Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

Parte VII da série: “A Educação que transforma”: Unati é a educação para melhorar a qualidade de vida da Terceira Idade

Por Clara Monte 

Direitos, novas tecnologias, saúde mental, saúde bucal, nutrição, yoga, dança, teatro, sexualidade e produção de textos. Esses são algumas das disciplinas oferecidas pelo programa Universidade Aberta a Terceira Idade (UNATI), da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) durante seus quase 15 anos de contribuição.

Aula de Ritmos Brasileiros (prática)

Procurando oferecer uma melhor qualidade de vida a pessoas a partir de 55 anos de idade, a UNATI configura-se como um espaço que visa promover a educação por meio da participação em atividades físicas, acadêmicas, culturais e de lazer,  sob a Coordenação dos professores do curso de Educação Física, Ivaldo Coelho Carmo e Moises Mendes da Silva.

Alunos da Unati na prática de dança

Para Moises Mendes a Universidade Aberta aos idosos auxilia na percepção que eles alunos têm sobre sua qualidade de vida, refletindo sobre seus contextos culturais e valores. “A partir das aulas oferecidas por esse programa tende a melhorar a percepção dos idosos em relação ao funcionamento sensorial e diminui o impacto da perda das habilidades sensoriais na qualidade de vida e isso influencia na sua visão do seu bem-estar, no contexto da cultura, no conjunto de valores nos quais ele está inserido, em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações no seu cotidiano”.

UNATI como lugar de esperança 

“A Unati tem muita importância na minha vida, pois eu me encontrava em uma depressão horrível,e ela me salvou”, destaca a aluna Luzia Mendes da Silva.

Aluna Luzia Mendes da Silva

Luzia, de 65 anos, conta que entrou no programa no ano de 2016 e desde então sua vida tem mudado, positivamente, pelas amizades adquiridas durante os encontros e pelas contribuições educacionais das disciplinas administradas.

“Quando eu falto alguma aula, eu me sinto mal, pois é nesse ambiente que encontro os meus amigos e me sinto viva de novo. Antes, eu era uma depressiva em alto grau e vivia medicada e sem vontade de nada, agora eu me movimento bastante e tudo que faço aqui me deixa feliz”.

Luzia Mendes da Silva dançando com o professor Gil Farias

 Arte de ensinar através do movimento 

Sonia Maria Soares, de 67 anos, é aluna do programa e conta que a Uespi é sua segunda casa desde sua graduação em Educação Física na instituição. Ela  nunca se desligou totalmente da universidade.

Aluna fixa da UNAPI há quatro anos, ela afirma que, como profissional da área do movimento, sempre teve medo de ficar parada e começar a ter consequências negativas para sua saúde, principalmente, depois de certa idade. Ela ressalta a importância dos exercícios ensinados nas aulas e exala contentamento em participar dos encontros.

Aluna Sonia Maria Soares

“Nunca me vi parada, acho que a educação física ajuda muito no desenvolvimento das nossas vidas. Eu não venho aqui porque acho bonito, eu venho para todas as aulas porque eu amo isso aqui. Se eu ficar em casa, sem fazer nada, meu corpo não vai funcionar mais, mas na Unati eu danço, me divirto e aprendo ainda mais”.

Dona Maria finaliza contando que durante a pandemia teve muita dificuldade de permanecer motivada fisicamente, porém, com a ajuda das aulas da universidade aberta ao idoso, pôde voltar a movimentar seu corpo trazendo melhorias para sua saúde mental e física.

Confira mais fotos: