

Inscrições:

As inscrições serão gratuitas e através do preenchimento do formulário até o dia 24 de janeiro.

Os envios dos resumos dos trabalhos acontecem até o dia 22 de janeiro via link Google formulários.

Programação completa – ENSAPS 2023:

Para mais informações acesse o site.

UESPI participa de encontro realizado pela Representação Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)

Por Anny Santos

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) esteve presente, por meio do Reitor da instituição, Prof. Dr. Evandro Alberto, em um encontro realizado pela Representação Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na manhã desta terça-feira (08) no Auditório do Centro de Tecnologia (CT) da UFPI.

Encontro no Auditório do Centro de Tecnologia (CT) da UFPI

Encontro no Auditório do Centro de Tecnologia (CT) da UFPI

O Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, esteve presente representando a instituição e reafirmando o interesse e o compromisso com o desenvolvimento da ciência em nosso estado. “Nosso estado é um rico celeiro onde podem ser encontrados e ser explorados verdadeiros talentos da ciência. Temos muito potencial, então é importante que a SBPC mantenha esse olhar atento para nossa região. Gostaria de agradecer a todos presentes e a SBPC por entender e apoiar o desenvolvimento científico no Piauí. Precisamos de uma representação fortalecida, através de assistência e manutenção para que seja possível haver cada vez mais desenvolvimento, fortalecendo a ciência por meio de links entre universidades e órgãos como a SBPC”, pontua.

Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, em abertura do evento

Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, em abertura do evento

Com tema “A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Ciência no Piauí”, o evento contou com a presença do presidente da SBPC, Renato Janine Ribeiro, e dos reitores da UESPI e da UFPI, dentro outras personalidades e instituições. A SBPC possui representantes oficiais em mais de 20 conselhos e comissões governamentais.

O presidente Renato Janine Ribeiro aponta que a SBPC, ao longo de sua história possui grandes conquistas. “Como principais contribuições podemos citar os diálogos para o desenvolvimento científico e tecnológico do País, a luta pela qualidade e universalidade da educação em todos os níveis, a defesa dos interesses dos cientistas, a promoção a disseminação do conhecimento científico por meio de ações de divulgação da ciência e luta pela remoção dos empecilhos e incompreensão que embaracem o progresso da ciência”, enfatiza.

Presidente da SBPC como conferencista, Renato Janine Ribeiro

Presidente da SBPC como conferencista, Renato Janine Ribeiro

 

Olivia Cristina Perez, Representante Regional SBPC no Piauí

Olivia Cristina Perez, Representante Regional SBPC no Piauí

Representando mais de 160 sociedades científicas afiliadas e mais de 5 mil sócios ativos, entre pesquisadores, docentes, estudantes e cidadãos brasileiros interessados em ciência e tecnologia, anualmente, a SBPC realiza diversos eventos, de caráter nacional e regional, com o objetivo de debater políticas públicas e difundir os avanços da ciência.

Segundo a Profa. Hilziane Brito, Diretora do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários (DAEC), o evento também marca o empenho em criar uma Secretaria Regional para a SBPC no Piauí e pode ser o ponto de partida para que isso aconteça.

“Agradecemos por podermos estar presentes aqui, enquanto instituição, junto com outras universidades e institutos. Todos estamos aqui em prol da popularização e valorização das ciências no estado do Piauí. A Covid-19 nos mostrou claramente o quanto a ciência é importante para a vida humana. E essa é a nossa finalidade aqui, valorizar e ressaltar sua importância”, finaliza.

UESPI é representada no XIV Encontro de Coordenadores de Polo UAB

Por Vitor Manoel

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) participou do XIV Encontro de Coordenadores de Polo UAB, sediado no Centro de Educação Aberta e a Distância da Universidade Federal do Piauí (CEAD/UFPI) com representantes das três instituições de ensino superior do Estado. O evento aconteceu na última semana, nos dias 1 e 2 de setembro.

