Antônio Leonardo Dias – Uespi

Campus Picos: Estudantes de Jornalismo são premiados em concursos de Fotografia e Reportagem Ambiental

Por Leonardo Dias

Os alunos Vinícius da Silva Coutinho e Myvrian Hazy Braga de Araújo do curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo na cidade de Picos foram premiados na Semana do Meio Ambiente promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Município.

Alunos de Jornalismo com premiação

Alunos de Jornalismo com premiação

A semana de Meio Ambiente foi uma ação promovida pela Prefeitura de Picos, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (SEMAM) com o objetivo de incentivar a comunidade na prevenção dos recursos naturais para que todas as formas de vidas do planeta não se acabem. O evento contou com a colaboração e parceria da OAB de Picos e o SEBRAE.

O evento teve início no último domingo dia 26 de junho, com a execução do 6º Passeio Ciclístico e se encerrou nesta segunda-feira dia 27 de junho, com a realização de Seminários de Educação Ambiental, oficinas e premiações do concurso de reportagens e fotografias, que por sua fez tiveram dois ganhadores da UESPI Picos.

Premiação Fotográfica

O aluno Vinícius da Silva Coutinho ganhou o 1º lugar no concurso de fotografia, com o tema da fotografia “Capadócia nordestina: das formações rochosas à vida”. O discente é membro da Liga Joemi do campus professor Barros Araújo e cursa o 8º período de Jornalismo. O concurso de fotografia já está na sua quinta edição e teve na sua proposta o tema “Paisagens naturais do semiárido piauiense”. 

Foto Ganhadora

Foto ganhadora

O concurso de fotografia foi direcionado a todos os interessados em participar com o envio de fotografias com a temática proposta. A fotografia ganhadora foi tirada dentro da região semiárida do Piauí, com elementos naturais.

Para o aluno Vinícius da Silva Coutinho, vencer essa quinta edição do curso foi uma experiência significativa e somatória não só para o seu próprio currículo como também para ajudar a desenvolver projetos voltados para o meio ambiente dentro do município de Picos e em toda a região.

“É mais um premio que se soma com meu curriculum, ainda como estudante como fase final do curso, não só um premio vem carregado de significado às próprias fotografias são voltados para questão ambiental, para discutir a sensibilização na educação ambiental das pessoas, esse premio é uma ação conjunta entre todas as atividades que foram propostas na semana de meio ambiente para de fato sensibilizar a população”, explica.

Premiação Reportagem

A aluna Myvrian Hazy Braga de Araújo ganhadora do 2º lugar no concurso de Reportagem, com o tema “A diminuição do uso de papel na comunidade acadêmica”. A discente é membro da Liga Joemi do campus professor Barros Araújo e cursa o 8º período de Jornalismo. O concurso de Reportagem já está na sua quarta edição e teve na sua proposta o tema “Consciência ambiental: importância das ações da sociedade para a prevenção ambiental”.

Reportagem ganhadora

Reportagem ganhadora

2ª parte da reportagem ganhadora

2ª parte da reportagem ganhadora

O concurso de Reportagem foi direcionado a todos os interessados em participar com envio de material jornalístico, desde que atendessem as exigências do edital, cada participante poderia participar com duas reportagens levando em consideração o tema proposto pela comissão.

Para a aluna Myvrian Hazy Braga de Araújo estar no último bloco em meio a tantas atividades de estágio, tcc e disciplinas que esta cursado, além do seu trabalho foi um reconhecimento que deu forças pra continuar e concluir o curso, apesar de toda exaustão.

“O meu tema foi sobre a diminuição do uso de papel na comunidade acadêmica. Já que, durante a pandemia tivemos aulas remotas e era a única alternativa q tínhamos. Para a natureza, a diminuição do papel impresso é um ponto positivo. É um ponto positivo além da reutilização e da reciclagem que já é o mais comum”, disse.

Campus Clovis Moura promove Arraiá Cientifico Cultural

Por Leonardo Dias

Acontece no dia 01 de julho de às 17 horas o Arraiá Científico-Cultura da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), no campus Clovis Moura no bairro Dirceu I em Teresina.  A ação faz parte do projeto de Pesquisa e Extensão intitulado “Cultura(s) e Educação(ões) no Povoamento das Américas (CEPA).

Arraiá Científico-Cultura

O arraiá esta sendo coordenado pelo professor Jânio Jorge Vieira de Abreu e conta com os colaboradores: Norma Suely Vieira de Abreu, Maria Almerinda; Carmem Célia; Francisca Araújo membras da Secretaria Municipal de Educação da cidade de Monsenhor Gil, Vitória Régia, Letícia, alunas do curso de Historia do campus, Késsya, Camilla, Paulo, Júlia, Felipe e Thays Alunas do Curso de Pedagogia.

Confira a Programação:

CEPA

O programa do CEPA, constitui e direciona-se à socialização e desenvolvimento de práticas formativas voltadas para o conhecimento da/s cultura/s dos Povos Americanos, desde a origem do continente, o povoamento, às práticas e manifestações culturais diversas.

O objetivo do projeto é favorecer a inserção de professores/as, alunos/as e demais pessoas interessadas no processo sistemático e ininterrupto da prática de pesquisa científica e extensão, com ênfase nos estudos sobre a origem do homem e da mulher americana, no povoamento das américas, nas diversidades culturais dessas populações, na migração e imigração dos povos, na educação intergeracional, na alteridade, nas tradições, no folclore, entre outras, para um exercício acadêmico produtivo e inovador em ideias, conceitos e experiências na mediação social, cultural e educativa na escola, universidade e comunidades locais.

O projeto está sendo desenvolvido com estudos e pesquisas sobre a origem do nosso continente americano onde está localizado o Piauí, o Brasil, especialmente estudos e pesquisas sobre: o povoamento das américas; a origem do nosso povo desde a pré-história; as suas culturas; as pinturas e escrituras rupestres dos artistas da pré-história; as tradições, o folclore do povo americano desde as obras dos antepassados às práticas culturais dos povos nos nossos dias.

O grupo teve a sua primeira atividade no Município de Monsenhor Gil onde os mesmo puderam acompanhar palestras formativas e desenvolvimento de práticas culturais.

O coordenador do Projeto o Professor Jânio Jorge Vieira de Abreu fala da missão que a equipe do projeto tem com os projetos que já foram e serão futuramente desenvolvidos, afim de enaltecer não só a pesquisa como também formações em diferentes áreas.

“Ao mesmo tempo que vamos realizando os estudos, através de missões ou pesquisas bibliográficas e documentais, vamos tendo encontros formativos através de cursos, minicursos, oficinas e seminários e desenvolvendo eventos para demonstrações de práticas de vida, práticas educativas e culturais como resultados desses estudos”, explica.

Próximos eventos

A missão de estudos que será para o Parque Nacional Serra da Capivara em São Raimundo Nonato – PI, nos dias 15, 16 e 17 de julho de 2022, com o intuito de alavancar pesquisas sobre a origem e povoamento do continente americano, sobre as práticas culturais dos povos antepassados, suas tradições, o seu folclore, enfim, as obras dos artistas da pré-história; e outros eventos formativos, eventos culturais e missões de estudos que serão realizados nos anos de 2022 e 2023.

O grupo realiza um encontro de 4h por semana ou dois encontros de 2h por semana, para o planejamento das atividades que estão sendo desenvolvidas e também as que constituem também em práticas formativas e/ou de preparação dos participantes do projeto.

Ainda serão trabalhados no projeto as temáticas: Educação e diversidade cultural; Alteridade; práticas culturais em geral: Tradições culturais; Folclore; O povoamento, cultura e educação dos povos americanos; A relação Educação, Religião e Cultura; Educação Escolar Indígena; Migração e Imigração; Educação Intergeracional (educação entre pessoas de diferentes gerações, sobretudo entre crianças, adolescentes e pessoas da terceira idade), dentre outros eixos.

Participação

Para fazer sua inscrição basta acessar o endereço eletrônico disponibilizado pela organização do evento.

Campus Picos: alunos do curso de Educação Física visitam laboratório multidisciplinar da UFPI

Por Leonardo Dias

Estudantes do curso de Educação Física da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo, na cidade de Picos, realizaram na última semana uma visita ao laboratório multidisciplinar da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os estudantes foram conduzidos pela docente do curso, Nélida Amorim da Silva.

Alunos do curso de Educação Física no laboratório multidisciplinar

Os alunos são das turmas de Anatomia (I período) e de Bases Biológicas aplicadas à Educação Física (II período). Os estudantes, além da sala de aula, assistiram aulas tanto nos laboratórios de Enfermagem (Anatomia) e de Microbiologia (Biologia) da UESPI, como também no laboratório multidisciplinar da UFPI, com a finalidade de complementar a teoria vista em sala de aula.

Para a professora Nélida Amorim da Silva, discente do curso de Educação Física da UESPI, a parceria entre as duas instituições, objetiva além de uma boa convivência entre os estudantes,  a troca de experiência, ressaltando o indissociável elo teoria e prática, importante para o aprendizado.

“Fomos muito bem recebidos na UFPI pela coordenadora dos laboratórios Eliziane Lima e pelos técnicos de laboratório, os biomédicos, mestre Taciana Rocha e o mestre Helber Negreiros, que não pouparam esforços para que durante as nossas visitas às experiências fossem marcantes”, explica a professora.

Os laboratórios da UFPI contam com peças reais, como o cadáver humano, por exemplo, onde a turma de Anatomia pode ver a real forma e localização no modelo humano, das estruturas ósseas e musculares, além de vasos, nervos e tendões. Já a turma de Bases Biológicas aplicadas à Educação Física pôde analisar diferentes estruturas celulares nos microscópios, além da visualização macro dessas estruturas através de uma câmera especializada adaptada ao microscópio principal, assim como, tiveram a oportunidade de visualizar as suas próprias células.

