Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

UESPI de Floriano realiza o IV Encontro do I Seminário de Sociologia Jurídica, que se estende até janeiro

Por Géssica Feitosa

O quarto encontro do I Seminário de Sociologia Jurídica aconteceu na última quarta-feira, dia 30 de novembro, no campus de Picos, Campos Professor Barros Araújo. A mesa abordou o tema: criminologia e processo penal.

A discussão teve como base o artigo “Política criminal e violência estrutural: debates sobre o enfrentamento ao populismo penal no Brasil”.

O encontro contou com a presença dos seguintes palestrantes: Alekssandro Souza Libério: Mestre em Direito Constitucional (2020). Advogado, professor da UESPI de Picos, e assessor Jurídico do Município de Picos (2019 – 2020) e membro do Observatório de Direitos Humanos (IDP). Pesquisa Política Criminal, Sistema prisional e Direitos Humanos.

Carolina Costa Ferreira: Doutora (2016) e Mestra (2010) em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília. Professora, pesquisadora Visitante da Cátedra Victor Nunes Leal (Supremo Tribunal Federal – 2021-2022) e líder do Grupo de Pesquisa “Criminologia do Enfrentamento” (CEUB – CNPq) e co-líder do Observatório de Direitos Humanos (IDP/CNPq).

Jardel de Carvalho Costa: Graduado em História pela UESPI (2006), especialista em Direito Constitucional, mestre em Filosofia e Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS (2019).

O I Seminário de Sociologia Jurídica,  originou-se da necessidade de aprofundar e difundir as discussões iniciadas na disciplina de Sociologia Geral e Jurídica do Curso de Direito, Campus Dra. Josefina Demes, campus de Floriano, com o objetivo de fomentar a compreensão da sociologia, como ferramenta hermenêutica crítica da sociedade e o diálogo com pesquisadores(as) de cada ramo.

Segundo Iago Masciel Vanderlei, coordenador do curso de direito do campus de Floriano, mestre em Direito, Estado e Constituição (UnB) e professor substituto: “O curso permitirá o desenvolvimento de competências que capacitarão os cursistas para articular o conhecimento teórico com a resolução de problemas (art. 4º, I, da DCN), aperfeiçoar a comunicação com precisão (art. 4º, II e III, da DCN), aceitar a diversidade e o pluralismo cultural (art. 4º, X, da DCN), desenvolver perspectivas transversais sobre direitos humanos e relações étnico-raciais (arts. 2º, § 4º e 4º, XIV, da DCN) e desenvolver a capacidade de trabalhar em grupo (art. 4º, XIII, da DCN)”.

A equipe organizadora responsável pelo IV Encontro do  I Seminário de Sociologia Jurídica foi, supervisionado pela coordenação do curso, os alunos de diferentes períodos do curso de direito do campus, entre eles: Ana Beatriz Silva Teixeira, Alancelio Costa Sousa, Cecylia Pinto Sousa, Jose, Vinicius de Sousa, Laysa Beatriz Lobo, Nycolle Keelman Oliveira Lima e Raylson de Araujo Barreto da Cunha.

O evento teve inicio em 26 de outubro, a primeira mesa abordou o tema socioambientalismo, a segunda foi sobre Direitos Indígenas e a terceira Direito e Relações Raciais. A quinta mesa será no dia 14 desse mês e o tema é Profissões Jurídicas. A sexta mesa acontecerá em 11 de Janeiro de 2023 sobre Direitos Sexuais e Reprodutivos e a sétima e última mesa, será realizada  no dia 18 de janeiro, sobre Direito do Trabalho.

O I Seminário de Sociologia Jurídica utiliza o Instagram para compartilhar sobre o evento, a programação e fotos dos encontros, acompanhe @sociojuridica.uespi para ficar informado.

 

Acontece neste mês de dezembro, a XIV Semana de Agronomia do campus de Picos

Por Géssica Feitosa

A XIV Semana de Agronomia da UESPI do campus de Picos, acontece na segunda semana deste mês, do dia 07 ao dia 09. O evento foi idealizado pela empresa Júnior de Agronomia do campus, a AGROPEC.

A AGROPEC é uma empresa que vem há alguns anos realizando a Semana de Agronomia da UESPI. A princípio os professores eram os únicos responsáveis pelo evento, mas atualmente quem o realiza são os integrantes da empresa júnior, juntamente com a comissão organizadora que envolve além de professores, alunos dos períodos mais avançados.

O evento este ano traz como tema os vinte anos do curso no campus. O objetivo é difundir experiências.

