Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

Feira de História Medieval integra alunos e Docentes da UESPI

Por João Fernandes

Trazendo uma proposta inovadora, os alunos do curso de licenciatura Plena História da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) promoveram, na manhã desta quarta-feira (1), primeiro de fevereiro, uma feira cultural com o tema “Como você seria na idade média”, no campus Poeta Torquato Neto. Um evento que contempla  potencialidades e metodologias numa verdadeira viagem na história.

Feira de História Medieval integra alunos e Docentes

O evento foi uma realização dos alunos do segundo bloco da disciplina Prática Pedagógica II. A ideia é aproximar os licenciados das potencialidades e costumes que são adotadas nos conteúdos de história medieval trazendo-os para o contexto da feira cultural.

Para o aluno João Gabriel, discente do quarto período de História e um dos visitantes dos espaços da feira, o evento é uma excelente oportunidade para desmistificar curiosidades e algumas impressões que criamos baseados em contos e filmes que retratam esse período.

 “Os alunos conseguiram recriar uma excelente ambientação, que nos insere a contextos históricos desse período. É  comum criarmos uma falsa impressão que a Idade Média é um período de trevas e tristeza. A iniciativa dos alunos nos prova que essa não é a realidade, nos transportando a um período rico culturalmente”, destaca o aluno. 

 Os participantes se dividiram em grupos, com cada um sendo responsável por fazer uma exposição sobre temas medievais.

De acordo com a aluna, Yasmim Nascimento, a ideia da feira é criar uma interação com o público, tirando dúvidas e também ajudando a desmistificar algumas ideias sobre a idade média. “O diferencial da nossa feira é conseguir reunir em um único espaço características próprias da era medieval, trouxemos roupas comidas e figuras para que essa troca de conhecimento seja ainda mais rica. Além disso, a feira consegue trazer um grande momento de interação e troca de conhecimento com alunos de outros cursos”, acrescenta a aluna.

Os alunos trabalharam os assuntos em cada grupo, fazendo um paralelo sobre os costumes, trajes, educação, saúde, economia, culinária, moradia, literatura e aspectos físicos, desde a  época medieval até os dias atuais.

Feira de História Medieval integra alunos e Docentes

Segundo a professora da disciplina, Viviane Pedrazzane, a feira conseguiu proporcionar uma rica socialização com outros cursos, isso porque apresentamos a eles um tema que gera bastante curiosidades. nossa proposta é mostrar um cotidiano das pessoas que viviam naquela época tratando várias realidades a fim de desmistificar algumas fantasias criadas sobre a idade média.

‘A Universidade precisa ter movimentos como este, gerando mais conhecimentos e momentos de interação e assim conseguir disseminar ainda mais conhecimento” , destaca a professora.

Professora da disciplina, Viviane Pedrazzane.

Geografia UESPI: curso realiza I Feira de Geociências

Por Anny Santos

Alunos do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, promovem a I Feira de Geociências no dia 08 de fevereiro, das 14h às 17h, no espaço de convivência do CCHL.

Sob coordenação da Profa. Dra. Maria Luzineide Gomes e do Prof. Dr. Jorge Eduardo de Abreu, a feira surge de forma experimental com o objetivo de apresentar diversos recursos didático-metodológicos para o estudo e ensino da área de Geociências, totalizando cerca de 13 estações temáticas. Segundo a professora Maria Luzineide, a atividade será apresentada pelos discentes das disciplinas de Elementos de Geologia, Geomorfologia e Elementos de Pedologia.

“As feiras ocorriam nas escolas e separadamente. Neste semestre os professores idealizaram algo na própria UESPI, pensando ser uma possibilidade dos alunos das escolas virem à Universidade. Além deles, para os próprios discentes do curso de Geografia e demais cursos conhecerem o que está sendo estudado e ensinado”.

Podem participar alunos de escolas (de nível fundamental e médio) e a comunidade acadêmica. Na oportunidade, os discentes do curso de Geografia devem colocar em prática, além do conhecimento científico específico das disciplinas, a oralidade, ação didática e a interação com os visitantes. O ensino da Geografia, através da feira, possibilita maneiras interessantes de conhecer o mundo e as esferas que o compõe.

O Prof. Dr. Jorge Abreu acredita que a iniciativa pode possibilitar, posteriormente, que mais disciplinas sejam agregadas, promovendo um ensino com mais interdisciplinaridade, o que já vem sendo direcionado pelo currículo escolar das redes como propõe a BNCC. “A feira pode ainda se tornar um evento/atividade de valorização de nosso curso e de nossa UESPI”.

