Uespi

Brasão_da_UESPI.512x512-SEMFUNDO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Brasao_Pi_h

35 anos de UESPI: uma universidade comprometida na formação humana

Colaboração: Yasmim Cunha / Professora Orientadora: Sammara Jericó

No próximo dia 28 de julho a Universidade Estadual do Piauí, a #NossaUespi, completará 35 anos.
Criada em 1984 através da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Educação do Estado do Piauí – FADEP, que, em seguida, na década de 1990, evoluiu para a Universidade Estadual do Piauí – UESPI e já começou a atuar em outras cidades. 

Composta por 12 campi espalhados pelo território piauiense, a UESPI ao longo desses 35 anos tem sido exemplo de luta, dedicação e qualidade no ensino, pesquisa e extensão.

Além dos 29 cursos de graduação, a instituição conta com cursos de pós-graduação, na modalidade de especialização, mestrado e doutorado, além das residências médicas e multiprofissionais.

Com a marca registrada de fazer diferença nas vidas de seus alunos e tendo o acolhimento como uma característica marcante, a UESPI já formou diversos profissionais de sucesso ao longo das últimas três décadas. 

Da UESPI para o mundo

A UESPI investe na pesquisa científica em diversas áreas na perspectiva de democratizar o conhecimento e valorizar a ciência como  pontos chaves para responder as questões da sociedade e contribuir com ela. 

Egressa do curso de Comunicação Social, hoje, Docente no Maranhão

A egressa da UESPI, Leila de Sousa, que recentemente se tornou Doutora em Ciências da Comunicação e atua como professora na UFMA, reafirma a contribuição da UESPI para as conquistas na trajetória acadêmica dela.

‘’Sou da  turma de 2006, do curso de comunicação social da UESPI. Ao decorrer do curso, eu pude ver as melhorias acontecendo em termos estrutura, mas sobretudo, eu quero destacar a experiência de se ter uma formação humana, que foi o que aconteceu comigo no curso de jornalismo pelos professores, e a forma como eles entendiam a profissão e também o jornalismo em si, já que todos eram pesquisadores. Acredito que isso fez grande diferença para que eu pudesse ser a professora e pesquisadora que sou hoje. Muito dessa visão humana sobre os processos e das teorias eu aprendi a partir do diálogo e da parceria com os meus professores da graduação, destaco dentre essas parcerias, o caminhar com o professor Orlando Berti, o Daniel Solon e professora Sônia Carvalho, além de todos os outros. Outro ponto forte foi a oportunidade de estagiar em locais como a Rádio Antares, uma importante parceira da instituição, entre outros. Todos esses diálogos e experiências me possibilitaram levar um pouco do meu aprendizado adquirido na UESPI para dialogar com as práticas e o exercício da minha profissão. Um fato marcante foi quando eu estava em Barcelona, na Espanha, terminando o meu doutorado sanduíche, onde pude refletir o quanto eu aprendi na UESPI, essa amplitude de visão, a necessidade de tornar a teoria mais humana, descentralizar essa teoria, que é como fui ensinada e muito apoiada na graduação. Durante minha passagem pela Unisinos, tudo isso fez muito sentido e eu pude ver que a UESPI foi minha base. Outra experiência marcante foi logo após o término no meu mestrado na UFPI, onde eu consegui ser aprovada no seletivo para professor substituto da UESPI, foi uma fase muito positiva na minha vida, pois voltar para a instituição depois de um tempo foi muito interessante poder retribuir para a universidade o muito que ela me ofereceu, os espaços que eu pude estar, aprender, observar e refletir, e depois voltar e tentar repassar isso para os meus alunos, mostrar uma perspectiva enquanto egressa. Sou muito grata pela minha formação e, principalmente, no meu período enquanto professora substituta, pela parceria com meus mestres e, também a possibilidade de atuar em espaços do curso para além da sala de aula. Foram muitas as experiências que a instituição me deu, a oportunidade de desenvolver e até hoje ter esse vínculo. Essa relação de amizade, afetividade e acolhimento é uma marca da UESPI e é algo que sinto muita saudade e tento refletir isso na minha atuação na UFMA. Até hoje, muito do que me foi ensinado em 2006, eu tenho utilizado na minha vida profissional. Devo muito a UESPI e aos meus professores que até hoje são meus amigos e que sempre estão presentes, sou grata por ter estudado lá’’, afirmou  Leila.