Mirlândia Mary, diretora de marketing da empresa júnior, do 8° período do curso de Agronomia explica que a semana tem um significado importante nesta edição.  “Essa semana de agronomia é uma semana muito importante, porque além de ser a décima quarta semana, a gente está comemorando esses vinte anos de história do curso dentro de Picos”.

Na Semana serão ofertadas palestras e minicurso, assim como rodas de conversas, sorteios e brindes. Além disso, apresentações culturais.

Inscrições

As inscrições começaram no dia 07 de novembro e se estendem até o primeiro dia do evento, dia 07 de dezembro, na qual serão feitas inscrições também na hora, contudo, as inscrições podem ser realizadas pelo número (89) 9 8812-9883 ou no campus com a aluna do 6° período de agronomia Irys Moura.

As vagas para os minicursos são limitadas, sendo apenas 15. O valor da inscrição é de 30 reais.

Mirlândia, destaca que os participantes contam com rodas de conversas, e nelas terão a participação de antigos alunos durante esses vinte anos, alunos que se formaram na UESPI de Picos e que alavancaram sua carreira profissional.

O evento é para além dos alunos de agronomia, sendo possível para estudantes de outros cursos e pessoas da comunidade em geral.

Programação

Palestras:

Quarta-feira pela manhã 07/12

08:30 – 08:50 Abertura 

08:50 – 09:30 Mesa de honra

09:30 – 09:50 coffee break

09:50 – 10:50 Palestra do CREA-PI – “Por que o Engenheiro Agrônomo Precisa do CREA?” (Eng. Agrônoma Daiany Cristina de Araújo Albano)

10:50 – 11:50 Vídeos dos ex-alunos que estão atuando na área

11:50 – 14:00 intervalo para almoço

Quarta – feira pela tarde 07/12

14:00-15:00 Integração Lavoura Pecuária Floresta (Luciano Cavalcante Muniz – UEMA)

15:00-16:00 Manejo de resíduos (Antônio José Sales – CREA-PI)

 16:00 – 16:20 coffee break

Quinta-feira 08/12 -Horário 08:00 às 17:30

09:40 – 10:00 coffee break

15:40 – 16:00 coffee break

Minicursos:

  • Irrigação (Francisco de Assis Gomes Júnior)
  • Manejo Reprodutivo de Ruminantes (Benedito Leal de Moura Segundo);
  • ICMS Ecológico (Antônio José Sales – CREA-PI);
  • Interpretação de Análise de Solo e Recomendação de Calagem e Adubação (Jefrejan Souza Rezende); Utilização de drones na Agropecuária 4.0 (José Francisco de Carvalho)

Sexta-feira pela manhã 09/12

08:00-09:30 Mesa redonda com a Associação Piauiense dos Produtores de Alho – Realidade após o projeto de revitalização do alho (Técnicos: Francisco de Assis Alves, Domingo Jusiano de Sousa e o Produtor: Gildencio Francisco de Sá)

09:30 – 09:50 coffee break

09:50-11:20 Mesa redonda com ex-alunos do curso

11:20 Encerramento

19:00 Confraternização

Local: V & J Espaço de Festas e Eventos (Catavento)

Endereço: Rua Joaquim Jovino 2369

A confraternização é para os inscritos do evento, mas terão 50 vagas extras a serem vendidas à 10 reais para quem quiser participar por fora.

 

Dia do doador voluntário: UESPI e HEMOPI do campus de Picos promovem mobilização para doação

Por Géssica Feitosa

Hoje, dia 25 de novembro, é comemorado o dia do doador de sangue, o doador voluntário. Uma data para agradecer aos doadores pela ação de doar e também conscientizar a população nacional a se solidarizar com a doação de sangue. Na universidade essa discussão deve ocorrer. Pensando nisso, o campus de Picos em parceria com o HEMOPI promoveu a campanha  “doe sangue, salve vidas” hoje (25). 

Uma equipe do HEMOPI esteve presente na UESPI na semana passada, visitando o campus e conscientizando os alunos sobre a importância de ser um doador.  A diretora e doutora em enfermagem, Mariluska Macedo, conta que a universidade se mobilizou junto à comunidade acadêmica para levar quem estava apto à doação para o centro de doação. 

Franciele Sousa, é técnica administrativa na UESPI de Picos, e no dia de hoje, se disponibilizou a ir ao Hemopi como voluntária, juntamente com um grupo de alunos, ela fez sua doação de sangue. Ela fala sobre o papel do Hemocentro e relata a recepção e tratamento positivo dos profissionais que a receberam.