Os laboratórios multidisciplinares do Campus Senador Helvídio Nunes de Barros da Universidade Federal do Piauí (UFPI) têm recebido a visita constante de alunos do Curso de Educação Física da UESPI.

Galeria de Fotos:

Campus Floriano: I Ciclo de Debates Sobre Empreendedorismo acontece hoje (27)

Por Leonardo Dias

O 1º Ciclo de Debates Sobre Empreendedorismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Josefina Demes, na cidade de Floriano acontece hoje (27). O evento ocorre presencialmente no Auditório da universidade, a partir das 18:45h.

Os debates serão realizados pelo Programa Centro de Empreendedorismo e Inovação da UESPI de Floriano, com a finalidade de mostrar para a comunidade acadêmica e geral sobre as inovações dentro do contexto atual, além de  desenvolver soluções para o investimento de recursos, assistência e micronegócios. A primeira palestra será ministrada pela professora Claudilene Magalhães Novais, formada em Letras Português, Administração, Gestão de Comercio e hoje cursando MBA em Gestão Empresarial, ela irá abordar o tema: Uma ideia que levou a implantação de um negócio.

O professor do curso de Administração Antônio Carlos Mendes da Rocha, fala que palestrante é uma empreendedora bem sucedida na cidade de Floriano, onde possui duas empresas que geram uma renda significante. As empresas são Intimu’s Moda (Franquia Hering) e Loja Lupo (Franquia MaxiComfy).

“A empresária tem um destaque enorme em nossa cidade sempre dando exemplo de empoderamento e de grande empreendedora, ela vai trazer sua experiência e sua originalidade com sua autodeterminação para a comunidade acadêmica com o objetivo básico de difundir a cultura empreendedora no meio acadêmico”, relata.

Inscrições

As inscrições para o 1º Ciclo de Debates Sobre Empreendedorismo da UESPI serão através do instagram do Centro de Empreendedorismo e inovação: @cei_uespiflo.

Campus de Parnaíba: Visita técnica de alunos da Unidade Escolar Marocas Lima do município de Ilha Grande do Piauí

Por Leonardo Dias

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Alexandre Alves de Oliveira, em Parnaíba recebeu a visita dos alunos do terceiro ano do ensino médio da Unidade Escolar Marocas Lima do município de Ilha Grande do Piauí. A visita teve a acolhida dos discentes dos cursos de Ciências Sociais, Pedagogia, Agronomia e Biologia.

Visita Técnica dos alunos da Unidade Escolar Marocas Lima

A iniciativa fez parte da aula de campo da disciplina Projeto de Vida da escola Marocas Lima que tem como objetivo principal despertar para a formação e escolha profissional dos alunos bem como conhecer os projetos de pesquisa, extensão e os cursos disponibilizados pela UESPI no campus de Parnaíba.

Os alunos dos da universidade apresentaram sua estrutura para o ensino, pesquisa e extensão, com ênfase na formação profissional oferecidas nos cursos de Ciências Sociais, Agronomia, Biologia e Pedagogia. Estiveram na visita técnica os alunos do terceiro ano do ensino médio que é coordenado pelo professor de Matemática Jorge Cruz dos Santos.

A Professora Doutora Samara de Oliveira Silva, que coordenadora do curso de Pedagogia no campus fala que é uma oportunidade muito grande os discentes manifestarem interesse em entrar na Universidade pública e terem um futuro profissional melhor com uma formação mais ampla e de qualidade.

“Os cursos de Ciências Sociais, Agronomia, Pedagogia e Biologia, bem como a gestão do nosso Campus por meio do nosso diretor o professor Eyder Rios estiveram nesse momento de acolhida e encontro com a juventude compartilhando da nossa formação e alegria de futuramente receber os discentes em nossa instituição”, enfatiza.

Os estudantes conheceram, além da estrutura física,  os laboratórios, onde puderam acompanhar de perto como acontecem as aulas práticas.

Reservatório de peixe do projeto dengoso

Visita ao laboratório, caixas  entomológica 

Visita ao laboratório dos cursos de agronomia, biologia e enfermagem

Visita ao laboratório dos cursos de agronomia, biologia e enfermagem

A visita técnica foi comandada pelo professor do curso de Matemática Jorge Cruz dos Santos que ministra a disciplina de Projeto de Vida, a intenção do articulador foi apresentar aos seus estudantes que a universidade é muito mais do que apenas os cursos de Medicina e Direito, pois há um leque muito maior de opções.

Para o coordenador do curso Licenciatura em Ciências Sociais, Professor Doutor Jonas Henrique de Oliveira a visita técnica é uma oportunidade única para apresentar o que a Universidade tem para oferecer para os futuros alunos e tirar todas as curiosidades com relação ao campus e o seu ensino, extensão e pesquisa.

“O professor percebeu através dos anos de ensino que poucos estudantes tinham interesse em entrar na universidade pública e os poucos que tinham interesse, em geral, informavam que queriam entrar em cursos mais conhecidos como medicina e direito. A visita dos estudantes da Unidade Escolar Marocas Lima foi uma experiência incrível no sentido de apresentar a universidade aos estudantes e responder as perguntas que estes tinham sobre a universidade, assim como em relação as pesquisas e projetos desenvolvidos”, disse.

Para a visita, foi contado com o apoio e a colaboração da Prof. Dra. Samara de Oliveira Silva, coordenadora do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, do Prof. Dr. Marcio Alves Silva, coordenador do curso de Engenharia Agronômica, da Prof. Dra. Alessandra Ribeiro, coordenadora do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e pelo Prof. Dr. Jonas Henrique de Oliveira, coordenador do curso de Licenciatura em Ciências Sociais. Além dos coordenadores também a visita contou com a colaboração de dois discentes do curso de Biologia que apresentaram o Projeto Dengoso que tem por finalidade fazer o controle biológico através da criação do peixe conhecido como barrigudinho (Pamphorichthys hollandi) que se alimenta da larva do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão da dengue, da zika e da chikungunya.

 

Clóvis Moura: inscrições abertas para o I Seminário Sustentabilidade e Direito: um caminho para o futuro

Por Leonardo Dias

Acontece nos dias 23 e 24 de junho das 14 às 19h, na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Clovis Moura em Teresina, o I Seminário Sustentabilidade e Direito: um caminho para o futuro. O evento ocorre de forma presencial no auditório do campus.

O projeto de extensão tem como coordenadores as professoras mestres: Maria Cristiane Damásio Pereira Macambira e Hilziane Layza de Brito Pereira Lima. O objetivo principal é reunir estudiosos e pessoas da comunidade, interessadas em refletir acerca dos desafios enfrentados, na busca de cumprir as normas ambientais e realizar um desenvolvimento sustentável, visando atingir sua efetividade e consequentemente um meio ambiente possível para as presentes e futuras gerações.

O propósito dessa iniciação científica é tratar dos três pilares do desenvolvimento sustentável, econômico ambiental e inclusão social, bem como revelar sua importância no processo de produção do conhecimento, constituindo, em um fazer conjunto.

O I Seminário será desenvolvido em forma de painel e presencial, ministrado pelos professores da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), pelo Instituto Federal do Piauí (IFPI) e pela empresa “É Sol Compostagem”. Acompanhe quem já confirmou presença.

A professora Mestre Maria Cristiane Damásio Pereira Macambira fala que o enfoque é exclusivamente econômico do desenvolvimento. Ela destacou a importância da natureza para a sobrevivência do homem tendo como consequência a significativa degradação do meio ambiente e o início de uma crise ecológica.

“A busca pelo ideal do desenvolvimento e da modernização perseguido por várias nações interessadas no crescimento econômico, estimulou fortemente o incentivo à produção e ao consumo com vistas apenas à geração de riquezas. O direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado surge no final do século passado como expressão da incorporação de novos valores e anseios sociais na busca pela melhoria de vida, fazendo oposição à degradação ambiental e à filosofia desenvolvimentista baseada na perspectiva meramente quantitativa do crescimento econômico”, explica Maria Cristiane.

Participação

Para participar do curso o candidato deve preencher o formulário de inscrição disponibilizado pela coordenação do evento.  

O curso será disponibilizado para 150 (cento e cinquenta) vagas.

 

 

São Raimundo Nonato: Professor da UESPI lança dois livros

Por Leonardo Dias

O Professor do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Ariston Dias Lima na cidade de São Raimundo Nonato, Genesis Naum Farias lançou na semana passada 02 (dois) dois romances, no Espaço Cultural Banco do Brasil na cidade de Petrolina.

Professor Genesis Naum Farias

As obras são: Romanceiro do Sertão Profundo e A Vida Vertiginosa do Cavaleiro Joaquim Naum. Os livros abordam a temática da escravidão no sertão do Brasil Colônia e o processo de independência de Portugal. O primeiro enfatiza os horrores preteridos pela sociedade patriarcal rural brasileira. Já, o segundo livro, aborda os efeitos nocivos causados pela peste bubônica que se alastrava pelo continente europeu.

As obras foram escritas no período da pandemia e sinalizam a importância da nossa universidade no campo das publicações. Nelas, o pedagogo de formação buscou descrever os diferentes momentos da história do Brasil e do mundo em mais uma inciativa creditada pelo trabalho de pesquisa e pela extensão desenvolvida na UESPI.