André Aureliano é formado pela UESPI em comunicação social e, atualmente, é Relações Públicas na Presidência da República. Ele conta que a universidade foi essencial na sua trajetória em todos os âmbitos. ‘’Devo a UESPI a minha formação humanística, acadêmica e profissional. A Universidade foi um divisor de águas na minha trajetória pessoal. Não tenho dúvidas do seu papel emancipatória. Tenho uma história de muito carinho e gratidão pela Universidade Estadual do Piauí. Ela me proporcionou muito mais do que uma graduação, mas acolhimento e grandes amizades. Estou formado há quase cinco anos e sempre que vou à Teresina, visito o campus Torquato Neto e relembro o quão importante foi e é aquele lugar. Maranhense e interiorano de Lago da Pedra, foi na UESPI que vi a oportunidade de realizar o sonho de ser jornalista e relações públicas. Entrei na Universidade, tive excelentes professores e muitas experiências extensionistas. Um conjunto de vivências que me habilitaram a sair da graduação e enfrentar os desafios que a vida profissional exige.  A UESPI tem uma identidade que é única. É científica sem se perder do que é humano. Acolhe, educa e transforma todos que estão sob sua guarda. É muito importante que todos nós, egressos da UESPI, defendamos o legado deixado em nossas vidas’’ finalizou André.

Relações Públicas em Brasília e foi também aluno de jornalismo no campus Torquato Neto

De volta para casa

A UESPI se destaca também na perspectiva de que muitos de seus egressos voltam para atuar na instituição, tanto na administração superior, quanto como docentes. Um exemplo disso é a professora do curso de direito da instituição, Yana Moura, que é Advogada formada pela UESPI, Assessora Municipal de Ipiranga do Piauí, Procuradora do município de Vera Mendes e Consultora no SEBRAE.

Formada em direito pela Uespi e, hoje, Procuradora

Yana conta que parte do seu sucesso e realização se deve a UESPI, porque foi onde mais cresceu como pessoa e profissional. ‘’A UESPI foi de suma importância para mim na construção do curso de direito, mas acima de tudo, na questão da construção do ser social. Foi na UESPI que eu entendi a importância das lutas, de participar de movimentos para a construção de uma universidade mais plural, mais participativa. Tive excelentes professores, assim como inúmeros desafios, mas foram esses desafios dentro da instituição que me fizeram crescer e ser quem eu sou. Estou feliz e realizada em ter voltado como professora, por ter passado quatro anos, por ter contribuído minimamente na formação de profissionais que vão entrar no mercado de trabalho, mas, que serão não somente advogados, mais profissionais humanos, que entendem o direito como uma fonte de saber, de moral e de ética e sobretudo, uma fonte de humanidade’’.

Luzifrank Júnior é egresso de dois cursos da UESPI e afirma que sua vida é baseada na nossa universidade. ‘’Foi lá que eu cursei a minha primeira graduação e que me deu minha primeira profissão. Trabalhei com jornalismo por mais de 15 anos graças a formação que obtive na Uespi, uma formação de qualidade que me permitiu desenvolver um trabalho notório, reconhecido e que me deu condições de alçar voos e realizar meus sonhos e, mais do que isso, a UESPI me permitiu viver muita coisa, a minha vida se confunde com a UESPI, porque eu entrei um menino e saí um homem. Eu vivi amores, fiz grandes amizades que ainda hoje fazem parte da minha vida e, entre tantas outras coisas, eu posso afirmar que a UESPI tem algo muito especial, ela transcende esse papel de uma mera instituição de ensino superior, ela tem algo muito especial, é acolhedora, é lar. A gente se sente em casa, a gente vive um verdadeiro caso de amor pela UESPI, tanto que, oito anos depois da minha primeira graduação, eu retornei para cursar direito e vi o crescimento na IES, a evolução dela. Sou grato e me sinto privilegiado por ter estudado duas vezes lá, e ainda pretendo voltar’’.

Fez dois cursos na Uespi porque acredita nos valores da instituição

   

Alunos que agora são docentes da UESPI

A UESPI já formou milhares de estudantes que saíram para conquistar os seus espaços fora dos ambientes da universidade, mas, #nossaUespi também virou sonho de realização profissional. Os relatos a seguir são de egressos que após a graduação retornaram para a instituição como professores, pesquisadores e profissionais que atuam na administração superior. 

No passado, foi um estudante de engenharia, hoje, professor Juan Aguiar, coordenador, pesquisador e incentivador do ensino, pesquisa e extensão na UESPI. ‘’Eu sou egresso do curso de engenharia elétrica da UESPI e, atualmente, sou professor e coordenador do curso. Eu sempre tive a curiosidade de explorar máquinas e equipamentos eletrônicos desde criança e descobri muito cedo a necessidade cursar engenharia elétrica. Quando foi criado o primeiro curso de engenharia elétrica do estado do Piauí, na UESPI, meu sonho se tornou realidade. Mesmo tendo sido aprovado em outras instituições públicas para o mesmo curso, eu escolhi a UESPI. Lá eu tive os cinco anos mais incríveis na minha acadêmica durante a graduação. Todas as dificuldades se tornaram uma oportunidade de melhorias, de inovação e de um exercício de empatia. Foi naquela época que eu compreendi que a UESPI não era uma mera instituição, mas uma causa. Uma causa pela qual vale a pena acreditar e foi na graduação que eu tive a certeza de que eu queria ser professor da instituição. Quando eu fui aprovado no concurso para ser professor efetivo, eu chorei igual ao dia que passei no vestibular, pois era meu sonho voltar para instituição, que é minha segunda casa. Acho que é por conta de tudo isso que eu encaro a UESPI como um começo, o início da minha vida acadêmica, meu meio, onde vivi e vivo, onde luto pelo que acredito. É na UESPI  onde eu realizo o meu propósito, o que eu gosto de fazer, que é ensinar. Eu tenho muito orgulho da instituição que eu me formei, na área que eu sonhava, me profissionalizei na vocação que eu herdei da minha mãe, que é ensinar e que eu espero junto aos meus colegas, meus alunos, o pessoal que eu tanto admiro, construir uma nova história para a nossa UESPI. Quero parabenizar a instituição pelos 35 anos e desejar tudo o que há de melhor para todos que fazem parte dela, que venham mil anos para nossa casa, que ela continue sendo um legado de educação para o nosso povo que tanto é admirado pela sua competência. É uma honra fazer parte da nossa UESPI, sou grato por tudo’’.