“Hoje é um dia muito importante, dia do doador, e é preciso que as pessoas venham para cá, que ajudem os outros, pois o objetivo é esse, ajudar o próximo, mesmo que você não tenha uma pessoa em específico, mas ajudar a todos porque sempre está precisando, e o trabalho do hemocentro é muito bonito, muito cuidadoso, as meninas são muito atenciosas, trabalham muito bem, recebem a gente muito bem. E é importante para nós como cidadão, para sociedade, ajudar o próximo e é muito importante também que todas as instituições, principalmente as de ensino, porque isso é também sobre educação, sobre formar cidadãos e ajudar o próximo”, destaca Franciele.

O aluno e voluntário, Rainerio Linhares, do 7° período de biologia da UESPI, menciona sobre a importância de ser doador e o quanto a universidade enquanto instituição de ensino com um público grande pode ter um papel significativo nessa campanha.

“Ser um doador é uma questão bastante importante, uma questão social, um dever como cidadão, dentro da sociedade, que é ajudar o próximo. E a gente pode algum dia se encontrar no mesmo lugar, precisando de doação. A UESPI, como sendo uma instituição que abrange bastante a região, com bastantes alunos que tem, em vários municípios na macrorregião e microrregião também, deveriam ter realizações de campanhas, para ser regulares, com doações, de três a quatro meses dependendo do indivíduo, e que seria bastante importante para nosso Estado, para várias demandas e que ajudam bastante o pessoal que está no hospital, internado e precisando”, enfatiza Rainerio Linhares.

Andreia Nunes, coordenadora do Hemopi de Picos, explica a importância da doação de sangue para o estoque e enfatiza o quanto a unidade precisa de voluntários, pois a demanda que chega para eles não é somente de Picos mas também de Municípios vizinhos.

“Hoje, nós comemoramos essa data que é muito importante. Sempre que eu posso, estou procurando esses doadores voluntários, indo em instituições, empresas privadas, fazendo essa captação, ligando para esses doadores que nós já temos, esses doadores voluntários, que muitas vezes deixam de nos procurar, eles doam uma vez e daí acreditam ou não tem conhecimento de que esse sangue fique aí um ano, na verdade o sangue, ele só fica em estoque um mês, e essas reposições que fazem, e essas doações são feitas diariamente, ela não supre a necessidade de todos os dias, porque nós também abastecemos outros municípios que fazem esse tipo de procedimento”, explica Andréia.

A coordenadora reforça o chamado para a doação de sangue.“Então eu peço a colaboração dos doadores voluntários, dos que são doadores que foram doadores ou que pretendem ser doadores a virem o hemocentro regional de Picos que é muito importante. A UESPI sempre que eu chamo, sempre que eu os procuro vocês estão sempre à disposição para nos ajudar e eu espero que isso continue por vários e vários anos e eu poder contar com vocês”, conclui Andreia.

Confira registros do momento:

Em parceria, os campi de Corrente, Teresina e Campo Maior, realizaram evento online sobre educação antirracista”

Por Géssica Feitosa

Em alusão ao mês da consciência negra o Núcleo de Estudos Sankofa em parceria com os campi de Campo Maior, Corrente e Teresina realizou um evento sobre Educação Antirracista: Os desafios e perspectivas para um currículo descolonizado. A atividade aconteceu online, através do canal do núcleo,  dia 21 de novembro. 

Os participantes contaram com uma mesa redonda: “Caminhos para uma educação antirracista”, com os professores e membros do Sankofa-UESPI, com a Doutora Iraneide Soares da Silva, também presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/(as), e o Prof.  Dr. Marcos Vinício de Santana Pereira e Mestre Claudio Rodrigues de Melo. Além da mesa, também foram realizadas as oficinas e minicurso. 

A professora, Rebeca Hennemann Vergara de Souza, parte da comissão organizadora do evento, explica que o mês de novembro nos dá um espaço privilegiado para refletirmos sobre o racismo que atravessa nossas práticas e estruturas.

“O mês de novembro é tradicionalmente consagrado à discussão sobre a questão racial que mas também para debater e reconhecer a potência criativa, intelectual e sociopolítica das comunidades e formas de vida negras/do nosso país. A educação figura historicamente como uma preocupação central das lutas e organizações negras no Brasil, diretamente atrelada à questão da liberdade e emancipação”, explica a professora.