“O Romanceiro do Sertão Profundo é uma história completamente diferente. É uma novela de cavalaria que se passa no sertão baiano em plena Revolução dos Alfaiates de 1798, que ocorre na Capitania da Baía de Todos os Santos, como era conhecida a Bahia naqueles tempos. Enfim, o romance é um misto de realismo fantástico com pesquisa documental e histórica, mas é ficção e como ficção, tem um começo um meio e um fim”, relatou o autor.

Já em A Vida Vertiginosa do Cavaleiro Joaquim Naum, o escritor ressalta que “As cenas são quixotescas. O cenáculo é Aljubarrota. A guerra era pela independência do povo português e, a morte rondava na espreita de tudo tragar. Nessa batalha, o homem se viu entrincheirado diante do fáustico declínio da existência. A Peste Negra amealhava os vivos e lastreava sua senda sombria numa paisagem já bastante consumida pela febre das calmarias, pela fome e pelas deformações na feia confusão criada pelos homens de sangue e honra”, disse.

O lançamento aconteceu na última sexta-feira (17) no Espaço Cultural Banco do Brasil, o lançamento fez parte das comemorações que celebram as relações entre os dois países, promovida pelo Banco do Brasil na cidade de Petrolina no estado do Pernambuco.

O professor Genesis Naum de Farias destaca que o evento é iniciativa do Núcleo de Estudos Foucaultiano na sua fala ele trás o papel da universidade nesta empreitada. “Essa tentativa de caracterizar o efêmero e dotar o cotidiano com alguma realeza simbólica faz com que a nossa UESPI se destaque e dê passagem a um novo tempo”. Ressalta o professor.

Livros

Para adquirir os exemplares basta solicitar ao autor através do e-mai: genesisnaumfarias@gmail.com

Campus Picos: VI Encontro de casas de terreiro de comunidades quilombolas

Por Leonardo Dias

O VI Encontro de casas de terreiro de comunidades quilombolas que acontece nos dias 10, 11 e 12 de junho. O evento é promovido pelo Grupo de Pesquisa Dinâmicas Socioambientais e Desenvolvimento Semiárido da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo, na cidade de Picos.

O evento conta com palestras, oficinas, minicursos, rodas de conversas e momentos culturais. O tema abordado será “Saberes Interdisciplinares em comunidades tradicionais”. Toda a programação ocorre na comunidade quilombola de Custaneira na cidade de Paquetá do Piauí com certificação de 30 horas.

O encontro de Terreiros o objetivo de combater o preconceito com a consequente erradicação da intolerância religiosa que tem sido uma forte bandeira de luta erguida pelas comunidades quilombolas do Brasil, além disso visa reunir diversas casas de matriz africanas junto a acadêmicos para partilhar ideias e fortalecer esta luta, sendo também um momento celebrativo para a comunidade e os alunos que iram participar.

A aluna Marina Oliveira que faz parte da comissão organizadora do evento fala que as vertentes elucidadas se relacionam com Intolerância Religiosa, identidade, racismo, Direitos humanos, Religião de Matriz africana, cultura e ancestralidade.

“A expectativa que carregamos é que a identidade cultural e religiosa seja partilhada, vista e celebrada por todos os participantes. Carregamos também a alegria de poder reencontrar irmãos, trocar saberes e celebrar nossa existência”, explica.

Programação

Inscrição

Para participar da programação do VI Encontro de casas de terreiro de comunidades quilombolas basta preencher o formulário que a comissão organizadora disponibilizou.

Mais informações através do e-mail: projetomulticulturalismo@gmail.com

São Raimundo Nonato: III Mostra Científica de Pedagogia inicia hoje (6)

Por Leonardo Dias

A acontece entre os dias 06 e 08 de junho a III Mostra Científica de Pedagogia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus São Raimundo Nonato, com o tema central “Os desafios da avaliação na Educação 5.0”. O evento será 100% online através da plataforma Google Meet.

A III Mostra Científica será de caráter técnico-científico destinado a acadêmicos (pesquisadores) e educadores (professores e gestores educacionais) que atuam na Educação Básica e na área da Educação Especial. Além disso, também é direcionado para alunos dos cursos de Pedagogia e das Licenciaturas, contribuindo com a preparação dos futuros profissionais da Educação Básica.

O evento objetiva difundir as pesquisas na área educacional, desenvolvidas no ano de 2021, pelos alunos da disciplinada Prática e Pesquisa Educacional III do bloco IX, bem como promover a socialização das experiências da monitoria, desenvolvida pelos respectivos alunos do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia para a comunidade da UESPI.

A programação também contempla a realização de palestras sobre a temática do evento, oficinas e lançamento de livros. Serão contemplados nas apresentações os seguintes eixos temáticos: avaliação, aprendizagem, arte, diversidade cultural, educação, evasão escolar, gestão, ludicidade, leitura/escrita, cultura digital, letramento digital e tecnologia educacional.

A professora Herik Zednik Rodrigues que também é organizadora do evento, destacou que o evento nasceu da preocupação constante em aliar às competências intelectuais, às competências pedagógicas, afetivas e digitais, que são inerentes à profissão de professor, somando a isso os valores éticos, responsabilidade, respeito, entusiasmo e disciplina, de forma, que raciocínio e sentimento caminhem juntos, numa provocativa convocação que nos impulsione para uma visão além do intelecto, além disso ela afirma qual a importância de acontecer um evento desse na universidade.

“Espero que seja um bom evento para todos, que esses três dias se consolidem na construção de um saber solidário e não solitário, que parta do individual (de dentro) para o coletivo, na concretude de experiências cotidianas da sala de aula, mediadas pelo educador que entusiasma o estudante, que leva esse estudante a concretizar projetos pensados, projetos sonhados e aqueles que podem ser ainda realizados, na perspectiva de uma formação integral do educando, estabelecendo como prioridade incentivá-lo a um posicionamento crítico e de resiliência, frente a cenários muitas vezes desafiadores”, explica.

A III Mostra Científica de Pedagogia é organizada pela professora Herik Zednik Rodrigues e pelo professor Gênesis Naum de Farias, ambos docentes do curso de Bacharelado em Pedagogia do campus São Raimundo Nonato.

Programação

 

Na programação acontece o lançamento do livro Ensaios de Pesquisa em Educação. A obra livro é uma produção acadêmica entre pesquisadores da Universidade de Pernambuco (campus Petrolina) e a Universidade estadual do Piauí (campus São Raimundo Nonato), na organização desse exemplar  Gênesis Naum de Farias e Enos André de Farias.

“Trago neste livro a importância da pesquisa feita por alunos da graduação para melhorar sua autoestima, ao tempo em que também serve para incentiva-los e mostrar a importância da produção científica. Enfim, estamos retomando as nossa aulas presenciais em alto estilo. A nossa UESPI  só tem a ser celebrada neste maravilhoso evento que começará hoje e se estenderá até dia 08, nessa retomada é importante elevar a autoestima dos nossos alunos para que eles voltem a sentir a força educação pulsando”, relata Gênesis Naum de Farias um dos autores do livro.

 Participação

Para participar da III Mostra Científica de Pedagogia basta preencher o formulário disponibilizado pela organização do evento.

Participe dos 03 (três) dias de evento através do link  do Google Meet.

Campus Picos: Primeiro encontro do grupo de pesquisa “ComTransformaAção”

Por Leonardo Dias

Aconteceu na última semana o primeiro encontro presencial do grupo de pesquisa ComTransformaAção da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus professor  Barros Araújo na cidade de Picos. O momento foi de forma presencial na sede do Raízes do Brasil no centro da cidade e contou com a participação do professor Flavio Santana e alunos de diferentes blocos do curso de Jornalismo.

O grupo que forma o Projeto de pesquisa ComTransformaAção abrange   as atividades de extensão voltadas para às temáticas de comunicação popular, comunitária e folkcomunicação dando ênfase a transformação social.

O grupo contém 13 (Treze) participantes do curso de Bacharelado em Jornalismo do campus Professor Barros Araújo de Picos e é coordenado pelo Professor Mestre Flávio Santana e tem como objetivo principal estudar espaços na capital do mel e suas funções comunicacionais e sujeitos que constroem ecos de comunicação.

Para João Pedro Nunes estudante e participante do projeto o grupo é uma forma de estudar e valorizar a comunicação comunitária e Popular na cidade de Picos e até mesmo no próprio curso de Jornalismo. “É um grupo que foi criado com a temática voltada para pesquisas que falam dos sujeitos que constroem a comunicação em dois bairros de Picos”, afirma.

O professor coordenador do projeto Fabio Santana conta que o primeiro encontro do grupo concretizou um projeto que ele pensava há muito tempo.“Esse projeto ganha importância, sobretudo porque partiu do incentivo dos estudantes, que foi o pontapé para colocá-lo em prática. Embora ainda não esteja formalizado, a iniciativa, na minha visão, se faz importante porque surge dentro de um espaço (o universitário) que enseja construir uma ponte de acesso à sociedade. Essa questão dá base aos pilares da universidade, que são ensino, pesquisa e extensão. Trabalho com a folkcomunicação e resolvi unir essas ferramentas e colocar em prática um projeto que trabalha a comunicação, no seu aspecto político e social, como ferramenta de transformação.”, explica.

Com a necessidade de se trabalhar a comunicação comunitária e a folkcomunicação com alunos do curso de jornalismo os alunos que compõem a grade do projeto une a comunicação com ações que visam a transformação da sociedade. Acompanhe mais sobre o projeto através das redes sócias, Intagram: @comtransformaacao

Alunos do Estágio Obrigatório do curso de Jornalismo divulgam Boletim “UESPI QUE PESQUISA”

Por Leonardo Dias 

A Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual do Piauí (ASCOM/UESPI) recebeu sete discentes do curso de Jornalismo,  campus Torquato Neto, para o Estágio Obrigatório. Para marcar a atividade deles, juntos resolveram criar um Boletim voltado para as pesquisas científicas. O Boletim foi intitulado  “UESPI que Pesquisa”.