Além das estações temáticas os visitantes poderão conhecer mais de 20 tipos de rochas, experimentar o magnetismo do solo e entender o funcionamento de alguns sistemas terrestres e suas esferas. Todas essas atividades estarão abertas à visitação sem necessidade prévia de inscrição, mas será disponibilizado um certificado de participação elaborado pelo Núcleo de Estudos de Geografia Física da UESPI (NEGEO), cadastrado nos grupos de pesquisa do CNPq.

Para Marcelo Borges, aluno do 4° bloco e um dos organizadores da feira, a experiência vem como uma oportunidade de repassar e apresentar aquilo que foi aprendido durante o semestre, além de ser muito importante para o desenvolvimento das habilidades didáticas. “Para nós, futuros professores, esse momento é de extrema importância, pois com ele poderemos desenvolver nossas habilidades didáticas e desenvolver novas metodologias de ensino que no futuro serão de grande importância para a nossa carreira. Esse momento também é essencial para o nosso currículo e estou extremamente ansioso para desfrutar dele”.

Turma do 2° Bloco de História promove Feira Cultural com temática sobre Idade Média

Por Vitor Gaspar

Os alunos do curso de Licenciatura Plena em História promovem uma Feira Cultural com o tema “Como você seria na Idade Média?”, no dia 01 de fevereiro, a partir de 09h30, no campus Poeta Torquato Neto, em Teresina

A ação acontece nas salas 01 e 02 do setor 12 do campus. Esse é um projeto que está sendo desenvolvido na disciplina Prática Pedagógica II com o objetivo de desenvolver nos licenciandos as potencialidades e metodologias que serão aplicadas nos conteúdos de História Medieval no formato de Feira Cultural.

De acordo com a aluna Francisca dos Santos a turma foi dividida em grupos, com cada um sendo responsável por fazer uma exposição sobre temas medievais. Ela também aproveita para fazer um convite: “A comunidade em geral da UESPI é convidada a participar, conhecer os contextos do período medieval de acordo com as temáticas abordadas”, comenta a discente.

Vão ser trabalhadas diversas temáticas relacionadas a esse período histórico e também ajudando a desmitificar algumas ideias sobre a Idade Média. Segundo a professora da disciplina, Viviane Pedrazzane, acontece muito dentro do ensino passado  a reprodução de conteúdos que esteriotipam a Idade Média.

“Trabalhamos também para desconstruir aquele imaginário de que esse era o período em que existiam dragões, de trevas e algumas outras coisas, como em muitas vezes os filmes e os livros fazem essa alusão. Então, aproveitando o espaço da Universidade, uma vez que esses alunos ainda são de blocos iniciais, é uma oportunidade para que eles possam adquirir essa experiência em sala de aula”.

O que foi a Idade Média?

A Idade Média é o nome do período da história localizado entre os anos 476 e 1453. A nomeação Idade Média é utilizada pelos historiadores dentro de uma periodização que engloba quatro idades: Antiga, Média, Moderna e Contemporânea. A Idade Média iniciou-se com a desagregação do Império Romano do Ocidente, no século V. Isso deu início a um processo de mescla da cultura latina, oriunda dos romanos, e da cultura germânica, oriunda dos povos que invadiram e instalaram-se nas terras que pertenciam a Roma, na Europa Ocidental.

Programa da Uespi realiza feira de livros para ajudar animais que vivem no campus

Por Anny Santos

Voluntários do Programa denominado “Convivência ética entre animais humanos e não humanos: uma questão de saúde e educação” da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizam feira de livros no espaço coberto do CCHL, todas as sextas-feiras, de 08h às 12h, no campus Poeta Torquato Neto. 

Formado por professores, alunos e servidores da nossa instituição, o grupo atua desde 2013, uma década, realizando atividades de alimentação, cuidado e avaliação veterinária, campanhas de doação e castração, além de feiras para arrecadar fundos que servem diretamente e exclusivamente para os cuidados dos animais.

A iniciativa é coordenada pelas professoras Eline Chaves de Abreu Almendra, do curso de Agronomia, e Maria Teresa de Alencar, do curso de Geografia. Eline Chaves relata que é gasto, mensalmente, cerca de 2 mil reais com compra de ração para os animais, sendo o valor arrecadado através das ações realizadas e das doações feitas por voluntários e pessoas das comunidades interna e externa a instituição.