Ela também comenta sobre a relevância desse assunto nos dias atuais: “Decorridas mais de duas décadas da implantação dos marcos legais para uma educação antirracista, os debates seguem pertinentes e necessários, especialmente quando considera-se a missão da universidade de formar quadros profissionais capazes de atuar de forma ética, solidária e socialmente justa, em sintonia com as demandas sociais da nossa época”.

A professora e coordenadora Iraneide Soares, de Campo Maior, enfatiza a necessidade e relevância da discussão sobre esse tema, relacionado à consciência negra, principalmente dentro das universidades.

“A importância desse evento é justamente essa, a gente estava saindo de uma pandemia, saindo de um tempo complexo mas ao mesmo tempo não podemos esquecer que temos uma lei, uma legislação antirracista que trata da educação básica, que dever ser muito bem acolhida pela universidade, que infelizmente vai fazer vinte anos no próximo ano, em janeiro, e que em vinte anos a gente ainda não consegue ver reflexo dessa legislação nos currículos e na educação superior”, relata a professora.

A professora finaliza pontuando a relevância da educação sempre trabalhar em cima de causas antirracistas. “O que nos provocou esse dia, o nosso currículo ainda é bastante colonizado, eurocêntrico, que ainda não consegue ser um instrumento de ação, que tem como como ponto de partida os sujeitos sociais que compõem a sociedade brasileira, em um Estado onde mais de 70% da população é negra, preto e pardo e em uma universidade que é tida como a mais negra do Brasil, a UESPI”, conclui Iraneide.

Mais informações sobre o evento podem ser encontradas no Instagram: @sankofauespi. 

 

O PPGSC convida a todos para participarem das atividades em alusão ao Dia da Consciência Negra

Por Gessica Feitosa

O dia da Consciência Negra (20) se aproxima e o programa de Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociedade e Cultura preparou uma palestra, aberta ao público, para discutir a contextualização atual desse tema no Brasil.


A palestra acontecerá na quarta-feira, 16 de novembro, às 10h no auditório Pirajá (UESPI). O tema é: Brasil contemporâneo entre crises e expectativas: o protagonismo político das Mulheres Negras e será ministrada pela Profa. Dra. Matilde Ribeiro (Unilab).

Matilde Ribeiro, é graduada em Serviço Social, mestre em Psicologia Social e doutora em Serviço Social. Professora Adjunta da Unilab e coordena o Grupo AMANDLA. Exerceu o cargo de ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Governo Federal) e recebeu o título de Doutora Honoris Causa pela UFABC. Integra o Conselho da Revista Estudos Feministas e o Conselho AFRICA/Instituto Lula.
Apoio: CAPES

Na oportunidade, os participantes também acompanham o lançamento  dos livros  “O Bicentenário da Independência do Brasil” e “Mulheres Negras em Movimento”, às 18h no Memorial Esperança Garcia (Av. Miguel Rosa, 3400, Centro-Sul, Teresina-PI),  além de um Sarau Literário.

Segundo a professora Cristiana Costa da Rocha, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura: “Essa palestra tem como objetivo promover diálogos e reflexões sobre a importância desse mês na luta contra o racismo, nesse sentido as atividades estão associadas à necessidade política de tratar da questão racial no Brasil, considerando ser um país multiétnico e racial, de maioria negra”, conta ela. 

O evento é aberto e gratuito. 

Acontece em dezembro, a XIV Semana de Agronomia da UESPI de Picos

Por Géssica Feitosa

A XIV Semana de Agronomia da UESPI do campus de Picos, acontece na segunda semana de dezembro, nos dias 07 ao dia 09 do mês. O evento foi idealizado pela empresa Júnior de Agronomia do campus. 

A AGROPEC é uma empresa que vem há alguns anos realizando a Semana de Agronomia da UESPI. A princípio os professores eram os únicos reesposáveis pelo evento, mas atualmente quem o realiza são os integrantes da empresa júnior, juntamente com a comissão organizadora que envolve além de professores, alunos dos períodos mais avançados.

O evento este ano celebra e traz como tema: 20 anos: difundido experiências e vencendo desafios, em comemoração ao aniversário do curso no campus.

Mirlândia Mary, diretora de marketing da empresa júnior, do 8° período do curso de Agronomia explica que a semana tem um significado importante nesta edição.  “Essa semana de agronomia é uma semana muito importante, porque além de ser a décima quarta semana, a gente está comemorando esses vinte anos de história do curso dentro de Picos”.

Na Semana serão ofertadas palestras e minicurso, assim como rodas de conversas, sorteios e brindes. Além disso, apresentações culturais.

