Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

5 Estrelas! O Programa de Pós-Graduação em Letras tem nota 5 na CAPES

Por Vitor Gaspar

O Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Piauí (PPGL/UESPI) alcança a nota máxima em resultado divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), referente a Avaliação Quadrienal de 2021.

O PPGL/UESPI aumentou de nota 4 para 5, valor equivalente a pontuação máxima referente a mais de 90% dos indicadores analisados. Na instituição, o programa é vinculado a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Gradução (PROP) e para falar sobre isso, o Prof. Rauirys Alencar, titular da pasta, destaca que essa conquista é o fruto da dedicação de todos que fazem parte do programa.

“É uma conquista coletiva do Programa. Todos e todas sabem, reconhecem o valor e trabalham para melhorar a cada dia. É importante esse empenho, esse engajamento dos docentes, discentes e técnicos e, claro da Administração Superior, porque juntos temos mais força para conquistar a excelência no ensino, pesquisa e extensão. O programa está de parabéns, a UESPI está orgulhosa e vamos juntos e juntas buscar mais conquistas, porque isso se reflete em uma educação mais sólida e com mais qualidade”.

A Capes avalia, a cada quatro anos, o desempenho dos programas de pós-graduação das instituições de ensino superior públicas e privadas. O órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC) analisa indicadores relativos à qualidade dos programas, da formação e ao nível de impacto social da produção intelectual. Para o atual Coordenador do Programa, Prof.Dr. Franklin OIiveira, esse desempenho é um reflexo de um árduo trabalho de Autoavaliação do Programa e do esforço coletivo de professores, alunos e técnicos com a liderança dos Coordenadores que executaram um plano estratégico desde a última avaliação para que esse resultado tivesse êxito.

“A trajetória do PPGL é marcada pelas parcerias nacionais e internacionais e pela dedicação dos nossos docentes, discentes e técnicos.  O nosso Mestrado conquistou projeção nacional em pouco mais de 10 anos de sua criação. A excelência do programa está relacionada ao investimento em corpo docente formado por pesquisadores de alto nível, à proposta pedagógica e por nossa Autoavaliação. Nossa meta agora é conseguir o Doutorado. Estamos confiantes e motivados para ter um resultado positivo nesta submissão”.

Prof. Franklin Oliveira, atual coordenador do Programa

O desempenho do programa se mostrou satisfatório nos três quesitos da avaliação. Em relação à qualidade do programa, o curso se destaca por seu planejamento estratégico, pela produção intelectual, pelo nível de aprendizado do discente, pelas parcerias institucionais e pela atuação efetiva dos docentes e discentes no ensino, na pesquisa e na extensão.

Para a Prof. Dra. Algemira Mendes, ex-coordenadora do PPGL (2017-2020), o excelente resultado é fruto do esforço coletivo de todos que fazem parte do processo. ”Entendo que devemos agradecer à rede de cooperação que formamos entre os discentes, docentes, técnicos e o apoio da administração superior, que nos tem dado ao longo desses 12 anos de existência do programa e prestando o suporte  necessário para chegarmos ao resultado que obtivemos nessa avaliação quadrienal/2017/2021”.

Profa. Algemira de Macedo Mendes, ex-coordenadora do PPGL-UESPI 2017-2020)

O curso obteve conceito máximo no quesito de qualidade da formação, pela produção científica gerada pelos discentes, egressos e professores, pelo elevado envolvimento do corpo docente, pela adequação das dissertações às linhas e projetos de pesquisa e pelo alto número de artigos publicados em periódicos classificados pelo Qualis Capes.

A professora Dra. Bárbara Olímpia, ex-coordenadora do PPGL (2020-2022), também destacou o compromisso do corpo docente, discente e técnico, bem como da Administração Superior. “Agora nossa responsabilidade com a formação de recursos humanos altamente qualificados aumenta ainda mais. A UESPI merece nosso compromisso”.

Profa. Barbara Olímpia Melo, foi coordenadora entre 2020 e 2022

O PPGL-UESPI também obteve destaque por seu impacto econômico, social e cultural. De acordo com a Capes, a atuação em ações de extensão e produção de conhecimento, bem como de apoio a políticas públicas, além do desenvolvimento de atividades para solução de problemas regionais proporcionou a promoção de impactos econômico, social e cultural.