Da esquerda para a direita: Waldirene Silva (Diretora Adjunta do NEAD), Márcia Percilia (Diretora do NEAD), Prof. Evandro Alberto (Reitor da UESPI) e Marly Lopes (Coordenadora pedagógica do NEAD)

O encontro, organizado pela Universidade Aberta do Brasil (UAB) reúne coordenadores de polos que ofertam o ensino à distância, diretores gerais dos núcleos, além da participação de membros da Administração Superior. A ação acontece anualmente com o objetivo de proporcionar que eles possam apontar os processos, resultados e destacando detalhes do trabalho que está sendo feito em cada área de atuação.

O reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, marcou presença na abertura e destacou a importância dessa parceria. “As instituições se juntam pela melhoria do ensino no Piauí, inclusive no ensino à distância, nós temos um compromisso com a sociedade, com o programa e com a educação pública e de qualidade”, encerra.

 

Prof. Evandro Alberto discursando no encontro

A diretora do Núcleo de Ensino à Distância (NEAD/UESPI), Prof. Marcia Percilia destaca que a UESPI conta com mais de 1000 alunos na oferta do Ensino à Distância em mais de 20 polos espalhados pelo Estado, adiantando que no ano de 2023 mais cursos de graduação e pós graduação serão ofertados, dando ainda mais oportunidades para os estudantes. Ela ressalva a importância desse ensino para os alunos:

“O Ensino à distância é a forma mais democrática ofertada para os discentes, pois possibilita que o aluno evite um maior deslocamento de uma cidade para a outra, podendo permanecer em seu munícipio e mantendo o mesmo nível de qualidade de Ensino Superior”, finaliza.

Momento de fala da diretora do NEAD/UESPI Márcia Percília

NÚCLEO DE ENSINO À DISTÂNCIA DA UESPI (NEAD/UESPI)

O NEAD/UESPI tem como finalidade promover uma educação a distância de qualidade, gratuita e transformadora para todos os cidadãos, com atuação baseada na ética, no respeito e no compromisso, sendo uma instituição reconhecida por sua qualidade e compromisso com a educação e o Estado do Piauí, seguindo os valores de ética, respeito, valorização da pessoa, honestidade, compromisso e organização.

 

Oportunidade: professores e alunos de Zootecnia da UESPI podem participar do “IV ZOOMAPI” em novembro

A Comissão Organizadora do IV ZOOMAPI convida os alunos de Bacharelado em Zootecnia da UESPI para o IV Encontro de Zootecnistas do Maranhão e do Piauí entre os dias 21 e 23 de novembro, em Bom Jesus.

O evento promove o reencontro dos cursos de graduação entre os dois estados possibilitando a presença de zootecnistas e acadêmicos do curso de forma presencial, após o período pandêmico. A ação acontece a cada dois anos e com alternâncias de sedes, dessa vez com o Piauí recebendo o encontro.

Para um dos organizadores do encontro, Professor Stelio Bezerra esse evento será importante por vários motivos: será o primeiro grande evento presencial da área na região, com palestrantes nacionais e locais que abordaram diversos temas. “Nos cabe ressaltar também que esse evento abordará a relação da zootecnia com os objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU”, encerra.

A Professora Dinara Silva destaca que os docentes do curso da UESPI estarão presentes, inclusive como palestrantes e ressalta a importância da participação dos alunos de todos os blocos do curso. “É o momento de juntarmos força da Zootecnia dos dois estados com essa parceria. Vai ter palestras, minicursos, ações de extensão, o que vai proporcionar um momento muito bom para os nossos discentes”, enfatiza.

I encontro de mulheres de conceito de Lélia Gonzalez (1988) por “Améfrika Ladina”, acontece na próxima semana

Por Giovana Andrade

O Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Memória da Escravidão e do Pós-Abolição da Universidade Estadual do Piauí – UESPI, coordenado pela profa. Drª. Iraneide Silva, em parceria com a Profª. Drª. Michele Alves do IFPI-Cocal e com a Universidad Santiago de Cali de Colômbia, promove o I encontro de mulheres de Améfrika Ladina e Afro-caribenhas.

O evento acontece no dia 25 de julho de 2022, a partir das 09h até 23h, de forma virtual. A programação conta com diálogos acadêmicos, culturais e de compreensão da diversidade de corporeidades das mulheres afrodiapóricas, que as permitem serem protagonistas de suas histórias de vida individual, coletiva, nacional e continental, sobretudo diaspórica. Reunindo várias mulheres negras e afros diaspóricas da Améfrika Ladina: Brasil, Costa Rica, Cuba, Honduras, Argentina, Colômbia, Venezuela e Uruguai.