Estudante de Engenharia elétrica, hoje Coordenador do curso

 

A professora Márcia Percília, curso de ciências biológicas, é outro exemplo de egressa da instituição que voltou para atuar na UESPI tanto como professora, como na administração superior, enquanto Diretora do Núcleo de Educação a Distância – NEAD. ‘’Com muita honra e alegria que venho aqui dar meu depoimento enquanto egressa. A UESPI tem a cara do nosso estado e, dentre as várias missões, ela promove também tem a integração entre seus ex-alunos e, consequentemente, com a sociedade de um modo geral. A UESPI foi indispensável para a minha formação profissional, para a minha inserção no mercado de trabalho. Além da oportunidade de retribuir todas as vivências e aprendizagens recebidas, agora eu posso contribuir com o desenvolvimento da instituição mais também com a sociedade enquanto egressa. Todos nós egressos somos personagens valorosos que promovem mudanças sociais significativas a partir dos cursos que escolhemos estudar, na UESPI foi onde tive contato com o conhecimento teórico e prático da minha profissão e é por isso que, nesse contexto, ela é tão importante. Na nossa Uespi é ensinado não só o que o profissional precisa fazer, mas como ele deve resolver determinados problemas. Nós preparamos um profissional competente e compromissado na sua área de formação, alinhando sempre ao tripé: ensino, pesquisa e extensão. Ela é a minha segunda casa, onde construí minha segunda família. Eu trabalho com pessoas que respeito bastante e percebo que recebo esse respeito de volta. Criei um vínculo muito grande com essas pessoas da UESPI e, nesses 35 anos de vida desta universidade, eu testemunho o privilégio de ter passado da condição de discente para docente. É com imenso orgulho fazer parte de uma construção histórica, reflexo da oportunidade de conviver com excelentes professores, mestres e doutores no sentido estrito da palavra que contribuíram para a minha formação e, hoje, estar ao lados destes mesmos profissionais como colegas de curso e de experiências é uma sensação imensurável, é gratificante sentir o prazer de dever cumprido. Gosto de estar em sala de aula, de desenvolver pesquisas e de contribuir com a administração superior e fazer a diferença para nossa comunidade em geral. A UESPI tem sido para a minha vida uma grande lição. Só tenho a agradecer e parabenizá-la por esses 35 anos. Vida longa para a nossa UESPI’’.

Egressa da #nossauespi e, atualmente, Professora e Diretora do Nead

 

Rafael Quadros, egresso da UESPI e que aos 27 anos já está quase finalizando o doutorado também na área de ciências biológicas, além de ex-aluno de Márcia Percília, conta que foi a oportunidade de estudar na UESPI que o ensinou a pesquisar. ‘’Foi na nossa Uespi onde eu aprendi a pesquisar, a ensinar na extensão. Eu posso dizer que a instituição me proporcionou ótimos aprendizados. Foi ela que fez eu me apaixonar pelo campo da ciência, ela que me preparou para o mestrado. A UESPI é uma mãe, uma IES acolhedora que impulsiona uma boa vivência e muitos aprendizados, até hoje eu continuo com a pesquisa que comecei lá. A UESPI nos oferece na área acadêmica praticamente tudo o que a gente precisa para se tornar um bom profissional. O corpo docente é o diferencial dela, acolhedor, preparado e de qualidade, por isso aprendi tanto no ensino, na pesquisa e na extensão. Sou grato e muito realizado pela oportunidade valiosa de ter estudado nela e por tanto amor, qualidade, acolhimento e preparo para a gente se tornar um ser humano capacitado em todos os sentidos’’ finalizou.

Egresso da uespi e doutorando em ciências biológicas

São 35 anos de histórias, de gente que entra, sai, voa, volta, mas o amor pela instituição cresce e se fortalece. Um lugar que da vez e voz, que é plural e democrático, que tem e faz história e mostra todos os dias que é uma universidade com um propósito maior. Vida longa à nossa UESPI!