UESPI alcança 1º lugar no Programa de Residência Pedagógica no Piauí

Por Vitor Manoel

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) alcançou o 1º lugar no Estado no Programa de Residência Pedagógica (PRP) em ranking divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em 2022.

O Programa de orientação nacional contempla alunos a partir de 5º período em disciplinas de Licenciatura para a atuação em sala de aula. A Residência Pedagógica proporciona aos estudantes, bolsas para intervenção docente nas escolas, sob a supervisão dos educadores das instituições. Na UESPI, o programa é vinculado a Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (PREG).

Mônica Gentil, Pró-Reitora Adjunta da PREG destaca que esse é o terceiro ano do projeto e que tem proporcionado aos alunos, experiências para eles com a atuação direta na escola. “Podemos dizer que com esses programas a Universidade Estadual do Piauí está formando grandes profissionais pra entrar no mercado, dando ao aluno essa experiência com a docência”.

Assim como o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), o PRP da UESPI se mantém em primeiro lugar no Estado e amplia o número de bolsas para a instituição, conquistando 100% das cotas almejadas. O edital 24/2022 conquistou 34 bolsas para os Docentes Orientadores com 102 bolsas para preceptores (professores da Educação Básica) e 510 bolsas para licenciandos residentes da UESPI entre 11 das 13 licenciaturas existentes em 10 campi da UESPI.

Segundo a Coordenadora Institucional do programa na UESPI, Kátia Magali, a implantação do referido programa confirma o compromisso da Instituição em alcançar a excelência na formação dos futuros docentes que atuarão na educação básica, oportunizando aos nossos licenciandos experiências práticas e inovadoras na elaboração, investigação e aplicação das metodologias de ensino.

“Simultaneamente à formação do licenciando, contribui com a qualificação docente no ensino, pesquisa e extensão em todas as instâncias, superior e básica, por meio das ações de parceria junto à rede educacional, estadual e municipal. Nesse sentido, a rede de ensino se redimensiona articulando a formação de professores, atuando em sintonia com a IES, em um processo que beneficia os autores e as instituições envolvidas e, consequentemente, contribui para a elevação da qualidade dos serviços prestados na Educação Básica”, encerra.

Para Lylia Rachel, coordenadora do subprojeto de Letras/ Inglês no campus de Piripiri fala sobre as suas expectativas para o ingresso no programa e a preparação para o projeto neste ano. “Minhas expectativas são as melhores possíveis, visto que os programas tendem a melhorar a postura acadêmica e profissional dos futuros professores com a prática nas escolas pólos”, comenta.

EDITAL CAPES 2022:

06092022_InformeEditalPRP242022CotasconcedidassIESselecionadas

 

Docente do CFAF/UESPI é selecionado para intercâmbio nos EUA

Giovana Andrade

O Professor Raimundo Nonato Sousa, Formador institucional do Centro de Formação Antonino Freire (CFAF-UESPI) foi selecionado para participar do Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos –PDPI(CAPES/FULBRIGHT).

PDPI é desenvolvido em parceria com a embaixada americana e com a Comissão Fulbright, do governo dos EUA. A iniciativa oferece a professores de língua inglesa da educação básica, em exercício na rede pública de ensino brasileira, a oportunidade de um curso intensivo de seis semanas em universidade nos Estados Unidos, com estudo e prática da língua inglesa na metodologia de ensino de inglês como língua estrangeira, bem como exposição à cultura e sociedade dos EUA.

O resultado final foi divulgado pelo CAPES com relação de 371 educadores de língua inglesa que participarão do Programa. A relação faz parte do Edital n° 30/2019, retomado pela CAPES em abril deste ano, após ficar suspenso devido a pandemia de COVID-19.

As atividades acadêmicas nos EUA estão previstas para acontecer entre 16 de janeiro e 24 de fevereiro de 2023.

O docente destaca está muito empolgado para participar do terceiro nível do programa, que é a ultima etapa de um conjunto de três, intermediário, I e II e avançado. ” Em 2013, participei do programa no nível intermediário II. Nesta etapa se estuda Metodologias de ensino em TESOL e EFL, Cultura Norte Americana por meio de seminários e viagens”.