A proposta do encontro é refletir sobre as condições geopolíticas atuais das mulheres afrodiaspóricas em suas particularidades de Afro-Caribenhas e de Améfrika Ladina, a partir do reconhecimento de suas identidades, homenageadas de Rosas Negras; suas “suficiências íntimas” que permitem vitórias e avanços num contexto de enfrentamento do racismo, patriarcado e machismo.

“O evento contará com debates de pautas importantes sobre questões de gênero, raça, violência contra mulheres, especialmente mulheres negras.  Além dos índices de violência, as mulheres negras também foram as mais afetadas pelos impactos socioeconômicos da pandemia, com a perda de emprego e renda, impossibilitadas de trabalhar fora de casa.  É um encontro que tem em sua programação, não somente as mulheres, mas também as meninas, de 5 a 13 anos, que irão está falando de suas questões, suas estéticas e dos racismos vivenciados por elas”, conta a profa. Drª. Iraneide Silva, coordenadora do SANKOFA- UESPI.

Ainda segundo a profa. Drª. Iraneide Silva, o termo “Améfrika Ladina” foi cunhado no final do século passado por Lélia Gonzalez devido às resistências das culturas afros e indígenas predominantes e comuns neste contexto.

A Profª. Drª. Michele Alves do IFPI-Cocal, destaca ainda que objetivo do dia 25 julho é uma buscar por direitos e uma construção de “insuficiências íntimas”, que são tecnologias de subsistências, ascensão e dignidade das pessoas pretas a partir dos conhecimentos ancestrais e afrodiaspóricos, que viabilizaram não só a resistência do povo negro como o seu reinventar em outro ser consciente e de ocupação de lugares não subalternos.

O encontro será aberto ao público e gratuito. Transmitido pelo canal do IFPI Campus Cocal no Youtube.

Confira a programação completa:

Manhã:

09h – Rosas negras/Mulheres negras e afrodescendentes:
Profa. Dra. Anny Ocoró Loango – (Colômbia/Argentina)

Mediação: Profa. Dra. Michele Alves (IFPI-Cocal);
Estudante de apoio: Isac Sanos (Estudante de Agropecuária do IFPI-Cocal);
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

10h – Abertura – Apresentação Cultural Poética de:
Shirley Campbell Barr – Poetisa (Antropóloga e Poetisa de Costa Rica)

Apresentação por: Carla dos Santos Siqueira (Estudante do Curso de Licenciatura em Química IFPI – Cocal);
Estudante de apoio: Isac Sanos (Estudante do Curso de Agropecuária do IFPI-Cocal);
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

10h30 – Apresentação do Evento: Professoras Organizadoras.
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

11h30 – Crianças: Sentires de las infancias negras desde el Arte y la Literatura:
Maria Flor Teixeira Carvalho – (Bahia) 11 anos; Olívia Griot Silva Nogueira & Maria Griot Silva Nogueira – (Duque de Caxias – RJ) 13 e 08 anos [Manhã: 11h30];

Mediação: Profa. Dra. Lyda Gonzalez & Profa. Dra. Michele Alves
Estudante de apoio: Isac Sanos & Elisângela Sales Pereira (Estudantes de: Agropecuária e do Curso de Licenciatura em Química do IFPI-Cocal);

Tarde:

12h30 – Apresentação Cultural de:
Sônia Terra (Profa. Mestranda Sônia Maria Dias – Cantora e Poetisa de Teresina – Piauí);

Apresentação por: Geanne Silva Carvalho (Estudante da Agricultura do IFPI – Cocal);

14h – Mulheres Afro Diaspóricas e as “suficiências íntimas”:
Ativista Helena Lorac – Relação das mulheres de Hondura e Haiti (Honduras); Ativista Lourdes Rodríguez Peña – (Uruguai / Integrante UAFRO) – Mujeres AfroUruguayas e a Educación; Ativista e Profa. Dra. Ana Beatriz da Silva (Casa das Pretas – RJ/Brasil); Profa. Dra. Jhoanna Monagreda (Venezuela).