Vai ser uma publicação semanal com reportagens sobre as mais diversas pesquisas realizadas pela comunidade acadêmica e que estão cadastradas na Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROP).

Capa do UESPI que pesquisa 

O Boletim “UESPI que Pesquisa” está sendo desenvolvido em parceria da ASCOM com os discentes do 8º bloco do curso bacharelado em Jornalismo. Toda semana os estagiários iram divulgar um boletim com diferentes temáticas abordando principalmente as pesquisas e os projetos desenvolvidos nos campis. Os textos e a diagramação são feitos pelos próprios alunos e supervisionado pela Professora de Estágio, Sammara Jericó Alves Feitosa, que também é Diretora da ASCOM.

“Eu fico duplamente feliz com essa parceria do curso de Jornalismo com a Ascom. Sou a Professora orientadora do Estágio e, ao mesmo tempo, estou à frente da Ascom, então, consigo ainda contribuir para o desenvolvimento profissional desses que fazem o estágio na assessoria. Acompanho eles bem de perto e isso já alivia a saudade que vão deixar no curso”, relata a Professora.

Os alunos Clayton Gomes e Luanderson Rodrigues são os primeiros a elaborarem as matérias para o UESPI QUE PESQUISA.

“Tem sido uma boa experiência. Eu já tive a oportunidade de trabalhar na ASCOM-UESPI como estagiário bolsista e lá aprendi muito do que sei hoje. E aí ter a oportunidade de voltar agora, já na reta final do curso, tem sido muito legal. Até porque eu mudei a minha área de atuação ao longo do curso, fui mais para o lado do marketing. Então, eu perdi aquele ritmo de entrevistar pessoas e fazer matérias, mas estou tendo a oportunidade de praticar isso novamente, evoluir, ser orientado e senti a empolgação por parte das pessoas que entrevistei. As alunas ficaram felizes por estarmos dando espaço a elas e apresentando suas pesquisas a todos os uespianos. E é isso que faz o jornalista: dar espaço. Trabalhos tão bem feitos e importantes merecem reconhecimento, e damos isso. Trabalhamos para isso”, explica o aluno Clayton Gomes.

Para o discente Luanderson Rodrigues, o UESPI que Pesquisa tem dupla função: dar visibilidade a quem pesquisa e incentivar aqueles que desejam seguir pelo mesmo caminho. “A UESPI que pesquisa, se trata de uma série de matérias contando um pouco sobre as pesquisas relevantes realizadas no ambiente acadêmico da universidade estadual. A temática é importante, pois, incentiva os alunos e docentes a também despertarem o desejo pela pesquisa, por conhecerem que nossa instituição existem pessoas, talentosas, objetivadas em desenvolver atividades tão necessárias ao universo científico”, finaliza.

UESPI que Pesquisa – Volume 01

Na Universidade Estadual do Piauí atualmente são cerca de 662 (seiscentos e sessenta e duas) pesquisas em execução e cadastradas pela Pró-Reitoria  de  pesquisa e Pós-Graduação em todos os campi.

O texto que o aluno Clayton Gomes aborda tem como tema: Estudante da UESPI cataloga e legenda mais de 100 fotografias do Museu do Trem, em Parnaíba. A pesquisa é feita pela estudante Maírla Silva, do 6º bloco de Licenciatura em História, no campus Alexandre Alves de Oliveira, em Parnaíba-PI.

Já a do discente Luanderson Rodrigues tem como tema: Pesquisadores da UESPI desenvolvem projeto utilizando mudas de tomate produzidas em substrato à base de paú de Babaçu. A pesquisa é Coordenada pela Professora Anarlete Ursulino Alves, juntamente com sua orientanda, Aila Diniz, que são do Curso de Engenharia Agrônomica da UESPI – Campus de Uruçuí.

Acompanhe o volume 01 do UESPI que Pesquisa no link abaixo. 

Volume 01 Uespi que pesquisa

 

 

Campus de Picos: Inscrições abertas para ciclo de palestras ofertados pelo curso de Direito

Por Leonardo Dias 

O Ciclo de Palestras, promovido pelo Grupo de Estudos, Pesquisas e Extensões Esperança Garcia (GEPEG) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo na cidade de Picos inicia hoje (31) e segue até amanhã, dia 1 de junho. As temáticas discutidas serão: “Teoria Geral do Direito Processual Materialista e Jurisdição”, “Pode haver uma historia do direito para Bejamin” e “Valor e capitalismo em Karl Marx”.

O encontro tem o objetivo de enriquecer as discussões sobre o direito processual, em uma perspectiva introdutória, para quem nunca teve contato antes com os assuntos que serão abordados.

O evento é direcionado aos discentes da UESPI de Direito Picos e aberto ao publico em geral. O ciclo de palestras é totalmente gratuito com certificação pela PREX/UESPI.

Segue a programação do evento:

A professora Amélia Coelho fala que as palestras têm o intuito de despertar ideias com essas temáticas para que os alunos de direito e toda a comunidade tenham interesse nas pesquisas voltadas para essas áreas que serão trabalhadas durantes os dia de evento.

“A ideia surgiu para trazer as aulas mais dinâmicas, e uma visão diferente sobre assuntos que são trabalhados em sala de aula, por exemplo a primeira palestra é uma continuação da disciplina de Economia Politica, que vamos retratar Valor e capitalismo em Karl Marx, para os próprios alunos terrem uma ideia mais profunda desses três assuntos”, explica.

Para o palestrante Fabio Sobral a sua palestra “Valor e Capitalismo e Karl Marx” possui elementos para interpretação do capitalismo atual que vive um processo de inflacionário no Brasil e no Mundo, ele ira fazer um paralelo  a partir da teoria fazer um analise do capitalismo atual.

“Vamos discutir o conceito Central da obra de Karl Marx que é o valor, onde o conceito de valor é a base para a compreensão do funcionamento do capitalismo, ele é base para o analise do capitalismo durante suas instrutoras internas, além disso irei abordar como o valor e o preço se relacionam, como isso tem relação com o conjunto da obra econômica de Marx de criticas da economia politica”. 

Participação

Para se inscrever basta preencher o formulário de inscrição disponibilizado pela coordenação do evento.

01- Teoria Geral do Direito Processual Materialista e Jurisdição

02- Pode haver uma história do direito para Benjamin?

03- Valor e capitalismo em Karl Marx

IV Encontro de Gestores “Caminhos da Inovação na Gestão Escolar”

Por Leonardo Dias

Aconteceu nos dias 24, 25 e 26 de maio de 2022 o IV Encontro de Gestores da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX) e o Centro de Formação dos Servidores Antônio Freire (CFAF), com o tema: Caminhos da Inovação na Gestão Escolar.

Abertura do evento

Abertura do evento 

Os três dias de evento foi organizado pelo  Centro de Formação dos Servidores Antonino Freire – CFAF/UESPI, no propósito de atender/compreender a realidade que ora se apresenta no âmbito educacional, especificamente no que diz respeito às novas demandas tecnológicas e mudanças sociais que impactam na gestão escolar no contexto atual.

Professora Eliene Pierote (uma das organizadoras do evento) falou da importância que o evento tem para a comunidade acadêmica em geral bem como para a CFAF/UESPI,  ela frisa sobre a ampliação e a sua visibilidade em nosso estado e país e fortalece a sua identidade como instituição formadora”, Relata.  a sociedade  .

“O evento superou as nossas expectativas quanto à contemplação dos objetivos, tendo em vista o feedback positivo que tivemos e pelo alcance quanto à participação de vários municípios do nosso estado e de todo o país”, relata.

O evento contou com gestores, gerentes, professores, supervisores, coordenadores pedagógicos, estudantes e pesquisadores da área. O objetivo do evento foi oportunizar a discussão quanto à inserção de ferramentas tecnológicas, ações e experiências no âmbito escolar, conforme as mudanças sociais e tecnológicas que impactam na gestão escolar no contexto atual.

A programação iniciou às 8h30min do dia 24 de maio com a apresentação cultural feita por Michael Sax “Apresentação da agenda de trabalho” e a palestra proferida pelo Professor Doutor Victor Henrique paro com trabalhou a temática “Diretor escolar: educador ou gerente?”.

Foram trabalhadas temáticas como: Novas demandas tecnológicas e transformações sociais na gestão escolar no contexto atual; Impactos da pandemia na transformação digital na educação; Implementacão de tecnologias de informação que promovam a otimização do trabalho da gestão em todos os segmentos da escola; Recursos Humanos e financeiros: Gestão de pessoas na educação: o cuidado com a saúde emocional de sua equipe; Inclusão da utilização de ferramentas tecnológicas que auxiliem o aprimoramento da gestão escolar; Educação híbrida: a transformação progressiva e irreversível na educação.

Palestras que foram trabalhadas durante os dias de evento: Novas demandas tecnológicas e transformações sociais na gestão escolar no contexto atual (Wanessa Zavarese Sechim); Implementação de tecnologias de informação e a otimização do trabalho da gestão em todos os segmentos da escola (Prof. Dr. Dario Brito Calçada); Palestra: Gestão de pessoas na educação: o cuidado com a saúde emocional de sua equipe (Profa. Dra. Eliene Maria Viana de Figueirêdo Pierote); Relatos de experiências: A gestão e os impactos da pandemia na transformação digital na educação, ensino infantil, fundamental,  médio e superior (Profa. Esp. Ranuze Maria Silva Gomes, Prof. Darkson Vieira Machado, Prof. Dr. Evandro Alberto de Sousa); Palestra: Educação híbrida: uma transformação progressiva e irreversível na educação? (Profa. Dra. Lilian Bacich).