Ele afirma ainda que esta capacitação se reveste de um significado muito particular para ele que atua como professor formador de professores de inglês, cujo público são docentes da Rede Estadual de ensino do Piauí. “Está buscando novas Metodologias, em especial as metodologias ativas, irão impactar minha prática de professor e de Formador, até porque professor Formador é algo se faz por meio das práticas e nisso, eu acredito que me ajudará a aumentar a minha capacidade de atuação em serviço”.

Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos –PDPI

O programa é financiado pelo Ministério da Educação – MEC , por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, administrado pela Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil (Comissão Fulbright), e conta ainda com o apoio do Conselho Nacional de Secretários da Educação – CONSED

 

UESPI alcança 1º lugar no PIBID no Piauí

Por Vitor Manoel

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), alcançou o primeiro lugar no Estado no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) em ranking divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em 2022.

O Programa é de orientação nacional e contempla alunos de até o quarto período em disciplinas de Licenciatura para atuarem em salas de aula. O PIBID oferece bolsas de iniciação à docência aos alunos de cursos presenciais que se dediquem ao estágio nas escolas públicas e que, quando graduados, se comprometam com o exercício do magistério na rede pública. Na UESPI, o programa é vinculado a Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (PREG).

O resultado final coloca a Universidade Estadual do Piauí no 21º lugar entre 250 instituições de todo o país, colocação que marca um acréscimo de 26 posições com relação ao ano passado. Mônica Gentil, Pró-Reitora Adjunta da PREG comenta que O PIBID vem entregando para a Universidade uma resposta muito positiva dos alunos, pois e trata de uma oportunidade dos alunos atuarem no campo adquirindo uma experiência nas escolas.

“Esse resultado é fruto dos projetos que foram apresentados e que são relevantes que vão auxiliar na educação do Estado. Eu tenho observado que os alunos que participam desses programas conseguem aprovação em concursos, são chamados para as escolas e conseguem essa experiência com a docência”.

O projeto PIBID está presente em 11 (onze) dos 13 (treze) campus da instituição, nas áreas de iniciação à docência de Pedagogia, Letras Português, Letras Inglês, Ciências Sociais, Geografia, História, Física, Química, Biologia, Educação física, Interdisciplinar (Física e Química) e Interdisciplinar (Filosofia e Ciências Sociais). Ao todo, foram articulados 37 núcleos de Iniciação à docência oriundos dos campi de Teresina, Picos, Campo Maior, Floriano, Bom Jesus, Corrente, Parnaíba, Piripiri, Picos e Oeiras.

Segundo a Coordenadora Institucional do Programa na UESPI, Prof. Dra. Kelly Santos, durante 18 meses os graduandos estarão envolvidos nas atividades desenvolvidas pelos subprojetos, aplicando nas escolas práticas educacionais como com a finalidade de melhoria do ensino da Educação básica. Ela destaca as expectativas com relação aos pontos que constam no Projeto Institucional.

“Espera-se que no período de vigência dos subprojetos, os licenciandos possam vivenciar e se apropriar da riqueza de práticas e conceitos que serão partilhadas pelos professores supervisores. Que o mesmo possa contribuir no compromisso já firmado entre a instituição formadora e as escolas conformadoras. Que possa promover melhorias na formação inicial dos licenciandos e na formação continuada dos professores supervisores”, finaliza.

Para o Coordenador do subprojeto do curso de Biologia de Campo Maior, Prof. Dr. Hermeson de Oliveira, o resultado alcançado pela UESPI no último edital PIBID foi algo extraordinário. “O programa possibilita aos alunos de licenciatura o contato com a prática docente desde o primeiro ano de graduação e a UESPI se posiciona, mais do que nunca, como uma instituição referência para a formação de professores. É um orgulho poder colaborar com o projeto”.

O projeto institucional PIBID-UESPI visa ofertar condições para uma maior integração com as escolas da Educação Básica do Estado, promovendo assim, uma articulação entre a teoria e a prática da docência, ao tempo em que contribui para a elevação da qualidade dos cursos de licenciatura desta IES

Entre alguns dos principais objetivos propostos pelo Programa está a promoção de atividades que visem o desenvolvimento de competências socioemocionais, contribuição com o processo de formação inicial dos futuros estudantes através de sua inserção no contexto escolar vivenciando a escola em suas diferentes dimensões, além do conhecimento dos processos pedagógicos e da gestão escolar e envolvendo os bolsistas no conhecimento e execução de Projetos Políticos Pedagógicos das escolas.

PIBID RESULTADO