Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Professores e estudantes de medicina da UESPI terão espaço para treinamento no HGV

Por Vitor Manoel 

Estudantes e professores do curso de Medicina da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) agora terão um espaço no Hospital Getúlio Vargas (HGV). O local está localizado no terceiro andar do prédio e servirá como uma sala de simulação realística para diferentes situações do curso, especialmente as mais avançadas, além de adequar a sala dos professores para reuniões e debates.

Disposição da sala no Hospital Getúlio Vargas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O espaço vai permitir que o treinamento do nível de complexidade do atendimento ao paciente grave requer do profissional um raciocínio aprimorado e uma atitude rápida. Segundo o Professor da disciplina de Medicina Intensiva da UESPI, Nagele Lima um dos principais desafios é conciliar as duas coisas e aliar as competências técnicas com a rapidez que as intervenções exigem. Ele destaca que existe a necessidade de treinamento dos profissionais que atuam nesse cenário, além da capacitação das habilidades que são necessárias à formação médica e realizado predominantemente dentro dos hospitais, utilizando o paciente real como objeto de prática.

“Durante o ensino médico, o professor, ao mesmo tempo em que se preocupa com o treinamento, deve atentar para a segurança do paciente. Sabemos que todo o processo de ensino e aprendizagem na área de saúde deve seguir os preceitos da bioética. Contudo, ao usar o paciente grave como objeto de treinamento, colocamos sua integridade em risco por exposição física e psicológica. A sala de simulação realística do HGV vai permitir que os estudantes do curso de medicina da UESPI vivenciem experiências que simulem a vida real, otimizando a formação acadêmica e a segurança do paciente”, encerra.

O estudante de medicina do 9º período, Rafael Oliveira comenta que os cursos da área da saúde necessitam de prática, tanto pela responsabilidade que existe com a vida dos pacientes e com as pessoas que serão tratadas futuramente, e até mesmo pela questão da própria aprendizagem dos alunos.

“A inauguração da sala é primordial para o nosso aprendizado da medicina, especialmente a medicina intensiva e várias áreas que temos disponíveis para a prática, como medicina de emergência, alguns procedimentos básicos e o raciocínio clínico. É muito importante esse espaço para a prática segura e que evite o risco de ferir algum colega que se coloque como cobaia, ou que não vá prejudicar nenhum paciente diretamente, pois temos a oportunidade de simularmos as situações em bonecos, além da oportunidade de manejo de materiais de maior qualidade”, finaliza.

A perspectiva é que o local fique marcado como patrimônio do curso de Medicina, sendo utilizado pelas futuras turmas dando qualidade ao ensino e capacitando os alunos a parte prática da profissão.