Inscrições

As inscrições começaram na segunda, dia 07 de novembro e vão até o primeiro dia do evento, dia 07 de dezembro na qual serão feitas inscrições também na hora do evento, contudo, desde já as inscrições podem ser realizadas pelo número (89) 9 8812-9883 ou no campus com a aluna do 6° período de agronomia Irys Moura.

As vagas para os minicursos serão limitadas, sendo apenas 15. O valor da inscrição é de 30 reais. 

Mirlândia conta que os participantes contam com rodas de conversas, com antigos alunos durante esses vinte anos, alunos que se formaram na UESPI de Picos e que alavancaram sua carreira.

O evento é para além dos alunos de agronomia, sendo possível para estudantes de outros cursos e pessoas da comunidade em geral.

 

Campus de Corrente: confira tudo que rolou na Semana da Criança realizada pelo curso de Pedagogia

Por Géssica Feitosa

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Deputado Jesualdo Cavalcanti (Corrente), através do curso de Pedagogia realizou a Semana da Criança. O evento teve início no dia 07 até o dia 10 de novembro e contou com várias atividades interativas direcionadas para a educação infantil.

O evento faz parte do Projeto de Extensão: Semana da criança: O mundo encantado da aprendizagem, que é uma formação continuada para professores da Educação Infantil em diálogo com estudantes do Curso de Pedagogia, com o objetivo de desenvolver estratégias de ensino que envolvam jogos, danças, brincadeiras de roda e dramatização, utilizadas no processo de alfabetização.

De acordo com a coordenadora do curso de pedagogia, Marcoelis Pessoa de Carvalho Moura, há a necessidade da compreensão da importância do lúdico como recurso pedagógico na educação infantil, tema abordado na abertura.

“É uma ação extensionista que visa colaborar com a formação continuada na escola de educação infantil. Ao mesmo tempo em que promove diálogo da básica com a universidade infantil que aprenderam nas disciplinas que trata de infância e o lúdico, os estudantes estão interagindo com as crianças, desenvolvendo atividades pedagógicas”, explica ela.

A proposta visa compreender a nossa ação a partir da reflexão do que nós trabalhamos. “Então, primeiro o estudante da pedagogia esteve com os alunos da educação infantil, aplicou o que conheceu na sala de aula e na universidade, tem um momento de reflexão sobre isso, por quê? Porque eles vão acompanhar a aprendizagem dos estudantes através de um instrumental que foi elaborado exatamente pra isso”, acrescentou a professora.

A aluna Joyce Melo, do oitavo período do curso de Pedagogia, relata que o evento proporcionou aos participantes entenderem as diversidades existentes dentro da sala de aula. 

“Eu acredito que principalmente para os blocos que estão iniciando é importante essa integração. Desde cedo eles já estão podendo ter contato com a prática, e esse tipo de projeto impulsiona os acadêmico, a buscarem formas de se tornar profissionais cada vez mais qualificados com a educação. Eu quero aqui deixar o meu agradecimento e a minha gratidão os professores que nos ajudaram e nos apoiaram a desenvolver a realizar esse projeto que foi tão lindo e tão maravilhoso”, destaca Joyce.

A discente Mariza Ribeira, também do curso de Pedagogia 4° período, enfatiza que esse projeto extensionista visa colaborar o diálogo da academia, e da escola o campo infantil. “Nós queríamos refletir o desenvolvimento de estratégias pedagógicas no campo. Como é que estavam sendo feitas e como era a educação infantil na prática, por isso nesse projeto abrangemos algumas brincadeiras, dança, música, teatro, jogos educativo”, conclui ela.

Confira registros do evento: 

Campus de Picos: 5° Semana de Comunicação Social acontece em janeiro de 2023

Por Géssica Feitosa 

O curso de Bacharelado em Jornalismo, da UESPI do campus de Picos realiza a 5° Semana de Comunicação Social da UESPI. Nesta 5° edição, o evento acontece entre os dias 18 à 20 de Janeiro de 2023, com o tema 20 anos de ensino de Jornalismo no semiárido piauiense: formação, desafios e historicidade.

A programação da Semana contempla palestras, oficinas, mesas temáticas e apresentação de trabalhos e artigos científicos. Segundo a coordenação do evento, na representação da professora Ruthy Costa, será divulgada a programação completa nas próximas semanas.

“Esta edição do evento será realizada de forma presencial, com o retorno pós pandemia, na UESPI, Campus Professor Barros Araújo e conta com surpresas e novidades em sua programação”, afirma a professora Ruthy. 

Siga @semana.comunicacaouespi Instagram oficial do evento e fique por dentro de tudo!