Mediação: Profa. Dra. Lyda Gonzalez (Universidad de Santiago do Chile);
Estudante de apoio: Isac Sanos (Estudante de Agropecuária do IFPI-Cocal) & Yasmin Marinho (Estudante de Psicologia da UESPI);

15h – Mulheres Negras Diversas – Insuficiências Íntimas:
Profa. Dra. Megg Rayara Gomes de Oliveira (UFPA) – Diversidade e LBTQ+; Profa. Mra. Jaírza – Mulheres Quilombolas; Ativista Leticia (Piauí) – Diversidade e Gênero;

Mediação: Profa. Dra. Maria do Socorro (UFPI);
Estudante de apoio: Adriana Barros (Estudante de Mestrado da UESPI);

16h – Mulheres Afro Diaspóricas na Educação:
Lyda González Orjuela – (Colômbia) – Formación Docente; Claudia Elizabete – Educação – Formação Docente Afro; Jairza – Professoras Mulheres Quilombolas e Educação; Profa. Dra. Ana Julia Hidalgo Ruiz (Universidad de Chocó – Trabajos Sociales) – Mujeres colombianas y la educación.

Mediação: Profa. Dra. Iraneide Silva (UESPI);
Estudante de apoio: Isac Sanos (Estudante de Agropecuária do IFPI-Cocal) & Yasmim Marinho (Estudante de Psicologia da UESPI);

17h – Apresentação Cultural Performática de:
Mamba Negra (Profa. Dra. Stéphanie Moreira – Artista Performista (Natal – Rio Grande do Norte);

Apresentação por: Elisângela Sales Pereira (Estudante do IFPI do Curso de Licenciatura do Curso de Química do IFPI-Cocal);

17h30 – Crianças: Sentires de las infancias negras desde el Arte y la Literatura:
Kizzy Soares Melo (Teresina – Piauí) – 12 anos; Aramis e Sarai – (Chocó, Pacífico colombiano) – Guaguas Tejiendo Lecturas 9 y 10 años; Julia – (Teresina – Piauí) 10 anos?

Mediação: Profa. Dra. Lyda Gonzalez (Universidad de Santiago de Cali) & Profa. Dra. Iraneide Silva (UESPI);
Estudante de apoio: Isac Sanos & Antônia Berenice Sousa (Estudantes de Agropecuária e da Agricultura do IFPI – Cocal);

Noite:
18h – Juventude Negra – o desabrochar dos botões de Rosas Negras:
Xitara: Juventude Negra Quilombola – São Raimundo Nonato – PI;
Profa. Doutoranda Aline Neves: Juventude Quilombola – FAE/UFMG;

19h – Apresentação Cultural de:
Marta Quiñónez (Marta Lucía Quiñónez – Poetisa (Colômbia)

Apresentação de: Adriana Barros (Estudante de Mestrado da UESPI);

19h30 – Conhecimentos Ancestrais de mulheres negras:
Profa. Dra. Ariane dos Santos Lima; Stéphanie Campos Paiva Moreira (Mamba Negra/Ativista e Artista de Feminismo Negro de Natal);

Mediação: Profa. Dra. Fátima Pereira de Carvalho (UEBA);
Estudante de Apoio: Geane Silva Carvalho (Estudante da Agricultura do IFPI-Cocal);
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

21h – Encerramento – Rosas Negras Feministas:
Profa. Dra. Rosa Campo Alegre Septien (Havana – Cuba);

Mediação: Profa. Dra. Stéphanie Moreira (Natal – Rio Grande do Norte)
Estudante de apoio: Isac Sanos & Carla dos Santos Siqueira (Estudantes de: Agropecuária e do Curso de Licenciatura em Química do IFPI-Cocal;
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

22h – Encerramento e agradecimentos: professoras organizadoras;
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);

22h30 – Apresentação Cultural do show Vivências de:
Cantora Dóris dos Santos – (Profa. Mestra da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte/Minas Gerais – Brasil);

Apresentação por: Antônia Berenice Sousa (Estudante da Agricultura do IFPI-Cocal).
Tradução de Libras: Elisete Aparecida Rocha Gomes (Estudante de Letras Libras da UFMG);