Acompanhe os 03 dias de evento através do link.

1º dia de evento

2º dia de evento

3º dia de evento 

Galeria de fotos dos palestrantes e representantes  da rede estadual de educação.

Oeiras: Lançamento do Programa Permanente de Extensão “Alguidar de Cultura”

Por Leonardo Dias 

Aconteceu dia 11 de maio de 2022, na entrada do novo campus da Universidade estadual do Piauí (UESPI), campus Possidônio Queiroz, na cidade de Oeiras, o lançamento do Programa Permanente de Extensão “Alguidar de Cultura”.

Grupo de capoeira 

O projeto ALGUIDAR de Cultura, fruto da parceria da UESPI e CACO – Coletivo Arte e Cultura de Oeiras, tem o intuito de oferecer para a comunidade em geral cursos e oficinas artísticas gratuitas visando a democracia cultural.

Lançamento

O evento foi organizado na entrada do novo campus de Oeiras e cerda de 120 (cento e vinte) pessoas participantes, entre professores, alunos, técnicos e comunidade em geral. Na abertura foram discutidos sobre o objetivo geral do projeto e, em particular, foram explanados todos os eixos que serão trabalhados durante todas às 40 horas semanais.

Equipe organizadora, e professores das oficinas “Alguidar de Cultura”

 

O Diretor do campus de Oeiras que também é organizador do evento, Prof. Harlon Homem de Lacerda Sousa, destacou a importância da solenidade de abertura do programa para a cidade e o campus da universidade. “Foi uma marca muito importante para o inicio do Projeto no nosso campus. Não é importante somente para a comunidade acadêmica mais também para toda a comunidade que integra a nossa instituição”.

Público efetivo do evento de abertura

 

A Arquiteta e colaboradora do Projeto, Amanda Morais,  fez parte da abertura e do primeiro dia de oficina. Ela fala que oferecer esse tipo de trabalho aberto ao público é ter a oportunidade de trazer a comunidade para dentro da UESPI, para que as pessoas também possam desenvolver o senso crítico e ter percepção de onde vivem.

“Somos artistas independentes. Estamos lutando para democratizar a arte e cultura e ter acesso e liberdade se expressando. Hoje, nós estamos tendo oportunidades de transformar nossos cursos em um projeto de extensão, até mesmo para desenvolver habilidades que muitas vezes nem sabem quem tem. Com esses cursos abrimos um leque para descobrir artistas e pensadores”, relata.

Oficinas

As oficinas são divididas em eixos 07 eixos: Musicalidades e Danças,  Educação e Patrimônios, Artes visuais, musicalidades e danças,   História, Memórias e Identidades, Artes Visuais, Artes Cênicas,  Pedagogia Antirracista.

Bandolim e Arte urbana

O professor Helberth Vinícius, que é do grupo Coletivo Arte e Cultura de Oeiras (CACO), conta que contribuirá com o projeto ministrando a oficina de Bandolim e Arte urbana.

“A oficina de bandolim tem o intuito de manter viva a tradição do instrumento, além de dar acesso à população menos favorecidas social e economicamente. Também irei ministrar o curso de Arte Urbana juntamente com a arquiteta Amanda Morais, que proporcionará um estudo sobre as expressões artísticas como hiphop, street dance, rap e grafite”, explica.

Vídeo de abertura com a oficina bandolim:

Canto Terapêutico

A oficina de Canto Terapêutico é ofertada também nesse projeto e a responsável é a professora Vanda Queiroz. A oficina é sobre técnicas voltadas para o vocal e a vivência do canto por meio de expressões. A professora conta que o objetivo maior é criar um espaço onde cada aluno possa se expressar e falar de suas emoções e de seus sentimentos.

“O canto trás diversos benefícios para respiração, vinculação entre as pessoas, um trabalho de escuta de si mesmo. A intenção dessa oficina é proporcionar um ambiente de expressão através do canto e da arte. Tem um espaço dentro da oficina que dar oportunidade para a criação, por exemplo, o nosso grupo já tem duas canções produzidas pelos próprios alunos, isso eleva a potência da música”, disse.

Grupo Canto Terapêutico 

Inscrições

Este projeto  é voltado para toda a comunidade acadêmica e externa. As inscrições para as oficinas estão abertas até o dia 20 de maio através do formulário disponibilizado pela organização do projeto.

Seminário Internacional Independências dos Brasis e I Seminário Interdisciplinar em Sociedade e Cultura

Por Leonardo Dias

Acontece nos dias 10, 11 e 12 de agosto o Seminário Internacional Independências dos Brasis e o I Seminário Interdisciplinar em Sociedade e Cultura realizado pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI), PPGSC/UESPI, do Centro de História da Universidade de Lisboa, do PPGHIST/UEMA, do PPHIST/UFPA e UFPI, na cidade de Teresina, na modalidade semipresencia.

As conferências e mesas redondas serão presenciais com transmissão pelo Youtube e os simpósios temáticos de forma remota, via Google Meet, que ocorrerão no segundo e terceiro dia do evento. Os artigos apresentados nas Comunicações Orais serão publicados posteriormente em um Ebook.

Participaram profissionais de diversas áreas de conhecimento como História, Sociologia e Literatura, onde iram se reunir durante os dois primeiros dias e abordarão o tema do bicentenário da Independência do Brasil sob diferentes aspectos e com olhar atento para as construções do Brasil, questões políticas, culturais.

O objetivo do Seminário é propor debates em torno do projeto de Independência dos Brasis, com ênfase nas questões relacionadas à construção de territórios e fronteiras regionais, as independências do mundo atlântico, portuguesa, espanhola e francesa, escravização e liberdade.

O evento estará integrado ao Calendário de Comemoração do Trincentésimo aniversário da Capitania do Piauí e Duocentenário da Adesão do Piauí à Independência do Brasil.

A professora Cristiana Costa, que também é uma das organizadores do evento, relata que existirá dentro dos debates uma interface entre o passado e o presente  com relação ao próprio Brasil, com discursos que iram responder questões urgentes da própria historia, principalmente como foram relatados documentadamente e definidos enquanto nação.

“Em termos práticos o Seminário ele nos coloca desafios para pensar sobre o Brasil, entre o passado histórico caminhando para o processo de independência como também a contemporaneidade, é um evento que possibilitara esse debate amplo que contempla investigações sobre o passado, mais também sobre o presente e que nos aponte obviamente uma discursão sobre o caminho da sociedade. Existirá simpósios que retrataram o passado escravocrata do presente que submete homens livres a condição de trabalho degradante ou escravo, racismo, fronteiras e dos sertões”, explica.

Programação

10 de Agosto

Mesa de Abertura

  • Eixo 1: Províncias do Norte: Territórios e Fronteiras

Mesa I: Capitanias e Províncias do Norte: territórios e fronteiras

Conferência I – Tema: Câmaras Municipais

  • Eixo 2: “Independências”, Mundo Atlântico e suas reflexões nas Américas

Mesa II: “Independências”, Mundo Atlântico e suas reflexões nas Américas

Conferência de Abertura “Independências na América Latina”

11 de Agosto

  • Eixo 3: Escravidão e Liberdade: experiências dos Brasis

Mesa III: Escravidão e Pós-abolição: experiências dos Brasis

Mesa IV: Literatura e Cultura Afro-brasileira e Indígena

Simpósios Temáticos (Google Meet)

Conferência II – Clément Thibaud (École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris)

12 de Agosto

  • Eixo 4:

Mesa V: Terra e Liberdade: as experiências históricas no Norte e Nordeste do Brasil

Mesa VI:

Simpósios Temáticos (Google Meet)

Conferência de Encerramento (a definir)

Apresentação Cultural

Inscrições

Estão abertas as inscrições para os Simpósios temáticos. Serão ofertados 17 STs em diversas áreas.

Para se escrever basta preencher o formulário disponibilizado pela coordenação do evento no Site PPG Sociedade e Cultura.

Mais informações enviar sua duvida para o e-mail da coordenação: nhst@prop.uespi.br

Campus Picos irá Promover palestra com o tema: Segurança Pública e Direitos Humanos

Por Leonardo Dias

Acontece dia 14 de maio às 8:30h no auditório da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus professor Barros Araújo, na cidade de Picos a palestra “Segurança Pública e Direitos Humanos”. O evento terá a participação do Agente da Polícia Federal, lotado na Delegacia de Repressão a crimes contra o patrimônio, na Superintendência da Polícia Federal em Teresina, Nicodemos Coutinho de Meneses.

A coordenadora do evento Tamires Eidelwein, conta que a palestra tem como objetivo maior a reflexão sobre o tema da Segurança Pública a partir da perspectiva dos Direitos Humanos.

“O encontro está sendo desenvolvido na disciplina de Direitos Humanos do curso de Direito da UESPI Picos, e conta com a participação da comunidade acadêmica da instituição, bem como a parceria da OAB e de um grupo da universidade federal aqui de Picos, com o intuito maior de concentrar informações a cerca dos direitos e o cumprimento de deveres das pessoas para o conjunto de valores, de princípios que rege a sociedade”, relata.

Nicodemos Coutinho de Meneses ingressou na Polícia Federal em 2001, tendo sido lotado inicialmente na Delegacia de Polícia Federal em Araguaína/TO; Posteriormente, foi lotado na Divisão de Combate a Crimes Contra o Patrimônio, dentro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado, da Polícia Federal, em Brasília. Participou das investigações de combate a organizações criminosas especializadas em crimes contra o patrimônio e tráfico.

