Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

Segundo dia do XXII Simpósio de Produção Científica, o XXI Seminário de Iniciação Científica e o I seminário de Inovação Tecnológica

Por Giovana Andrade

Nesta quinta-feira (10), o XXII Simpósio de Produção Científica, o XXI Seminário de Iniciação Científica e o I seminário de Inovação Tecnológica continuou suas atividades com a apresentação de projetos nas áreas da Ciências da saúde, Ciências biológicas e Multidisciplinar. O evento que começou na quarta-feira (09) conta com programações hibridas: palestras, apresentações de pôsteres e de vídeo-pôsteres. Neste ano, cerca de 750 pessoas realizaram a inscrição.

O SPC, SIC e SIT tem como objetivo divulgar as pesquisas científicas desenvolvidas na UESPI através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI); bem como proporcionar a iniciação do discente na participação de eventos científicos, bem como promover a socialização de pesquisas de estudantes, professores e profissionais de outras IES.

Segundo o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP), Prof. Dr. Rauirys Alencar, o segundo dia do evento contou com palestra, mesa redonda e apresentações de projetos dos discentes. “Hoje teremos palestra com o professor Helano Diógenes falando sobre o tema Propriedade Intelectual, Inovação e Empreendedorismo e Mesa redonda falando sobre Empreender na Universidade: caso do projeto NUFPERPI,  serão momentos enriquecedores para a formação a acadêmica dos alunos”.

Palestrante Helano Diógenes

O evento está sendo transmitido no canal da UESPI Oficial, confira:

Participação dos discentes

Além das apresentações, o encontro também oportuniza a publicização dos trabalhos dos alunos. Ícaro Emanoel, discente do terceiro bloco de Medicina, destaca que seu projeto de pesquisa teve como tema: A potencialização do número de casos de herpes zóster durante a pandemia. A doença popularmente conhecida como “cobreiro” trás grandes prejuízos neurológicos se não for tratada com urgência e com a pandemia que afetou o sistema imunológico a doença aumentou o número de casos.

“O principal alvo da doença é a população idosa e aqui no Brasil estamos com um aumento no envelhecimento populacional, mas para além disso é valido destacar que devido a Covid-19 muitos jovens também foram afetados por conta da baixa imunidade que o vírus causou. Então é importante ficar atento em relação a herpes zóster e os prejuízos que ela pode causar”.

Ele destacou ainda que o evento trás grandes oportunidade de passar e adquirir conhecimentos que contribuem ricamente para sua formação acadêmica

” É uma oportunidade de mostrar o meu trabalho não somente para pessoas estão ligadas a saúde mas , também, para a população em geral dos outros cursos e comunidade adjacente, pra que elas possam ter conhecimento desse  tipo de conteúdo que é uma coisa que não deve ser dissociado”.

Discente Ícaro Emanuel

Juliana Sousa, aluna do nono período do curso de Enfermagem, destaca seu projeto “Dificuldades no enfretamento da Hanseníase no tratamento e pós alta” que tem como objetivo elencar essas dificuldades tanto para tratamento e pós alta, além de levantar o pedido epidemiológico.

“Esse é meu terceiro ano participando do evento e é sempre um prazer poder compartilhar meus projetos e também poder contemplar as demais apresentações, pois me ajuda refletir e ampliar ainda mais a rede de conhecimento. Além da oportunidade de conhecer novas pessoas e ficar por dentro das pesquisas que estão sendo feitas na universidade”.

Ela finaliza ressaltando das pesquisas estarem avançando, a hanseníase ainda é uma doença negligenciada e assola majoritariamente pessoas de perfil sociodemográfico mais baixo.

“Eu a minha orientadora prof. Sandra Mariana pensamos em realizar a pesquisa para servir como embasamento, inclusive para realização de políticas públicas que agilizem o diagnóstico e tratamento da patologia, minimizando a ocorrência de sequelas e incapacidades”.

Discente Juliana Sousa

 Alexia Dayene e Jardel Gomes, discentes do quinto bloco de Fisioterapia, irão apresentar seus trabalhos hoje a tarde com os temas: O cuidado de si no processo de envelhecimento e Analise comparativa do sono de acadêmicos de fisioterapia antes e durante o distanciamento social, respectivamente.

“Este é o nosso primeiro ano participando do evento, e esta sendo um momento muito especial em nossas formações, pois estamos tendo a oportunidade de mostrar nossas pesquisas para outras pessoas, além de conhecer a dos outros alunos.”

Discentes de Fisioterapia Alexia Dayene e Jardel Gomes

Luís Fernando, discente do nono período de Enfermagem, expõe a pesquisa: ” O panorama das internações que ocorreram por Diabetes Mellitus na região nordeste, uma doença crônica de aspecto pandêmico no Brasil e no Mundo. “ que tem como foco avaliar essas internações quanto a distribuição entre os estados, analisar aspectos epidemiológicos com a incidência e prevalência,  as mortes por tratamento e os valores repassados aos estados.

” O desenvolvimento desse projeto teve como finalidade responder questões anteriormente realizadas após a finalização do meu primeiro projeto de Pesquisa, desenvolvido através do ciclo 2021-2022 do programa de Bolsas de Iniciação Científica da universidade. É meu terceiro ano participando do evento e tem sido um importante alicerce no aprofundamento dos meus conhecimentos na graduação, em especial no pensar científico, desde a identificação de problemas atuais, a compreensão de eventos e na busca de intervenções para os mesmos”.

Discente Luís Fernando

Amanhã as atividades continuam e a programação contempla debates e discussões importantes sobre Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes e Ciências Sociais Aplicadas.