Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

Curso de Agronomia: aluna desenvolve projeto de pesquisa sobre produtividade do milho

Por Clara Monte

A discente Ludmila Campos do oitavo período do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Poeta Torquato Neto, desenvolveu um projeto de pesquisa focado nas causas da perdas de produtividade do milho, proveniente de sua participação no PIBIC, sob orientação da professora Neuma Arruda.

A pesquisa propõe discutir sobre “A indução de resistência e controle da lagarta-do-cartucho com silício” – praga que ataca o cultivo, causando grande impacto econômico e perdas na produtividade do milho. A aluna explica que o principal objetivo da sua pesquisa é procurar diferentes fontes de silício para aumentar a eficiência na produção do alimento e a indução de resistência de plantas a pragas.

Aluna Ludmila Campos na apresentação da pesquisa de PIBIC

A prática da pesquisa foi conduzida em dois experimentos em delineamento de blocos, e esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Ludmila, explica cada passo do projeto e conta como essa observação é importante em sua área de formação.

“No experimento 1, parcelas constituídas por 5 doses de silicato de potássio, experimento II, parcelas construídas por 5 doses de ácido silício. E durante o processo, foram consideradas os quatro períodos de avaliação (15, 30, 45 e 60 dias após a emergência). Esse projeto é muito necessário e importante para melhorias no cultivo. Nós da área visamos sempre trazer meios favoráveis para que aumente a produtividade e procuramos soluções para induzir a resistência ao ataque de pragas, com o objetivo de proporcionar um impacto ambiental positivo nas produções de alimentos.”

Prática no campo de produção

A pesquisadora, conta que, durante o processo foi avaliado também a porcentagem de plantas danificadas, o nível de danos foliares causado pela Spodoptera frugiperda, a produtividade durante a atividade, a porcentagem de espigas verdes comerciais e o número de lagartas nas espigas de milho.

Neuma Arruda, orientadora do projeto, esclarece dúvidas sobre a prática no campo de produção, explicando que no cultivo do milho, a adubação com silício pode formar uma barreira de resistência mecânica, pela deposição de sílica amorfa, contextualizando em relação aos insetos mastigadores, como as lagartas, os efeitos do silício são bastante nítidos, pois o endurecimento dos tecidos provoca o desgaste das mandíbulas, impedindo ou dificultando a mastigação e a ingestão dos tecidos da planta.

“A adubação em si pode, portanto, contribui para a diminuição da utilização de defensivos agrícolas e consequentemente diminui os custos de produção, além da possibilidade de melhorar a produtividade e a qualidade do milho, maximizando a produção”.

A professora encerra falando que participar de um projeto como esse, permite ao aluno desenvolver um pensamento científico e despertar seu interesse pela pesquisa, adquirindo novos conhecimentos, por meio da aplicação prática dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, além de desenvolver habilidades que podem ser úteis para qualquer escolha profissional, assim, estimula a busca por respostas para os fenômenos observados, produzindo com isso novas descobertas.

PIBIC UESPI

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da UESPI tem como objetivo o apoio às atividades de pesquisas científicas realizadas por docentes e discentes da Universidade. A estrutura básica do programa tem como referência o PIBIC do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).