Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h-1

A religião como fonte de pesquisa cientifica e combate a intolerância religiosa

Por Katriele Chaves

No último sábado, dia 21 de janeiro, o Brasil reflete sobre se o Dia Mundial da Religião e do combate da intolerância religiosa. A Religião e a Religiosidade em suas formas de ritos, celebrações e manifestações são expressão humanas sociais e culturais e, portanto, são objetos de pesquisa.

O prof. Pedro Pio está à frente da pesquisa cadastrada na Prop

Para pesquisadores como o Professor Doutor Pedro Pio Fontineles estudar as religiões e suas formas de expressão possibilita compreender também a própria sociedade. O docente da UESPI está desenvolvendo, no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (PIBIC), uma pesquisa com o tema “Crenças e Credos de Clio: religião e religiosidade no livro didático na área de história”, com a participação do aluno pesquisador Rodrigo Coutinho Lopes, estudante do curso de História. A pesquisa busca compreender como a religião e a religiosidades são abordadas nos livros didáticos do Ensino Médio na área de História.

“Estamos investigando os percursos históricos das práticas religiosas no Brasil no livro didático da área de história por meio da pluralidade religiosa brasileira e as questões de identidade e depois vamos refletir sobre a história das religiosidades brasileiras a partir das matrizes indígenas e africanas”, explicou o professor.

Não somente na área de Ciências Humanas e Sociais que as pesquisas sobre religião resultam em pauta para os pesquisadores.  Os estudos sobre turismo religioso se apresenta como base de apuração científica por trazer aspectos sociais, políticos e econômicos. A Coordenadora do NETUR, a professora Angélica Costa, que vem participando da rede de turismo religioso do Nordeste em conjunto com pessoas de outros setes Estados, pesquisa “A Cartografia do Sagrado no Piauí: Possibilidades para o Turismo Religioso”.

Os encontros entre os participantes da pesquisa acontecem uma vez por mês

Os encontros entre os participantes da pesquisa acontecem uma vez por mês

“Então, esse projeto ele anda em paralelo com essas ações e tem o objetivo de fazer um levantamento sobre a ótica do turismo religioso no Piauí, especialmente, em Santa Cruz dos Milagres, onde é o nosso campo de ação para fazer esse levantamento sobre os dados que direcionam as manifestações conhecidas oficialmente pelas instituições religiosas e devoções populares, a exemplo os santos canonizados na Igreja Católica”, comenta a professora.

A Rede reúne pesquisadores de todo o Nordeste

A pesquisa procura mapear as principais festividades e patrimônios imateriais sobre a ótica da promoção do turismo religioso do Piauí. Tem-se como objetivo para as ações voltadas para as políticas públicas do Estado, por essa necessidade de identificar, espacialmente, as manifestações ligadas à religiosidade. Tendo assim estratégias de ações de promoção e valorização, auxiliando dessa forma pesquisas voltadas para o turismo religioso.

 “Vamos concretizar nesse projeto o mapeamento das manifestações religiosas e analisar as dinâmicas das festas, verificar de que forma os agentes responsáveis atuais na promoção dessa e contextualizar os impactos das novas tecnologias durante o período de pandemia”, afirma a professora.

O professor Pedro Pio acredita que as discussões sobre as relações entre História, Religião e Religiosidade ainda são escassas no ensino piauiense. “É necessário maior esclarecimento acerca das diversas e diferentes crenças para elevar o pensamento crítico e a escolha de cada indivíduo, com finalidade de conhecimento e assim diminuir o preconceito e intolerância”, finaliza.