O palestrante também é professor/instrutor de Técnicas de Investigação Criminal em cursos promovidos pela Polícia Federal, bem como tem participado de eventos organizados por outros órgãos ligados à segurança pública; Graduado em Letras pela Universidade de Brasília; Graduado em Direito pela Universidade Federal do Piauí; Especializado em Direito Público e em Direito Privado pela Escola da Magistratura do Piauí; Especializado em Ciências Criminais pela Escola Superior da Advocacia da OAB/Piauí; Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Piauí, tendo como objeto de pesquisa o fenômeno das facções criminosas na cidade de Teresina.

O evento é coordenado pela Professora Mestre Tamires Eidelwein da Universidade Estadual do Piauí (UESP), com o apoio da OAB Subseção de Picos-PI, do Projeto Direitos Humanos em Pauta da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e do Projeto Esperança Garcia (UESPI).

Participação

A palestra será de forma presencial no Auditório da UESPI Picos. Para Participar basta levar 1kg de ração.

DAEC/PREX: Recebe visita da equipe diocesana da Ação Social Arquidiocesana de Teresina

Por Leonardo Dias

A Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e comunitários (PREX) através do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários (DAEC) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) recebeu dia 04 de maio, a visita dos representantes do Serviço “Levanta-te, vem para o meio” desenvolvida pela Ação Social Arquidiocesana de Teresina (ASA).

Reunião da equipe Levanta-te, vem para o meio e Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários

 

O “Levanta-te, vem para o meio” desenvolve, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o PROJETO TRABALHO ACESSÍVEL, que visa à identificação de pessoas com deficiência para inclusão no mercado de trabalho.

ASA

A Ação Social Arquidiocesana de Teresina (ASA) é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada no dia 13 de junho do ano de 1956, com a vocação de servir com amor e alegria as pessoas em situação de vulnerabilidade a ação foi idealizada por 1956 por Dom Avelar Brandão Vilela.

A Missão da ASA é promover, com excelência, a pessoa em situações de exclusão e/ou vulnerabilidade social, articulando e desenvolvendo ações sustentáveis de inclusão, através da mobilização de parceiros, e buscando oportunizar os meios e condições para o pleno exercício da cidadania, contribuindo para a construção de uma sociedade fraterna, justa e solidária. A cede da Ação fica localizada na Avenida Frei Serafim, 3300
Teresina, PI, CEP: 64000-000.

Os serviços já existentes da Ação social busca sempre ajudar a comunidade que na maioria das vezes são esquecidos. O projetos são: casa de Zabelê, Novos Meninos, centro Esperança Garcia, Integra, Jovem Aprendiz, Lar de Santana, Levanta-te, vem para o meio, Centro Maria Imaculada e lar de Misericórdia.

Levanta-te, vem para o meio

Foi implantado no ano de 2010 com parceria da prefeitura Municipal de Teresina, com o objetivo de oferece cursos de capacitação a seus assistidos, no intuito de prepará-los para o mercado de trabalho.

O projeto é realizado por uma equipe de profissionais que conta com assistente social, comunicóloga, mobilizadores sociais e intérpretes de libras atuando na captação de cadastros de PCD´s e na articulação de parcerias com as empresas.

O DAEC/PREX, por meio do Serviço de Assistência ao Estudante, e o “Levanta-te, vem para o meio” firmaram parceria para, em trabalho conjunto, criar meios e oportunidades de trabalho para os discentes da UESPI com algum tipo de deficiência, além de buscarem a sensibilização do corpo docente, discente e técnico da instituição com a causa.

Hilziane Brito, diretora do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários (DAEC), ressalta a importância de aproximar esse programa da universidade “É incrível o trabalho desse Serviço. Eles irão nos ajudar a colocar nossos discentes com deficiência no mercado de trabalho”, relata.

Campus Oeiras: Lançamento do Programa de Extensão “Alguidar de Cultura”

Por Leonardo Dias

O Lançamento do Programa Permanente de Extensão “Alguidar de Cultura” acontece no dia 11 de maio, às 19 horas na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Possidônio Queiroz, na cidade de Oeiras

O programa conta com uma carga horaria de 40 horas semanal, distribuídas entre estudo, preparo, reunião e realização das ações extensionistas totalizando assim 1200 horas anual.

Este projeto  é voltado para toda a comunidade acadêmica e externa. Tem como objetivo principal estreitar os laços entre Universidade Pública e Comunidade, especialmente a partir da construção coletiva de práticas e diálogos que fortaleçam a democratização do acesso à educação e à cultura.

O Evento contará com a participação da: Coletivo Arte e Cultura de Oeiras – CACO, Coletivo Negras e Negros de Oeiras, Associação Cultural Rua das Portas Verdes, Grupo de Capoeira Raízes do Brasil de Oeiras Piauí e 8ª Gerência Regional de Ensino (8ª GRE).

Será trabalhado temáticas envolvendo: Artes Cênicas (dança, teatro, técnicas circenses e performance), Artes plásticas (escultura, pintura, desenho, gravura, instalação, apropriação), Artes visuais (gráficas, fotografia, cinema, vídeo), Direitos individuais e coletivos, Formação Docente, Música, Organizações da sociedade civil e movimentos sociais e populares, Patrimônio cultural, histórico, natural e imaterial.

A proposta surgiu entre o diálogo dos coordenadores do projeto Alguidar de Cultura, Professora Doutora Gabriela Berthou de Almeida e Professor Doutor Harlon Homem de Lacerda Sousa, ambos docentes da UESPI campus de Oeiras.

Oficinas

O Programa tem como metodologia a realização de oficinas, cursos, rodas de conversa, intervenções artísticas, teatrais e musicais a partir de eixos temáticos construídos de acordo com as propostas dos coletivos que o integram. Cada ação será de forma dialógica e integrada, abarca um aspecto da cultura, da educação e de serviços prestados à comunidade como fundamento da prática extensionista.

As oficinas, rodas de conversa, intervenções artísticas e musicais iram abarcar  aspectos da cultura, da educação e dos serviços à comunidade como fundamento extensionista.

As oficinas serão divididas em eixos como: Eixo 01: Musicalidades e Danças,  Eixo 02: Educação e Patrimônios, Eixo 03: Artes visuais, musicalidades e danças,  Eixo 04: História, Memórias e Identidades, Eixo 05: Artes Visuais, Eixo 06: Artes Cênicas, Eixo 07: Pedagogia Antirracista.

Para a Professora Doutora Gabriela Berthou de Almeida a universidade e o programa que está em andamento tem uma importância fundamental na ampliação das atividades de extensão, ela explica como funcionarão as oficinas que serão desenvolvidas durante toda carga horaria.

“As oficinas que serão ofertadas durante o decorrer do programa de todos os eixos ela não são voltadas só para estudantes da UESPI e sim para toda comunidade de Oeiras, alguma delas ocorreram no campus outras em escolas, praças, bem como será desenvolvidas na zona rural e urbana. As oficinas tem a importância de desenvolver um papel social que a universidade desempenha nas cidades em que elas estão inseridas, vejo o projeto com muito entusiasmo na perspectiva de estreitar a universidade publica e a comunidade”, relata.

Inscrições

No evento de lançamento serão iniciadas as inscrições presencialmente para as oficinas culturais ofertadas a partir de maio de 2022. O evento e as oficinas são gratuitos e abertos para toda a comunidade.

Inscrições abertas para a I Semana de Enfermagem Unificada

Por Leonardo Dias

Acontece nos dias 16 a 20 de maio a I Semana de Enfermagem Unificada da Universidade estadual do Piauí (UESPI), nos campi de Picos, Floriano, Parnaíba e Teresina, em alusão ao mês dedicado a Enfermagem. O evento tem como o tema “A enfermagem nos diversos cenários de atuação em tempo de pandemia”.

O encontro é na modalidade híbrida, com palestras online, minicursos presenciais. Nesta edição os cursos de enfermagem de quatro campus da UESPI se reúnem promovendo um evento unificado voltado para acadêmicos de enfermagem, profissionais da área e toda a comunidade cientifica.

O objetivo da Semana é apresentar os diferentes cenários que se transformaram com o avanço da pandemia. “A enfermagem mudou temos, por exemplo, a ‘Telenfermagem’ e a ‘Telemedicina’ temos também algumas áreas que estão tomando espaço e os enfermeiros são protagonistas nelas. Muitos dos acadêmicos que estão entrando na universidade agora ou até mesmo aqueles que estão saindo não têm conhecimento de diversas áreas que a enfermagem pode atuar, daí a importância de promover um evento como esse”, disse o discente Francisco Railan.

Para o aluno Francisco Railan do curso de enfermagem do campus de Picos que também faz parte da organização do evento, a I Semana de Enfermagem Unificada é um pilar muito importante para a integração entre os campi da UESPI, bem como estimular os estudantes e os profissionais.

“Esperamos que tenha nesta edição tenhamos um publico maior do que as edições passadas, pois antes conseguimos alcançar o curso de enfermagem de Picos e macrorregião e com essa união entre os cursos vamos ter não só uma cidade mais também quatro cidades e quatro regiões. Trazer para a semana da enfermagem, profissionais de outros campos para compartilhar suas experiências de vida é contribuir para a formação acadêmica”, Relata.

Programação

Serão cinco dias de programação. A abertura conta com a palestra: O protagonismo da enfermagem em tempos de pandemia frente aos desafios da profissão, através da plataforma do Youtube. Confira a programação unificada completa:

Segue a programação dos minicursos por campus:

Picos:

Floriano:

Parnaíba:

Teresina:

 

Participação

Se escreva através do formulário disponibilizado pela organização do evento.

A I Semana de Enfermagem Unificada tem carga horaria de 40h, e mais 10h por cada minicurso feito, totalizando até 70h.