Precisamos realizar dentro da Universidade atividades de conscientização para que as pessoas entendam que esses animais estão aqui, vivem conosco e pertencem a comunidade e que, portanto, são de responsabilidade de toda a comunidade. Esses animais recebem cuidados todos os dias, como troca de água e reposição de ração, então é importante termos auxílio”, destaca a professora.

Professoras Eline Chaves de Abreu Almendra, do curso de Agronomia, e Maria Teresa de Alencar, do curso de Geografia

Professoras Eline Chaves de Abreu Almendra, do curso de Agronomia, e Maria Teresa de Alencar, do curso de Geografia

Agora o grupo passa a atuar de forma institucionalizada ao se cadastrar pela Pró-reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX) como um programa continuo, que realizará atividades de extensão para garantir certificação de horas complementares aos alunos participantes, além de contribuição social a comunidade em que vivem.

Como participar?

Alunos e professores de qualquer curso, além de técnicos, podem participar das ações enviando um e-mail para elinechaves@cca.uespi.br informando o interesse.

A Coordenação do curso de Agronomia está recebendo doações de rações e também objetos e livros para as feiras realizadas no campus.

PIX para doações: (86) 9 9938-8389

Curso de História: alunos realizam “Feira do Patrimônio Cultural”

Por Anny Santos

Alunos do curso de Licenciatura Plena em História da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, realizaram na última terça-feira (21) a “Feira do Patrimônio Cultural” na Escola Municipal Dep. Antônio Gayoso, localizada na zona norte de Teresina.

A ação é fruto de um projeto idealizado pela professora Viviane Pedrazani, por meio da disciplina de Prática Pedagógica 8, com o intuito de difundir a educação patrimonial e vislumbrar uma valorização do patrimônio cultural de Teresina. Os discentes organizaram salas com encenação das lendas do Cabeça de Cuia e da Num se Pode. Além de salas sobre o patrimônio arquitetônico, alimentação e costumes.

De acordo com a professora Viviane Pedrazani, todos os alunos da disciplina participaram ativamente, sendo divididos em dois grupos, onde cada grupo possuía sob supervisão na escola três turmas do Ensino Fundamental. No total foram trabalhadas seis turmas para a Feira. “Os beneficiados são nossos alunos da universidade, alunos e funcionários da Escola e a comunidade pelo desdobramento da ação que realizamos. O Patrimônio Cultural de Teresina fica melhor conhecido. Assim, ampliamos as possibilidades de preservação”, destaca a docente.

Nádia Aguiar, discente e uma das organizadoras, afirma que foram apresentadas duas lendas teresinenses, Num Se Pode e a lenda do Cabeça de Cuia, encenadas e narradas por alunos do 6° ano. Os alunos do 7° ano ficaram a cargo de apresentar a arquitetura patrimonial de Teresina, como as igrejas e praças que narram a história da nossa cidade, além disso expuseram um varal de fotos antigas mostrando o antes e o depois das nossas praças, palácios, teatro, museus e afins.

Já os alunos do 9° ano apresentaram a culinária da nossa cidade como Patrimônio material/imaterial, nossa Cajuína e todo o seu processo de feitura até a comercialização, assim como o prato típico da região a Maria Isabel.

“A minha experiência enquanto acadêmica foi primorosa e de muito conhecimento agregado, pois acredito que a Educação Patrimonial seja uma temática de suma relevância para a educação básica das nossas crianças. Acredito que nossos alunos precisam partilhar dessa experiência unindo a academia e a escola, a Universidade precisa chegar nesses espaços e levar essas informações até as crianças, fiquei extremamente feliz porque o conhecimento que estamos produzindo na UESPI está atravessando os muros da universidade e atingindo quem realmente nos interessa, os alunos da rede pública de ensino. Eles amaram a Feira, fizeram com muito amor e dedicação e nos discentes também, foi uma experiência única e incrível, estamos felizes com a culminância do projeto”, finaliza Nádia.

Para Pablo Passos, também um dos discentes organizadores, a experiência o fez perceber de perto a interação que os alunos da escola tiveram com o projeto e a dedicação para realizá-lo. Ele afirma acreditar fortemente que os alunos se tornarão bons cidadãos que cuidarão do patrimônio cultural. “Como professor deles eu estou orgulhoso. Como aluno da UESPI me preparei para entrar em sala de aula e quando isso aconteceu utilizei os conhecimentos que aprendi na Universidade e apliquei. Conseguindo assim realizar um ótimo trabalho. Com esse projeto pude adquirir mais experiência e me tornar mais apto a assumir a profissão que eu amo e respeito”.