 

Campus de Picos: Live de Lançamento do livro Comunicação Comunitária e Pandemia no Sertão do Piauí

Por Leonardo Dias

A Live de lançamento do livro COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA E PANDEMIA NO SERTÃO DO PIAUÍ, aconteceu ontem nesta segunda-feira (25). O livro é organizado pelos professores Evandro Alberto de Sousa e Orlando Maurício de Carvalho Berti e por mais 17 alunos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros de Araújo na cidade de Picos. A publicação foi feita pela EdUESPI – Editora da Universidade Estadual do Piauí.

O livro tem sete artigos, trabalhados pelo Reitor, professor e alunos do curso de Bacharelado em Jornalismo da UESPI Picos. Estiveram presentes na solenidade de lançamento o reitor e organizador do livro Evandro Alberto de Sousa, Diretora do campus de Picos Mariluska Macedo Lobo de Deus Oliveira, a Coordenadora de Jornalismo Thamyres Sousa Oliveira, e todos os autores do livro.

Live de Lançamento do livro Comunicação Comunitária e Pandemia no Sertão do Piauí

O Reitor da UESPI que também é organizador e um dos autores do Livro, Evandro Alberto de Sousa iniciou a sua fala desejando a todos os presentes boa vindas e afirmou que o esforço de cada um no trabalho desenvolvido foi brilhante, onde cada um realizou dentro do contexto educacional trabalhado durante a Disciplina de Comunicação Comunitária.

“Fazer um registro cientifico de tudo que estamos vivenciando nesse momento com a pandemia é ajudar não só a academia, como também a comunidade em geral. Cada um sugeriu o seu tema e trouxeram a sua visão dentro de cada realidade. Temos um compromisso cientifico com nossos alunos, essa turma topou trabalhar e usar a pandemia para complementar. Vocês entram para a historia da nossa editora como centésimo livro publicado. Uma literatura para ser apreciada, compartilhando e ser chamada de seu. Parabéns a todos os alunos, professores e a comunidade do campus de Picos”, relata.

A Diretora do campus de Picos, Mariluska Macedo Lobo de Deus Oliveira agradeceu os discentes do curso de Jornalismo pelo empenho e dedicação que sempre tiveram durante toda a graduação sempre buscando ser destaque com as pesquisas e publicações.

“Vocês são um grupo seleto da Universidade Estadual do Piauí do campus de picos, nós como gestores damos o ponta pé inicial sempre estimulamos todos, agora são vocês que trilham o seu próprio caminho. Vocês conduziram em plena pandemia um trabalho magnifico, dando orgulho e nos mostrando que podemos mais, e cada aluno que esteja vendo essa live, sigam esses alunos que estão saindo da universidade e deixando um legado com seus trabalhos acadêmicos” disse.

A Coordenadora do Curso de Jornalismo, Thamyres Sousa Oliveira enfatiza que é muito gratificante saber que os alunos se dedicam dia e noite para suas carreiras acadêmicas. “Essa é uma turma que tem um currículo que nos da orgulho, as disciplina estimula o alunado a buscar sempre mais, esse resultado tem rendido sempre conteúdo.Um livro como esse chama atenção, que é notório a aproximação entre a comunidade e a universidade. Que cada vez mais possamos pensar em trabalhos de qualidades e que sirva não só para academia como também para toda a comunidade”, ressalta.

O Livro conta o papel da universidade na reflexão da pandemia e a comunicação comunitária nesse processo. Os discentes participantes foram: Ana Caroline de Oliveira Morais, Ana Júlia Oliveira, Fernanda Maria Teixeiras, Gessica Lima Feitosa, Isadora Freitas do Vale Lima, João Pedro Pereira Nunes, Júnior do Vale Lucena, Lia Rachel Silva Marinho Barbosa, Luana de Sousa Rodrigues Moura, Lucas do Nascimento Ibiapino, Maria Renata Arrais de Sousa, Myvrian Hazy Braga de Araújo, Patrícia da Conceição Oliveira Soares, Rafaela de Oliveira Alves, Stefanie de Jesus Leal, Vinícius da Silva Coutinho.

O discente João Pedro Pereira Nunes ocupa o Capítulo 05 (Cinco) no livro juntamente com o aluno Lucas do Nascimento Ibiapino que fizeram sua pesquisa voltados para, “AS EXPRESSÕES COMUNICACIONAIS ENTRE COMUNIDADES HUMANAS E ESPIRITUAIS DA UMBANDA NO SERTÃO DO PIAUÍ. OS ENCANTADOS DA FAMÍLIA LÉGUA NA TENDA SÃO JOÃO BATISTA”. João Pedro fala que seu trabalho e os desafios que encontrou durante.

Discente João Pedro Pereira Nunes

“Os professores sempre estiveram nos apoiando e nos estingando a pesquisas, a nossa pesquisa a tenda São João batista, damos ênfase nas expressões comunicacionais, percebemos que não a vácuo dentro da comunidade pesquisa. Um trabalho que desenvolvemos com bastante cuidado. Trazendo para comunidade a acadêmica e a externa esse tipo de pesquisa, podemos desmistificar vários tipos de preconceitos com a própria Umbanda na cidade de Picos”, aborda.

A aluna Géssica Lima Feitosa que fez seu texto juntamente com Luana de Sousa Rodrigues Moura e Myvrian Hazy Braga trás como tema: A ATUAÇÃO DO COLETIVO MULTIPLICIDADE E AS SUAS ESTRATÉGIAS COMUNICACIONAIS NA CIDADE DE PICOS – PI, a sua abordagem está no capitulo 03 (três) do e-book. Géssica Lima na solenidade de lançamento do livro fala que é gratificante trabalhar temáticas que ajudaram a muitas pessoas.

Discentes, Géssica Lima Feitosa e Luana de Sousa Rodrigues Moura

“Eu acredito que a universidade é para nos preparar para docência, para pesquisa e contribuir não só de forma acadêmica para nós mesmo, como também para a comunidade como um todo”, relata.

E-book

O e-book esta disponível na editora da UESPI na categoria livros 2022, totalmente gratuito.

 

Campus Picos: Reitor da UESPI, docente e discentes lançam livro nesta segunda-feira

Por Leonardo Dias

Acontece nesta segunda-feira (25) de abril, às 19h, através do canal do Youtube o Lançamento do Livro o lançamento do livro “Comunicação Comunitária e Pandemia no Sertão do Piauí”, produzido por professores e 18 alunos do curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) campus professor Barros Araújo, na cidade de Picos.

O livro foi organizado pelos professores da UESPI, Evandro Alberto de Sousa,  Reitor da Instituição, e Orlando Mauricio de Carvalho Berti, professor do curso de Jornalismo, Campus Torquato Neto. Os discentes participantes foram: Ana Caroline de Oliveira Morais, Ana Júlia Oliveira, Fernanda Maria Teixeiras, Gessica Lima Feitosa, Isadora Freitas do Vale Lima, João Pedro Pereira Nunes, Júnior do Vale Lucena, Lia Rachel Silva Marinho Barbosa, Luana de Sousa Rodrigues Moura, Lucas do Nascimento Ibiapino, Maria Renata Arrais de Sousa, Myvrian Hazy Braga de Araújo, Patrícia da Conceição Oliveira Soares, Rafaela de Oliveira Alves, Stefanie de Jesus Leal, Vinícius da Silva Coutinho.

As temáticas do livro  abordam  o papel da universidade na reflexão da pandemia e a comunicação comunitária nesse processo. Para o Reitor da Universidade e um dos autores e organizadores do livro, Prof. Doutor Evandro Alberto, “o e-book vai contribuir para um conhecimento maior sobre a importância da comunicação comunitária para tratar sobre temas que impactam as suas comunidades, como por exemplo a Covid. Colocamos todo nosso esforço e dedicação e quero agradecer a parceria com o  Prof. Orlando Berti, e também com os discentes envolvidos.  Parabenizo todos os discentes pelo esforço na produção científica e empenho que cada um, cada uma demonstrou desde a produção do livro até agora. Tenho certeza de que serão grandes profissionais, tanto nas suas áreas de atuação, como na literatura e na produção científica de forma geral.  A nossa UESPI está sempre empenhada nos seus mais diversos cursos e áreas a dar um retorno social para todo o Piauí”.

O professor Orlando Mauricio de Carvalho Berti explica que este e-book é o terceiro produzido pelos discentes do curso de Jornalismo do campus de Picos, onde trazem reflexões sobre questões pandêmicas.

“Sempre Temos a intenção de vivenciar questões da região, mostrando sempre as características da Universidade que é pensar os fenômenos regionais e, principalmente, as atualidades desses fenômenos. O livro demorou quase um ano para ser feito, pois envolveu as fazes da pesquisa e a interação com os grupos sociais até aparte de organização, edição, diagramação para ser lançado agora no inicio do ano”.

Autores

Vinícius da Silva Coutinho, um dos autores do livro, escreveu sobre  “O protagonismo da Igreja Católica na comunitarização da cidade de Patos do Piauí”.  “Poder tratar sobre como a comunicação acontece na minha cidade foi muito gratificante. Principalmente, por contribuir com as especificidades da cidade em relação à comunicação comunitária e o protagonismo da igreja católica”, relatou.

Já o aluno Júnior Lucena abordou  “A comunicação exercida pela associação atlética acadêmica midiática, de Picos, em suas redes sociais”. “Contar a história do movimento estudantil que foi a Atlética Midiática  junto do estudo das comunicações comunitária e contra-hegemônica foi uma ótima forma de registro histórico para o curso, além da contribuição acadêmica na área”, disse.

A discente Ana Júlia, que pesquisou sobre pandemia da covid-19,  um “Estudo de caso da comunicação comunitária religiosa da Assembleia de Deus – templo central  na cidade de Picos”, diz que “falar sobre a adaptação da Igreja, em especial a Igreja de Picos, ao mundo virtual no período de isolamento, incertezas e medos foi renovador. Compreender todos os desafios que a pandemia trouxe e como a Igreja lutou e se apegou a meios cabíveis para continuar exercendo sua fé, os cultos, tudo isso foi uma experiência gratificante”.

E-book

O e-book esta disponível na editora da UESPI na categoria livros 2022, totalmente gratuito.

Campus Picos: Aluno do curso de jornalismo ganha premio literário Nacional

Por Leonardo Dias

O discente Patrick Sousa do curso de Bacharel em Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Professor Barros Araújo na cidade de Picos, venceu a 1º edição do premio “Reflexo Literário 2021” na categoria Melhor Romance Erótico.

O Livro ganhador do premio é titulado “Pelas Janelas da Alma” ele foi publicado no ainda no ano de 2021, pela editora Letras e Versos. A publicação do livro do aluno Patrick Sousa foi nos formatos impresso e digital.  O estudante de jornalismo conta a viabilização da sua publicação. “A publicação foi viabilizada pela lei Aldir Blanc, com o prêmio Maria da Inglaterra, na qual o autor foi contemplado no auge da pandemia como meio de fomentar a literatura nacional”, destaca.

As inscrições para a premiação ocorreram do dia 20 de julho de 2021 ao dia 20 de dezembro. Uma das regras para participação era que apenas profissionais brasileiros pudessem participar e que cada autor de livro poderia apenas se escrever em 02 (duas) categorias. O autor destaca pontos principais no decorrer do livro que remete o Romance erótico, drama e a temática homoafetiva,

“Essa temática é um tabu muito grande na sociedade hoje, mais é uma literatura que esta expandindo, crescendo”, disse.

Aluno de Jornalismo, Patrick Sousa

Prêmio Reflexo Literário

O Prêmio Reflexo Literário está na sua primeira edição e contou com mais de 50 autores inscritos em mais de 10 categorias.  O sistema de votação ocorreu entre fevereiro e março de 2022 por voto popular através de formulário no Google Forms. Patrick Sousa ganhou o premio com 3.246 votos totalizando assim 76,1%.

O prêmio é uma estatueta simbólica, que foi entregue aos vencedores no evento de Premiação e enviado pelos Correios para os autores que não puderam comparecer presencialmente na Premiação.

O objetivo do premio foi prestigiar cada profissional da literatura, para além de da oportunidade a todos os escritos o voto popular ser voz dentro do contexto. A valorização é ponte principal na premiação que levou diferentes autores de diferentes regiões do Brasil a ganharem.

Dentro da Premiação participaram as categorias: Melhor Livro de Poesia, Melhor Livro de Drama, Melhor Livro de Fantasia, Melhor Livro de Suspense, Melhor Livro de Romance, Melhor Livro de Romance Erótico, Melhor Livro Infantil, Melhor Livro de Terror, Melhor Livro de Distopia, Melhor Livro de Crônicas, Melhor Antologia, Melhor Livro de Histórias em Quadrinhos (HQ), Melhor E-book, Melhor Conto Digital, Melhor Bookstagram, Melhor Booktuber, Autor Revelação, Melhor Autor Nacional,  Melhor Capa, Melhor Profissional da Área Editorial, Melhor Editora, Editora Revelação,  Melhor Gráfica para impressão de livros,  Melhor Digital Influencer, Melhor Jornalista (Categoria para redatores e colunistas de conteúdo Literário).

Apresentação da Premiação 

Outros Prêmios

O aluno estudante do curso de Jornalismo ainda concorre ao Prêmio Melhores Do Ano 2021 da editora Letras Virtuais, nas categorias Representatividade, com o livro “Pelas Janelas da Alma” e Melhor Romance de época com o livro “Mil Vezes Te Amarei”.

Patrick Sousa já tem quatro livros publicados em formato físico, disponíveis na Uiclap, e dez em e-book disponíveis na Amazon. O estudante relata suas expectativas com a premiação literária, Foram bem altas.

“Já sou formado em letras, de certa forma esse processo me ajudou muito nas minhas escritas até hoje, sempre tive uma grande expectativa com relação a ganhar esse premio, logo tive a experiência de engajar o máximo possível de pessoas para votaram por ser aberto ao publico. Aproveito esse momento para agradecer a Deus, e dedico esse premio a minha mãe (em memoria)”, relata.

PPGSC: Saiba tudo sobre o novo edital do programa de mestrado

Por Leonardo Dias

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação – PROP e a Coordenação do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociedade e Cultura – PPGSC da Universidade Estadual do Piauí – UESPI, no uso de suas atribuições, conforme Regimento do Programa e considerando os termos da Resolução CEPEX No 035/2015, de 04 de novembro de 2015, torna pública à comunidade acadêmica a abertura do processo de inscrição e seleção para bolsistas de Mestrado.

O Edital nº edital 06 de 2022 é direcionado para alunos vinculados ao programa de pós-graduação “Interdisciplinar Sociedade e Cultura” que oferta 10 bolsas.  As bolsas são ofertadas através de recursos do Tesouro Estadual.

A Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociedade e Cultura, Professora Cristina Costa fala sobre as expectativas do preenchimento das bolsas, bem como a distribuição e o valor.

“Tenho uma expectativa muito grande em relação ao preenchimento das 10 bolsas que serão ofertadas, as bolsas serão distribuídas nas duas linhas de forma equivalente 50% para cada linha, no total serão 20 alunos que concorrerão a essas 10 bolsas com o valor de 1.500,00 reais que é o valor que é o mesmo valor que a Capes e CNPQ está pagando hoje para uma bolsa de Mestrado” explica.

A bolsa de mestrado é ofertada para alunos regularmente matriculados no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociedade e Cultura UESPI. O candidato da bolsa deve apresentar perfil compatível para atuar nas atividades acadêmicas do PPGSC/UESPI, em obediências às determinações do Regimento deste PPGSC e da Resolução CEPEX Nº 035/2015, de 04 de novembro de 2015.

“Essas bolsas ofertadas pela UESPI é de extrema importância para os programas de pós-graduação da universidade principalmente para os três programas de pós-graduação acadêmica, é considerável assegurar esses benefício para esses alunos”, disse.

EDITAL 

Confira todos os documentos, a classificação, as considerações gerais, cronograma e todos os anexos no edital.

Edital Completo. 

INSCRIÇÃO

Para fazer a inscrição para seleção os candidatos deverão enviar todos os documentos necessários dentro dos prazos estipulados no cronograma do edital para o e-mail: ppgsc@prop.uespi.br com o assunto “INSCRIÇÃO BOLSA MESTRADO”.

 

Residentes de Educação Física produzem cartilha sobre Exercícios físicos em casa

Por Leonardo Dias

As residentes do curso de Licenciatura em Educação Física, Maria Vitoria Lacerda e Larissa Nunes da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) do campus Torquato neto em Teresina, produzem cartilha de Exercícios em casa para promover a conscientização dos adolescentes da importância da prática das atividades voltadas para o corpo.

Frente às dificuldades enfrentadas pelo programa de residência pedagógica por conta do distanciamento social e com a restrição de circulação de pessoas ambos provocados pelo momento pandêmico ocorridos nos últimos anos, as alunas do curso tiveram a iniciativa de preparar o material e disponibilizar aos alunos, como uma forma de se manterem sempre presentes.

A professora orientadora do projeto Doutora Kátia Magaly Pires Ricarte fala que a cartilha aborda um conteúdo paralelo aos conteúdos curriculares da disciplina de Educação Física. Além de estreitar a relação professor e aluno, incentiva a cultura do movimento e promove a educação saudável por meio das informações que ultrapassam a sala de aula.

“Disponibilizar uma cartilha de exercícios nesse período de distanciamento, aproxima o professor do aluno, propõe melhorias no condicionamento físico sob orientação profissional e elevam as chances de internalizar no discente a concepção da importância de se movimentar diariamente. A orientação é contínua e com a intervenção efetiva das preceptoras, a aplicação da metodologia ativa complementar funciona”, explica a professora orientadora.

Cartilha

A cartilha traz dicas de exercícios seguros como a Importância do treino de força, Benefícios do Alongamento, Aquecimento, Alongamentos de Membros Inferiores, Alongamentos de Membros superiores, Exercícios para os membros inferiores, Aquecimento de Membros INF e SUP, Exercícios para os membros inferiores, Exercícios para os membros superiores, Materiais Alternativos e Exemplos de Treinos.

Além de trazer dicas para a realização de um exercício seguro, mostrando os benefícios e importância do treino, do alongamento e aquecimento durante a atividade física.  E na cartilha ainda possuí exemplos de matérias alternativos e acessíveis para os alunos realizarem as práticas.

Uma das residentes do projeto aponta o sedentarismo entre os adolescentes como uma das principais realidades vivida hoje principalmente com advento da pandemia e consequentemente o isolamento, ela aborda também a sua realização pessoal e profissional diante de todo material construído nessa cartilha.

“Uma opção mais prática e mais acessível para aqueles que não possuem condições de pagar uma academia, por exemplo. E nela há instruções e demonstrações através de imagens dos exercícios que devem ser realizados, tendo a orientação necessária dos profissionais de Educação Física. particularmente nossa realização profissional e pessoal está em poder contribuir dessa forma a manter esses jovens em movimento, em atividade corporal, os auxiliando a melhor em outros âmbitos de suas vidas: pessoal, emocional e social”, disse a aluna Maria Vitoria Lacerda.

Confira a cartilha completa.